Prefeito de Macapá diz que tem que lutar contra os corvos e urubus que tentam se promover politicamente com a pandemia

“Além da luta desigual contra o inimigo invisível, que é o coronavírus, temos que lutar contra os oportunistas de plantão, que é outro ‘vírus’ existente e muito forte. Lutamos diariamente contra problemas de falta de estrutura, de desabastecimento do mercado hospitalar, de falta de medicamentos e insumos e ainda temos que lutar contra essa legião de oportunistas, corvos e urubus, que querem apenas se promover politicamente em cima da desgraça alheia”

Palavras do prefeito de Macapá, Clécio Luís, ontem no programa “Luiz Melo Entrevista”.

A entrevista completa você lê no jornal Diário do Amapá aqui 

  • O Prefeito de Macapá diz uma verdade, pois agora que aparecem os “oportunistas” que querem “se dar bem” e culpam A e B pelas deficiências do Sistema de Saúde do Estado e do Município.
    Quem é “racional” tem consciência de que o Estado e os Municípios possuem deficiências desde a sua criação (1988).
    Sem entrar no mérito, a nossa carência é latente e agora, nos últimos anos só houve agravamento que, com a pandemia, ficou mais visível.
    Temos que reconhecer que o Estado, além de novo, é pobre e se não houver investimento, maciço. Federal os nossos problemas permanecerão, pois a população cresce e os recursos (federais) diminuem e o Estado e Municipios não o possuem. Fato que vem acontecendo, drasticamente, nos últimos quatro anos.
    No momento, em que vivemos, todos nós temos uma parcela de culpa: VOTAMOS ERRADO, NÃO COBRAMOS ÀQUELES EM QUEM VOTAMOS E, A CADA ELEIÇÃO, MUITAS VEZES PRA TIRAR “VANTAGEM”, VENDEMOS NOSSO VOTO POR “MIGALHA” E ESSES “POLITIQUEIROS OPORTUNISTAS” FAZEM DA POLÍTICA, POR INCOMPETÊNCIA, SUA PROFISSÃO E “JAGUNÇOS” DOS GRANDES CAPITAIS. POR CONSEGUINTE,
    O POVO TRABALHADOR, APARECE COMO O “JUMENTO” DAQUELA MINORIA RENTISTA QUE DOMINA O PAÍS.
    (escutem a música “Apologia ao Jumento de Luiz Gonzaga” e prestem atenção na letra que entenderão ao que estou me referindo).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *