A poesia do Amapá no Senado

Poesia, Direitos Humanos e Política. Esse foi o clima da sessão da Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH) do senado,  quinta-feira (16), realizada em comemoração ao Dia Nacional da Poesia, celebrado em 14 de março.  O senador Randolfe Rodrigues (PSOL-AP) incluiu na lista de homenageados o poeta amapaense Alcy Araújo, falecido em abril de 1989. Sua filha, Alcinea Cavalcante, participou da reunião para receber a homenagem pelo pai.

Alcinéa emocionou senadores e poetas declamando poesias de sua autoria e de seu pai Alcy Araújo

Alcinéa sentou-se à mesa ao lado de grandes nomes da poesia como os poetas Thiago de Mello, Adilson Amaral, José Junior Peixoto e Luis Amorin.  Com tantos poetas, a poesia deu o tom da sessão. Alcinéa deixou todos emocionados declamando as poesias Ironia dos Deuses e Lirismo de autoria de seu pai, Alcy, além duas poesias de sua autoria: Poema do Retorno e Vem Comigo.

Randolfe declamou o poema “Participação”, de Alcy Araújo, e  versos de “Os Estatutos do Homem”, de Thiago de Mello, logo depois, agradeceu e parabenizou Alcinéa por sua presença. Lembrou ainda do “Poesia na Boca da Noite”, um encontro de poetas realizado semanalmente em Macapá,  para divulgar e valorizar a poesia amapaense e descobrir e estimular os poetas que ainda não tiveram oportunidade de mostrar seus trabalhos. O senador relembrou os diversos encontros de poesia deste grupo e pediu também por mais poesia na política.  “Que a poesia venha para a política e a transforme”

O Senado poderá editar livro com poesias de autoria dos poetas presentes à audiência pública, por sugestão do senador Randolfe.

Senador Randolfe Rodrigues, Alcinéa Cavalcante e Thiago de Mello

Para Alcinéa, a homenagem prestada pelo Senado foi um momento de ternura e solidariedade. Ela se lembrou do pai, dos poetas que o acompanharam em diversas noites de poesia, como Ivo Torres e Álvaro Cunha. Para encerrar , Alcinea lembrou a frase de  Manoel Bispo “Onde não há poesia a vida pesa como chumbo”.

“Não, não tenho caminho novo. O que tenho de novo é o jeito de caminhar”. Assim o poeta Thiago de Mello iniciou sua fala durante a sessão na CDH. Aproveitou ainda para unir poesia e  direitos humanos fazendo uma súplica à floresta. Para ele, a Comissão de Direitos Humanos também precisa estar envolvida no debate do código florestal, para garantir os direitos humanos de quem vive na floresta. Ele entregou um livro de sua autoria ao presidente da CDH, senador Paulo Paim, e pediu aos senadores que seja feito um “pacto de amor com a floresta amazônica”. O poeta manifestou sua discordância com o projeto de lei que altera o Código Florestal, aprovado na Câmara e que será analisado pelo Senado.

(Gisele Barbieri, da assessoria do senador Randolfe Rodrigues)

  • Realmente, o Senador Randolfe nos honra a cada dia, por seu dinamismo e atuação no Senado e nós estávamos precisando de um represente. Agora, Alcinéa, acompanho a Poesia na boca da noite, às sextas-feiras, e vc, incontestavelmente, está ressurgindo com a poesia no Amapá. Assim como muitos poetas de nosso Amapá estão tendo a oportunidade de mostrar seu trabalho, através, Alcinéa, dessa sua grande iniciativa. Parabéns!

  • Nossa, deve ter sido extremamente emocionante em… Parabens! Nosso senador Randolfe realmente nao tem deixado a desejar… Sucesso a todos! Um abraço.

  • Parabéns amiga, estamos orgulhosos de vc, representado seu Pai e suas lindas poesias. Parabéns ao Senador Randolfe, no qual votei, e cada dia fico mais satisfeito com seu trabalho. Vamos em frente.

  • Querida Alcinea, quão bom ver o Amapá e suas poesias transpassando fronteiras, principalmente por vossas mãos e tão indeléveis interpretações e naquela Casa, onde hoje, somos honrosamente representados pelo Senador Randolfe Rodrigues. Parabéns.

  • Alcinéa, parabéns!!!! Extensivo também ao Senador Randolfe, pessoa humana qual tive a Honra de tê-lo por certo tempo como Professor de Direito Constitucional.

  • Alcinéa, muito obrigada! Nossa poeta, nossa embaixadora! O Amapa vislumbrou fama melhor com esses acontecimentos! Agradeço também ao Senador Randolfe.

  • Parabéns Néa, Tio Alcy foi muito bem representado nesta homenagem, no andar de cima ele deve estar muito feliz. Beijos…

  • Eu com a minha ingenuidade pensei que a chegada da luz elétrica,do asfalto,do guindaste no cais,do rádio,da televisão,do computador na praça,fosse acabar com a inspiração do poeta e com a poesia. Parabéns poetas,em especial aos amigos Roberto Serra e Abdias Alves de Araújo e ao meu primo Moacir Sandin Gomes.

    • Meu nobre:
      É um prazer imenso falar contigo, Amigão.
      Saudades do grande Tidó, e do meu amigão Moaça,
      ladrão de coco (tem acento?) dos bons!
      Mas cabe uma correçãozinha:
      É OBDIAS, NÃO ABDIAS.

  • Um tributo necessário e um reconhecimento histórico desse grande poeta e homem da cultura do Amapá e da Amazônia. Alcy Araújo elevou a nossa cultura e fez da poesia o sentido da sua vida. Nada melhor e mais honroso que essa homenagem póstuma feita no Senado da República a esse grande homem da cultura amapaense. Parabéns à família! e parabéns pela iniciativa do senador Ranfolfe!

  • Alcinéia, a nossa poeta Aline Monteiro está participando de um concurso no blog autoressa.blogspot.com de poesia a nível nacional, esse final de semana estivemos mobilizando geral a comunidade para colocá-la na final… conseguimos! Agora a batalha é dá apoio para que ela consiga mostrar o seu talento e ser reconhecida por tal na grande final. E aí podemos conta com a senhora embaixadora?

  • Realmente foi muito emocionante. Confesso que em alguns momentos me senti muito orgulhoso de ser filho do Alcy,irmão da Alcinea, amazônida como o Thiago, amamapense e ter votado no Randolfe. Inesquecível.
    Bjs Mano

  • Parabéns, Alcinéa! É isso aí, quem é de boa índole faz o Amapá aparecer em notícia positiva.

  • Alcinéa, convidaste o Thiago de Melo pra vir até aqui?
    Belas fotos de vocês. Senti-me, honestamente, representado no senado pela primeira vez.
    Boas tardes.

    • O poeta Thiago de Melo disse que quer participar qualquer dia do Poesia na Boca da Noite.
      Já imaginou como será lindo ver o grande poeta declamando no Amapá na boca da noite, recebendo a brisa do majestoso rio Amazonas?

  • Que lindo. Queria está lá para ver tudo isso, mas de certo modo estive em pensamento. Um abraço querida.

  • Enfim, o Amapá, pelas mãos de Radolfe e Alcinéa, se torna notícia boa. Vida longa às pessoas de bem!

  • Estou emocionada. Mesmo. É maravilhoso saber de iniciativas assim, que exaltam o nome do Amapá e de ilustres como o Alcy. E tu, Alcinéa, temho certeza, representaste o Amapá de maneira linda. Um beijo. E um trecho de um poema do Poeta do Cais:
    “Estou convosco.
    Participo dos vossos anseios coletivos.
    Vim unir meu grito de protesto
    ao suor dos que suaram
    nos campos e nas fábricas.

    Aqui estou
    para juntar minha boca
    às vossas bocas no clamor pelo pão
    sancionar com este rumor que vai crescendo
    a petição de liberdade.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *