Artigo – Governo paralelo tucuju

Oposição ao governo ou ataque à democracia?

Por Lourival Freitas

Tenho uma amizade com o Gilvam de longa data, mas isto não me obriga a concordar ou me omitir ante a sua irreverência e brincadeiras. Nem o meu compromisso com o governo PSB-PT a aplaudir os nossos erros.

Esta “doideira” de governo paralelo é no mínimo usurpação de função pública por quem não tem mandato e investidura legal, além de subversão da ordem legitimamente constituída pela soberania popular. A inspiração na idéia do governo paralelo de Lula é uma justificativa enviesada de alguém que não quer fazer crítica, oposição legítima e responsável ao governo, mas simplesmente atrapalhar a administração pública com bravata e balburdia, visando a promoção pessoal.

A idéia do governo paralelo proposta por Lula, após a derrota de 1989, assim como ocorre nos países de sistema parlamentarista, vislumbrava um gabinete que pudesse criticar o governo e propor soluções. Jamais substituir o governo eleito pelo voto popular e assumir e executar suas funções.

Imaginemos o Lula como “presidente paralelo” se metendo a asfaltar a Transamazônica com o argumento de que o governo demorou para realizar a obra; ou ainda, na iminência do apagão de 2001/2002, se aventurar a construir a usina hidrelétrica de Belo Monte? Serviria de chacota e não faltariam conselhos para que procurasse um tratamento médico.

Uma coisa é questionar a ordem ilegítima estabelecida por um golpe que eliminou as garantias constitucionais e acabou numa ditadura, como ocorrido em 1964. Contra esta ordem ilegítima, a sociedade brasileira lutou durante vinte anos. Foi um longo e sofrido caminho até conquistarmos a liberdade e a democracia. Por isso, é triste ver pessoas que, simplesmente por discordar do governo, se alegram e até incentivam esta lambança promovida por alguém que parece emocionalmente impactado e inconformado com sua derrota, e se insurge contra a vontade do povo amapaense.

Se há um inconformismo com a administração pública, que se exerça o legítimo direito de oposição, com críticas, denúncias, acionando os dispositivos legais a disposição de todos. Mas querer substituir o governo com pirotecnia e balbúrdia, isto é intolerável e merece o repudio dos democratas, principalmente aqueles que lutaram contra o arbítrio.

Este “paralelismo” usurpa ou pelo menos diminui e ofusca o papel dos órgãos que tem a obrigação de fiscalizar o controlar o governo, como a Assembléia, o Ministério Público e o Tribunal de Contas. Não é de se estranhar que, insatisfeito com o desempenho desses órgãos, Gilvam anuncie uma estrutura paralela para exercer suas funções. Na medida em que o Gilvam determina as prioridades, o dia e a hora que o governo tem para executar um serviço ou obra, pra atender as demandas da população, ele avoca pra si as funções e decisões de todos os poderes.

O governo paralelo é divertido e faz-nos rir, pode e deve fazer oposição e tentar desgastar o governo, mas ninguém tem o direito de tratar com brincadeira e deboche a liberdade e a democracia que conquistamos com muita luta.

(Lourival Freitas, ex-deputado federal PT-AP)

  • Um “governo paralelo” é a demonstração de democracia (logo não acho que seja afronta à democracia), entretanto, da forma como vem sendo levado, está tão ridículo como o foi Lula em seu tempo de revanchismo por ter perdido a eleição. O que ocorre e ninguém citou até agora é: por que será que o Gilvan tem conseguido fazer tanta “balbúrdia”(palavra usada aqui por muitos)? Tanto barulho? Por que tem conseguido chamar tanta atenção? Por que tem conseguido tanto espaço com isso, de tal forma que nos põe aqui a discutir o fato?
    Eu só tenho uma resposta: se o povo estivesse tão sarisfeito, como o GEA faz parecer crer em algumas propagandas, vocês acham que o Gilvan chamaria tanta atenção?
    Se o governo estivesse cumprindo o seu papel ou ao menos as suas promessas, as pessoas estariam tão satisfeitas que não dariam a menor bola pra governo paralelo nenhum!
    Pensem sobre isso…

  • Roberto Goes apoia o governo paralelo,como fala o GB,que eles vão trabalhar juntos ele fez mudanças no secretariado e porque não nomeou o gilvan como secretario de obras do municipio,evitando dele querer da o golpe de estado no g.camilo.

  • Eu queria que investigassem os escandalos da FUNASA e da FUNAI no Amap’a… Outra… Falta pesquisar sobre um tomografo tb… O que aconteceu? N’ao foi numa atividade paralela que estavam instalando o referido tomografo em Laranjal do Jari?
    O que aconteceu com a atividade paralela?

  • Camarada Lourival,
    Farias um grande benefício à democracia se escreveres sobre as tuas realizações como parlamentar. Parlamentares, gestores, secretários e todos os investidos de função pública deveriam ser obrigados a prestar conta de seus mandatos ou gestões. Assim separaríamos o joio do trigo. Taí uma boa pauta para o Senador Capiberibe. Isso também é transparência.

  • Esse Miguel Gil está tomando o mesmo remédio controlado do Gil da van. O cara está totalmente fora da realidade. O Lourival fez apenas uma analogia para fundamentar a sua análise sobre a tentativa de usurpação do poder pelo ex senador gil da van. A única solução para colocar um basta nessa palhaçada é o Governo do Estado tomar medidas judiciais contra as atitudes de uma pessoa que perdeu o senso do ridiculo após perder o poder.

  • Eu até poderia acreditar em um governo pararallo,se realmente estivesse fazendo algo para a população de mcacapa-AP mas e sá para promoção pessoal do sr Gilvam Borges,enquanto fica cavando valas no marabaixo, pessoas estão desabrigadas no atúria,disse que iria inaugura uma casa no dia 17/01/2012 mas saiu uma nota dizendo que o governador paralelo tinha viajado mas vi ele na tarde do mesmo dia em uma tenda no marabaixo 2.com o prefeito, e outras autoridades tomando um caldo…

  • Parabéns pelo artigo, é de extrema lucidez o posicionamento do ex-deputado Lourival Freitas, a respeito deste dito governo paralelo comandado por um dito “messias”, visto que, se auto intitula governador. A atitude desse governo paralelo é uma afronta ao estado democrático, pois busca jogar por terra todo poder e direitos garantidos pela Constituição Federal. Todos sabem, que não são simplesmente atos irreverentes cujo objetivo é o de provocar a ação governamental. Daí a colocação acertada de Lourival Freitas, (…) “Mas querer substituir o governo com pirotecnia e balbúrdia, isto é intolerável e merece o repúdio dos democratas, principalmente aqueles que lutaram contra o arbítrio.”.
    Esse artigo demonstra que ainda temos pessoas preocupadas em trazer a baila discussões que tratam a responsabilidade e a inteligibilidade do fazer político e não a irresponsabilidade e a busca desenfreada de promover o caos.

  • Como falou o amg errinelson outro dia no twtr, com essa oposiçao incompetente e febril o gea ficará no poder decadas… O que tbm nao é bom pro nosso estado. Sem duvida precisamos de um governo MAIS POPULAR!

  • O governo paralelo poderia colocar um funcionario no escritorio do IMAP na Ilha de Santana para atender o publico, pois o escritorio esta abandonado a meses.

  • acredito que você pode concordar ou discordar do governo oficial, pode fazer oposição, denunciar etc…, usar todos os instrumentos democráticos disponíveis; mas o que não pode ser tolerado é brincar com a democracia e usurpar da função pública. seguindo o mesmo raciocínio um cidadão que não concorda com a lentidão da justiça, poderia criar uma justiça paralela proferindo sentenças e fazendo julgamentos, para agilizar os processos. Este cidadão não aceita derrota ou revés político e como seu padrinho quer ganhar a qualquer custo.
    parabéns Lourival.

  • Pow… Porque o gilvam não faz uma “Internet paralela” rápida e eficiente? E de grátis? Seria melhor que cavar buracos…

  • Perfeita suas colocações,texto limpo e bem explicativo.
    O Sr. Gilvan esta agindo com irresponsabilidade e ainda promove a balburdia na tentativa de desestabilizar o GEA,creio que deva responder dentro da lei por seus atos insanos.Os poderes constituidos devem tomar as devidas providencias quanto ao fato.Um cidadão(a) comum, já estaria preso e respondendo juridicamente por atos como este ai.

  • Analisando seu bem escrito artigo, com argumentos muito bem construídos, fico pensando o quanto o governo oficial perde por ser intolerante com seus aliados mais capacitados para defende-lo, quando assim o merecer. Lourival foi o único aliado do governo Camilo, até agora, a dar a face para bater com argumento, ciente de que pode ser retaliado pelo grupo de Gilvan. Os demais apenas fazem farofa no twitter. E Lourival vai continuar sendo visto com desconfiança pelo gov. do PSB. Assim é a politica no Amapá, onde a inteligência e a independência mesmo que relativa não são toleradas.

    • Querida Marcia Corrêa, seu posicionamento é perfeito.
      Oposição e contraponto são instrumentos importantes da democracia que devem ser utilizados com o intuito do benefício comum.
      Tenho visto diversas “cabeças pensantes” que são limadas do governo que ajudaram a construir por serem sinceros quando oferecem opiniões contrárias ao que certos “iluminados” acreditam ser melhor. Melhor para quem?

  • O AMAPÁ VIVE HOJE UMA MUDANÇA ANUNCIADA, QUEM NUNCA VIVEU COM O SEU POVO JAMAIS SENTIRAR O QUE ELE SOFRE OU SOFREU, ESSE GOVERNO FILHINHO DE PAPAI, NUNCA ESTEVE PRESENTE NESTE ESTADO VIVEU EM OUTRO PAÍS, SEM FALAR QUE O POVO FOI ANESTESIADO COM A OPERAÇÃO MÃOS LIMPAS E NÃO TEVE COMO DIGERIR AS INFORMAÇÕES NAQUELE PERÍODO, HOJE VIVEMOS A AMARGURA DE TER UM GOVERNO INERTE E QUE MAL SABE COMO CONDUZIR O ESTADO DO AMAPÁ, ESPERO QUE AS AUTORIDADES DESTE ESTADO NÃO ACOMPANHE A INÉRCIA DO GOVERNO E QUE O POVO VÁ AS RUAS PEDIR O IMPITAMA, PORQUE, “O POVO COLOCOU O POVO TIRA.”

  • É com textos como esse, lúcido, equilibrado e construtivo, que se faz democracia. Não são os gestos insanos, as atitudes desmedidas e que atentam contra a ordem constituída, que vão solucionar os problemas históricos do Amapá que, sem dúvida, foram muito agravados na era Góes, da qual o Sr. Gilvam foi um dos áulicos.

  • A ananlogia feita pelo ex-deputado Lourival Freitas é interessante, mas incoerente devido ao tamanho das demandas e dimensões entre o Amapá e o Brasil, ou seja, é uma comparação teórica sem nenhuma utilidade prática.
    Por exemplo, uma central de ar condicionado na maternidade Mãe Luzia faz falta para uma mãe que precisa, pelo menos, de conforto térmico, haja vista as altas temperaturas de nosso Estado. Já o asfaltamento da Transamazônica não interfere diretamente na vida daquela mãe.
    O ex-deputado deveria ouvir melhor o posicionamento do Gilvam. Pois ele, o Gilvam, nunca falou em tomar o lugar do Governo do Estado do Amapá, mas ajudar quando possível e, portanto, fazer as críticas necessárias para que o GEA saia da inércia operacional que tem causado tanto sofrimento ao povo amapaense.
    E para finalizar, o texto do deputado parece confuso, pois diz que o Governo Paralelo o faz rir, mas salienta que o mesmo afronta a liberdade e a democracia conquistadas com muita luta. Ora, ex-deputado Lourival Freitas, se o Governo Paralelo só serve para fazer o senhor rir, pergunte aos parentes que tiveram seus entes queridos mortos na Duca Serra, o sentimento deles? Pergunte a sensação do incômodo térmico que vivencia uma mãe na maternidade Mãe Luzia?
    Mas parece que o senhor desconhece esses sentimentos, daí a comparação incoerente que o senhor fez, demonstrando assim, a total falta de conhecimento do sofrimento que vive aquele povo do Amapá, por simples inoperância do GEA, que por sinal, é o dever do mesmo.

    • É engraçado que esse senhor nunca fez nada pelo povo enquanto esteve no poder..a não ser servir o anticristo. Por que ele não fez um senado paralelo… para resolver os problemas do estado, principalmente qdo a turma da harmonia tava governando?????????????

    • As colocações não merecem crédito.

      Miguel Gil é o correspondente do programa Estado é Notícia(TV Tucuju), em Brasília.
      Preciso dizer algo mais?!

  • Não precisa instituir governo paralelo. Basta atuar numa ONG. Agora quando a intenção é aparecer, a situação diferente. Quanto mais polêmica, melhor destaque.

    • Concordo que o cara quer é aparecer, e fazer campanha política antecipada e o povo bobão vai votar nele, quero só ver a posição do TRE, na data oportuna.

  • unica coisa q me preoculpa q não vi nem uma interferencia da justiça sobre esse caso;ou a propria policia federal.parece tudo engraçado,mas temos q ver q isso não fica muito distante desses ditadores q kerem o poder d qualquer maneira.sr gilvan respeite a vontade do povo.

  • Texto equilibrado e que diz exatamente o que está acontecendo. Esse tal “governo paralelo”, é sim a demonstração clara da sandice de um desequilibrado que não aceita a derrota, não admite a prática da democracia. Reflete um desejo incontrolável de poder, sede de vingança por não ter sido o escolhido pela maioria dos eleitores. Acho, inclusive, que se tem dado muita atenção às ações desse mentecapto. Graças a Deus, esse palhaço não mais nos representa no Senado!

  • Meu caro o governo paralelo é exemplo dessa liberdade que lutamos por ter, e quanto a dmeocracia, tudo bem o povo escolheu o atual governo, mas convenhamos que de forma geral ele vem desapontando-nos, deixando muito a deseja até mesmo para os militantes do psb. Então o fundamento do governo paralelo é legal, pois a própria CF por vezes e vezes em seu disposito diz: ” Compete ao poder público E A COLETIVIDADE…” então caro se o poder público não faz alguém tem que fazer…

  • O Gilvam como Senador saiu da cadeira para empossar o irmão durante bom período, como é que agora quer fazer sem ao menos ter mandato? Isso só “zé mané” pra acreditar! Certamente contribuiria muito mais fazendo oposição ao governo mostrando as irregularidades através de suas TV’s e Radios.

  • Tudo bem que o governo paralelo no fundo não esta pensando realmente no povo, mas bem que o governo oficial merece tudo isso, pois vem desempenhando um péssimo governo ao estilo ditador… Camilo pede pra sair!!!heeheheh…

  • Que texto infeliz. Comparações sem relação com a situação local. Acredito que o governo paralelo tem um fundamento positivo. É uma oposição atuante, onde não há apenas criticas e sim uma oposição onde as idéias são colocadas em pratica. E claro que não é comum, e portanto incomoda os mais céticos. Lourival Freitas, mostre como se faz, e eu te seguirei. Mas enquanto o seu plano estiver somente na sua cabeça.. não adianta nada para o povo. O GIlvam tem a coragem que poucos aqui no Amapá tem. Enfrentar uma oligarquia!

    • João, João! Se não me falha a memória, o sobrenome Borges, no Amapá, tem uma leve tendência à formação da oligarquia que você condena. Não em termos de pai, mãe e filho, mas em irmãos e tio. Ou será que estou enganado? Por favor, não aponte o erro dos outros com o seu dedo sujo.

    • Sua opinião e dos demais que defendem “os interesses particulares paralelos”, só servem para fazer rir os cidadãos de bem, que colocaram para fora do Estado, os parasitas que o sugaram durante os útimos anos.

  • Concordo com o senhor…mas que fazer na ausência do governo em questões que envolvem vidas. falta de medicamentos nos hospitais, etc. O que se nota é que se instalou no GEA (OFICIAL) um grupo revanchista, com vaidades políticas e familiares, que não observam que o princípio da democracia de um Estado de Direito é atender as necessidades do seu povo, deixando seus interesses politiqueiros num segundo plano. Obrigado.

  • ACENDE, PUXA, PRENDE, PASSA….
    esse é a série mais louca de argumentos que já lí…
    como se um maluco sem cuecas atrapalhasse algum governo…
    Paarbens amapaenses por não reconduzir um “homi” desses

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *