Ainda sobre transporte coletivo

Recebi com pedido de publicação:

Quem pagará esta conta?
Laurindo Junior*

As empresas de ônibus CIDADE DE MACAPÁ, UNIÃO MACAPÁ e CAPITAL MORENA, que correspondem hoje a 60% do sistema de transporte coletivo, não estarão medindo esforços, para que seja interrompido de imediato as operações irregulares, por parte da empresa de ônibus EXPRESSO MARCO ZERO. Os prejuízos, por subtração de receitas do sistema, já ultrapassam a cifra de R$ 10 milhões de reais. QUEM PAGARÁ ESTA CONTA ??? …Infelizmente a população usuária, que por incompetência dos gestores públicos, oneram o sistema, fazendo a TARIFA DE ÔNIBUS ficar mais cara.

Diversas ações populares deverão ser ingressadas, por funcionários do sistema, ainda esta semana, com intuito de buscar responsáveis, entre eles, o Prefeito Roberto Góes, a Prefeita em exercício Helena Guerra, o ex-diretor Presidente da EMTU Haroldo Matos, o atual diretor de transportes Jair Andrade, o diretor da empresa Expresso MARCO ZERO, Felipe Edson Pinto e Karen Cristina Martiniuk, sócia proprietária da Expresso Marco Zero.

As empresas estarão propondo ações contra o município e seus gestores, onde os valores devem chegar a impressionante cifra de R$ 50 milhões de reais, de prejuízos causados pela não concessão do equilíbrio econômico financeiro. O Tribunal de Contas do Estado será notificado para que se posicione uma vez que futuros precatórios impactarão fortemente sobre o orçamento do município e mais uma vez o povo será onerado com impostos e tarifas mais caras, ou pela prestação de serviços públicos inadequados e de má qualidade.

Este é o preço que se paga quando se busca fazer milagres com o chapéu alheio.Gestores públicos mal intencionados, às custas de benefícios políticos imediatos, criam aos municípios, fardos, que a longo prazo, engessam o progresso e crescimento econômico-social, prejudicando investimentos em outras áreas essenciais, como educação, segurança e saúde, às custas do famigerado prestígio político que lhes garantam votos para as próximas eleições.

É justamente isto que, muitas vezes, os formadores de opinião não percebem ao preferem não enxergar, pois achatar as tarifas de transporte coletivo, afeta não só o caixa das empresas de ônibus, como também todos os outros serviços públicos, pois os prejuízos causados serão pagos, por TODOS, no FUTURO.

A nova geração que por hora estão se alfabetizando nas escolas, nem sonham que já estarão herdando uma dívida deixada por políticos que só pensam em si mesmos, e ao que parece só pensam no presente e se esquecem do futuro.

*Laurindo Junior é Diretor de Transportes da Viação Cidade de Macapá

  • Como vimos, cada um defende o seu lado, os empresários e a prefeitura. Mas até agora não vi nínguem defendendo o POVO. Concerteza um aumento do preço da passagem não trará uma melhoria significativa no transporte coletivo de Macapá, porém esse aumento é necessário. Mas não sendo a única razão desse péssimo serviço de transporte coletivo, a passagem deve ser analisada melhor sem dar prejuízo ao usuário. Já no outro lado, a PREFEITURA, colocando sempre como “defensora” do povo é contra este aumento, mesmo ele sendo necessário. A prefeitura, defendendo o interesse da coletividade, deveria não apenas ir contra o aumento, mas principalmente fazer um ASFALTO de QUALIDADE, e não esse asfalto que durá em média um ano, e depois é necessário fazer “OPERAÇÃO TAPA BURACO” (operações que só servem para gastar mais dinheiro). Há tantas formas de melhorar o transporte coletivo, que se não fosse a falta de interesse coletivo (por parte dos gestores municipais) a cidade de Macapá, por ser uma cidade de pequeno porte teria um dos melhores serviços da região.

    CHEGA desta palhaçada de interesse particulare e vamos pensar (e principalmente AGIR) no interesse coletivo!

  • O problema Sr. Laurindo Junior, Diretor de Transportes da Viação Cidade de Macapá, não está somente no achatamento da tarifa majorada de transporte, nem nas ações políticas que são executados dentro do sistema de transporte coletivo, está em se analisar também e sobretudo duas questões básicas!!
    A primeira é se a tarifa majorada não está realmente de acordo e/ou acima inclusive da “Qualidade” dos serviços que são prestados pelas Empresas de Transportes coletivos aos amapaenses!!!
    A segunda é se ao invés de querer aumento os empresários não deveriam fazer por merecer pelo menos aquilo que é pago hoje pelos usuários de transporte coletivos e depois pensar em aumentar alguma coisa!!
    Tenham santa paciência sanguessugas!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *