Jovem é assassinado na frente do Shopping

Erison Silva, 19, anos foi assassinado agora há pouco, com uma facada no pescoço na frente do Shopping Macapá. A informação é do acadêmico de jornalismo Pedro Filé, que está no local.
O jovem foi assassinado com um facada no pescoço durante uma briga de grupos que costumavam se enfrentar no Lugar Bonito e que neste sábado resolveram fazer o confronto na frente do Shopping.
Os pais de Erison acabaram de chegar no local. Há muitos curiosos em volta do corpo.

A repórter policial Alyne Kaiser informou no Twitter que dois outros jovens foram esfaqueados durante a briga e já foram  levados para o Hospital de Emergências.
De acordo com Alyne, a morte de Erison é resultado de uma rixa antiga entre os dois grupos.

O suspeito de cometer o assassinato é conhecido por Ridley e mora no bairro Perpétuo Socorro.

0h10 – Atualização – O suspeito acaba de ser preso pela Polícia na rua Hugo Alves Pinto, no Perpétuo Socorro.

 

  • É falta de Deus também, as pessoas se afastaram de Deus , se afastaram das igrejas, perderam o respeito pelo próximo, banalizaram a vida e a violência passou a ser a linguagem das ruas.

    Resta ao Estado julgar e punir o culpado e aumentar a fiscalização para que crimes como esses não ocorra.

    • Sei não! todo bandido que eu conheço crê em Deus. Muitos são devotos de São Jorge e usam a medalha do santo para ser protegido das balas da polícia.

  • Isso que aconteceu e a falta de policiamento em certos lugares pos nao sabemos quem esta ao nosso redor , nao podemos julgar as pessoas pelas aparencias o tempo que a policia perde resvistando pessoas so porque nao vaum com a cara podiam esta revistando essas pessoas q andam de bicicleta sempre em dois esses sim os maiores suspeitos desses tipos de ato .

  • Complementando meu comentário abaixo, nessa era de otimização de processos, até a criação dos filhos foi terceirizada. A atenção e o carinho das mães foram substituídos pela matrícula nas creches, logo nos primeiros meses de vida das crianças. No meu tempo, o moleque só ia pra escola aos sete anos. Agora, quanto mais cedo, melhor.
    Um dia desses vi uma reportagem que dizia que o estoque do banco de leite havia acabado. Não era a mãe que amamentava seus filhos com produto direto ao consumidor? Hoje são os vidros de maionese. É! muita coisa mudou do meu tempo pra cá e o resultado está aí, com o crescimento acelerado da violência.
    Outro fator é a geração de filhos uniparentais, tão comum nos dias de hoje. Criança precisa de um pai e uma mãe atuantes e presentes.

  • isso demorou pra acontecer,todo sabado e uma bebedeira e drogas que rola em frente ao shop,e pior todos quase sao menores de idade os pais parecem querer se ver livre dos filho apenas os deixam la e mal sabem o que a contece dentro e fora do shop,precisam ver a senvergonhesse que ocorre la dentro, so falta rola o sexo em publico, ta de mais, precisa ter uma fiscalizaçao do conselho tutelar com rigidez.nao ha um policiamento .ja presenciei cada coisa .

    • Continuo afirmando que é que falta mesmo é pai e mãe. Polícia só atua de forma paliativa e não resolve o problema, uma vez instalado.

  • Estou triste, pois meu filho conhecia o rapaz e ficou muito abatido quando soube da notícia,me afirmando que o jovem não era de gangues e não se envolvia em arruaças, o problema é que os jovens de hoje e de sempre diga-se de pssagem que não tem uma família estruturada se envolve facilmente com pessoas que não tem índoles tão boas e acabam cometendo esses tipos de barbáries, policiamento? sim tem que existir.Governo? Claro tem que dá assistencia,mas família é essencial e ter amor em Deus é fundamental, meus pêsames para esses pais que perderam um filho tão jovem por uma banalidade qualquer.Só saberemos a história real e verdadeira , quando o assassino que com certeza é uma pessoa que não dá valor ao significado da palavra família disser a verdade.

    • Boa, Cris. Até que enfim alguém faz uma análise sensata. A maioria põe a culpa na polícia, como se a polícia fosse responsável pela (de)formação desses delinquentes. Garanto que a maioria desses envolvidos não tem família estruturada.

    • É lamentável o fato… Mas atente que atualmente os grupos de adolescentes são chamadas de “famílias” ou “fraternidades”, verdadeiras gangues contemporâneas. A orientação e acompanhamento pelos pais é essencial, uma vez que o Estado não tem políticas públicas nesse sentido. Verifiquem pais, se seus filhos não fazem parte dessas “famílias”, pois conflitos e brigas no shopping já estava ocorrendo há mais de mês, com facas, pedras,… infelizmente, culminou-se nessa fatalidade.

    • O pior que essas “famílias” e “fraternidades”, o que denominamos de “gangues contemporaneas”, na sua maioria, são formadas por adolescentes das classes média e alta…pais, fiquem atentos!

  • Quando fizemos polícia no Amapá, quando ainda era Território, pesquisávamos os locais de maior aglomeração de pessoas, especialmente em se tratando de ponto de encontro de jovens e de diversão pública e para estes locais, embora com efetivo reduzido, sem viaturas, comprando a própria munição, jornada de 24 x 24 horas, em teses (passávamos muito mais do que isso), com vistas a PREVENIR CRIMES, que é a missão principal da PM. Vejo constantes concursos públicos, compra de viaturas, viagens de pessoal para outros Estados para aprimorar o policial, PORÉM, não achamos policiais preventivos na rua: AQUELE QUE ANDA FARDADO, IDENTIFICADO, ARMADO OSTENSIVAMENTE E COM A LEI NAS MÃOS.
    Não compreendo!

  • Lamentável o que aconteceu.A questão é : Aonde nós vamos parar com tanta violência ? .Meus pêsames a família desse rapaz.

  • Falta policiamento na frente do shopping… um dos poucos pontos de diversão da juventude, principalmente nos finais de semana, quando lá a concentração de pessoas é maior…

  • É isso mesmo… infelizmente eu presenciei o fato, pois no momento em que aconteceu minha cunhada e eu passeávamos com meu filho de 4 anos e minha sobrinha de 8, e estávamos em frente ao local no exato momento… as crianças viram o garoto com a faca correndo atrás dos outros. Logo as levamos embora, meu filho ficou muito assustado com a cena, no momento não achei que tivesse sido tão grave, pelo menos consegui tirá-las do local antes que vissem o corpo no chão, seria muito mais forte para elas… Passear com a família no shopping não é mais uma boa opção. Meus pesames a família… que Deus console o coração desses pais que perderam um filho tão jovem de forma tão trágica.

  • Estou muito triste com oque aconteceu hj na frente do shopping.. a unica coisa q eu espero é que Deus possa colocar a alma desse menino num bom lugar conforme ele merecer 🙁

  • A verdade é que não estamos seguros em lugar nenhum. E o que é lamentável e constatar que jovens perdem a vida por tão pouco ou por nada.

  • Isso é reflexo de ausência do ESTADO.

    Tivesse políticas públicas voltadas para os jovens, não existiriam “essa gangues”; nem rixas seriam “cultivadas”.
    Cadê os programas das Secretarias de Cultura, Esporte e Lazer; das Secretarias de Promoção Social. Tanto do Município como do Estado?
    É o resultado da omissão e inépcia!

      • Gente,

        Invariavelmente os adolescentes infratores pertencem a famílias desajustadas: a) ou o pai é tôxicomano; b)passa necessidades por abandono do lar pelo pai ou mãe; c)mora em situação de risco: violência; tráfico de drogas; prostituição etc.
        Assim sendo é imprescindível a presença do ESTRDO com programas de inclusão social que possam impactar positivamente a vida das pessoas; elevando a auto-estima e proporcionando uma perspectiva de melhora a longo prazo.As Secretarias afins, tanto Estaduais como Municipais, deveriam ter esse diagnóstico já mapeado por bairro. Identificando os perfis dessas famílias com incidência de menor infrator. A PARTIR DAÍ FORMULAR PROGRAMAS e AÇÕES GOVERNAMENTAIS multi disciplinares objetivando, A LONGO PRAZO, uma redução drástica das estatísticas de ocorrências do tipo.

    • É isso mesmo. A prevenção através da inclusão social através dos esportes e artes em geral, evitaria muita violência e gastos com hospitais e segurança pública. Valeu!

      • Os despostistas ficam “P” da vida quando associam a prática de esportes à redução da violência. O que falta é acompanhamento de pai e mãe na formação do filho. Vejo exemplo de colegas de trabalho. Pai e mãe trabalham fora e, como não tem tempo para criar seus filhos, para ocupar o tempo das crianças, botam no inglês, natação, aula de pintura, e o escambal da Bahia. Muitos só se veem nos finais de semana, isso se não forem pra balada. Que criação é essa? Vivemos um mundo tecnológico, mas creio que não seja uma boa opção criar filhos via celular. Depois reclamam das consequências. Pensa melhor quem não colocar filhos no mundo nessas condições. Mas esses seres inteligentes são raros.

    • Conheço o assassino do rapaz, esse sim era um dos mais perigosos marginais do meu bairro, e elea não se confrontavam no lugar bonito, tudo isso aconteceu por que o garoto que faleceu agrediu a sobrinha do assassino, uma garota menor de idade.
      Isso ouvi da boca do tio do assassino o mesmo falava para todos ouvirem que mataria o rapaz que agrediu a sobrinha, sendo o mesmo que havia também agredido outros meninos na frente da zero grau.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *