MP reúne com moradores de Santana

Os moradores do loteamento Fé em Deus e bairro da Piçarreira, do município de Santana, receberam na manhã de ontem, 26, o procurador-geral de Justiça Iaci Pelaes dos Reis e os promotores Adilson do Nascimento e Paulo da Veiga. Os membros do Ministério Público conheceram de perto as necessidades das duas localidades, como carência de infra-estrutura e de serviços públicos básicos.

O loteamento Fé em Deus e o bairro da Piçarreira estão entre as comunidades que serão atendidas pelo MP Comunitário em Santana. Um dos micro-ônibus do projeto vai levar a equipe multidisciplinar do Ministério Público, com atendimentos jurídicos, social, psicológico e de cidadania. “Não apenas esses, mas principalmente, capacitar mediadores para resolver os problemas da comunidade, para que esta exerça a soberania popular e tenha dignidade”, disse o procurador-geral Iaci Pelaes.

O promotor de Justiça de Santana, Adilson do Nascimento, acompanha de perto os problemas dessas comunidades. Junto com os moradores, busca articulações com o poder público local e estadual para regularizar a situação da comunidade e garantir as demandas coletivas básicas, como luz elétrica, água e segurança pública. “A inserção de Santana no MP Comunitário vai alavancar ainda mais nossas ações”, enfatizou o promotor.

O presidente da Associação do bairro da Piçarreira, Raimundo Pacheco, acredita que a intervenção do Ministério Público vai acelerar o atendimento do poder público às reivindicações dos moradores. “Estamos carentes de serviços públicos básicos como posto médico, escolas, centros comunitários, então a ajuda do Ministério Público será muito bem vinda”, explicou Pacheco.

Morador do Loteamento Fé em Deus há dois anos, Basílio Lima de Sousa, concorda com Raimundo Pacheco sobre o apoio da Instituição Ministerial. “Estávamos praticamente à mercê do poder publico, só depois da interferência do Ministério Público, por meio do promotor Adilson, que passamos a ter esperança de melhorias e segurança para não sermos despejados de nossas casas”, falou Basílio, representante de uma das 150 famílias que permanecem no local, amparadas em uma Liminar concedida pelo juiz de Direito Marcus Quintas.
(Texto: Dione Amaral, da assessoria de comunicação do MP)

  • O projeto Aiô Folia cujo significado e festa para todos que será realizado na zona norte de Macapá e tem como uma de suas finalidades promover a cultura do batuque e marabaixo durante a quadra carnavalesca e com essa forma da a nossa querida Macapá uma festa que represente a cidade, essa projeto tem mostrado uma boa organização mais corre o risco de não ser realizado nos dias 05,06,07 de fevereiro por conta da incompetência do diretor da CEA em execultar um trabalho na área que custa em torno de 30 mil reais.
    Um Abraço

  • Reuniões que não resultam em nada. Só pra inglês ver. O MP só faz o feijão com o arroz de sempre: reuniazinha, termo de ajustamento de conduta que ninguém cumpre. Audiências públicas esvaziadas.
    E o Nogueira fica rindo do MP.
    a) contratos administrativos ao arrepio da lei.
    b) ruas emburacadas (ele ainda coloca culpa no TRE)
    c) renovação ilícita de contrato com a P2;
    d) contratação ilícita com as empresas do testa (palinha: BS CONSTRUÇÕES e outras; e a da testa Gordo)
    e) construção de uma rádio com dinheiro público que ainda tem a cara de pau de usar as cores que ele usa na Prefeitura.
    Enfim…

    Ministério Público, cria vergonha!!!!

  • Os Moradores estão para morrer de tanto pedir ajuda e só agora que o MPE,resolveu fazer alguma coisa.Isso tudo porque está na Constituição da Republica Federativa do Brasil.

Deixe uma resposta para João da Silva Castro Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *