Morre aos 93 anos ex-governador do Amapá

O ex-governador Anníbal Barcellos morreu hoje em Macapá aos 93 anos de idade. Seu corpo está sendo velado na Assembléia Legislativa e o sepultamento ocorrerá terça-feira, 16, às 11h no cemitério Nossa Senhora da Conceição (Centro).
O governador Camilo Capiberibe (PSB) e o prefeito de Macapá Roberto Góes (PDT) decretaram luto de três dias.

1979 - Barcellos com o então presidente João Batista Figueiredo e ministro Mário Andreazza quando os dois visitaram o Amapá

Anníbal Barcellos nasceu no Rio de Janeiro em 10 de julho de 1918. Foi oficial da Marinha. No período de 1974 a 1979 foi diretor administrativo e financeiros de empresas públicas no Rio de Janeiro.

Em 1979 foi nomeado pelo presidente João Batista Figueiredo governador do Território Federal do Amapá, cargo que exerceu até 1985. Aliás, Barcellos foi o último militar nomeado para governar o Amapá.

Nos finais de semana, Barcellos não dispensava um encontro descontraído com amigos e uma partidinha de dominó

Transformou o Amapá, principalmente a capital, num canteiro de obras e costumava dizer que estava construindo o alicerce do futuro estado e assim, mesmo o Amapá sendo Território e, portanto, não tendo Assembléia Legislativa nem tribunais, Barcellos construiu o prédio da Assembléia Legislativa, Banco do Estado e  do Tribunal de Contas, entre outros. Mas também foi responsável pela derrubada de alguns prédios históricos.

Em 1986 elegeu-se deputado federal constituinte pelo PFL.  Sua atuação na Constituinte se deu de acordo com a orientação do chamado “Centrão”, mas apresentou emendas a favor do idosos e dos funcionários do Território e chegou a ser chamado de “amigo número um do magistério”, embora tenha votado contra direitos sociais dos trabalhadores.

Em 1990 elegeu-se governador do Amapá derrotando no segundo turno o candidato petista Gilson Rocha. Entrou para a história como o primeiro governador eleito do Amapá.

Em 1996 elegeu-se prefeito de Macapá. Em 2004 foi eleito vereador. Em 2008 desistiu de concorrer à reeleição encerrando assim sua carreira política.

Ao contrário dos outros governadores nomeados, Barcellos fixou residência no Amapá e dizia que esta era a sua terra e que ficaria aqui até o fim da vida. E foi o que aconteceu.

30 anos de dedicação ao Amapá

No dia 26 de outubro de 2009, Barcellos lançou  no Macapá Hotel, seu  livro “30 anos de dedicação ao Amapá“, onde conta principalmente as suas realizações como governador nomeado (1979-1985) e como primeiro governador eleito do Amapá (1991-1994).
Naquela noite Barcellos transbordava felicidade e mostrou muita disposição autografando mais de cem exemplares, cumprimentando a todos e contando um causo aqui e outro acolá.
A festa de lançamento durou mais de três horas. E em nenhum momento o velho comandante deu sinais de cansaço.

  • Êta povo de memória curta. Por isso elegeram o WG, o Sarney, o RG e tantos outros. só top de linha “herdeiros” do populismo irreponsável e da mediocridade no trato com os recursos públicos.

  • obrigada pelos grandes feitos em nosso estado!! comandante vc foi um homem de fé, itmão camarada…saudades

  • querido comandante… quantas saudades de sua pessoa, e do dia em que comemos aquela fijoada no partido do pfl…quantas gargalhadas… e senhor olhando pra minhas pernas disse: que morena bonita e das pernas grossa!! ( ao seu neto alexandre barcellos), fiquei envergonhada e muito lisongeada… como um ex governador do estado do amapa e com uns 85 anos aproximadamente poderia me elogiar?? rsrsrsrs dê lembranças ao meu pai (valfredo diniz) ai em cima…. que deus o tenha, descanse em paz comandante!!! saudades

  • Nesses ultimos trinta anos nada mudou,continuamos com os mesmos problemas de 30 anos atras: saude, transporte, educação, saneamento basico etc.. Sai um governador ou prefeito incompetente entra outro mais incompetente.

  • sim, um populista que nada mais fez do que sua funcao, afinal foi nomeado e veio pro estado pra estrutura-lo, e pra isso recebeu muito dinheiro… fato.

  • Breno só falta você comparar o comandante com Vargas (mãe dos pobres e pai dos ricos) na verdade Barcellos não foi mais do que um político populista!

  • Meu Querido, Meu Velho, Meu Amigo

    “…Esses seus cabelos brancos, bonitos, esse olhar cansado, profundo
    Me dizendo coisas, num grito, me ensinando tanto do mundo…
    E esses passos lentos, de agora, caminhando sempre comigo,
    Já correram tanto na vida,
    Meu querido, meu velho, meu amigo
    Sua vida cheia de histórias e essas rugas marcadas pelo tempo,
    Lembranças de antigas vitórias ou lágrimas choradas, ao vento…
    Sua voz macia me acalma e me diz muito mais do que eu digo
    Me calando fundo na alma
    Meu querido, meu velho, meu amigo
    Seu passado vive presente nas experiências
    Contidas nesse coração, consciente da beleza das coisas da vida.
    Seu sorriso franco me anima, seu conselho certo me ensina,
    Beijo suas mãos e lhe digo
    Meu querido, meu velho, meu amigo
    Eu já lhe falei de tudo,
    Mas tudo isso é pouco
    Diante do que sinto…
    Olhando seus cabelos, tão bonitos,
    Beijo suas mãos e digo
    Meu querido, meu velho, meu amigo…”

    Com relação ao Comandante Annibal Barcellos, toda homenagem que se preste será pouca em relação ao grande trabalho e dedicação ao nosso Amapá dispensados por esse grande Estadista. Toda a Infra-estrutura Estadual remonta a sua gestão frente ao GEA.
    Lamentavelmente perdemos uma pesso útil, trabalhadora honesta e aguerrida.Nossos pêsames a família enlutada.
    Quanto ao Senhor Comandante, que Deus o Grande Arquiteto do Universo o receba com todas a honras de estilo e o mantenha na sua Glória… Sempre… Boa Passagem meu Querido, meu Velho meu Amigo…

    • Hoje nosso estado amanheceu mais triste, Barcelos, escolheu o Dia dos Pais, para nos deixar, quem conheceu Barcelos, sabe do amor que ele tinha pelo povo do Amapá, Comandante a você meus sinceros Respeito, efetivamente vamos sentir sua falta.

    • Comandante, voce escolheu o Dia dos Pais para nos deixar, quem conheceu o Senhor, sabe do Amor que tinha pelo povo do Amapá, Vc. pode ter certeza que quem ama verdadeiramente o nosso estado vai sempre Lembrar do Senhor, da sua coragem, determinação,o do seu jeito de tratar os filhos desta terra, do respeito que tinha com os mais humildes. Que Deus abençoe a sua Familía sempre.

  • Ortega y Gasset classificam os governantes em estadistas, escrupulosos e pusilanimes. Barcellos foi, em sua essencia, um estadista. Essa é sua diferença para os que o seguiram. Viu mais longe, viu o futuro deste Estado. Voou como um condor, mais alto e solitário.
    Agradeço a Deus por ter o privilégio de com ele ter trabalhado. Que Deus o tenha, velho Comandante!

    • Que DEUS o receba da melhor forma possíve!.
      Realmente o povo amapaense era feliz e não sabia, o IPEAP, que funciona em auxílio aos funcionários públicos e o BANAP, que auxiliou, micro-empresas, desaparaceram,… sem muitas explicações e os políticos da epóca acharam melhor calar.

  • Que Deus tenha preparado um lugar super especial pra o comandante Barcellos, nenhum outro politico principalmente em nosso estado merece um lugar mais do que especial, OBRIGADO COMANDANTE, por tudo que o senhor fez pela nossa terra, que nossos politicos se espelhem ao senhor e façam o estado do amapá cresçer para que possamos morar numa cidade digna como outras capitais…
    Deus está convosco, enquanto ao familiares não é momento de chorar e sim de lamentar da perca do maior lutador de progresso do nosso estado…Vc nos deixou mas as lembranças serão eternas…….OBRIDADO, MUITO OBRIGADO COMANDANTE BARCELLOS

  • Uma simples foto de satelite seria interessante… Primeiro da capital e, depois, das cidades demais cidades do Amapá… Com e sem as obras de cada governante! O povo ficaria sem ver quase nada no período do Comandante! Não sou especialista em georeferencialmente e nem historiador, mas gostaria de ver alguém da área com vontade e garra para realização de um trabalho lindo como esse proposto!
    O Amapá perde um filho ilustre por adoção, pois sempre lotou e nunca abandonou o Amapá! Etc…etc..etc…

  • O Comandante foi pai e/ou mãe de muitos amapaenses… Nunca abandonou nossa/sua terra! O Amapá está mais triste! Deus lhe tenha em alta conta!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *