Corre pra moita

Em algumas escolas públicas no Bailique não tem sanitários.
As crianças fazem suas necessidades nos troncos de árvores ou atrás da moita.

  • Legal a preocupação, pena que vem com oito anos e meio de atraso… convido a jornalista a entrevistar capizinho, valdezinho, pedro paulinho, saneyzinho, papileozinho (que agora tem uma boquinha dada pelo psdb de minas gerais) e gilvazinho… além de nossos federais e estaduais. Oito anos sem jornalismo no estado… será a verba da publicidade… será que o exército não pode montar uma casinha por lá, será que tudo tem que passar por licitação…

  • É assim que tratam nossas crianças em várias comunidades ribeirinhas do Amapá em pleno século XXI. Cadê os recursos da FUNASA para construção de banheiros nas comunidades mesmo???

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *