Bom dia!

“Melhores ou piores, é a mesma coisa.
A bota que nos pisa é sempre uma bota.
Já compreendereis o que quero dizer:
Não mudar de senhores,
mas não ter nenhum”
(Bertolt Brecht)

  • MEU AVÔ JA DIZIA… “UNS GOSTAM DOS OLHOS, OUTROS DA REMELA”. EU ACRESCENTO QUE, MUITOS DESSES OLHOS USAM LENTES.
    ATÉ QUANDO???

  • Como não ter senhores, se o poder é o pior dos vícios? Começa assim, com humildade e humanidade dissimulados e vai se enraizando. Quando, finalmente, os detentores do poder mostram-se fortes, aí só uma força maior para derrubá-los. Nas páginas amarelas da Revista Veja, certa vez li uma entrevista a Antônio Carlos Magalhães. Nela, declarava: Eu aprecio o exercício do mando. E é exatamente esse gosto pelo exercício do mando que faz com que o país esteja nesta situação política. Uma vez lá, são capazes de vender a alma ao diabo (se é que existe) para se manterem no poder. E nós, por meio do voto, contribuímos para isso.

  • Leiam: Vila dos Confins, de Mario Palmério. Ed. José Olympio, 1956. Prestem atenção na estratégia de uma emboscada, tramada pelo personagem Paulo. Vejam se existe alguma relação com a queixa do Serra, sobre a suposta quebra de sigilo fiscal da sua filha.

  • A propósito,

    comentário do César Maia, em seu “ex-blog” a respeito dos últimos eventos nacionais (sim, existe vida além da política do Amapá!)

    “INVASÃO DO SIGILO FISCAL NO GOVERNO DO PT MOSTRA O QUE FARIAM SE CONTROLASSEM TAMBÉM O LEGISLATIVO!

    1. Em janeiro de 1933, na Alemanha, depois de sucessivas quedas de gabinete, finalmente foi feito um acordo se aceitando entregar o cargo de chanceler (primeiro-ministro) a Hitler, cujo partido com menos de 30% dos parlamentares era, ainda assim, o maior. Na composição do governo, os nazis surpreenderam: não quiseram os ministérios da área econômica nem o ministério da defesa. Pediram o controle da POLÍCIA. Sabiam que para controlar o Estado, a Polícia era mais importante que as Forças Armadas. Em seguida, pediram ao Parlamento, alegando medidas urgentes, que Hitler pudesse governar por leis delegadas.

    2. O caminho do autoritarismo é o mesmo em todos os lugares: invade-se a liberdade de imprensa em nome de “abusos”; constrói-se um estado policial, terminando com o direito à privacidade dos cidadãos e, em seguida, se controla o Congresso, costurando uma maioria a partir de sua base, somando parlamentares dóceis aos “argumentos” do governo. A sessão do parlamento alemão -que abriu mão de seu próprio poder após a assunção de Hitler, na qual este esteve presente- foi de aclamação, com todos aplaudindo de pé. A popularidade de Hitler era imensa. Em 1934, na “Noite das Facas Longas”, a SS aproveitou para assassinar alguns desses que ajudaram a construir o governo nazi em 30 de janeiro de 1933. Hoje não se precisaria tanto: a eliminação política bastaria. Imagine-se o que se tem de dossiês contra a base aliada para que essa se mantenha dócil.”…

    • Caro compatriota,
      Se não tivesse a mesma percepção dos fatos e de nossa realidade, seria capaz de dizer taxativamente q vc é o “arquiteto do caos”!
      No entanto, comprazo-me com vossa sabedoria e entendimento sobre a realidade de nossa sociedade.
      Sintom-me aliviado por n ser o único a perceber tal abminável “conspiração vermelha” que assola nosso adorado Brasil.
      Saudações Canarinhas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *