Boa noite!

Perdemos outra vez este crepúsculo.
Ninguém nos viu esta tarde de mãos dadas

enquanto a noite azul caía sobre o mundo.

(Pablo Neruda)

  • São tantos os crepúsculos, as auroras… As noites caem, as mãos esquecem, o coração adormece, a alma silencia… Mas, quando a tua voz ecoar na distante memória, todas as auroras crepuscular seguirão de mãos dadas nas tardes senão azuis, amarelas, e cobrirão de quimeras as nuvens que caem sobre o mundo…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *