Candidatos sem noção

Candidatos sem noção entulham as calçadas com cavaletes de propaganda eleitoral prejudicando os pedestres e os cadeirantes, que sem espaço nas calçadas são obrigados a se locomover no meio da rua correndo o risco de serem atropelados.

A reclamação é geral, mas os candidatos sem noção não estão nem aí para os transtornos que causam ao pedestre e ao cadeirante e também aos  motoristas e motoqueiros. Estes dois últimos têm que dirigir com atenção redobrada para não atropelar os pedestres e cadeirantes jogados na rua pelos candidatos sem noção.

Nas praças onde se pratica a caminhada a reclamação também é geral. Impossível caminhar com as passarelas entulhadas de cavalete. Caminhar faz bem para a saúde e muitos que praticam este tipo de exercício o fazem por recomendação médica. Mas candidato sem noção não está nem aí para a saúde do cidadão.

Algum candidato ou cabo eleitoral que está lendo este blog poderá dizer: “ué, mas a legislação permite que se coloque os cavaletes das 6h às 22h no passeio público.” Sim, permite. Mas desde que seja preservada a normalidade do trânsito de veículos e pessoas. Já se viu que não preserva, né?

Mas você, leitor não-candidato, não reclame. Hipertenso, cardíaco, obeso, idoso, suspenda sua caminhada até o final da propaganda eleitoral. Pedestres e cadeirantes disputem espaço no meio da rua com os carros e motos ou fique quieto em casa. Se reclamar pode ser processado. Os candidatos se acham donos do passeio público. O errado é você que invade a propriedade deles.

Aliás, não vá nem a missa. Reze em casa mesmo. Pois os candidatos estão tão abusados que até nas calçadas dos templos religiosos estão colocando aqueles monstrengos cavaletes.

Ontem, domingo de Missa, duas placas de candidatos foram colocadas na frente da Igreja São Pedro,  pertinho pertinho do portão principal. Quem foi a missa, antes de ver a imagem do santo no altar foi obrigado a ver os “bonitinhos” na entrada.
Tenho a foto, mas não vou postar. Se eu postar o candidato vai dizer que é montagem e vai me processar, querer tirar meu blog do ar por 48 horas e exigir pagamento de multa. E o TRE vai mandar eu tirar o post e se eu desobedecer serei condenada a pagar multa diária no valor de dois mil reais. Exagero? Não! É fato.

O blog Repiquete publicou uma foto de um cavalete de propaganda de candidato em passeio público. E perguntou “Isso pode?”

A coligação do candidato imediatamente moveu uma ação contra o blog  afirmando que aquela foto era uma montagem e que o tal candidato jamais colocaria “em risco o trânsito” e desagradaria os eleitores. (Abro parênteses para dizer que a mim e a tantos eleitores desagrada esses cavaletes enfeiando as calçadas e nos impedindo de caminhar). Na ação, o candidato reclama das opiniões dos leitores deixadas na caixa de comentários. Comentários, segundo ele, ofensivos; pede que a postagem seja imediatamente retirada do ar, que o blog fique fora do ar por 48 horas, aplicação de multa no valor de R$ 30 mil e a publicação de um direito de resposta muito mal redigido, por sinal.

A Justiça Eleitoral concedeu liminar determinando que a postagem fosse retirada imediatamente do ar. Os demais pedidos do candidato (suspensão do blog, multa de 30 mil reais, direito de resposta) serão julgados depois.

Eu, cá com meus botões, fico me perguntando por que a Justiça Eleitoral não mandou tirar do ar apenas os comentários considerados ofensivos? Por que mandou tirar a foto? Acreditou que a foto era uma montagem? Não dava pra fazer perícia na foto?

Isso não é um desestímulo aos cidadãos que querem eleições limpas e que poderiam fazer registros fotográficos de crimes eleitorais e denunciar ao TRE?

Imagine. Um eleitor fotografa um candidato distribuindo cesta básica, ou material de construção, ou gás, ou isso ou aquilo. Denuncia ao TRE, apresenta a foto para comprovar, aí o bonitinho do candidato vai lá e diz que a foto é uma montagem para prejudicá-lo. E aí? O eleitor vai ficar com cara de besta e o candidato vai continuar praticando a captação ilícita de votos?

Aos comentaristas
Aquela meia dúzia que usa as caixinhas de comentários dos blogs para ofender, agredir, atacar qualquer pessoa – seja candidato ou não – não é melhor que os candidatos que vivem a praticar crimes eleitorais. É gente tão mesquinha, suja e covarde como eles.
É muito fácil um candidato se aproveitar da miséria do povo para se eleger comprando o voto muitas vezes com um butijão de gás ou uma cesta básica. É muito fácil também para os canalhas usarem as caixas de comentário para praticar crimes de injúria, ofensa e difamação sem mostrar a cara, prejudicando a pessoa titular do blog.
Acho extremamente injusto donos de blogs serem penalizados por crimes cometidos por comentaristas dessa laia.
Já postei sobre isso. E vou repetir aí embaixo o post que fiz sobre o assunto no dia 13 de julho.

  • São os Zolhões que não vêem nada. Aliás não viram nadas nesses últimos oito anos.Por falar nisso cadeos olhos do Ministério Público e o TRE.
    Muleke, que tá de olho neles.

  • Oi, Alcinéa.
    Concordo quando você diz que a postagem não deveria ter sido retirada do ar (às vezes, até o blog inteiro). Essa atitude é comparável à do fazendeiro que, para acabar com a praga de carrapatos que infesta a boiada, resolve logo matar os bois. E falta bom senso aos candidatos para respeitarem o eleitor.

  • É lamentável o que estão fazendo na rua paraná.
    O asfalato não tem um ano e a caesa está rasgando a rua de ponta a ponta.
    Asfalto novinho, mais novo mesmo.
    É incrível incopetência dos gestores de macapá.
    Asfalto novo ( não fez nem aniversário), rua lisinha, bonita por sinal sendo destruida pela falida caesa.
    Sabe deus quando vão asfaltar novamente.
    Vou tentar bater uma foto pra vcs verem
    Dinheiro público no lixo !!!
    O TCU deveria colocar na cadeia esses incopententes.

  • Mesmo havendo a possibilidade de se colocar cartazes ou qualquer outro impresso em via pública, continuo achando que os cavaletes são ilegais, pois são impressos sem a tiragem, sem o nome da empresa e muito menos o CNPJ.

  • A questão é polêmica, mas se MP e TRE quisessem o uso de cavalete estaria vetado, e aplicaria (TRE) multa aos candidatos sob o fundamento de que apesar de potencialmente removível, o cavalete está permanentemente ao longo do passeio público, bem de uso comum do povo. Esse material, como bem colocado no post, impede ou dificulta a visão e trânsito de motoristas e pedestres.
    MAS, estamos em Macapaba, equinocio solar. Viagens fantasticas ao meio do mundo…

  • Infelizmente vivemos em uma “democracia” de minorias. Uma democracia que luta pelos direitos dos que tem grana, democracia dos que detêm alguma forma de poder hegemônico, dos que têm influência política ou econômica. Quando essas pessoas têm o seu interesse ameaçado, aí sim a democracia se faz valer. É uma pena que ainda tenhamos que conviver com isso. Não se pode mais nem fazer humor com as atitudes ridículas dos políticos em época de eleição. Nós “simples mortais” temos que nos ajeitar aqui por baixo, porque lá em cima eles sempre dão um jeitinho de se dar bem. Faço votos de que a comissão Eleições Limpas obtenham sucesso e que as pessoas de bom caráter sigam essa luta. Parabéns pelo post Alcinéa.

  • Se um candidato coloca um cavalete em via pública ou passeio público, podendo causar um acidente de transito ou impedindo a passagem de um cadeirante ou um pedestre, isso mostra o quanto este candidato está preocupado com a segurança de sua população, de seus possíveis eleitores.
    Eu acho uma vergonha e uma falta de respeito para com a comunidade amapaense por parte de tais candidatos, mas principalmente por parte do TRE/AP que fecha os olhos para tal absurdo.
    Só resta saber agora o que motiva o TRE/AP a não fazer nada sobre essa questão. Cada um que tire suas próprias conclusões.

  • Se um candidato coloca um cavalete em via pública ou passeio público, podendo causar um acidente de transito ou impedindo a passagem de um cadeirante ou um pedestre, isso mostra o quanto este candidato está preocupado com a segurança de sua população, de seus possíveis eleitores.

    Eu acho uma vergonha e uma falta de respeito para com a comunidade amapaense por parte de tais candidatos, mas principalmente por parte do TRE/AP que fecha os olhos para tal absurdo.

    Só resta saber agora o que motiva o TRE/AP a não fazer nada sobre essa questão. Cada um que tire suas próprias conclusões.

  • Alcinéa,
    Quero dizer que não sou contra isso que você postou em seu blog, pelo contrário, sou a favor e por isso mesmo digitei que jogaria no lixo, pois, para mim, isso não passa de sujeira. É pena que o TRE não vê isso como corrupção eleitoral. Na minha opinião, candidato que fosse flagrado dando dinheiro ou qualquer outro tipo de material, perderia o mandato no ato e ainda responderia a processo e tornaria-se inilegível por vinte anos. É isso mesmo, temos que ser radical com estes aproveitadores.

  • Alcinéa, de acordo com o seu último parágrafo, a carapulça não caiu para mim, porém, eu pegaria estes cavaletes e jogaria no lixo, pois, assim como eles tem o “direito” de colocar estas coisas na rua, o cidadão tem o direito de rejeitá-las, portanto…!!!

  • Gostaria que alguém me explicasse a finalidade de tanta propaganda. Se no Amapá estiver acontecendo com em Brasília, a maioria dos candidatos é manjada. Por isso, quando os cabos eleitorais vêm me dar santinhos, eu retruco: O santo eu já conheço. Quero saber dos milagres obrados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *