Alerta!

Mais de 30 casos de febre tifóide foram notificados só este ano em Macapá. Oito casos foram confirmados e mais de 20 estão sendo investigados.
A febre tifóide é  uma doença endêmica e está  relacionada com águas não tratadas e más condições de higiene.

Para que você não esqueça o que é, como é transmitida, quais os sintomas e como se prevenir da febre da tifóide, fui buscar pra você estas informações no portal do Ministério da Saúde:

Qual o microrganismo envolvido?
Bactéria chamada Salmonella enterica sorotipo Typhi.

Quais os sinais e sintomas?
Febre alta, dores de cabeça, mal-estar geral, falta de apetite, retardamento do ritmo cardíaco, aumento do volume do baço, manchas rosadas no tronco, prisão de ventre ou diarréia e tosse seca.

Como se transmite?
Pela ingestão de água ou de alimentos contaminados com fezes humanas ou com urina contendo a Salmonella enterica sorotipo Typhi. Algumas vezes pode ser transmitida pelo contato direto (mão-boca) com fezes, urina, secreção respiratória, vômito ou pus
de indivíduo infectado. A vítima elimina a bactéria nas fezes e na urina, independentemente de apresentar os sintomas da doença. O tempo de eliminação das bactérias pode ser de até três meses. Portadores crônicos podem transmiti-la por até um ano.

Como tratar?
O paciente deve ser tratado em nível ambulatorial, basicamente com antibióticos e reidratação. Em casos excepcionais, é preciso internação para hidratação e administração venosa de antibióticos. Sem tratamento antibiótico adequado, a doença pode ser fatal em até 15% dos casos.

Como se prevenir?
O saneamento básico, o preparo adequado dos alimentos e a higiene pessoal são as principais medidas de prevenção. Em se tratando de alimentos, observar os seguintes aspectos:

• Consuma água tratada.

• Selecione alimentos frescos com boa aparência, e antes do consumo os mesmos devem ser lavados e desinfetados.

• Para desinfecção, os alimentos crus como frutas, legumes e verduras devem ser mergulhados durante 30 minutos em uma solução preparada com 1 colher de sopa de hipoclorito de sódio a 2,5% para cada litro de água tratada.

• Consuma leite e derivados pasteurizados.

• Não utilize alimentos depois da data de vencimento.

• Lave as mãos regularmente:
– antes, durante e após a preparação dos alimentos;
– ao manusear objetos sujos;
– depois de tocar em animais;
– depois de ir ao banheiro ou após a troca de fraldas;
– antes da amamentação.

• Lave e desinfete todas as superfícies, utensílios e equipamentos usados na preparação de alimentos.

• Proteja os alimentos e as áreas da cozinha contra insetos, animais de estimação e outros animais (guarde os alimentos em recipientes fechados).

  • Olá Nea, tudo bem?
    Credibilidade é isso, nem precisa ir ao Aurélio. Né não, Sr. Delmer?
    Olha só, esses são os casos que se tem conhecimento. Conheço duas amigas que levaram seus filhos para Belém e lá foi diagnosticado imediatamente. Aqui, as crianças estavam sendo tratadas de “virose”, o que já é um chavão em qualquer pronto atendimento.
    Temo por nossa saúde.
    Abração.

  • Parabéns Alcinéia, pelo seu Blog, sempre trazendo informações úteis. Tenho-o no FAVORITOS de meu note e de meu Iphone. O conheci desde a operação mãos limpas e não parei mais de acessar.
    Informações precisar, úteis, corajosas, muito importantes.
    Sou Delmer, zootecnista, 56 anos, natural de Bom jardim, região serrana do Estado do Rio de janeiro, morando no Amapá desde 1995, empreendedor, proprietário do Shopping Rural, casa agropecuária situada à rua Guanabara, 931. Casado com a amapaense, Vera Lúcia Pinheiro da Costa, irmã de Demétrio Celestino e Luciete Pinheiro.
    Seu blog faz parte da nossa vida e é lido por nós de 3 a 4 vezes por semana.
    Parabéns pelo seu belo trabalho.
    O Munhoes é um amigo nosso em comum.
    Um abraço,
    Delmer

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *