Cadê a indenização?

Trabalhadores cujos contratos encerraram no dia 31 de dezembro estão suplicando ao governo que pague suas indenizações.
Pagar a indenização não é favor é obrigação. No entanto passados quase três meses do fim do contrato o governo não paga e nem informa quando pagará.

  • agora alcineia o que dizer do atual governo que jã estamos em agosto e nada de indenização até agora eu espero receber a minha já, vc tem alguma noticia boa?

  • Quem trabalha merece receber sua paga, se não podem pagar todas as classes pelo menos deveriam pagar àquelas consideradas estratégicas e de extrema necessidade, como saúde e educação. Gradativamente vai efetuando os demais pagamentos conforme a arrecadação, fazendo rearranjos orçamentários, sei lá… o que não pode é permanecer do jeito que está!

  • Paguem oq nos devem, ñ estamos pedido favor, somente qremos oq é de direito nosso!Não qria partir para meios judiciais! Mais vai se o jeito!
    Pelo amor de Deus que aconteça logo os concursos, principalmente para a EDUCAÇÃO

  • (…)
    É uma pena! Tristeza e sabe-se lá o que mas. Falta de respeito para o nosso Estado de tantas lutas, como diz o HINO mas bonito do BRASIL, “Eia povo destemido, deste rincão brasileiro, seja sempre teu grito partido, de leal coração altaneiro, Salve rico o torrão do Amapá, Solo fértil de imensos tesouros, Os teus filhos alegres confiam, Num futuro repleto de louros” realmente, muitos votaram pelo futuro! futuro sim, dos nossos filhos ficarem fora da sala de aula, rsrsrsr, é irônico? É, as vezes a ironia serve de consolo, porque também votei nas promessas que ele fez para meus colegas, um dia cheguei a dar aula como muitos. Hoje muito entristece, quando vejo bons profissionais postando no blog da Alcinea. Passei em um concurso público, não para professor, graças ao Bom Deus, porque sei o quanto professores sofrem com essa renovação de contrato, senão estaria na mesma situação, meu nome também saiu na lista dos contratos, mas não aceitei dar aula, pelo fato de que estaria tomando lugar de alguém. Gostaria de pedir uma atenção sincera aos profissionais que estão fora de sala de aula, oh pessoal do MINISTÉRIO PÚBLICO! vamos mudar a cara do Amapá, vamos parar de ser VISTO no cenário brasileiro, como um estadozinho de QUINTA CATEGORIA, vocês do MP, são autoridade maior do nosso Estado, juraram perante milhares de pessoas, seguir a sua carreira dignamente, então estar na HORA DE FAZER E ACONTECER, mão limpas no início é sinal de não deixar a corrupção ganhar novos rumos no AMAPÁ. Obrigado! VAMOS LÁ MP, não deixem o AMAPÁ ir mais para o fundo da lama.

  • O contrato administrativo não tem o amparo da lei. Em casos de emergência, o governo pode celebrar contratos temporários de seis meses. A solução seria abrir concurso para professores. Mas, pelo que se tem conhecimento, a folha de pagamento do Estado,já ultrapassa os limites estabelecidos pela Lei Camata me Lei de Responsabilidade Fiscal, que é de 60%. O governo precisa explicar, quantos professores estão fora de sala de aula, exercendo outras atividades.

  • A desculpa que eu ouvi constantemente foi a mesma que deram ao pessoal dos programas sociais ” O governo anterior deixou o estado quebrado e o atual governo ainda está estudando uma forma de pagamento, pq muitas dessas dívidas não entraram no orçamento desse ano”, ou seja, so pagam quem trabalha nesse governo, quem trabalhou no outro teve que trabalhar de graça é???? Alowwww, quem trabalha tem direito de receber, é obrigação e não favor!!!!

  • Gostaria de receber a indenização nessa vida ainda, mas se não for possivel gostaria ser pago na outra mas com uma condição que o juros fossem acrescentados kkkkkkkkkkkkkkk

  • Gostaria de comunicar a Lene que a SEAD está pagando indenização sim, o que não podemos é informar quando vai ser pago, são pra + de 3.000 processos e a SEAD limite orçamentário por mes para efetuar o pagamento dos processos de indenização. E Lene a SEAD não está entregue as baratas não, nós pelo menos os funcionário da folha de pagamento estamos trabalho caso contrário o servidores não receberiam seus vencimentos em dia, antes de vc falar besteira procure se informar melhor ok.

    • É realmente concordo com a Lene, vocês da Sead estão pouco se importando com o pessoal que tem indenizações pra receber.Já que vocês todo mês estão com dinheiro no bolso! outra coisa não estamos pedido favor nenhum, só queremos o que de direito é nosso!Não interssa se são 3.000, 4.000 ou mais. Se virem pra pagar, pq trabalhamos pro Estado e ñ de graça!.

      • Acho muito engraçado,a SEAD chegar e dizer q estão pagando as idenizações…não foi o q me informaram quando fui procurar informações por lá. Pelo contrário, fui na sala da folha de pagamento e lá me disseram que os contratos de 2010 que não estivessem assinados pelo secretário, não seriam pagos, que estavam fazendo uma triagem nesses contratos e devolvendo os processos. Perguntei o pq de não pagarem, recebi como resposta que o ex secretário Wellington não tinha assinado nenhum contrato e que ele estava em SP sem previsão de voltar ao estado. Não sei nas outras secretarias, mas no Rurap, os contratos de 2010 chegaram este ano(2011) para que o pessoal do contrato assinasse. Fico me perguntando se a culpa foi nossa da irresponsabilidade da SEAD de não mandar os contratos no inicio do ano, sabendo que os mesmos terminariam em dez 2010. Agora o que interessa é que trabalhamos o ano inteiro sem contrato assinado, e temos todo o direito de receber o que nos devem, se o secretário assinou ou não, não é problema nosso. Ainda disseram que só os contratos da gestão da Saldete seriam pagos pq ela saiu e deixou todos assinados. Tenha santa paciência, quer dizer que quem trabalhou mais de três anos no contrato não tem o mesmo direito de quem trabalhou seis meses? É brincadeira!!! Cadê o MP?

  • Gostaria de complementar dizendo que a SEAD está entregue as baratas, além de não informarem sobre o pagamento das indenizações, ninguém consegue falar com o secretário que nunca está lá, não tem chefe de gabinete, está uima verdadeira vuca.

  • Se formos procurar vamos encontrar estagiários que não recebem salários desde janeiro. E cargos que foram exonerados em março do Superfácil em Março e nada. Uma pergunta porque o Ministério do Trabalho no Amapá não toma nenhuma providência? Alcinéia uma boa proposta de reportagem para os Jornais locais. Nos outros estados a ações trabalhistas contra Governos tramitam normalmente como contra as empresas privadas.

    • Por favor me corrija se estiver errada. Mas, pelo que sei os cargos e contratos do governo do estado não é regido pela CLT e sim pelo Regime Juridico Único do Estado, por isso não cabe ao ministério do trabalho tomar nenhuma providência. Se fosse pela CLT seria mais fácil, eu acho.

  • Oi tia.. td bem??
    Queria saber se vc tirou uma foto da lua de sábado ai… estava tão linda, gigante muito próxima da linha da equador… se aki ela já estava enorme, imagina ai!!!.. rs… Se vc tirou, posta ai pra darmos uma olhadinha aki…=)
    bjinhus.. te amo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *