Federalização da CEA

O primeiro compromisso do governador Camilo Capiberibe nesta segunda-feira é um encontro cedinho com a bancada federal na residência oficial. Na pauta da reunião, a federalização da Companhia de Eletricidade do Amapá (CEA), que acumula uma dívida em torno de R$ 1,5 bilhão.

Na quinta-feira passada, parte da bancada e representantes do Sindicato dos Urbanitários reuniram-se com o ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, e com o secretário executivo da pasta, Márcio Zimmermann. O governador Camilo Capiberibe foi convidado para a reunião, mas não compareceu. O blog apurou que Edison Lobão reclamou da ausência do governador.

Na reunião, Lobão e Zimmermann disseram o que já se sabe há muito tempo: para a CEA só há dois caminhos – a federalização ou a caducidade. O Sindicato dos Urbanitários e a maioria da bancada defendem a federalização, pois a caducidade implicaria no desemprego dos trabalhadores da CEA. “Em hipótese alguma podemos aceitar a caducidade”, disse o senador Randolfe Rodrigues (PSOL).

Durante a campanha de 2010, o Sindicato reuniu com todos os candidatos ao governo pedindo que aquele que fosse eleito tão logo assumisse o governo lutasse pela federalização.

No Twitter perguntei ao governador Camilo Capiberibe se ele é contra ou favor da federalização. Ele  respondeu que apresentou proposta formal para federalização da CEA. “O governo anterior, simplesmente se omitiu e não tomou posição sobre o assunto”, ressaltou.
Ele disse que apresentou a proposta em agosto, mas o Ministério de Minas e Energia até hoje não deu qualquer resposta.
“Nossa proposta prevê um modelo de federalização no qual não haverá ônus para o estado. O  governo federal passa a controlar 85% do capital da CEA. O Governo do Estado fica com cerca de 14% e 1% permanece nas mãos das prefeituras de Macapá, Calçoene, Mazagão, Amapá e Oiapoque”, explicou o governador.
De acordo com Camilo essa proposta tem o apoio de toda a bancada, já a proposta do MME é que o Estado, para cobrir o rombo causado pela “irresponsabilidade do governo anterior” faça um empréstimo de R$ 1,6 bilhão. “Isso significa transferir o prejuízo para o povo do Amapá”, afirma.
O governador disse ainda que  desde 2006 a situação da CEA é crítica e que o Ministério de Minas e Energia teve teve seis anos para tomar providências em relação a esta dívida mas por conveniência política não o fez.

  • O Amapá vai sim exportar energia pro resto do PAÍS isso independe da CEA visto que não é ela a responsável por essa geração. Não tenho certeza mas acho que ela não participa de nenhuma hidroelétrica que ta sendo construída. O que eu sei é que a CEA é responsável por distribuir a energia, energia esta que foi gerada por hidro ou termo, e também é responsável por atender a demanda do Estado, ou seja hoje a Eletronorte tem a responsabilidade de gerar X se o Estado precisar de 2X a CEA tem que gerar esse excedente. Com as outras usinas hidroelétricas sendo construídas vamos ter energia de sobra, o problema é se vamos ter como distribuir essa energia. Informações que eu tenho é que as subestações do AP estão obsoletas operando no limite, não adianta em nada a chegada de linhão, construir 300 hidroelétricas se não tiver como distribuir. Concordo com os comentários políticos que o mau da CEA é sim a politicagem o que remete a falta de profissionalismo de alguns. E privatizar não é a solução, o exemplo de belém é o mais próximo que temos, quem mora aqui sabe do que to falando.

  • Gente: leiam os relatórios da ANEEL.Tá tudo lá: os que forma irresponáveis, os que pagaram, os que não pagaram, as recomendações, as obrigações descumpridas, e tudo mais em relação à CEA.
    Lembrem: a ANEEL foi criada em 1997,no entanto, os balançoes da empresa já aprsentavam situação de insolvência a bastante tempo. O CAPI disse na Difusora que deixou o seu governo com a CEA em dias e “redondinha”…leiam os Relatórios, LÁ ESTÁ TUDO ESCLARECIDO (e dá pra pegar na internet: http://www.aneel.gv.br –> pesquisa CEA, que vai aparecer um monte de relatório…)

  • até a semana passada na intranet da cea, estava na capa assim: Amapá vai exportar enerrgia..”kkkkk é serio mesmo? não temos energia suficiente para abastecer metade do estado e o senhor ramalho esta falando em exportação? aí vcs vem a seriedade que TODOS os governos levam a situação da cea. podem dizer o que quizer mas a falta de um representante do estado nessa reunião só mostra que o mais importante continua sendo os intresses pessoas de todas as raçãs de politicos, em detrimento das melhorias da população. só uma questão. todos falam que melhorariam se prvatizacem…procurem se informar sobre as outras privatizações, fora no sudeste e no sul e tudo uma ilusão, vide nosso vizinho o para, energia cara de pessima qualidade. pensem pesquisem antes de formarem opnião!

  • Quer dizer que deixar a dívida pro Amapá não pode, mas deixar pro resto do país, que não tem nada a ver com isso, pode?

  • Parabéns pelo comentário do Sr. Sérgio, postado em 06/02/12.
    Responsável, não tirou nem acrescentou fatos que contribuíram para a situação em que a Cea se encontra. Dês dos governos, Barcellos a Camilo Capiberibe.

  • Parabéns pelo comentário do sr. Sérgio, postado em, 6/02/12 as 14,39mm. responsável, não acressentou nem tirou nada do que ocorreu com a CEA dos Governos de Barcellos a Camilo Capiberibe.

  • Cadê aqueles “deputadinhos”(CQC),que foram a Brasilia parabenizar o Sarney, deveriam ir novamente e implorar p/ Sarney ajudar a CEA.

  • Qualquer cidadão amapaense mais ou menos informado sabe que o grande problema da CEA é a politicagem. A CEA vem sendo sugada pelos interesses políticos de quem está no poder, isso vem desde o tempo do governador Barcellos, continuou com João Capiberibe, Waldez Góes e continua com Camilo. O grande beneficiado esse tempo todo tem sido o PT. Essa é grande verdade, qualquer outra análise que fuja disso é pura conversa fiada para tentar enganar os incautos. Por isso, já não dou a mínima pra esses políticos aproveitadores que se arvoram a solucionar um problema que, no fundo, é causado por eles mesmos. É muita hipocrisia. Para mim, ainda que nós pagássemos mais caro pela energia, a saída seria a privatização. Quem sabe assim nos livrássemos desses parasitas que sugaram até a última gota da empresa. Qualquer político sério que quisesse de fato resolver o problema da empresa tocaria neste ponto inquestionável, mas por que será que não fazem isso, por que será que vivem inventando desculpas pra justificar a situação precária da CEA? Porque todos, de uma maneira ou de outra, estão envolvidos com as correntes políticas que praticamente enterraram a Companhia de Eletricidade do Amapá.

    • Recordo que no governo militar, a CEA passou a ser dirigida por militares: General Hettenhausen que também foi prefeito de Macapá (O povo o chamava de “Arrasta o Resto), Cel. Cavalcanti (Paquera), cel Boucinha.
      Os empregados da CEA tinham passado muitos anos sem reajuste salarial e ainda atrazava (eu no meio destes). Mas os diretores recebiam uma nota, fora outros privilégios, o que levou o Paquera a afirmar ao assumir o cargo de Diretor, ao saber de casa, carro, empregados de jardineiro a motorista, “ISTO NÃO É CEA. É UMA CEIA!
      Por isso, a CEA, ao que parece, já nasceu espoliada e o que foi narrado por vc Sérgio, infelizmente é a verdade pura. Veja o tempo que a Hidrelétrica Coaraci Nunes comeu para funcionar. Tava parece a cura do câncer. Não acham porque virou comércio, especialmentem pesquisas.
      Conheço alguns bons políticos, mas representado por uma minoria que não consegue sobrepor-se aos maus políticos. Se o Brasil fosse um país sério muitos dos corruptos que ainda cantam de galo, já teriam suas cabeças cortadas igual a uma galinha. Que Deus salve o Amapá!!!!

  • Parabéns a todos que gostam do Sarney, e votam nos candidatos apoiados por ele, o prefeito da capital é mais um que vai ter todo o apoio dele, pensem nisso.

  • É uma questão de responsabilidade o caso da CEA… A população precisa de uma resposta mais clara e que não ocorram mais apagão… Tenho fé que todo dará certo…

  • Torço pela privatização da CEA. Só assim aquela teta vai secar. Se for federalizada, vai continuar na mão do PT, ou seja, não vai mudar absolutamente nada.

  • CAMILO E ESSES DEPUTADOS QUEREM É SE PROMOVER. TODOS SABEM QUE A CEA VAI SER FEDERILIZADA. PAREM DE ILUDIR O POVO. JÁ ESTÃO PENSANDO NA ELEIÇÃO DOS PREFEITOS PARA COLOCAR COMO GLORIA, CONQUISTA.

  • CADUCIDADE nem pensar a Federalização é o caminho. Agora a Eletrobras assumindo a CEA contratos e cargos desnecessários deveram ser extintos o que significa a profissionalização da distribuidora de energia do Amapá e a possibilidade de concursos públicos para este setor sem contar na melhoria da qualidade da energia que deve ser disponibilizada. Agora segurem seus bolsos e comecem a economizar energia por que o preço da tarifa deve aumentar e muito, pelo menos foi o que li na ultima resolução da ANEEL. Gosto dos programas da ELETROBRAS, só pra terem ideia a Eletrobras deve investir 20 milhões de reais em Parintins para a implantação de redes inteligentes ( Smart Grid ) e em Eficiência energética ( conforto ambiental e energia renovável). Vejo a federalização como a grande vitória do Senador Randolfe, Bala Rocha e do Próprio Camilo, pena o ministro ser do PMDB o que dificulta as coisas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *