Prefeitura confirma: Macapá tem 50 casos suspeitos

O município de Macapá passa a monitorar 42 novos casos suspeitos de Coronavírus, que foram atendidos em Unidades Básicas de Saúde e realizaram coleta de exame para a detecção da síndrome respiratória, e mais oito casos registrados na plataforma do Ministério da Saúde, passando assim para 50 o número de casos suspeitos na capital amapaense.

Desde a última sexta-feira, 13, a plataforma criada pelo Ministério da Saúde para a notificação de casos apresentava instabilidade e, por um dia, ficou fora do ar, o que inviabilizou a Vigilância Epidemiológica do município de fazer a inserção e atualização de casos no sistema. Devido a esse problema, o MS realizou melhorias no sistema, dando autonomia aos municípios para efetuarem a notificação direta. Com isso, aumentando o número de casos notificados.

Os 50 casos suspeitos, além de receberam o primeiro atendimento em unidades de saúde, estão sendo monitorados pelas equipes de Vigilância Epidemiológica quanto à evolução clínica de cada paciente. Após coleta de exame, eles foram liberados para isolamento domiciliar por apresentar sintomas leves da doença, recebendo kits de máscaras e recomendações sobre cuidados básicos.

Ao Município cabe o primeiro atendimento e avaliação de casos suspeitos com sintomas da doença em todas as Unidades Básicas de Saúde. Como parte do Plano de Enfrentamento ao Covid-19, a Secretaria Municipal de Saúde definiu o fluxo de atendimento a casos suspeitos de Coronavírus. O protocolo trata das providências a serem tomadas quando pacientes suspeitos da síndrome respiratória buscarem atendimento em uma unidade do Município.

A prefeitura também realiza a coleta de amostras biológicas dos pacientes para a realização do exame que comprova a doença. O exame é feito nas Unidades Básicas de Saúde Lélio Silva e Marcelo Candia e, posteriormente, enviadas ao Laboratório Central de Saúde Pública do Estado, que tem a responsabilidade de realizar o envio das amostras para o laboratório de referência da Região Norte, que é o instituto Evandro Chagas, no Pará.

(Assessoria de comunicação/Semsa)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *