Governador pede apoio de Dilma para iniciar processo de federalização da CEA

Cumprindo agenda de trabalho em Brasília-DF o governador Camilo Capiberibe foi ao Gabinete Civil da Presidência da República Federativa do Brasil onde solicitou, oficialmente, o apoio da Presidenta Dilma Rousseff para que o Ministério das Minas e Energia (MME) dê andamento no processo de federalização da Companhia de Eletricidade do Amapá (CEA). O documento, encaminhado na tarde de quarta-feira, 19, pede agendamento para assinatura do protocolo de intenções que vai dar início à transferência do controle acionário da Estatal amapaense para a União.
Documento similar foi protocolado pelo Governo junto ao MME solicitando o mesmo apoio para o agendamento, além de esclarecer outros pontos abordados pelo ministro Edison Lobão em ofícios encaminhados à Bancada Federal do Amapá, no dia 17. O passo a passo para chegar ao entendimento de que federalizar era o melhor caminho para a Companhia e citação da documentação que comprova o fato de que a CEA e o GEA não foram convidados para se fazer representar em reunião para tratar do suprimento de energia para o Estado constam no ofício entregue no Ministério.
Nos teor dos ofícios consta o relato cronológico dos procedimento adotado pela CEA com apoio do governador Camilo, desde o início do seu mandato no poder executivo, para encontrar uma solução definitiva para a situação de endividamento da Companhia.
“Fizemos questão de citar toda a documentação comprobatória com registro das nossas ações junto à União numa demonstração clara de que todos os esforços foram feitos pelo Governo e CEA, tanto no campo técnico quanto no campo político, onde fomos buscar e passamos a contar com o apoio de toda a Bancada Federal”, esclareceu o presidente José Ramalho.

A expectativa é que a solicitação feita de agendamento para o dia 25 da assinatura do protocolo de intenções para a Federalização da CEA seja atendida.

(Gilvana Santos – Ascom/CEA)

  • No rítmo em que estão sendo executadas as obras de construção do linhão Tucuri – Macapá, dificilmente estta obra será concluída em 2013, considerando-se que no sentido Monte Dourado – Almeirim, no Estado do Pará, as obras ainda nem começaram…

  • Caramba !!!!

    Tomara que tudo se acerte, afinal de contas já se vai anos que este “Problema chamado CEA” se arrasta e ninguem até hoje conseguiu entender de fato qoue acontece com o dinheiro que a população paga no seu consumo de energia do dia dia, que por sinal não é barato, e não conseguem nem pagar o principal fornecedor, afinal quem esta errando na conta? ou não se trata nada disso … o pôvo precisa entender, afinal é a garantia de que sua geladeira vai continuar funcionando com energia eletrica não é verdade ?

  • Se me perguntarem, porque tenho olhos grandes, certamente vou responder: e para enxergar melhor. Nesse fogo cruzado, Cea/Mme, ninguém sabe quem estar mentindo. A diretoria vai para a imprensa e conta um fato mas não comprova, o MME manda oficio para o representante da bancada política do Amapá relatando tudo ao contrário do que é dito aqui. De certo mesmo, estar a chegada da energia de tucurui para o próximo mês, e a Cea não fez nenhum metro de rede para fazer a interligação entre as subestação que recebera a energia e as demais espalhadas pela cidade. Pelo andar da carruagem, achamos que o governador já jogou a “toalha” a empresa estar nocauteada em pé, quase dois anos se passaram, da nova administração, e cada dia que passa os funcionários convivem com o pesadelo de acordarem com a imprensa noticiando A caducidade da concessão (fim da Cea.)

    • A comprovoção do que relatei na matéria está no site da CEA (www.cea.ap.gov.br), acesse e veja a publicação do OF entregue à presidenta Dilma. Quanto à interligação do AP ao SIN, prevista para 2013, os engenheiros da CEA estão trabalhando e na 1ª semana de outubro estaremos fazendo um workshop com equipes da ONS (Operadoradora do SIN)para orientar os trabalhadores da CEA sobre os procedimentos.

  • o povo solicita ao mp, uma fiscalização nessa cia, pois Ha anos que a administração que comanda essa empresa, não paga o principal custo que é a eletronorte, não falo da divida acumulada pelos anos e sim aquela que a cea faz mes a mes pois nós pagamos em dia todos os meses e deste valor esta o pagamento para ser realizado a eletronorte. para onde vai este dinheiro todo? para o bolso de quem?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *