Desabafo do leitor

“Alcinea,
Acompanho vc há um bom tempo, e gostaria de parabeniza-la pelo interessante, útil e importante conteúdo de seus assusntos. Pois bem, gostaria de desabafar com vc um assunto terrível para os moradores da Odilardo Silva (entre Alm. Barroso e Padre Julio).Perturbaçao de sossego. Pais e maes de família tem suas madrugadas de repouso ceifadas por jovens (muito deles menores de idade), que estacionam seus carros, ligam o som no ultimo volume, enchem a cara e, quando amanhece, saem com seus carros cantando pneus.Se vc liga para o 190, o atendente diz que a prioridade é chamadas de crime. Voce nao tem noçào do sentimento de descaso que sentimos da policia. será que se as pessoas que nos perturbam a noite toda, fossem pobres, com carros velhos e modestas vestimentas teriam o mesmo tratamento? A policia se omite em fazem cumprir a lei, defender aqueles que cedo precisam acordar para trabalhar, enquanto arruaceiros estão repousando em suas casas. Isso é discriminação! A gente vê Juiz de Direito aparecendo na mídia, fazendo campanha de Paz no transito, nossa que lindo! Cadê a prática? cadê a apreensão de adolescentews bebados, carros perturbando a vizinhança? Delegados de Polícia Civil abordando nas madrugadas esses beberroes, que mijam no portão da sua casa, que deixam um monte de lixo na sua calçada, e evidentemente ligam o som do carro no ultimo volume, ficam só no papinho… Alcinea, to cansado. Temo o pior, qualquer dia desses, (eu ou qualquer outra vítima desses absurdos) parta para agressão, ou coisa pior, aí a polícia aparecer para fazer cumprir a lei? Por favor leve adiante esse meu apelo.”

  • além disso, Luiz, no centro comercial é horrível aqueles caras com microfone em porta de loja, enchendo o saco de moradores, trabalhadores e transeuntes. Alguém precisa acabar com isso, tirem esses sons da porta de loja, aliás, a música é de péssima qualidade. Os turistas ficam debochando da gente…e dá impressão de que Macapá é terra sem lei- ou um arraialzinho qualquer.

  • Agora essa situação virou moda nos quatro cantos da cidade. E só ligar para o 190 que eles dizem que não compete mais a eles resolver isso. Dizem que pasarão a reclamação para o órgão competente. A VERDADE É QUE NINGUÉM APARECE…

  • Pau que dá em Chico tem que dar em Francisco. Pago pra ver a Polícia chegar nos Filhinhos de Papai, e fazer cumprir a lei… Milagres acontecem… Quem sabe… Imagino os motoristas de guincho perguntando aos canas: -Tem certeza autoridade? É pra puxar o carrão do bacana aí mermo? Vamos aguardar. Quem sabe, milagres acontecem…

  • Basta ligar pra entorpecentes e dizer q estão vendendo e consumindo drogas no local q os Delegados resolvem a parada e vai todo mundo preso. Boa sorte

  • Situação semelhante vem acontecendo, normalmente às sextas e sábados, na esquina da rua Hamilton Silva com Avenida Duque de Caxias. Local outrora tranqüilo, hoje começa a padecer do desrespeito à ordem pública com a inauguração de um estabelecimento ao final do ano passado. No último sábado os caras foram até por volta de oito da manhã com o som nas alturas em meio de um berreiro infernal. Já ligamos para o 190 mas infelizmente não houve o retorno esperado. Agora com as informações da ASCOM Polícia Civil espero que este canal de comunicação revele-se mais eficiente.

  • Sabe quando vão resolver estes problemas? N U N C A! N U N C A!. Infelizmente. O compromisso das autoridades responsáveis com a população ordeira é Z E R O! Z E R O! Enquanto existir a figura do “filhinho de papai” e alguns “coroas” detentores do poder do dinheiro e/ou cargos importantes, mas irresponsáveis, sempre existirão esses problemas.

  • Caro leitor, tomamos conhecimento do seu desabafo, quero lhe informar que a poluição sonora ou qualquer outra chamada para (190)sera sempre prioridade para nós do Ciodes, infelizmente a demanda é tanta que não atende a necessidade de todos.
    quero informar também que a Secretaria de Segurança Publica está trabalhando para solucionar esses problemas de “Pertubação Sonora” e outros…

    • Você rodeou, rodeou pra dizer que tá sendo feito o trabalho da forma que deve ser feito, se contradiz que é prioridade o tipo de chamada e as demais chamadas.Então é mais fácil dizer que todas as chamadas tem a mesma importância? Bem assessorado o CIODS. Rsrs…
      Outra observação, depois de ponto iniciamos com letra maiúscula, se é responsável pela comunicação seu dever saber escrever. Eu posso errar!

    • Sra.Silvia Andrade,trabalho a noite em um prédio na rua Odilardo c/ Procópio Rola e a dois plantões atras observei o movimento suspeito de um adolescente na madrugada que estava rondando por volta dos carros da vizinhança,chegou a checar se havia portas de carros e de casas destrancadas,liguei para o 190, informei a situação, dei as caracteristicas do jovem,a atendente disse que repassaria a informação as viaturas so´que nenhuma VTR passou pelo local e o menor ficou a vontade rondando as casas do quarteirão por um longo tempo.E o pior é que não é a primeira situaçao semelhante que ocorre sem resposta da polícia,ou será que tenho que ligar para a Guarda Municipal que trabalha desarmada e com poucas VTRs.

  • Formação escolar precária, impunidade, poder público conivente… o Resultado ao longo dos anos é explícito: população mal educada, baderneira, desordeira e totalmente ignorante dos seus limites. Nem se faz necessário discutir o gosto musical, que já é sabido ser MEDÍOCRE como a essência desse povo. Mas o que revolta mesmo é esse culto à bagunça, ao mau gosto, ao popularesco, que assola “NOSSASIDADI”. Enfim, enquanto a fórmula não for alterada, seguiremos formando vagabundos medíocres sem noção nenhuma de CIDADANIA.

  • Formação escolar precária, impunidade, poder público conivente… o Resultado ao longo dos anos é explícito: população mal educada, baderneira, desordeira e totalmente ignorante dos seus limites. Nem se faz necessário discutir o gosto musical, que já é sabido ser MEDÍOCRE como a essência desse povo. Mas o que revolta mesmo é esse culto à bagunça, ao mau gosto, ao popularesco, que assola “NOSSASIDADI”. Enfim, enquanto a fórmula não for alterada, seguiremos formando vagabundos medíocres q

  • A situação nas redondezas do posto da esquina da Pe. Julio com a Odilardo Silva é caótica. Na madrugada de domingo (16/01) teve tiro na Av. Pe. Julio. O que me causa estranheza é que NINGUEM, NINGUEM MESMO faz alguma coisa. Onde estão a delegacia que controla as atividades noturnas, batalhão ambiental, policia comunitaria, MP da cidadania e do meio ambiente, prefeitrura, conselho tutelar. Talvez tenhamos que reclamar para o Bispo e assim ter um pouco de sossego, porque o 190 não dá nenhuma solução. A realidade é que entre 10 da noite até às 6:00h da manhã, aquilo é uma terra de ninguem. Jovens (menores na maioria) bebendo livremente, usando drogas, ouvindo música em alto volume, brigas, prostituição e sexo em via publica.Talvez quando alguem morrer baleada, as autoridades prestem atenção no sofrimento de nós moradores. SOCORRO………………………

  • A poluiçao sonora é uma praga nacional porém observamos que na nossa cidade parece que ela é mais forte que em outras deste nosso pais que nao cumpre as leis. Estive 15 dias em Fortaleza e nas praias um pouco distante da capital(apenas 30 min de carro) como do Japao, Prainha é comum encontrarmos placas PROIBIDO MUSICAS NOS CARROS, SOM NOS CARROS ETC ahhh meus amigos que paz eu conheci durante esses dias de férias!E as pessaos respeitam o aviso! Detalhe a cidade esta super bem policiada! Jipes novos nas praias p a policia militar e carros tipo BLAZER na capital! Isso ai, o estado investiu por la!
    Aqui na nossa city minha familia vendeu uma casa depois de 30 anos morando, por desgosto do som estilo TUPINAMBA do vizinho que depois transformou a casa num bar e minha mae vendo os fregueses abaixando as calças no portao da nossa casa! Por isso que acabo de adquirir um terreno no meio do mato na JK, vou morar para la e Deus ajude que o “progresso” e sua poluiçao sonora nao chegue por la! Ou Deus ajude que haja justiça na terra! SOS!

  • De tamanha importância esse tema aqui onde resido é próximo do hospital São Camilo e do complexo de capelas mortuárias também existe um morador na Presidente Vargas que vez ou outra resolve nos brindar com noites intermináveis ao som bregas e outras mais e o 190 que é bom só atende chamadas de crimes ou assaltos, pra nós que pagamos os seus salários resta ficar esperando. Mais agora que tudo vai funcionar em Macapá talvez esse quadro mude.

  • Seria muito bom que o atual Secretário de Segurança do nobre Governador Camilo iniciasse a sua atuação combatendo esse tipo de delito, muito comum em Macapá, segundo alguns familiares meus que aí residem. Por falar no Secretário, como é mesmo o nome dele?

  • Na Capital Federal não é diferente. Morava tranquilamente num apartamento em área nobre da cidade, até a chegada de um vizinho, tenente da Aeronáutica. O incômodo não decorre de som alto, mas da indiscrição no momento da atividade sexual, por parte das namoradas que ele leva pra alcova. E o pior é que não tem hora. Certo dia começou às 03:30h da madrugada e se prolongou até as 06:00h. Dá até vergonha quando alguém vai visitar os moradores. O cara é mais ativo do que aquele italianinho da novela. Neste mês, o prédio está tranquilo porque ele está de férias. Assim que voltar, se o problema continuar, vai pra justiça, mesmo que isso gere a situação desagradável apontada pelo Enson. Pô, precisa gritar tanto? Que isso sirva de alerta para os leitores escandalosos.

    • Roque, leve pra justiça mesmo! Lá eles não tem vez. O conciliador mal deixava o casal se manifestar porque sabia muito bem que eles estavam errados. Isso porque perturbação do sossego não tem justificativa. Pelo menos pra mim funcionou, e olha que já se passaram 6 anos! Boa sorte!

  • Olá, Alcinéa.
    Esse assunto deve ser cobrado, primeiro, ao Secretário de Segurança Pública e ao Comando da P.M., pois a esta corporação cabe a fiscalização. Vigora, atualmente, a Resolução 204-06, do Ministério das Cidades – Conselho Nacional de Trânsito que diz em seu Art.1°: “A utilização, em veículos de qualquer espécie, de equipamento que produza som só será permitida, nas vias terrestres abertas à circulação, em nível de pressão sonora não superior a 80 decibéis – dB(A), medido a 7 m (sete metros) de distância do veículo”. Os vereadores também poderiam ser instigados a se manifestar, uma vez que deve haver uma “lei do silêncio” válida para bares e restaurantes, estipulando o nível de ruído permitido (em geral, entre 75 a 85 decibéis), por que não uma legislação municipal para aqueles que extrapolam com seus carros particulares? Restaria então fiscalizar e, se for o caso, multar os infratores. Ocorre que para tanto, a PM precisa dispor de decibelímetros, aferidos pelo INMETRO em numero adequado para a fiscalização. Dá para correr atrás? Dá, sim. Mas nada disso vai ter valor se não for acompanhado por uma campanha educativa de resgate de VALORES! Aquelas coisas de que temos direitos E deveres, de que eu posso fazer qualquer coisa desde que não contrarie a Lei, de que eu deva respeitar a tranquilidade alheia, de que o meu direito termina quando começa o direito do outro e vice-versa…
    O bizzaro é que “nestepaiz” falar em Valores parece algo tão arcaico quanto falar de Ética, Moral, Bons Costumes…
    E durma-se com um barulho desse… ;^)

  • Já passei por isso quando morava no bairro Renascer. Tinha um vizinho ao lado de minha casa que começava a barulheira de som na quinta e só terminava no domingo a noite. Até na casa da sogra e em hotel tive q dormir com minha esposa pra poder ter sossego. Teve um dia que decidimos ir na delegacia pois também cansamos de ligar pra policia. Na delegacia não houve acordo e foi instaurado um processo no forum. Na primeira audiencia o casal bardeneiro (os dois acima dos 40 anos) prometeram que iriam parar de perturbar e assim fizeram. De qualquer maneira, assim q minha esposa engravidou de nossa filha, resolvemos nos mudar pq ficou um sentimento ruim, mesmo apesar de termos conseguido o que tanto queriamos, que era ter paz. Hoje moramos perto do sambodromo mas, que ironia, muito mais tranquilo que nosso endereço antigo!

  • Tomamos conhecimento da situação por meio do blog e encaminhamos sua mensagem ao setor responsável por denúncia.
    Colocamos nossos contatos à disposição.

    Assessoria de Comunicação da Polícia Civil do Amapá
    http://www.policiacivil.ap.gov.br
    FALE CONOSCO! Envie suas sugestões, críticas e elogios.
    Fones: (96) 2101-8205
    E-mail: ascompcap@bol.com.br
    POLÍCIA CIVIL: GUARDIÃ DA CIDADANIA

  • A orla de Macapá é pra ser aproveitada por todos. Sempre ia lá conversar com amigos e tomar uma cerveja, mas o problema é a inconsequência da maioria.
    Pessoas que usam o Rio Amazonas como lixeira, os muros como banheiro e a rua como pista fizeram com que eu procurasse outro local pra ir e ficar com repúdio do local.
    E sem dúvida é fácil combater esses comportamentos.

  • eu sei muito bem o que essas pessoas passam… Eu mesma já tive que mudar varias vezes por causa de barulhos alheios… me sentia um nada quando dependia da policia para resolver situação como essa e eles me esnobavam, mandavam eu ligar para policia ambiental, na bentida ambiental dizia que não tinha veículo para se deslocarem até o lugar da infração…. Fiquei quase louca, queria processar todo mundo, estado, policia, boate, anotava placa de carros. Quantas vezes dormia de tanto chorar. As vezes tinha vontade de quebrar os carros e partir para agressão, mas sabia que eu iria perder. Hoje comprei uma casa longe dos bairros centrais da cidade só p me livrar desses tormentos. Não me contentando ou talvez traumatizada vou reformando e investindo na acústica para que no futuro quando esses problemas chegaram eu não tenha que ta fugindo, pois cansei de ter vida de cigana. Morar em alguns bairros centrais e em apartamentos é um estágio para o inferno, desculpa mais uma vez pela expressão. É triste dizer, mas no meu caso, esses malacos me venceram, mas pelo menos vou ter uma casa onde poderei viver alguns anos com tranquilidade. Tende apelar para quem for, mas não vão resolver sua situação para sempre. No máximo que vão lhe da é uns dias de paz. Apele mesmo para DEUS , peça para ele lhe tirar dessa situação, pois nenhum ser humano aqui na terra vai lhe da o “paraiso”.

  • Esta é uma verdadeira praga moderna em nossa cidade. Moro num residencial no Santa Rita. São 24 famílias que sofrem pela irresponsabilidade e falta de respeito de um indivíduo que abre o porta-mala do carro na garagem da sua casa (a garagem é aberta) e acha que todos têm o mesmo gosto dele pelo som elevado. O exemplo se repete numa residência em frente e num bar na esquina. Eu mesmo já acionei o 190 várias vezes. Em poucas fui atendido. Mas o elemento parece não fazer caso algum. As famílias tornaram-se reféns destes vândalos de classe média que, apesar de seus abastados recursos, parecem não ter recebido a necessária educação que forma cidadãos. Não bastam os “tradicionais” problemas urbanos (ruas esburacadas, falta de sinalização, violência, saúde pública, etc.), temos mais este. Falta uma severa repressão do poder público sobre estes elementos.

  • Muito bem vindo esse assunto aqui. Vejo também autoridades falando na imprensa sobre o tema. Estão fazendo blitz pela cidade, mas seria bem melhor se a PM saisse pela madrugada e ficasse na Orla esperando essas pessoas sairem em seus carros ou motos… é fácil pegar. Saem totalmente embriagados. Pela manhã na orla os bêbados mijam na frente de quem caminha e perturbam as mulheres que estão sós. No trecha onde esse “apelador” mora é assim mesmo. Gosto da noite, mas noite pra mim tem limites. É só ficar na surdina que dá pra pegar embriagados e menores ou mesmo pessoas sem habilitação. Sempre vigilante e também operante.

  • Solidarizo-me com o desabafo do internauta. Resido no centro, próximo do shopping ARARAS e nas madrugadas o barulho de motos com descargas alopradas e barulhents e veículos com som ligado a todo volume é de causar raiva e descontentamento. E não são apenas boizinhos! Vejo pessoas maduras que querem voltar a ser garotões e que transitam no centro com veículo com som ensurdecedor. Todos sabemos que à noite o poder público adormece, o que dá margem para que os abusos sejam cometidos e que não haja qualquer fiscalização.

    Poder público ausente, moradores sem ter o sossego necessário e o sagrado direito ao repouso fica totalmente comprometido.É necessário tratar com rigor esse infratores e apreender a carteira, o som, e o veículo.

    Com a palavra nossos órgãos de segurança que deveriam fiscalizar e reprimir, e não o fazem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *