PF prende DE NOVO o líder do bando que fraudava auxílio-reclusão

A Polícia Federal deflagrou, na manhã desta segunda-feira (2/12), a Operação Coactio, com objetivo de cumprir um mandado de prisão preventiva em desfavor de líder de uma organização criminosa investigada pela Operação Ex tunc, no estado do Amapá.

As investigações iniciadas em 2016, apuram fraudes em documentos para obtenção de benefícios indevidos de auxílio-reclusão e pensão por morte junto ao Instituto Nacional de Seguro Social (INSS).

A prisão decorreu de representação feita pela Polícia Federal após detectar que o líder da organização criminosa (ORCRIM), que já foi preso anteriormente no curso das investigações relacionadas à Operação Ex tunc, estava coagindo os envolvidos e embaraçando as investigações originárias.

MAIS
A Operação Ex Tunc  foi deflagrada em junho de 2016 para investigar fraude em documentos para obtenção de benefícios indevidos de auxílio-reclusão e pensão por morte junto ao Instituto Nacional de Seguro Social (INSS). Em maio  deste ano, 2019, a  Polícia Federal deflagrou a segunda fase da Operação  para desarticular organização criminosa que praticava fraudes ao benefício de auxílio-reclusão, no estado do Amapá. Foram cumpridos 30 mandados de prisão e 120 de busca e apreensão. Leia aqui

No dia 29 de maio de 2019 o advogado, considerado pelo MPF e PF como líder do bando, foi preso. Ele  falsificava documentos e negociava com servidores do INSS, responsáveis pela facilitação dos trâmites burocráticos prévios à liberação do benefício. Com as alterações e falsificações de dados, os falsos dependentes dos beneficiários faziam jus, além do valor mensal do benefício, a uma alta quantia paga a título retroativo. Leia aqui

Operação Ex Tunc – Os réus – Leia aqui

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *