Centro de Solidariedade de Macapá concorre ao prêmio nacional da CUFA

O Centro de Solidariedade João Paulo II, localizado no bairro Zerão, zona sul de Macapá, foi o  vencedor da etapa estadual do Prêmio Anu 2010, iniciativa da Central Única de Favelas (CUFA), sediada no Rio de janeiro. O objetivo do prêmio é chamar a atenção da sociedade para os projetos socioculturais que impactaram positivamente as comunidades populares durante o ano passado.

O Amapá apresentou cinco projetos sociais, entre os quais o Reforço Escolar do Centro João Paulo II, considerado o melhor pelo jurado da CUFA. Agora o centro concorre ao Premio Nacional com votação popular no site WWW.cufa.org.br  no período de 07 de janeiro a 07 de fevereiro. A coordenadora do Centro, Andréia Leite, quer intensificar campanha para somar votos pela internet, e além da premiação estadual, buscar o prêmio nacional, concorrendo com projetos de sociais de todos os estados e Distrito Federal.

O Centro de Solidariedade João Paulo II, fundado em maio de 2000, é uma entidade jurídica sem fins lucrativos, que tem por objetivo a promoção social e educacional de crianças e adolescentes na faixa etária de 07 a 15 anos, em situação de vulnerabilidade sócia social, através da prática de reforço escolar, atividades sócio-recreativas e complementação alimentar. Atualmente o Centro atende 110 crianças no município de Macapá e 60 no município de Laranjal do Jarí. O centro surgiu da iniciativa de integrantes do Movimento Católico Comunhão e Libertação da Diocese de Macapá e presente em dezenas de países,

Centro está desenvolvendo este mês a Colônia de Férias das crianças e adolescentes que participam do Projeto Reforço Escolar e que moram no entorno da casa, que trabalha também em parceria com outras instituições e empresas, entre as quais a Eletrobras Eletronorte.

A Festa de entrega das estatuetas de ouro, para os 27 melhores projetos do Brasil será no dia 07 de Fevereiro de 2011, no Theatro municipal do Rio de Janeiro. E o melhor projeto do ano recebe o Prêmio Anú Preto como a melhor iniciativa brasileira em 2010.

Segundo o site da Central o Anu-Preto, símbolo da CUFA, é um pássaro presente em todo o Brasil, encontrado em pastagens, campos, jardins, entre outras áreas abertas. Durante o período colonial, os portugueses e espanhóis usavam este nome para insultar os escravos e as pessoas de pele muito negra. O tempo foi se tornando aliado do preconceito contra esse pássaro – bem como contra os negros – fazendo com que a ave fosse culturalmente odiada pela população. A ave se transformou oficialmente no símbolo do agouro.

A CUFA, mantendo a sua posição de quebrar os paradigmas, sobretudo os aplicados contra a população já estigmatizada, escolheu o Anu como o seu maior símbolo, a fim de fortalecer a cultura negra. A Central Única de Favelas desenvolve seus projetos visando o fortalecimento da cidadania, trabalhando o social e o Prêmio Anu vem para valorizar e reconhecer publicamente iniciativas desenvolvidas em favelas e demais espaços em desvantagens sociais, gerando bem comum para a população, auto-estima das comunidades, trabalho, renda, qualidade de vida e equilíbrio social. (Oscar Filho)

  • Bacana! Trabalho social é tudo de bom, tenho muita vontade de doar mais de mim ao próximo, mas confesso que sou acomodado e fico mais no campo teórico.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *