O acordão foi pro brejo?

O vice-governador Pedro Paulo (PP) diz que não fez acordo com ninguém pra desistir de sua candidatura ao governo em troca de um cargo vitalício: o de conselheiro do Tribunal de Contas.
Logo mais, às 8h30, ele concede entrevista coletiva para falar de suas pretensões dentro do atual cenário político.

Depois dessa coletiva é possível que se encontre por aí jabuti trepado em açaizeiro e tamuatá em pupunheira e alguns políticos tentando tirar a lua do fundo do mar.
Vai ser uma reviravolta total“, disse o deputado federal Bala Rocha (PDT), ressaltando que o acordo para que Pedro Paulo fosse para o TCE já era dado como consumado.

Na opinião de  Bala Rocha, se Pedro Paulo decidir mesmo ser candidato a governador o quadro que se desenha é de   “carnificina pura e quem sai lucrando com esta briga é o petebista Lucas Barreto.”

O tucano Jorge Amanajás, presidente da Assembléia Legislativa há muito tempo vem dizendo que não abre mão de sua candidatura ao governo em hipótese alguma. “Sou candidato de qualquer jeito, da harmonia ou da desarmonia”, disse ele ao blog semana passada.

Ontem, durante a sessão solene de abertura do ano legislativo, o governador Waldez Góes não deu muita trela para os deputados. Fez um discurso cansativo, de mais de duas horas, no estilo de prestação de contas de seus dois mandatos de governador. Ao final, deu entrevistas aos jornalistas e foi embora. Recusando-se ao “tradicional” bate-papo na sala da presidência da Assembléia com os parlamentares.

Waldez foi embora, mas Pedro Paulo ficou. Saiu da Assembléia em companhia de Jorge Amanajás. Dizem que Amanajás tenta convencer PP a ser seu vice na disputa pelo governo. Assim, a “harmonia” seria recomposta e com o apoio de duas máquinas (Governo e Assembléia) Waldez Góes seria o candidato ao Senado, numa dobradinha com Papaléo Paes. Seria uma coligação informal.

Há quem aposte que é mais fácil ver uma mula-sem-cabeça desfilando no Sambódromo como rainha de bateria de escola de samba do que Jorge Amanajás vencer o desafio de levar Pedro Paulo para seu lado.

Assim, Waldez Góes renuncia ao governo e sai candidato ao Senado. Pedro Paulo assume o governo e candidata-se à reeleição, apoiando Waldez para o Senado.

O senador Papaléo Paes, candidato à reeleição, claro que vai com Jorge Amanajás. São do mesmo partido, não tem o que discutir.

Para que palanque iria o senador Gilvam Borges (PMDB)? Pra qual palanque vai o ex-senador Capiberibe (PSB)? Qual dos dois vai fazer dobradinha com Lucas Barreto, o candidato do PTB ao governo?

Em que palanque vai subir o primeiro-primo, o prefeito Roberto Góes? No da Assembléia, que ajudou a elegê-lo prefeito ou no de Waldez que também ajudou na sua eleição?

Mas não esqueça que na política o que foi há um minuto pode não ser mais agora, o que é agora pode não ser no minuto seguinte.

Vai que o Pedro Paulo diz daqui a pouco que tudo era jogo de cena e que aceita sim o cargo de conselheiro do TCE.

Enquanto eles se engalfinham por lá vamos cantar parabéns pra cidade de Macapá que amanhã completa 252 anos de fundação.

  • clodoaldo sou do psol e sou a favor da frente de esquerda, uma frente de fato socialista que esteja do lado do povo… mas parece q denovo num vai ter esquerda de fato.. abc

  • amanajás só vai esbarrar num ponto. O governo Waldez é aliado político de Lula e as obras de grande porte que hoje foram feitas NO ESTADO são com recursos federais(PAC)e aí a cobra pode fumar fumar

  • A muitas possibilidades para a Harmonia continuar usufruindo do poder no nosso estado, porem tudo depende de Waldez, ha conversas em que é dito como certo que o governador nao ira renunciar para ser candidato ao senado, mas ficara no governo para ter mais “controle” sobre a eleiçao.
    Infelizmente, parece que que a briga nao é para quem quer trabalhar mas pela cidade ou pela populaçao, a briga é pelo poder, somente por ele, e todos nos sabemos quem apanha quando a Harmonia se desentende.

  • A única coisa que tenho certeza é que o PSTU irá apresentar uma alternativa de classe e socialista nesta eleições; também para isso, continua o chamado ao PSOL para juntos construirmos uma Frente de Esquerda.

  • Noticias muito tendenciosas em favor da Harmonia R$,nunca se falou no candidato da OPOSIÇÃO que todo mundo sabe que por baixo tem no mínimo 50% dos votos.A um ano isso foi comprovado,más se que quer a todo custo levar a Oposição para o lado do Independente dependente do Sarney.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *