Nota triste. Muito triste

risalva4

Aos 89 anos de idade, faleceu ontem à noite em Macapá a  professora, escritora e poeta Risalva Freitas do Amaral.
A professora Risalva Freitas do Amaral nasceu em 5 de abril de 1920 na cidade de São Benedito, no Ceará. Educadora pioneira no então Território Federal do Amapá, sempre se fez presente no mundo artístico-literário. Compositora de hinos e canções, autora de crônicas, poesias, artigos, publicou  vários livros, o primeiro  “Gotas do Tempo” em agosto de 2001.
Seu último livro é “Retalhos de uma vida”, lançado em abril do ano passado. São crônicas, poesias e depoimentos que nos levam a fazer um passeio e conhecer um pouco mais da vida desta importante mestra, desde a sua infância.
Risalva foi minha professora de Português, em 1967 e 1968, no Colégio Amapaense.
Carinhosa, sábia, paciente, de alma linda e aura luminosa, Risalva Freitas do Amaral viverá para sempre no meu coração.

Fotos do lançamento de “Retalhos de uma vida”:

Com a grande amiga e professora Lúcia Rocha
Com a grande amiga e professora Lúcia Rocha
Fui levar meu carinho a minha maravilhosa mestra e grande amiga de minha mãe
Fui levar meu carinho a minha maravilhosa mestra e grande amiga de minha mãe
Com a ex-aluna Nazilda Reis
Com a ex-aluna Nazilda Reis

Leia mais sobre a professora Risalva nos blogs Repiquete e Caneta sem Fronteira

  • Nossa Santinha,era como sempre chamávamos, será nosso maior exemplo de vida, perseverança, humildade,bondade,fé,amor ao próximo e caridade.Estará em nossas lembranças .Santinha voce sempre será, a conselheira e a Mestra da nossa caminhada. Seus netos que te amam muito agora e sempre.
    LIVIA e JUNIOR

  • Alcinéa e Alcilene,

    Em nome da nossa família, agradeço de coração pelas palavras repletas de ternura que vocês escreveram sobre minha mãe. Ela também sentia um grande carinho por vocês além de ter cultivado uma grande amizade com a Professora Delzuite de quem sempre recordava em nossas conversas familiares.

    Com afeto,

    Cidinha

  • Alcinéa, tive o privilégio de ser aluno da professora Risalva no Colégio Amapaense, mestra tranquila, de uma paz muito grande e de uma sabedoria fantástica. Através do teu blog transmito os meus sentimentos à família por esta perda para nos que fomos alunos e para o Estado do Amapá que perde mais uma ilustre. Um abraço.

  • Bom dia gostaria de avisar sobre a Missa de 7º dia de minha saudosa avó RISALVA FREITAS DO AMARAL que acontecerá dia 18 de janeiro as 19hs na Igreja de Nossa Senhora da Conceição no trem. Obrigada desde de já pela presença de todos.

    • Brasilia/DF, 15 de janeiro de 2010.
      Meus sentimentos a familia enlutada.
      Tive o prazer de ser aluno da Prof. Risalva no Colégio Amapaense, em companhia de inesquecíveis colegas. Emérita educadadora. Católica fervorosa. Sem dúvida, teve importante papel no desenvolvimento cultural do Estado. De suas mãos foram lapidados grandes nomes que hoje despontam na vida pública do novel Estado.Lembro muito bem da dedicação e cobrança em prol de seus alunos. Preocupava-se muito em orientar-lhes quanto a aplicação correta das regras gramaticais. Á época de estudante, passei maus bocados com a exigente professora, mas lá frente constatei quão importante foram seus ensinamentos. Irreparável perda.

      Jonatas Pereira Cardoso

  • Plagiando a extraordinária escritora Lya Luft: a professora Risalva Amaral é daqueles seres amados que se vão sem realmente partir.

  • Plagiando a grande escritora Lya Luft: a professsora Rivalva Amaral é daqueles seres amados que se vão sem realmente partir.

  • Poxa! Quando estava escrevendo o post sobre a professora Risalva não me lembrei da peça encenada por ela no dias das mães na qual fomos protagonistas, Alcinéa. Mas ao ler o seu comentário lá no blog a cena veio na minha lembrança como um filme. Que saudade! Quem dera surgisse uma máquina do tempo que me permitisse voltar àquela época e curtir cada segundo da aula da nossa mestra… Que saudade da 101A do CA! Que saudade!

  • Amaral adotou o Amapá como residência definitiva e aqui construiu sua família que incluia também seus alunos e a Igreja. Ela nasceu em uma pequena cidade cearense de nome São Benedito conhecida como a cidade das flores. Talvez por isso ela também fosse uma flor. Em seu belíssimo poema intitulado” Amapá”, que faz parte do livro Gotas do Tempo, a professora Risalva informa que ao escrevê-lo pensou nos jovens e crianças ribeirinhas e ainda nos amapaenses do passado.
    Sem dúvida, um grande exemplo de vida!

  • Uma pena. Ela foi uma ótima professora. Fui aluna dela quando era criança, meu pai também foi aluno dela. A educação amapaense perde um grande nome.

  • Foi minha professora na Escola Tiradentes. Me ensinou além dos valores morais, a amar a poesia e a música. Lembro de uma de suas primeiras composições cantada pelo Coral Vozes do Amapá, sob a regência da maestrina amapaense Prof. Edna Cunha com uma letra linda de suas lembranças da terra natal cuja estrofe assim dizia:” Ai quem me dera que pudesse um dia/Voltar as terras dos canaviais/Senti o aroma, mais que inocente/ Das brancas flores lá dos laranjais./Pisar no solo que eu pisei primeiro/ Voltar à terra que eu um dia andei/Senti o beijo da brisa fagueira/ Voltar à casa que eu lá deixei.(bis)-Ai quem me dera o meu Deus do céu,/sentir a voz do riacho fundo,/murmurejando uma cantiga à toa/e as borboletas enfeitando o mundo./Ouvir o canto da passarada, anunciando o alvorecer lá fora, a relva verde atapetando o campo,/Perdi meu Deus, tanta coisa boa (bis).
    Grande Mestra, deixarás saudades e um grande exemplo a ser seguido.

  • O Amapá perde uma grande educadora que contribuiu com amor, fé e garra na formação de gerações de amapaenses.
    Que Deus a receba na glória.

  • Rogo a Deus para que receba a querida Profa. Risalva Amaral, que passou por esta terra dando exemplo de vida cristã e por isso merece a glória dos Céus. Meus sinceros pêsames a seus fammiliares.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *