Carta aberta do PT-AP

O PT do Amapá enviou  uma carta aberta (cheia de erros de português) a Direção Nacional do partido e à coordenação da campanha de Dilma.

Na carta o PT-AP diz que está  servindo de chacotas no twitter, blogs e jornais porque o presidente Lula  aparece no horário eleitoral pedindo votos para os candidatos ao Senado Waldez Góes (PDT) e Gilvam Borges (PMDB),   assume que em 2006 lançou um candidato laranja ao governo do Amapá  “para servi  única e exclusivamente aos interesses do PDT”,  ressalta que pretendia fazer parte de uma aliança com o PP e o PDT e que só  não fez porque foi tratado como partido de segunda categoria pelos dois e pede que os “companheiros” Lula, Dilma, ministros de Estados e membros da Direção Nacional gravem programas de rádio e televisão pedindo votos  “para coligação que o PT construir no Estado, que tem como candidatos a Governador Camilo (PSB) e Dora (PT) de vice, ao Senado Prof. Marcos e João Capiberibe.”
Eis a íntegra da carta:

“Prezados/as,
O Partido dos Trabalhadores no Amapá fez uma opção clara em 2010. Qual seja: Romper com o Governo de Waldez Góes e Pedro Paulo. Fez essa movimentação depois de ter sido tratada como partido de “segunda categoria” tanto pelo PDT de Waldez Góes, quando pelo PP do Atual Governador e candidato a reeleição Pedro Paulo, que tem em sua coligação os DEMOcratas.

Em seus fóruns (Reuniões da CEE, DE e no Encontro de Tática), o PT deu todas as chances para que pudéssemos está numa aliança com esses dois partidos, no entanto, a falta de respeito para com o PT, nos forçou a reconstruir a aliança com o PSB com base em um protocolo de acordo que nos possibilitou a indicação de um candidato ao senado federal, com o Prof. Marcos (PT), a 1ª Suplência de João Capiberibe (PSB), a vaga de vice na Chapa majoritária (Doralice Nascimento), e ainda, o apoio do PSB na disputa em 2012 pela capital Amapaense.

O PT em seu Encontro Estadual de Definição de Candidaturas aprovou, portanto, uma aliança estratégica com o PSB no sentido de reorganizar a Esquerda Amapaense que no ultimo período sofreu um forte isolamento orquestrado pelo governo do PDT no Amapá, que tinha em sua base aliada partidos como o PPS, PSDB e DEM, e mais, se alinharam as elites, a setores conservadores da imprensa e ao grande empresariado, do campo e da cidade.

Por esse motivo, a gravação do Companheiro Lula, pedindo voto ao Ex-Governador e candidato ao Senado pelo PDT, Waldez Góes, nos causou um profundo constrangimento, ridicularizando assim o PT do Amapá, seus dirigentes e seus filiados, menosprezando assim a deliberação tomada pelo conjunto dos filiados do PT, que participaram do Encontro que definiu essa política, pelo simples fato de termos em nossa coligação no Amapá dois Candidatos ao Senado, que são o Professor Marcos (PT) e João Capiberibe (PSB).

Além disso, desde 2006 nosso Partido está com sua imagem “arranhada” por conta de termos lançado uma candidatura para servi aos interesses do PDT no Estado, e essa gravação infelizmente agravou nossa situação enquanto instituição política, servindo de chacota em jornais, revistas, blogs e microblogs.

Por esse motivo, solicitamos (encarecidamente) aos companheiros/as da Direção Nacional do PT, que os nossos/as companheiros/as Ministros/as de Estado, nosso Companheiro Lula e nossa futura Presidente da República Dilma Rousseff, que respeitem as decisões e deliberações do encontro estadual do PT do Amapá que definiu uma aliança com o PSB, e não gravem mais programas para candidatos que não pertencem ao arco de aliança que optamos no estado.

Solicitamos ainda, que esses companheiros e companheiras gravem programas de Rádio e TV, pedindo votos para coligação que o PT construir no Estado, que tem como candidatos a Governador Camilo (PSB) e Dora (PT) de vice, ao Senado Prof. Marcos e João Capiberibe.

Ainda é importante ressaltar, que o PSB fez uma clara opção em não ter candidatura própria para Presidência, retirando a candidatura de Ciro Gomes, levando em consideração um acordo nacional com PT em alguns Estados, incluindo o Amapá, por isso, exigimos respeito com as deliberações de nossos fóruns legítimos que tem respaldo no estatuto do partido.

Por analogia, analisamos o seguinte: Se um militante do PT do Amapá pedisse voto para os candidatos do PSDB em 2002, 2006 ou até mesmo agora em 2010 seria exatamente a mesma coisa que o nosso ilustre companheiro Lula o fez no Amapá, pedindo voto para Waldez Góes, mesmo sabendo que o PDT faz parte da base aliada, reafirmamos que acreditamos piamente que foi um erro, pois quando chegamos a lançar um candidato laranja, para servi única e exclusivamente aos interesses do PDT que através de Waldez Góes, construir nos últimos anos nesse estado, a maior maquina de corrupção que já se instalou na administração estadual.”

Pra quem duvidar da existência desta missiva informo que ela está publicada no site Página 13, que você lê clicando aqui


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *