Ex-presidente José Alencar morre em SP

Do Último Segundo

Morre aos 79 anos o ex-vice-presidente José Alencar

Empresário que lutava contra o câncer desde a década de 90
viu seu estado de saúde se agravar no início desta semana

Morreu hoje às 14h45 em São Paulo, aos 79 anos, o ex-vice-presidente da República José Alencar. Mineiro de Muriaé, o empresário do setor têxtil que entrou para a política e transformou-se em vice do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva  estava internado desde o início da tarde de ontem no Hospital Sírio-Libanês, pouco mais de dez dias depois de receber alta.

Alencar lutava contra o câncer desde a década de 90. Seu quadro agravou-se nesta semana, quando os médicos detectaram uma nova perfuração intestinal. O estado de saúde do ex-vice era grave ao ponto de impedir que fosse realizada uma nova cirurgia para tentar reverter o problema. Em novembro de 2010 e em julho de 2009, Alencar passou por três cirurgias para tratar o mesmo problema.

Ao longo dos anos, Alencar passou por 17 cirurgias. A primeira delas foi em 1997, quando se submeteu a um procedimento no rim e no estômago. Em 2002, passou por outra operação, na próstata. Desde 2006, foram vários procedimentos, todos eles para tratar o câncer no abdome. Uma das mais complicadas operações foi realizada no dia 25 de janeiro de 2009, quando o vice-presidente ficou por 17 horas em uma sala de cirurgia para a retirada de tumores do local.

Desde o início deste ano, ele teve de retornar em diversas ocasiões ao Sírio-Libanês. Passou por sessões de quimioterapia, tratou um quadro de hipertensão, teve um edema agudo do pulmão e precisou substituir um cateter no rim esquerdo.

Alencar nasceu em uma família humilde e montou um dos maiores conglomerados industriais do Brasil, a Coteminas. Nascido em 17 de outubro de 1931, ele havia comemorado seu aniversário apenas uma semana antes de ser internado.

Alencar, que era um dos 15 filhos de Antônio Gomes da Silva e Dolores Peres Gomes da Silva, começou a dar expediente aos sete anos na loja de seu pai. Aos 18 anos, montou seu primeiro negócio com dinheiro emprestado de seu irmão mais velho. Liderou mais de uma empresa até criar a Coteminas, que nasceu de uma sociedade com o deputado Luiz de Paula Ferreira iniciada no fim da década de 60.

A atividade industrial o levou à política.

Antes de entrar em sua primeira disputa eleitoral, Alencar foi presidente da Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg) e vice-presidente da Confederação Nacional da Indústria. Sua primeira experiência nas urnas foi frustrada. Ele disputou e perdeu a eleição para o governo de Minas Gerais em 1994. Quatro anos depois foi eleito senador com mais de 3 milhões de votos pelo PL (hoje PR).

A escolha de Alencar para ocupar a vice de Lula em 2002 foi a fórmula encontrada para vencer a resistência de setores do empresariado brasileiro ao então candidato à Presidência e ex-líder sindical. Diante do envolvimento de seu partido com o escândalo do mensalão, Alencar optou por deixar o PL em setembro de 2005 e anunciou sua entrada no nanico PRB.

A luta de Alencar contra o câncer chegou a ser colocada na mesa na época em que Lula montava sua chapa à reeleição, em 2006. Nos bastidores, vários petistas se diziam preocupados com o estado de saúde do vice e diziam temer um abalo na campanha presidencial. Partiu de Lula a decisão de manter o empresário como número dois na chapa. Alencar fez campanha, permaneceu no governo e até chegou a cogitar uma candidatura ao Senado por Minas na eleição deste ano.

No período em que esteve no governo, Alencar chegou a acumular temporariamente o Ministério da Defesa, em 2004. Somadas todas as ocasiões em que substituiu Lula em casos de viagem ou outros impedimentos, o vice passou mais de um ano no exercício da Presidência da República. Mas uma das marcas de sua atuação foi o fato de ter se transformado em um crítico bem-humorado da política de juros. As sucessivas queixas sobre o impacto das altas taxas no setor produtivo viraram uma espécie de brincadeira do vice com a imprensa e com colegas no Palácio do Planalto.

  • ….E A FAMÍLIA DECIDIU EM CIMA DA HORA CREMAR O CORPO, PRA NÃO TER OS 99,9% DA PATERNIDADE (DNA),CADÊ A DIGNIDADE NISSO, E OS OUTROS ELOGIOS .. É MOLE !!

  • O ÚNICO PECADO , FOI NÃO RECONHECER A FILHA FORA DO CASAMENTO…ANTES DE MORRER..PENSE E ELE TINHA AS MOEDAS..!

  • Um exemplo de vida se vai…
    Deixando eternas saudade ao povo brasileiro…
    José Alencar, foi vitórioso ao lutar contra o cancêr. Mesmo infermo, nunca perdeu o otimismo, sempre com sorriso cativante. Eu acompanhei algumas das entrevistas do ex-vice-presidente na qual ele descontrariava sempre fazendo piadinhas, risos, autêntico.
    Todos tinham verdadeira admiração por José Alencar, o inicio de sua vida, grande empresário, sua carreira política…enfim
    Ele mesmo disse antes de morrer, ” o que me deixa triste e o fato de outras pessoas que lutam contra a mesma doença,mas não tem condiçôes de tratar”
    isso, ó revoltava muito.
    Lamentável…

  • O ex-vice Presidente José Alencar, além de exemplo de vida, nos ensinou até mesmo ter coragem para enfrentar a morte com dignidade.

    • Você já leu o comentário do Jorge Silva lá em cima? Também achei estranha essa indecisão de cremar ou não o corpo. Família mineira tradicional gosta mesmo é de enterrar o corpo no cemitério para ter um lugar onde possa reverenciar o defunto. Disso tudo só posso ressaltar uma coisa: o poder de influência que a mídia tem.

  • E uma pena que esta terrivél doença venha a matar pessoas no mundo inteiro e agora o que a ciência vai fazer por nós? Alencar morrer mais deixa seu legado de perseverança e amor a vida assim como muitos outros que já foram.

  • MORRE UM EXEMPLO DE POLÍTICO ÍNTEGRO E DE UM SER HUMANO QUE DEU UM EXEMPLO DE BRAVURA E DETERMINAÇÃO AO LUTAR, DURANTE 14 ANOS, CONTRA UMA DOENÇA TÃO TRAIÇOEIRA E FATAL. EM UMA ENTREVISTA CONCEDIDA AO REPÓRTER PAULO AMORIM, AO SER PERGUNTADO SE TINHA MEDO DA MORTE ELE RESPONDEU: “NÃO TENHO MEDO DA MORTE, EU TENHO MEDO DA DESONRA, PORQUE UM HOMEM HONRADO NÃO MORRE NUNCA, MAS UM HOMEM DESONRADO MORRE EM VIDA”. ESTAS PALAVRAS FICARAM MARCADAS EM MIM E ESPERO QUE MARQUE, TAMBÉM, QUEM AS LÊ.

  • O José Alencar não deixou herdeiros na famigerada política, ele foi uma raridade.E agora José ?……

  • Da mesma forma como as velhas raposas da política aproveitam o evento da morte do José Alencar para aparecer na mídia, eu aproveito a mesma oportunidade para protestar. Entendeu, Roberto? ou prefere que eu faça um desenho?

  • Tanto politico _ _ _ _ _ _ _ e ainda morre um dos poucos que tinha ética e princípios morais, por que não morre o _ _ _ _ _ _.

    • Ei, aquela peste ficou para ser derrotado, por nós, não pela natureza. Temos que levantar nossas largas bermudas, empinar a cabeça e largar um gigantesco pontapé nos fundos do safado! Espero que TODOS enxerguem as entrelinhas!

  • Um grande exemplo de vida… ousado, visionário… GIGANTE pela Própria Natureza… descanse em paz… eternamente..

  • É lamentável a perda deste homem tão nobre e tão guerreiro. Acho que foi o melhor para alguém que já estava tão cansado.
    Que Deus o tenha e conforte seus amigos e familiares!

  • Como é raro encontrar um político exemplar como José Alencar. O Brasil fica desprovido (mais ainda) de Grandes Homens como ele. Resta-nos a lamentar sua morte e deixo aqui um recado a todos os políticos:
    – Tomem como exemplo a vida deste Grande Homem. Façam uma reflexão da honra que possuem…

  • Com todo o respeito que devo ao cidadão José Alencar e à sua família, se tivesse sido tratado pelo SUS, não teria sobrevivido tanto tempo.

    • Roque, O Zé (como nós mineiros chamamos) era milionário pelo trabalho, mesmo que nunca tivesse vida política teriam condições de bancar os melhores centros médicos do mundo. Coteminas é uma das grandes empresas de Minas, mesmo antes da vida pública.
      Mas que o SUS era pra ser obrigatório eu concordo. POLÍTICO TEM DE USAR O SUS. Quando se coloca na condição de gestor da democracia tem de acreditar no que oferece, né? Filhos em escolas públicas e usar o SUS.

      • Isso mesmo. Aliás, nem sei por que eu defendo a melhoria de um serviço público que eu não utilizo, apesar de ter pago muita CPMF. Vai ver ainda não fui contaminado pela síndrome dos nossos representantes políticos, que apesar de terem criado o SUS, não utilizam o serviço nem a pau e nem propõem melhorias para atender a classe que dele necessita.

        • Temos de defender, não usamos porque não presta e graças a nossa condição financeira! Mas uma ironia é que pagamos 2 vezes pela saúde.

          • Poha, ironia bixão! Sinto-me o maior palhaço! Sabe, quando o Tiririca foi diplomado inicialmente fiquei revoltado, mas acabei caindo na real, era uma das maiores categorias da população brasileira ganhando seu verdadeiro representante, os PALHAÇOS! A perda de um raríssimo tipo de político e brasileiro tocou-me demais, seu ingresso na política foi tardio demais, mas era o presidente com que sonhava. Mas, apesar de aparentemente frio, você está mais do certo camarada, o uso dos serviços públicos deveria ser obrigatório para TODOS os agentes políticos do Brasil, do Executivo, Legislativo e Judiciário, e não esqueçamos o MP, veremos se nossos estimados defensores do povo e da lei ficarão inertes diante do estado de anomia que domina todos serviços públicos nesta baiúca! Onde camarada, onde, diga alguém, haverá um parlamentar para defender o projeto de lei! Valeu lembrar.

        • A CURA

          “Enquanto isso não nos custa insistir,
          na questão do desejo não deixar se extinguir.DESAFIANDO de vez a noção
          na qual se crê que o inferno é aqui.”

          Lulu Santos e Nelson Motta.

  • O dinheiro prolonga um pouco, mas não vence o tão famigerado cancer. Essa doença é ingrata em todos os sentidos, se a pessoa sofresse pra viver seria bom, mas a pessoa sofre pra morrer. O homem ainda não conseguiu, com todo o avanço da ciência, achar uma cura eficaz para esta praga, que diga o nosso saldoso José de Alencar, na busca desenfreada de cura, participou até de um caro tratamento experimental contra a doença, que acabou não surtindo o efeito esperado.

  • Alcinéa,
    José Alencar é um exemplo de que o trabalho dignifica o homem, e, que para amealhar fortunas não é necessário usar de meios escusos do mundo politiqueiro e apenas trabalhar com seriedade.
    Foi um lutador ardoroso na batalha contra o câncer, após 17 cirurgias, enfim o grande batalhador foi vencido.
    Tomara servisse de exemplo para os políticos que estão começando, que infelizmente na maioria usam de austeridade e depois são vencidos pelo câncer da corrupção.
    Sds,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *