Carta do médico Alejandro Cadena

Carta do médico  Alejandro Cadena em resposta aos  gestores da Sesa

Absurdamente falsa e descabida a desculpa esfarrapada do “competentissimo” secretario Lineu Fagundes e do seu cão de guarda adjunto fantasiado de advogado, que nao sabem a diferença entre um rx e um ultrassom, mas que administram com muita autoridade e truculência a SESA.
Nao bastou ter destruido os serviços de Tomografia e do HCAL com falsas premissas de austeridade, anunciando em alto e bom som que já tinham a receita de bolo preparada para que a população nao sofresse e agora amargam o despertar de sua propria imcompetencia, na qual infelizmente afeta e custa vidas apenas as pessoas carentes.
Direcionam agora suas baterias contra a Neurocirurgia em clara “questao pessoal” contra quem , em função de viver os problemas diariamente conhece e reclama por condições minimas para servir melhor a sociedade.
“Falta de produtividade” dizem do cirurgião que criou o Serviço de Neurocirurgia para o Estado há 26 anos e que talvez mais operou na historia do Hospital Geral agora HCAL, talvez até mais que o saudoso Alberto Lima. Quando falamos do Serviço de Neurocirurgia nao podemos falar em individualidades e sim em conjunto, que o Serviço produz aproximadamente 300 a 400 cirurgias por ano. Nunca precisamos de “mutirões” para realizar nossa função, resolvendo praticamente todos os problemas da especialidade aqui no Estado.
Há dois anos amargamos o total abandono de reposição de material para a especialidade, que chegou no ponto extremo há 3 meses de suspender cirurgia em andamento (entenda-se abrir e fechar um paciente)por falta de condiçoes mínimas. Tomamos os neurocirugiões decisão em conjunto de não operar mais nessas condiçoes até que houvesse reposição minima. Nao podemos exercer nossa profissão sem instrumentos, sem materiais básicos como parafina para estancar um sangramento, sem próteses para reconstruir as colunas , sem clipes para fechar os aneurismas, sem válvulas para tratar nossas crianças. Nao somos cirurgiões espirituais, nem pajés para curar com orações.
As atividades de sobreaviso nao se restringem a cirurgias de Emergência como tenta relatar o secretário,tem a ver sim com atendimentos aos pacientes do H.E. Em dias de sobre-aviso realizamos várias visitas diárias a esse Hospital. Só em Tomografias avaliavamos perto de 50 exames por dia, orientando condutas e atendimento dos referidos pacientes. Nunca nenhum paciente deixou de ser operado em regime de Emergência pois isso em Neurocirgia significa a morte.
Ataca o Dr. Dorimar por ser portavoz do Conselho Regional de Medicina do qual é Presidente eleito por nossa classe, por denunciar exatamente as realidades das nossas Unidades de Saude. O Dr Dorimar atende a escala de Sobre-aviso por colaboração estritamente pessoal, em função da deficiência de profissionais na Especialidade. Faz isso há 20 anos. Impossivel fechar uma escala com menos de 4 neurocirurgiões. Mas eles já tem a receita de bolo, tira dois fica um, junta com mais um e depois meio e tá tudo certo .. Por favor, mais responsabilidade ! Mas como ja disse antes Gestão  só se faz com conhecimento. Impossível que uma estrutura como a Saude funcione por decreto .. Partidos políticos não dão nem fabricam competência.
Por fim a profunda falta de respeito pelos profissionais que criaram este Serviço no Estado .. Quando eu penso que ia ganhar um dia uma estátua por tanto trabalho realizado no Serviço Público, ganhei um afastamento pelo Twiter, promovido por um ilustre desconhecido que devia estar de fraldas quando eu ja era médico e cuidava de vidas humanas .. Essa é uma palavra que este Governo não conhece, Respeito .. Os milhares de pacientes que foram operados por estes profissionais e as dezenas ou centenas de milhares de pacientes atendidos nesses 26 anos, batem palmas por esta iluminada decisão .. Falta de produtividade, nao me façam rir .. ! Se é esse o parametro, olhem para suas conciências , se despindo de suas ridículas vaidades e peçam para sair .. Ainda há tempo ! Incompetência custa vidas !!!

Alejandro Cadena

  • acho que existe muito certo oque o doutor alejandro falou! esse governo fala tanto de reformas politica publica.. e a saude? rsrs nao se fala nao se enxerga! esse governo é egoista partidario esta virando quase uma ditadura militar so precisam caçar os judeus que somos nos amapaenses.. esse governo investe tanto no carnaval e na politica enquanto a saude… ?? cade?

  • infelizmente em só há dois médicos bons em Macapá: a TAM e a GOL.. desconheço “profissionais” no estado que estão realmente compromissados em tratar o paciente..

  • Absurdo… conheço Dr Alejandro a cinco anos e meio, cuida do meu filho Dahyl Neto, neuropata, desde que nasceu… Já foram 19 cirugias, e desde a primeira realizada no hospital geral vi como faz a diferença ser atendido por um profissional competente, decidido e inteligente. Devo a ele uma vida… Infelizmente não se pode agradar a todos, ainda mais aqui, onde tudo é culpa dos medicos…Falam das pediatras da maternidade, onde a morte de um prematuro de 5 meses, de mães que chegam com remedios abortivos ou de mães adolescentes vira noticiacontra as profissionais… estive lá e vi uma medica fazendo tudo para salvar muitos bebês mas sempre levando a culpa. Um lugar onde entram com comida no hospital, onde um medico tem adiar cirurgias por falta de material basico, onde divulgam reforma de hospitais e só fazem pintar uma sala, onde todos nós que dependemos de bons profissionais precisamos passar pela dita politica, que nunca vi salvar a vida de ninguem… Ta… ah o medico tal ganha horrores, mas… quanto vale a vida do meu filho? Do seu? Dos nossos? Dr Alejandro, Dr Dorimar e Dr Paulo Carvalho são excelentes profissionais, que assim como Pediatras, Ortopedistas e demais expecialistas se desdobram para segurar a saúde no Estado… correndo do pronto socorro para o hospital geral, virando plantão, operando do jeito que lhes é permitido. Perdi a conta de quantas vezes mudou a data de consulta do meu filho para fazer cirurgia no hospital geral… nunca fiquei com raiva ou reclamando… a vida de todos nós é prioridade maxima. E francamente, se eles tem o que tem hoje, patrimonio, o que for é com seu trabalho, perdendo um pouco do convivio com a familia para cuidar de quem precisa. Que haja mais concursos, que pague bem, que haja respeito, porque medicos e professores não possuem mandato de 4 anos.

  • Infelizmente, pra descobrir se a saúde vai bem ou mal, é só precisar utilizar o serviço.
    Estou com minha mãe internada no Hospital de Emergência desde o dia 21.12.2012, com um aneurisma, precisando de uma cirurgia. Ainda nem sequer conseguimos leito em UTI no HCAL. Ela está há 12 dias em uma enfermaria chamada “extra” onde são internados qualquer tipo de doente sem qualquer triagem.
    O primeiro investimento de qualquer governo na saúde, deve ser na humanização de seus servidores. É público e notório a forma como o cidadão é tratado no Pronto Socorro tanto por médicos, enfermeiros e técnicos em enfermagem. É comum as pessoas comentarem aqui os erros de diagnósticos dos médicos, porém como desconhecem seus direitos, fica por isso mesmo.
    E essa história de plantão ou sobreaviso, é furada. Todas as vezes que procurei o médico de plantão nunca encontrei, ninguém sabe, ninguém viu.

    • Sr. Nicasio , seu comentário vai de encontro exatamente com as deficiências que estamos denunciando … Não temos leitos na Uti e as condições cirúrgicas sao um risco . Inadmissível aceitar que uma paciente com aneurisma cerebral seja mantida na enfermaria extra que mais parece um deposito do que uma enfermaria … Para completar o secretario não contente com dispensar 50 por cento dos especialistas no dia da internação da sua mãe , lotou os neurocirurgioes restantes no HE onde não existem condições de operar nenhuma Neurocirurgia deixando desguarnecida as outras unidades da rede hospitalar … O sr e apenas mais uma vitima da gestão sem conhecimento alimentada por falsas vaidades que cegam a razão … A nossa luta mais uma vez, nao e por salarios e sim por ferramentas mínimas necessarias para poder ajudar a sua família e tantas outras que precisam do nossa experiencia e conhecimento … Será que essa realidade seria a mesma se fosse com algum parente dos “gestores” …

  • Dr. paulo carvalho cumpre seu ofício com louvor, e tem as mesmas condições que o Soberbo alejandro. QUE CHEGOU a proferir em programa de rádio que queria ESTÁTUA na frente do Hospital. Chega lá entre a vida e a morte, e só serás atendido pelo Alejandro se pagar antes. A vida é secundária! Outra, seria bom a SESA informar melhor o cidadão dos investimentos feitos no estado, de aquisição de aparelho, e modernização. O Governo está muito falho em sua comunicação, pois nunca se investiu tanto recurso federal, todas as estradas estao sendo revitalizadas, todas as obras andando, escolas sendo construidas, moradias sendo edificadas e o povão nao sabe! Isso é um crime! Por isso ainda tem gente com saudade do waldez, mas aos que tem saudade, só nao esquecer do Roberto Góes rsrs

    • Meu caro Rafael , concordo que o Dr Paulo Carvalho exelente amigo e cirurgiao,assim como todos os neurocirurgioes que trabalham no estado , cumprimos com todas nossas obrigações até pelo fato que não existem individualidades e sim um Serviço de Neurocirurgia que serve como um todo a população, nas cirurgias, nos ambulatórios, nas enfermarias , nos hospitais da rede. Com relação a estatua ela e genérica significa o respeito que a sociedade , gestores fugazes inclusive, deveria ter por seus pioneiros, que desbravaram este Estado e o construíram quando nada tinha. Respeito pelo dr Teles, pelo dr Robelino, pelo dr . Joçy e tantos outros que talvez fizeram ate o seu parto ou trataram alguém da sua família … Eu criei a Neurocirurgia no Estado há 26 anos para servir a população como um todo , nao para ficar rico … sempre me preocupei em lutar por condições de trabalho, em todos os governos …não e de agora … Não sou político nem pretendo ser … Infelizmente os políticos não querem ouvir as verdades e sao poucos que se posicionam e os questionam … O que estamos vendo e uma clara perseguição política direcionada para calar nossas vozes , que na realidade sao as suas vozes, que não entendem o grave problema que vivemos por falta de gestão e excesso de vaidade … Ah ia esquecendo , antes de ofender publicamente visite o Hospital e pergunte se alguém humilde morreu ou deixou de ser atendido por falta de pagamento … Não vire mais um kamikaze sem consciência …

  • Toda essa rebarba está ocorrendo desde quando foi colocado um corte nos milhões que a empresa do médico recebia do contribuinte através do governo do Estado. Também é verdade que ele é um excelente médico, mas para quem pode pagar uma consulta e os exames em sua clínica.

  • Chega de medicos mercenarios…se nao querem trabalhar que peçam suas contas e vao procurar coisa melhor….precisamos de profissionais compromissados..Pensam que aqui so tem indio…nada disso..alias nem os indios sao ignorantes como pensam…querem ate banda larga!!

  • Tem gente que fala muita bobagem. E um seguinte da um garfo e uma faca para um medico operar pois e quase isso que acontece medico não tem apoio,vi medico tirar dinheiro do bolso para comprar material. dai falam medico e bem remunerado pois bem quando se trata de vida não tem preço.essa pessoas que falam que medico e bem pago me parece um pouco de inveja do mesmo, e só estudar 10 anos e virar medico também,gente falo isso porque trabalhei em hospital, no pronto socorro que para min e um inferno branco.

  • Uma, apenas uma vida já vale a pena! o Dr Alejandro SALVA VIDAS, SOU PROVA DISSO (quem não se lembra em nov/2001)! Uma vida que seja salva não tem preço!

    • O problema não é operar quem tem dinheiro ou status, o problema é justamente com o pobre, que sofre com a omissão.

  • O Dr. Alejandro sempre foi mt bem pago por cada procedimento q realizou, conheço vários médicos q prestam serviços voluntários nos Capuchinhos e em outros locais, esse aí n faz uma caridade e ainda quer se fazer de vítima, me poupe.

    • Você está totalmente equivocada, pois sou testemunha presencial que o Dr. Alejandro presta serviços inmensuráveis a população carente desse estado. O que qualquer profissional não pode fazer é resolver os problemas oriundos da “incompetência” de membros de um governo “moribundo” tal qual o serviço de saúde administrado pelo estado.
      Agora vá estudar, no mínimo, dez anos para se especializar e, depois, algumas horas diárias prá se atualizar. Aí sim você poderá questionar a integridade profissional de quem quer que seja.
      INVEJA DA COMPETÊNCIA DOS OUTROS É DANOSA!

      • N estou equivocada já presenciei uma situação lamentável qd uma colega sofreu um acidente, estou falando de um fato concreto.

  • Pa furado… Um lado puxa dizendo querer moralizar, mas só ataca os adversários políticos. O outro lado só quer saber de encher a burra. Liga pra ver se vem alguem de sobreaviso, 30 contos por mês em casa, comendo, bebendo e dormindo.
    Quero ver a gestão do GEA fiscalizar o horário de TODOS os profissionais de saúde.

  • A perseguição continua, Alejandro, começou muito tempo atrás, lembras?
    Continue salvando vidas. Para destruí-las, já temos demais!

  • meu apoio ao excelente médico Alejandro Cadena,profissional exemplar,e quem perde é a população,coisa triste.

  • Que o Estado do Amapa esta mal estruturado em relaçao a saude isso é fato, basta dar uma voltinha em nosso unico e ja defasado PS para constatar..
    Agora que tem medico que nao tem compromisso com seu juramento de …vidas em primeiro lugar…ah amigo isso simm.
    Muitos so estao preocupados em ganhar dinheiro, se esquecem de quao nobre sao a profissao que abraçam.
    Nao cumprem seus plantoes e obrigaçoes e nao venham com conversa fiada posando de sanrtinhos..que nesse meio o ferrrado é so o cidadao o resto é conversa fiada!

  • Concordo com Dr Alejandro quando ele diz que incompetência leva a morte,permita-me acrescentar negligência,omissão de socorro,falta de comparecimento,nos plantões e sobreavisos quando acionados também levam a morte ou condenam o paciente a ficar com sequelas terrivéis

  • Não tem como negar a competência do Dr. Alejandro, mas já vi uma coisa no São Camilo a alguns anos que me deixou perplexo. Uma pessoa chegou muito mal lá, na época meu pai estava internado naquela casa de saúde, e eu vi o Dr. Alejandro NÂO ATENDER a pessoa até que o pagamento fosse realizado. A pessoa não conseguiu o dinheiro e foi transferida pro Pronto Socorro. O Dr Alejandro simplesmente virou a costa e foi embora. Naquele momento percebi que este homem não tem sentimentos nem alma. E não venham dizer que ele investe no Amapá e tal. Isso pra mim é balela… ele além de médico é um empresário como qualquer outro que só visa o lucro e nada mais.

  • Prefiro esperar o pronunciamneto da SESA para emitir alguma opinião. Só digo que 8 anos em “Harmonia” pode muito bem acabar com muitas reputações. Vamos esperar o pronunciamento da SESA que espero, claro, seja baseado, principalmente em números, estatisticas e análises, não em rancor.

  • Assim como fez com os professores, está fazendo com os médicos e o faz pq seus filhos não estudam em escolas públicas e sua família não utiliza o SUS. É sim pura vaidade e falta de humanidade.

    • Pensa numa coisa boa para nós. Quando existe contestações de ambos os lados a verdade aparece. Quando a “armonia”(sic) está em ação ninguém fica sabendo de nada. A educação teve até presidente afastado no período da harmonia, por corrupção.

    • Que existe muitos problemas, todos sabemos, é fato. Agora esses questionamentos todos é otimo, pois, disso tudo sairá a verdade dos fatos, temos mais é que incentivar tudo isso. Todos tem suas parcelas de culpa. Tivemos vários médicos administrando a saúde, pelo q disse o Dr. Cadena, só médicos tem competência para administrar a saude. Discordo.

  • Caro Dr. CARDENA, apesar de não conhecê-lo o parecio muito pela sua competência, mas, em relação a nota ora publicada, quando o Senhor diz: “Nunca nenhum paciente deixou de ser operado em regime de Emergência pois isso em Neurocirgia significa a morte”, é pura fantasia, pois o atendimento dew emergência da UTI do hospital geral, onde também o senhor atua, deixa muito a desejar. Em fevereiro próximo passado, minha irmã SOCORRO MOREIRA, acometida de um AVC, foi primeiramente atendida no Pronto Socorro, onde foi constatado o sintomado e, segundo o médico que a atendeu, a mesma deveria ser operada urgentemente, sob risco de morte. A muito custo, pagamos o exame de tomografia e nessa mesma tarde a mesma foi internada no citato UTI, a fim de ser operada face a gravidade do problema. Ocorre que, o édico de sobreavciso naquele dia não aoperou, o que só veio a ocorrer dois dias depois, o que levou a paciente a óbito. Como se vê, a maioria dos médicos não está nem aí com apopulação, estão sim, é interessados em ganhar o plantão sem ao menos comparecewr na unidade em que estão lotados. Pontanto, o Senhor foi muito infeliz em defender sua classe quando diz que nenhum paciente deixou de ser operado em regime de urgência.

  • Bem colocada a palavra respeito em referencia ao texto e incompetência custa vida, parabéns doutor pelo desabafo, apesar de não lhe conhecer pessoalmente, acompanho seu trabalho a 28 anos quando aqui aportei para trabalhar na CEA e a palavra respeito também me atingiu quando me colocaram a disposição a um mês atrás.

  • Para reflexao:Resolução CFM N º 1.834/2008
    (Publicada no D.O.U. de 14 de março de 2008, Seção I, pg. 195)
    As disponibilidades de médicos em sobreaviso devem obedecer normas de controle que garantam a boa prática médica e o direito do Corpo Clínico sobre sua participação ou não nessa atividade. A disponibilidade médica em sobreaviso deve ser remunerada.

    O CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA, no uso das atribuições conferidas pela Lei nº 3.268, de 30 de setembro de 1957, regulamentada pelo Decreto nº 44.045, de 19 de julho de 1958, e
    CONSIDERANDO que a disponibilidade em sobreaviso é prática utilizada em muitos serviços médicos, objetivando otimizar o atendimento das variadas especialidades;
    CONSIDERANDO a necessidade de se regulamentar a prática da disponibilidade em sobreaviso;
    CONSIDERANDO que é direito do médico receber remuneração pela disponibilidade dos seus serviços profissionais;
    CONSIDERANDO o teor do Parecer CFM nº 19/03, base da fundamentação desta resolução;
    CONSIDERANDO a Resolução CFM nº 1.451/95;
    CONSIDERANDO, finalmente, o decidido em sessão plenária realizada no dia 21 de fevereiro de 2008,
    RESOLVE:
    Art. 1º Definir como disponibilidade médica em sobreaviso a atividade do médico que permanece à disposição da instituição de saúde, de forma não-presencial, cumprindo jornada de trabalho preestabelecida, para ser requisitado, quando necessário, por qualquer meio ágil de comunicação, devendo ter condições de atendimento presencial quando solicitado em tempo hábil.
    Parágrafo único. A obrigatoriedade da presença de médico no local nas vinte e quatro horas, com o objetivo de atendimento continuado dos pacientes, independe da disponibilidade médica em sobreaviso nas instituições de saúde que funcionam em sistema de internação ou observação.

    Art. 2º A disponibilidade médica em sobreaviso, conforme definido no art. 1º, deve ser remunerada de forma justa, sem prejuízo do recebimento dos honorários devidos ao médico pelos procedimentos praticados.
    Parágrafo único. A remuneração prevista no caput deste artigo deve ser estipulada previamente em valor acordado entre os médicos da escala de sobreaviso e a direção técnica da instituição de saúde pública ou privada.

    Art. 3º O médico de sobreaviso deverá ser acionado pelo médico plantonista ou por membro da equipe médica da instituição, que informará a gravidade do caso, bem como a urgência e/ou emergência do atendimento, e anotará a data e hora desse comunicado no prontuário do paciente.
    Parágrafo único. Compete ao diretor técnico providenciar para que seja afixada, para uso interno da instituição, a escala dos médicos em disponibilidade de sobreaviso e suas respectivas especialidades e áreas de atuação.

    Art. 4º Em caso de urgência e/ou emergência, o médico que acionar o plantonista de sobreaviso deverá, obrigatoriamente, permanecer como responsável pelo atendimento do paciente que ensejou a chamada até a chegada do médico de sobreaviso, quando ambos decidirão a quem competirá a responsabilidade pela continuidade da assistência.
    Art. 5º Será facultado aos médicos do Corpo Clínico das instituições de saúde decidir livremente pela participação na escala de disponibilidade em sobreaviso, nas suas respectivas especialidades e áreas de atuação.
    Parágrafo único. Os regimentos internos das instituições de saúde não poderão vincular a condição de membro do Corpo Clínico à obrigatoriedade de cumprir disponibilidades em sobreaviso.
    Art. 6º Compete ao diretor técnico e ao Corpo Clínico decidir as especialidades necessárias para disponibilidade em sobreaviso, de acordo com a legislação vigente.
    Art. 7º Cabe aos diretores técnicos das instituições o cumprimento desta resolução.
    Art. 8º Fica estipulado o prazo de 6 (seis) meses, a partir da publicação desta resolução, para a adequação dos serviços nela referidos, revogando-se as disposições em contrário.

    Brasília-DF, 21 de fevereiro de 2008

  • A carta/desabafo do Dr. Alejandro demonstra que o problema da saúde no Amapá é mais “em baixo” como no dito popular. Infelizmente o Governo Camilo tem patinado na área na gestão da saúde, acho que ainda está em tempo de corrigir o rumo e tomar decisões mais acertadas. Como sugestão o Governador poderia começar escutando a categoria no que diz respeito as diversas complexidades de um sistema de saúde (médicos, enfermeiros, dentistas, técnicos em geral). O momento é oportuno para um avanço qualitativo na saúde do Amapá.

  • Todos salvaram vidas isso e fato, mas foram muito bem remunerados, tem e que trazer gente nova para o estado, pois muitos dos que estao ai, foram contaminados pelo virus da corrupcao dinheiro facil, temos bons profissionais isso tambem e fato, nem todos foram contaminados.
    no fundo tudo isso envolve dinheiro muito dinheiro.

  • Será que o governador do Estado do Amapá está ciente da carta do médico Cadena? Se for verdade o que é relatado na missiva aberta ao povo do Amapá, trata-se isso na verdade de uma tremenda irresponsabilidade irracional de quem administra a saúde pública amapaense. Será que o atual gestor da SESA tem medo de comunicar ao governador Camilo Capiberibe de toda essa problemática aparente afirmada pelo profissional da medicina, e perder o cargo de secretário, com isso? É inadmissível sob todos os aspectos que essas incongruências estejam digerindo penas pra todos na saúde pública tucuju. A população do Amapá precisa notadamente esclarecimento de o que na verdade está acontecendo com o dinheiro público que é investido em nossa saúde. O governador Camilo pelo andar da carruagem está realizando mudanças em algumas secretárias, mas, não se sabe se tem algum conhecimento de o que acontece na saúde.Como já dizia o saudoso jornalista Haroldo Franco, “existe algo no ar que não é avião de carreira”.

    Governador Camilo Capiberibe, vai um alerta à Vossa Excelência; cuidado que ainda existem muitos “assessores”, que estão atrapalhando a administração governamental. Tem “caboquinho” que só sabe sentar em uma cadeira giratória e ficar girando de um lado pra outro.

    OLHO NELES!

  • Bem, tenho absoluta certeza que o dr. Alejandro está corretíssimo. Com tantas falcatruas e desvios, falta de seriedade orçamentária, falta até paracetamol nos nossos hospitais, onde os maqueiros tropeçam nos pacientes nos corredores. PARABÉNS PELA CORAGEM! E que os meus colegas de MP q estáo na ativa tomem ainda mais providências contra os incompetentes e corruptos desse Estado.

    • Perfeito, né, na época da “harmonia” tudo funcionava, e essas coisas não chegava nem perto dos ouvidos da população. Estou gostando mais agora, pelo menos está saindo vários questionamentos e a gente consegue tomar juízo de valor.

  • Dr. Alejandro, o senhor tem autoridade e moral para falar o que falou. Conhecendo-o, sabendo perfeitamente de sua competência e compromisso, resta-me aderir a sua indignação com o estado de coisa em que se encontra a saúde pública (e a privada tb) no Amapá. As promessas constitucionais referentes a este direito fundamental só ficam no papel por aqui. O pior é que as autoridades constituídas para solucionar este grave e tormentoso problema (MP, de ambos os níveis, Comissões de Direitos Humanos dos parlamentos, etc), bem com a sociedade civil organizada, nada fazem, ou, se fazem, não divulgam resultados, daí porque acredito que se omitem. O Estado Democrático de Direito está falido por aqui, deixado ao “Deus dará”. Fico me perguntando: qual é o nosso papel? Do jeito que a coisa anda para que governador, prefeitos, parlamentares, promotores de justiça, procuradores da república e juízes? Para que toda esta estrutura institucional de Estado e de poder se ela (e nós), somos inúteis? Resta esperar que o povo mude isso ele próprio ainda que pela força, e torcer para não vir a julgar algum moribundo infeliz que resolveu fazer justiça pelas próprias mãos em momento de desespero. Juiz Lages.

    • Então continue fazendo sua parte, julgando pelo direito, e sendo imparcial. Acho q a parcialidade de V.Excelência neste assunto não foi muito bem vista por mim, mas concordo que a sociedade em geral deve ser mais ativa pra mudar a situação deste estado e que a população pincipalmente a mais carente seja melhor assistida pelos órgaos públicos principament à saúde, que é um direito constitucional.

  • Nesta Briga de GEA x Médicos quem perde é a população.. que esta no meio de intrigas e vaidades. e até mesmo de gastos de $$ públicos. é fato que o problema da saúde de nossa Estado é praticamente crônica ou seja sem cura. temos a extrema necessidade que aja o entendimento dos profissionais de saúde e o GEA para proporcionarmos atendimentos de qualidade, pois todos recebem por este serviço que não é de graça.. impostos e pagamentos de fornecedores e profissionais custam caro.. e tudo que é público é caro..é fato caros DR. Alejandro Cadena e Dr. D.. que há médicos que nem atendem o celular ou estão em atendimentos em suas clinicas e clínicas particulares e no momento de um atendimento público a disponibilidade é menor.. e recebem por não fazerem o atendimento. .. no caso do Dr Alejandro é fato que senhor muito contribui e contribui para neurologia, mas isso não justifica o senhor receber sem trabalhar, segundo entrevista do Tv Ap. e GEA, como o senhor Diz que é Inocente. a Justiça está ai. para defende-lo…. no caso da patologia da Saúde pública do nosso Ap. eu compactuo com Vossas afirmações.. .

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *