Cronistas do blog

SÍLVIA E O PLANETA
Cléo Farias de Araújo

Um dias desses, fui visitar uma família de amigos e, sentado naquele pátio, pegando aquele vento de verão, com a lua cheia surgindo, parei pra conversar com a Sílvia, filha do casal, uma mocinha muito interessada nas coisas que acontecem no mundo.

Repentinamente ela me veio, trazendo um livro de atividades escolares, pedindo que eu lesse um artigo sobre a devastação causada pelas bombas atômicas jogadas no Japão, durante a 2ª Guerra Mundial.

O texto dizia que a temperatura na superfície da terra chegou a 9000 graus centígrados, em razão das duas bombas despejadas, uma do avião Enola Gay e outra, de aeronave semelhante (B-29), sobre as cidades de Hiroshima e Nagasaki. Essa brusca alteração de temperatura matou, de imediato, mais de cem mil pessoas e, de chofre, causou lesão a outras 150 mil. E prosseguiu  espalhando estragos à humanidade.

A cada trecho do livro que avançávamos, a testa da Sílvia ia ficando mais franzida e os olhinhos expelindo maior preocupação.

Ao findar a leitura, ela me pergunta se Deus é bom, ao que respondo que sim. Ato contínuo, me indaga: ─Mas se Deus é bom, porque ele deixa matarem muitos inocentes? Será que essas bombas ainda estão espalhando males por aí?

Ao pensar no que responder, lembrei-me de 1969, quando o homem pisou pela primeira vez na lua.

Recordei que o Carnê Social (o programa da família amapaense), apresentado na Rádio Difusora de Macapá, nos anos 60/70, sempre tocava uma canção, gravada por um ex-presidiário, cujo nome era João Batista Rodrigues, o “Testinha”, cuja letra é a seguinte:

“Meu Deus do céu salvai o meu Brasil/ Tem compaixão dos filhos contra os pais
Talvez não chegue a completar dois mil/ A tua Igreja para as nuvens vai
A profecia há de se cumprir/ E o milagre de Jesus não tardará
Breve este mundo vai se destruir/ Antes disso acontecer, salva a alma tua
Ainda é tempo pra você se arrepender/ Antes do homem fazer um caminho para a lua
Pois a ciência cada vez aumenta mais/ Lá na lua ninguém vai, salve a alma tua”.

Naquele momento, me veio à mente a missão Apollo11 e, em razão da música do Testinha, nossa apreensão, com a possibilidade do fim do mundo.

Por volta de uma e meia da tarde do dia 16 de julho de 1969, momento da partida da nave, na minha rua (Almirante Barroso, na Favela), as casas estavam de portas e janelas fechadas; as pessoas rezando dentro de casa. Os moleques eram os mais vigiados para não saírem à rua. Até o seu Jorge (motorista do governo e mecânico particular), vizinho contíguo, ligou o rádio em volume inferior ao de costume, para escutar a transmissão, pois, naquela época, não tínhamos televisão.

A gente ficava com a voz na oração coletiva, mas com o ouvido ligado no Transglobe do seu Jorge, querendo saber o desenrolar da missão.

Frequentemente, eu olhava pela brecha na parede, para as casas próximas e via que a casa do seu Caiana, a do Jorge Jacó e a do Galo, também estavam “lacradas”. Nas casas do seu Jorge e do Dodoca, não se ouvia barulho de ferramentas. Não havia moleques nas ruas. Talvez, fruto do silêncio imperativo, parece até que os animais domésticos haviam feito um pacto de mordaça.

A ida do homem à lua, instalou verdadeira panacéia na cidade. Pelo clima que pairava, percebia-se que a música do “Testinha” tinha alcançado seu objetivo: “as pessoas se arrependerem, antes que os astronautas pisassem o solo lunar”.

Lembro ter ouvido a voz do vizinho João (radiotécnico), dizer: ─Se o mundo vai acabar, melhor eu comer aquela lata de goiabada todinha!

Sua esposa, que fazia regime, saiu com essa: ─Se vai acabar, por que vou continuar apertando o cinto? Vou é comer por inteiro a lata de leite moça que guardei, com aquela farinha do Curiaú.

Até o final da transmissão, nenhuma porta ou janela foi aberta. Quando a rádio retornou à programação normal, parecendo que o “perigo” havia passado─o que mostrava a influência da imprensa falada (a rádio ditava a ordem do dia)─as portas e janelas foram se abrindo, as pessoas até saíam à rua e ficavam intermináveis minutos olhando para o céu, na esperança de ver algum sinal. Observei que as primeiras pessoas que saíam das casas, aparentemente estavam sem respirar, talvez, com medo da atmosfera estar impregnada com “algum gás letal”, como no filme “007 contra Goldfinger”.

Todos voltaram a respirar, a cor retornou aos rostos dos mais lívidos e ficamos a espera da radionovela das seis.

Fato marcante, mesmo, foi a dor de barriga dos vizinhos João guloso e esposa, pois, toda a comilança que fizeram, resultou em inúmeras viagens à retrete, no fundo do quintal. Ficaram magros, de tanto expelirem o excesso. Embora tenham recuperado os quilos deflagrados na casinha.

Voltando à conversa com a Sílvia, respondi que Deus nos ama e não quer o nosso mal. Afinal, deu Seu Filho para que, com sua vida, pagasse os pecados do mundo. E mais: aquele que nEle crer, não pereça, mas tenha vida eterna (João, 3,16).

Acrescentei que Deus não acabará com o mundo: Ele sabe que, mais cedo ou mais tarde, todos estarão convencidos que o bem é “o caminho”. Enquanto existir o amor, a bondade, a honestidade, a sabedoria e a simplicidade, representados pelas Alziras, as Anas, as Delzuites, os Sapirangas e as Zenaides, Deus sempre olhará com esperança para a humanidade.

  • Gostaria de saber o nome da cantora e a música. Quem souber por favor, mim mandem a resposta. A música começa assim: A biblia mostra que estamos nos últimos tempos e esta verdade nós todos à muito sabemos, nunca se viu tanta crise o homem procura encontrar solução, em desespero guerreia irmão contra irmão.

  • Bom dia! Adorei encontrar esse espaço com canções maravilhosas que de uma forma saudosa marcaram minha infância…tentei encontrar uma canção antiga e foi em vão, se puderem me ajudar…assim: “A bíblia mostra que estamos nos ultimos tempos, essa verdade nós todos a muitos sabemos, nunca se viu tanta crise e o home procura achar solução, em desespero guerreiam irmãos contra irmãos…” só consigo lembrar disso.

  • Minha vó cantava essa canção pra mim, ela é Assembleiana de raiz mesmo, do tempo da rigidez mesmo… Se possível mandem pra mim essa canção. Pro meu email! Desde já agradeço.

  • minha bisavó cantava esse hino e antes de morrer ela teve uma visão no céu de um anjo escrevendo “Jesus voltará”. ao analisar a letra vimos q estamos cada vez mais próximo disso. O homem já foi na lua,estamos em 2015, já existe até impressora 3d, já vimos de tudo…só resta a vinda mesmo…

  • Amigo, muito obrigado… Minha sogra, crente de berço, há muito queria essa música. Sua mãe cantava pra ela dormir, lá por volta de 1960. Ela está chorando de alegria. Obrigado novamente.

  • O mundo aumenta a sua geração, o homem quer saber mais que Deus; a medicina opera o coração, fazem falar até quem já morreu! Com a maquilagem o velho ficar novo e um cientista no Brasil já fez chover, com um avião que de cima fez descer água para se beber, quem nunca viu vai ver!
    Ainda é tempo de você se arrepender, antes do homem fazer um caminho para a lua, pois a ciência cada vez aumenta mais, na lua ninguém vai salvar a alma tua!

    Tem muito crente que a fé já perdeu, não quer saber mais de religião! Tornou-se um grande verdadeiro ateu por causa desta grande invenção. Mas quem por Cristo já foi batizado não se abate e nem despreza a sua cruz! Na lua quem quiser pode até morar, só não deixo é de esperar o meu Senhor Jesus.

    O homem nunca quis acreditar que Cristo um dia sobre as nuvens vem; o homem pode até na lua chegar pra se cumprir o que na bíblia tem. A terra pode até estremecer e as estrelas podem até do céu cair! Em sangue a lua poderá se converter, antes disso acontecer salva a alma tua.

    Senhor meu DEUS, salva o meu Brasil, tem compaixão dos filhos contra os pais! Talvez o mundo não chegue a 2000 e a tua igreja para a glória vai. Porém o dia ninguém sabe ainda, a fome aumenta e o povo continua a desprezar o Santo de Israel, é melhor chegar no céu do que chegar na lua.

    • Que maravilha. E ainda tem gente que é contra a intenet. Sem ela este esse hino, que é de lembrança tão cara a muitos de nós, teria se perdido definitivamente. Obrigado Rosileia. Ao cantá-lo, apoiado em sua publicação, eu substituí de propósito o “lá na lua ninguém vai” por “lá na lua o homem já vai”. Obrigado, mais uma vez. Deus a abençôe.

    • Poderiam me informar se essa letra da música o homem quer saber mais do que Deus a medicina opera corações já que fazer que já morreu
      Bela letra esse e de algum cantor??

  • Existem fragmentos desta música que ouvi em minha infância, lamentavelmente, apenas fragmentos.
    O mundo aumenta a sua geração;
    O homem que saber mais do que Deus;
    Na medicina opera o coração;
    Já fez falar até que já morreu;
    Na maquiagem o homem fica novo;
    E um cientista no Brasil já fez chover;
    De avião lá das nuvens vai descer;
    Água para se beber, quem nunca viu vai ver;
    Refrão

  • GOSTARIA MUITO DE SABER SE ESTE HINO FOI GRAVADO … OU SE ENCONTRO EM ALGUM SITE PARA OUVIR , EU CONTAVA COM MINHA IRMÃ NA MINHA IGREJA QUANDO ERA MENINA ,SE ALGUEM PUDER ME AJUDAR EU FICO MUITO GRATA

  • eu cantava esse hino na minha igreja em dupla com minha irmã luana .. e gostaria muito de saber quem gravou ,ou se tem ele na internet pra que eu possa ouvir.. agradeço muito quem puder me ajudar.. meu nome é Raquel S
    Shoshima e meu email é [email protected]

  • Você tem essa musica gravada que possa passar pra mim? Tambem não sei o nome dela, ficaria muito grato:
    “Meu Deus do céu salvai o meu Brasil/ Tem compaixão dos filhos contra os pais
    Talvez não chegue a completar dois mil/ A tua Igreja para as nuvens vai
    A profecia há de se cumprir/ E o milagre de Jesus não tardará
    Breve este mundo vai se destruir/ Antes disso acontecer, salva a alma tua
    Ainda é tempo pra você se arrepender/ Antes do homem fazer um caminho para a lua
    Pois a ciência cada vez aumenta mais/ Lá na lua ninguém vai, salve a alma tua”.

  • Queria muito saber o nome dessa musica, ou hino como vcs falam, sou jovem tenho 18 anos e meu pai quer ujito ouvi-la novamente e gostaria de encontrar e baixar essa musica, ficaria feliz e deixaria meu pai mais feliz ainda XD. BJOOS a todos.

  • Gostaria muito de saber quem gravou essa musica, meu pai adoraria ouvi-la novamente ;D ALGUÉM ME AJUDA a fazer isso por ele?.

  • Aqui está uma pequeníssima, mas mui valiosa pérola evangélica dos anos 60
    de um disco gravado por um ex-presidiário que foi convertido Jesus Cristo,
    cujo nome era João Batista Rodrigues, o “Testinha”. Gostava muito de ouvi-lo do rádio e também por minha mãe que ainda hoje o canta:

    “Meu Deus do céu salvai o meu Brasil
    Tem compaixão dos filhos contra os pais
    Talvez não chegue a completar dois mil
    A tua Igreja para as nuvens vai

    A profecia há de se cumprir
    E o milagre de Jesus não tardará
    Breve este mundo vai se destruir
    Antes disso acontecer, salva a alma sua

    Ainda é tempo pra você se arrepender
    Antes do homem fazer um caminho para a lua
    Pois a ciência cada vez aumenta mais
    Lá na lua ninguém vai, salva a alma sua”
    .

    • Lembro de ouvir essa canção no rádio. Ainda lembro da letra até hoje, com alguns lapsos de memória, é claro:
      O mundo nunca quis acreditar
      Que Cristo um dia sob a nuvens vem
      O homem pode na lua chegar
      Pra se cumprir o que na bíblia tem
      Talvez um dia, ninguém saberá
      A fome aumenta e o povo continua
      A desprezar o povo de Israel
      É melhor entrar no céu do que entrar na lua.
      Ainda é tempo pra você se arrepender
      Antes do homem fazer
      Um caminho para a lua
      Pois a ciência cada vez aumenta mais
      Lá na lua ninguém vai
      Salve a alma tua.
      Deus, ó meu Deus salvai o meu Brasil
      Tem compaixão dos filhos contra os pais
      Talvez nem chege a completar 2000
      E a Tua igreja para as nuvens vai
      A profecia há de se cumprir
      E a estrela de Jesus não tardará
      Breve este mundo o Senhor vai destruir
      E os cristãos irão partir para o Eterno Lar

      • Bom dia povo, quanto tempo não ouvia essa canção, fiquei super emocionada ao ouvi-la, lembro-me pequena já entoava essa preciosidade…parabéns!!!

    • Oi meu nome e jose ricardo queria saber se alguem conseguil baixa esse hino .e qual e sit evambem busco a muito tempo esta musica linda

  • Cleo,
    Um amigo me indicou seu texto neste blog, pois havia lhe enviado o email. Agora o envio para voce, pedindo também sua ajuda.
    Prezado Silvano,
    Amigo, preciso de uma ajuda inusitada. Escrevendo minha tese, lembrei-me da letra do hino abaixo. O contexto do assunto é a marca escatológica da teologia assembleiana de décadas atrás. Este hino marcou minha infância na década de 70, mas pelo texto do mesmo, ele nasceu bem antes: antes do homem chegar a lua. Depois de muita insistência uma tia e minha irmã conseguiram lembrar da letra e me enviaram agora.
    Mas preciso de mais: quem foi o autor e em que época ele surgiu? Alguém o gravou?
    Já tentei diversos meios. Ele existe no youtube, mas sem data. http://www.youtube.com/watch?v=i2JAannTUW4
    Cordialmente,
    Gedeon
    Hino
    O homem luta para ir à lua
    Deus permitindo ele chegará
    Até a lua pode ser que chegue
    Porem no céu não poderá entrar
    Mas Jesus Cristo é quem conduz a vida
    Morreu na cruz pra nos tirar da perdição
    Alegra a alma, renova o coração, perdoa os teus pecados e dá consolação

    Refrão
    Ainda é tempo pra você se arrepender
    Antes do homem fazer o caminho para lua
    Pois a ciência cada vez aumenta mais
    La na lua ninguém vai
    Salve a alma tua

    A escritura tem nos revelado
    Que a ciência multiplicará
    O homem luta pra fazer transplante
    Deus permitindo ele conseguirá
    Mas Jesus Cristo grande operador
    Fez o transplante por meio de um olhar
    Troca rins, troca coração até depois de morto faz ressuscitar

    Anos atrás aconteceu comigo
    Sou testemunha posso te afirmar
    Meu coração estava estragado
    Não tinha jeito para consertar
    Mas Jesus Cristo grande operador fez transplante por meio de um olhar
    Hoje, alegre eu tenho salvação
    Com um novo coração posso assim cantar

    Senhor meu Deus salvai meu Brasil
    Tem compaixão dos filhos contra os pais
    Talvez não chegue a completar 2000
    A tua igreja para as nuvens vai
    Porém o dia ninguém saberá
    A fome aumenta e o povo continua
    Ao libertar o povo de Israel
    É melhor entrar no céu do que entrar na lua

  • Sou nascido em 1953, só que em Nova Iguaçu, RJ. Me recordo bem de todo esse drama. Só que essa professia de que “talvez não chegasse a dois mil” não é bíblica. Trata-se, povavelmente, de uma crença em um falso profeta, porém de renome chamado Nostradamus. Basta. O que eu gostaria mesmo éra recuperar a letra integral deste hino. Quem souber, por favor, remeta a mim ([email protected]). Se tiver em mp3 seria muito bom. Obrigado.

  • Essa crônica.Me fez acreditar que acontece um monte de coisas, neste mundo, que pode destruir uma cidade ou uma família.Mas nada,eu repito,nada pode destruir o amor de Deus pelos seus filhos.Por que ainda existe o amor e um mundo cheio de bondade e alegria.Pois,o mundo não é um caso perdido.Só presisamos de um caminho alegre e cheio de amor.Rever os nossos atos,recomeçar e seguir em frente.

  • Parabéns quiido sogro, adorei! Quando será a proxima? como disse o Gato, só a experiencia de cada um pode expressar certas coisas e pra quem lê ou escuta vale mais que mil anos de escola.
    Abraços;

  • Adorei! Escreve muito bem, esse meu quiido pai! tem coisas que só a experiência de cada pode expressar, coisas que a gente não encontra em livros, e muito menos em aulas de História.

  • Por que não disseste prá ela, caro escritor, que o Deus que ela crê,resultado talvez de uma incessante e alienante campanha midiática movida por poderosos meios de comunicação, estes a serviço de interesses materiais mesquinhos,hipócritas etc… nunca existiu, não existe e jamais existirá? Esta sim, seria uma resposta honesta, desinteressada e ausente de qualquer hipocrisia.

    • Obrigado pela contribuição, caro Gilberto. Revelei à mocinha apenas aquilo em que eu acredito, sem, no entanto, ferir os credos dela. Foi o que me ocorreu, no momento. Afinal, o livre arbítrio, uma prova da suprema inteligência de Deus, permite a todos crerem no que quiserem.

    • Que triste vida a tua, que respiras e não reconheces a grandiosidade daquele que te criou sobremodo excelente, entretecendo-te no ventre materno. Haverá um dia em que pedirás misericórdia, e Ele te ouvirá. E, por favor, não sepultes os sonhos nas crianças que te rodeiam. Torná-las-ás tão áridas quanto tu.

      • Muito se fala na misericórdia de Deus, por meio do livre arbítrio. Só gostaria que alguém me explicasse a partir de quando surgiu esse recurso de expiação, uma vez que no Antigo Testamento não era aplicado. A destruição de Sodoma e Gomorra, assim como Iroshima e Nagasaki comprova isso. Se as duas primeiras cidades mereciam o castigo de chuva de fogo e enxofre, o que merece nossa sociedade atual? Alienação celestial, talvez.

        • Misericórdia e livre arbítrio são coisas distintas. A primeira pertence ao âmbito divino e, o segundo, por ser subjetivo, pessoal, pertence à esfera humana. E só pela primeira se fez a expiação. Explico o “se fez” pelo fato de já ter sido consumada por Cristo, na cruz, para os que nele crêem.

          Então, a misericórdia de Deus é perfeitamente expressa para com os homens em Cristo, o Salvador;

          O livre arbítrio expressa-se na decisão do homem em aceitar ou rejeitar o que Deus lhe oferece.

          Quanto à Sodoma,Gomorra,Nagasaki e Hiroshima, o homem colhe o que semeia. As duas primeiras semearam pecado e colheram destruição. As duas últimas, sofreram as durezas da guerra que preferiu fazer o seu Imperador-deus Hiroíto.
          Por que culpar Deus quando a decisão foi humana?

          • Desculpe! Esqueci que foi o homem que lançou, de forma inclemente, fogo e enxofre sobre Sodoma e Gomorra. E a abestada da mulher de Lot virou estátua de sal pra deixar de ser cuíra. Acho que devo estudar mais…

        • Deixemos que Deus julgue. Afinal, é dEle o julgamento que vai valer. Obrigado pela colaboração. Deus te abençoe.

    • Prezado Gilberto, atitudes com a sua requerem coragem e, sobretudo, inteligência. Principalmente pelo fato ir de encontro a essa “incessante e alienante campanha midiática movida por poderosos meios de comunicação, estes a serviço de interesses materiais mesquinhos, hipócritas etc”. Na Idade Medíocre, ops, Média, pessoas com a sua e a minha ousadia foram para a fogueira, sem direito ao recurso do livre arbítrio, hipocritamente tão divulgado hoje. E o pior de tudo que, séculos mais tarde, foi comprovado que suas opiniões eram corretas. É mais prático e fácil viver na penumbra da ignorância do que encarar a realidade.

    • Gilberto Nascimento, eu Gilberto Guimarães, te compreendo e respondo apenas para dizer que ainda há esperanças para você. O que me anima em sua resposta é o “talvez”. Isso mostra que você está se concedendo o “benefício da dúvida”.
      O Deus que você não consegue provar que não existe, a despeito rebuscadas, mesmo assim levianas, expressões do senso comum, é o mesmo Deus que eu não consigo te convencer a respeito de Sua maravilhosa existência.
      Submeta sua razão à fé e então vislumbrará o quão maravilhoso é crer em Deus.

    • Muito curioso, não lembro de ter postado nenhum comentário sobre o a opção de time do Dr. Cléo. Vou descobrir quem é vc engraçadinho, ou engraçadinha.

  • O povo japonês acreditava que o seu Imperador era o próprio Deus. Foi pela vontade do Impe-rador Hiroito que o Japão resistiu à derrota do Eixo para as Forças Aliadas. O povo japonês de 1945 não estava rezando ao tocar de pesados sinos; não estava cultivando bonsais, muito me-nos dando comida às carpas naqueles lindos jardins orientais. Estavam em guerra! Lançavam seus aviões sobre porta-aviões, em missões suicidas. Foi a guerra mais sangrenta de todas, que traumatizou todo o mundo. As duas bombas atômicas não só encerraram a maior de todas as guerras, uma verdadeira guerra exotérica, comandada por forças ainda não completamente conhecidas; mas iniciaram uma nova Era da Diplomacia internacional e decretou o fim das guerras de trincheira. O mundo percebeu que era possível destruir uns aos outros e a própria Terra e essa perene ameaça nuclear, de certa forma, nos pacificou. Deus não é mau, mas deu ao homem o livre arbítrio, a ambos, ao de um lado e ao do outro lado. O homem precisa enten-der que a sua ação vai gerar uma inevitável reação e esta reação pode ser proporcional ou não, nem está na esfera de controle de quem age, diferente da Lei de Newton, aplicável ape-nas aos fenômenos naturais. Não digo (nunca direi!) que os japoneses fizeram por merecer as bombas, mas deram motivos de sobra para que elas fossem usadas. Três dias separam uma bomba e outra e o Imperador Hiroito, nesse intervalo, recusou-se à rendição. Após a segunda bomba, viu que seu povo corria risco real e rendeu-se. Cedeu a um blefe americano e rendeu-se: “se não houver rendição, varreremos o Japão do mapa com mais dessas bombas!”. Era mentira, não havia uma terceira bomba. O Imperador foi humilhado ao ter que se dirigir ao po-vo, em cadeia de rádio, para anunciar a rendição japonesa. O mito do Imperador Celestial caiu, Deus até então nunca tinha falado diretamente ao povo, caiu também o ânimo e a moral do povo japonês, decretando-se o fim do Japão da Guerra, fazendo-se nascer o Japão da Paz, como disse o poeta. O piloto americano do Enola Gay morreu há poucos anos, um senhor pa-cato, aposentado e com a consciência tranqüila. Contra o senso comum, ela sabia exatamente qual era sua missão e, como bom soldado, foi a campo. Se não soubesse, poderia ter errado o alvo ou mesmo torrado sob o forte calor dos mil sóis que eclodiram daquela ogiva. Como piloto, deveria observar velocidade, altitude e evacuação “friamente calculadas” para se distanciar imediatamente do epicentro da explosão, bem como noção clara que não poderia olhar para trás, pelo risco de cegueira. Disse ele, nas décadas que separam sua mais importante missão e sua morte: “não comecei uma guerra; eu acabei com uma guerra”. Concordo com ele.

    Célio

    • Célio, obrigado pela contribuição. A crônica que escrevi, embora em certo momento tenha uma parte cômica, aborda exatamente a manipulação das massas, a partir do terror, na tentativa desse ou daquele governo querer dominar o mundo. Ainda bem que Deus, apesar do livre arbítrio concedido, não passou procuração a ninguém para governar o que Ele criou. Deseja, sim, alegrar-se por vivermos em harmonia, não tiranizados novamente, como no Egito, no tempo de Moisés. Com a palavra mestre Aloísio, um grande Historiador.

    • … ou mesmo nos tempos do Japão da Guerra, a menos tempo que o Egito de Moisés. O Japão da Guerra, o Japão de 1937, é um ótimo exemplo da tirania e da carnificina da qual o Mundo civilizado se livrou, junto com a Alemanha Nazista e com a União Soviética, comunista, que não devemos esquecer jamais, mas lembrar sempre! Sempre! Sempre! E sempre! Deus é tão bom que fez nascer o Japão da Paz! É infinitamente bom que já deve ter perdoado os algozes dos 200.000 chineses, a maioria civis, MASSACRADOS E ESTUPRADOS DA FORMA MAIS DESUMANA POSSÍVEL pelos japoneses na cidade de Nanquim e das cerca de 200.000 mulheres asiáticas feitas prostitutas em alojamentos japoneses na 2a Guerra Mundial. O que será que os compatriotas e descendentes dessas vítimas devem achar das duas bombas atômicas, que vitimaram cerca de 300.000 japoneses? Alguém já perguntou a um chinês a opinião dele? Chamo todos à reflexão: pense… mas pense mesmo!

      Veja o link a seguir, em especial o item O MASSACRE e o item O ESTUPRO DE NANQUIM

      http://pt.wikipedia.org/wiki/Massacre_de_Nanquim

      Agora pense naquelas centenas de velhinhos japoneses de quimono e faixa na testa que rezam o nam-myoho-rengue-kyo, todo agosto, em lindos jardins, ao som de badaladas de grandes sinos, que a NHK filma e retransmite pro mundo. Talvez rezem pedindo perdão a seus antepassados pelas atrocidades por eles cometidas…

  • Ei,Cléo, estavas escondendo o jogo? Que bela crônica, meu amigo. Bacana se lembrar das Alziras, pois sei que a minha querida mãezinha está entre elas. Quanto aos Sapirangas, incluo também os Cléos. Um forte abraço e parabéns, de verdade.

    • Milton, ainda sou um aprendiz, trilhndo em caminhos que mestres iguais a vc, Aloísio, Alcy e outros, com quem aprendo muita coisa. Sobre o homenageados na crônica, são como estátuas erguidas a pessoas do povo, que, talvez, jamais sejam nomes de aeroportos, pontes ou outros logradouros. Porém, são seres, vindos de Deus, para darem verdadeiros exemplos. De seu eterno parendiz: Cléo.

  • Oi, Cléo.
    Tu fizestes uma viagem no tempo, e à medida que eu ia lendo sobre a tua viagem, acabei, também fazendo a minha. Parece coisa do Sapiranga.
    Sobre a chegada à Lua, não me liguei muito. Depois li alguma coisa nos jornais de Belém que chegavam por aí, principalmente “A Província do Pará”.
    Do Carnê Social me lembrei bem; a gente ouvía sempre. Uma vez, até oferecemos uma música pro meu pai, que estava de aniversário (seu Vitório, que já retornou para o mundo dos espíritos).
    Li, certa vez, uma crônica do Fernando Canto sobre o Carnê Social. Nela, ele lembrou que esse era um programa que a rapaziada sempre ouvía para saber quem estava fazendo 15 anos; à noite, era aquele movimento na frente da casa onde estava acontecendo o baile para ver se dava para entrar (quem não foi convidado, é claro).
    Da música me lembro bem, só não sabia de quem era (aliás, qual é o nome dela?). Mas essa paranóia me lembrou de outra, creio que foi por volta de 1962 (eu era garoto, tinha meus onze anos), havia um papo semelhante, de que o mundo ia acabar, o pessoal apavorado, os padres da igreja de N. S. da Conceição recomendando calma, tranquilidade, essas coisas. Hoje, eu associo com aquele clima de fim de fundo devido à crise dos mísseis soviéticos em Cuba em plena Guerra Fria, com os americanos exigindo sua retirada, e havia o temor de um enfrentamento pra valer entre Estados Unidos e a ex-União Soviética, cada um com seu arsenal de armas atômicas. Deve ter sido isso. No meio disso, aquela conversa de que o mundo um dia se acabou em água (a história do dilúvio) e depois poderia se acabar em fogo (refr~encia à bomba atômnica). Era uma paranóia.
    Mas, voltando para as perguntas da menina: que sinuca, heim, Cléo? Mas você se saiu bem. Os homens é que criam problemas.
    Um abraço.

    • São pessoas assim que nos incentivam a prosseguir na retidão de caráter. Vc não sabe, talvez, o quanto aprendi e aprendo com mestres do teu quilate (aulas de violão e de história, como sobre a questão do Amapá). Enntre os Sapirangas, sinta-se incluído também. Obrigado por mais uma aula.

      • Hoje pela manha, ao sair de casa e diante do clarão do sol manauara, me veio à mente a letra dessa pérola musical. Lembro de inúmeras vezes que ouvíamos na Radio Marajoara ou na Radio Clube, em Belem do Pará, musica sempre oferecida para os aniversariantes do dia. Um verdadeiro sucesso musical. As letras publicadas no entanto, não “batem” com as minhas lembranças daqueles tempos. Por exemplo, tinha uma estrofe assim:
        O mundo nunca quis acreditar,
        que Jesus Cristo sobre as nuvens vem,
        o homem pode na Lua chegar,
        pra se cumprir o que na Biblia tem.

        Alguem pode ajudar com a letra original ou mesmo com a gravação desse hino?

  • Seria mais honesto dizer pra ela que não importa se acontecem coisas maravilhosas ou terríveis, os crentes tem que engolir tudo e não adianta questionar. DEUS tem sempre razão!

  • eu era bem pequena (nasci depois do homem irà lua), mas ouvia os mais velhos dizerem desse medo, associando a ida do homem à lua, com o fim do mundo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *