Alimentos para animais?

Uma nota de empenho, publicada no Portal Transparência, causa estranheza: para que a FCRIA estaria comprando alimentos para animais? Onde estariam esses animais alimentados pela FCRIA? Logo imaginei tratar-se de mais um erro de digitação como no caso de leite camponesa (que você vê a nota de empenho aqui  e a explicação do governo  aqui)

Eis, o empenho de R$ 16.759,00 referente a “alimentos para animais”.

Alimento para animais

Comentei no microblog Twitter com o senador João Capiberibe o tal empenho.
Horas depois o gerente de tecnologia da Fcria, Márcio Guma, agradeceu o alerta e disse tratar-se de “erro de cadastro”.  Ele informou que  “a nota refere-se a alimentos para adolescentes em medidas sócioeducativas.”
Ok. Eu não duvido nenhum tantinho disso. Só acho que deveriam ter mais cuidado ao receberem e empenharem notas fiscais. Afinal, transparência é para ser totalmente transparente, não pode ficar sendo embaçada por descuidos e falta de atenção que acabam por fazer o governo pagar micos. Né não?

Quando cometei com senador Capiberibe, autor da Lei da Transparência, ele se manifestou assim: “Vamos exercitar o controle social das contas publicas. Vamos exigir explicações.”

  • Alcinéia gostaria que vc abordasse algo diferente deste assunto, se fosse possível, pois ninguém toma providências, nem sindicato da saúde nem governo do estado. O governador fala na Tv que chamou tantos concursados, mas não paga seus direitos. Os profissionais da saúde(técnicos de enfermagem) que entraram no último concurso não estão recebendo o a gratificação de insalubridade, pois segundo informações da SESA, os mesmos tem que provar que trabalham em local insalubre. Como é possível vc trabalhar em hospital e o mesmo não ser insalubre. Além disso os funcionários que já pertencentes ao quadro recebem essa gratificação e os que entraram não podem receber. gostaria muito que vc abordasse este causa.

  • Muito barulho por pouco, foi só um erro de classificação da despesa, é notável que não se trata de alimento para animais, agora o erro não é só do digitador pois esta nota de empenho passou pelas mão de Coordenadores e Ordenadores de despesas antes de ser liquidada. Nenhum deles viu isso? Fica ai a grande preocupação, a capacidade de certos Gestores que ocupam cargo de confiança na administração pública.

  • A verdade é que mudam os palhaços, mas o circo continua o mesmo. Que me desculpem os artistas circenses por tão desfavorável comparação.

  • Parabéns a iniciativa do blog em publicar esses equívocos que acontecem no portal da transparência do governo, mas lembrando que isso só é possível por que essa ferramenta está a disposição da população na internet, agora tá faltando a prefeitura colocar suas contas na internet pra gente fiscalizar também! Fica a dica.

  • Não se confundiram, não. Ou voces acham que eles não comparam esses menores com animais?
    Estrilaram porque foram pegos na ratada.

  • Que os adolescentes setenciados pelo Sistema de Justiça que estão sob a responsabilidade da FCRIA realizam ações como animais, isso é algo vísivel que vivenciamos constatemente no exercício de nossas atraibuições como educador social e monitor social da FCRIA. Mas um cargo de confiança da FCRIA que nem contato praticamente tem com os adolescentes infratores refereciar os socioeducandos como animais é um erro muito estranho e sem explicações. Cadê a tal “Pedagogia de Presença” e “Garantia dos direitos dos Adolescentes e Crianças em Risco Social” que tanto a sede da FCRIA preconiza em seus discursos?

  • A firma fornecedora pertencia ao governo passado.Fico feliz qdo leio um blog preocupado com mudança.Peço para q a blogueira use o seu olho esquerdo para o município.

    • Que é isso jovem! Essa empresa pode até ter fornecido ao governo passado, mas atualmente vende para quase todos os órgãos governamentais: Gabinete do Governador e FCRIA são os que mais compram dela, nessa ordem. Assumir o erro, e vou acreditar que foi isso mesmo, é bonito e não faz mal a ninguém. O problema é que esse tal portal não serve lá para muita coisa além de servir para chacotas. No final das contas não se sabe o que é certo e o que é errado. Agora, se essa joça serve para fazer o controle que o Capi tanto pede dia e noite e toda vez que alguém encontrar um erro vocês ficarem com raiva, sugiro que tirem do ar. Aproveita e sugere que alguém faça outra lei para revogar essa tal lei da transparência. Ora, pois, pois. Agora fiquei puto. Desculpe, dona Alcinéa, pela falta de compostura.

  • Olha os preços de alguns produtos: Açucar(1kg) – Sup. Fortaleza: R$-1,84 – NE: R$-2,40. Café Santa Clara(pct. 250g) – Sup. Fortaleza: R$-3,29 – NE: R$-9,50. Além da transparência, deve haver muito cuidado com a pesquisa de preços. Senão…

  • Na minha infância pobre, meu sonho de consumo era chupar leite “Moça” na lata. Mas cadê o dinheiro para comprar?. Refrigerante, então, era artigo de luxo para a molecada da ruua. Lembro-me das festas de aniversário na casa do “seu” Guedes, onde comemorávamos a data com um bolo “solado” (daqueles que tufam e depois murcham) com Q’Suco. Quando não tinha bolo, era bolacha de soda mesmo. E todo mundo saía feliz. Os tempos mudaram muito de lá pra cá.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *