Amanhã tem ciranda e poesia na boca da noite no Hospital da Criança

Amanhã, 7, o Movimento Poesia na Boca da Noite volta ao Hospital da Criança levando alegria, ternura, lirismo e muito amor para os pequeninos ali internados, seus acompanhantes e funcionários.
Em maio fizemos poesia na boca da noite naquele hospital e foi emocionante, foi muito gratificante ver aqueles olhinhos brilhando de alegria. (Veja aqui como foi)
Agora, em comemoração ao Dia da Criança, queremos fazer muito mais. Para isso estamos nos preparando com muita dedicação e amor.
Fizemos uma seleção das mais alegres poesias infantis e estamos imprimindo em papel colorido para fazer um um belo varal. Escolhemos lindas músicas de roda para brincar de ciranda com aqueles pequeninos que precisam tanto de amor e alegria – e temos certeza que isso ajudará na recuperação deles.

Ontem, os poetinhas que fazem parte do Movimento Poesia na Boca da Noite ensaiaram as poesias que vão declamar e, acompanhados pelo músico e poeta Raule Assunção, ensaiaram também as cantigas de roda.

Nossos poetinhas cultivam o sentimento de solidariedade e mostram desde já que uma das coisas mais importantes na vida é levar alegria para o semelhante,  fazer alguma coisa para amenizar a dor de quem sofre, tentar substituir as lágrimas pelo sorriso.
Animados, eles dizem que querem ver todas as crianças alegres e peraltas nesta sexta-feira.
“Vamos soltar com eles muitas bolhinhas de sabão que vão se espalhar pelo ar colorindo tudo”, diz Paulo Rostan. João Vitor diz que todas as crianças vão declamar, cantar e brincar de roda. Como vai fazer isso? “Ah, tia, a gente vai chamando eles pra roda e eles vão gostar.”

E é isso mesmo que queremos. Que eles gostem, que se divirtam, que brinquem bem mais do quando estivemos lá em maio. Queremos mais uma vez ver brilho nos olhos daquelas crianças e aqueles sorrisos lindos e francos. E isso não tem preço.

Então vamos todos, adultos, crianças, enfermeiros, médicos e demais funcionários do Hospital da Criança declamar poesias, cantar e brincar e fazer o mais alegre possível o Dia da Criança para os menininhos e menininhas que estão dodóis.

Enquanto as crianças ensaiavam,  os adultos, munidos de panos coloridos, agulhas, linhas, tesouras, cola, canetas coloridas e amor faziam pergaminhos com versos infantis.
Olha esse papagaio que vai enfeitar o varal. E tem muito mais coisa, viu?

Você, leitor do blog, é  nosso convidado. Va lá, leve sua poesia ou do seu poeta preferido para colocar no varal ou declamar. Não precisa ser necessariamente poema infantil, pode ser qualquer poesia, desde que fale de amor, alegria, otimismo…
Então, está combinado, amanhã, sexta-feira, das 17h às 19h  brincar de ciranda e fazer poesia na boca da noite no Hospital da Criança.

  • Oi, eu estou preparando poemas de Natal para apresentar no BOCA DA NOITE final de ano, se vocês ainda estiverem fazendo o evento até o final do ano, ok, abraços

  • Um poeminha para os dias de hoje:

    MENINOS DE RUA.

    Meninos nas ruas, algazarra, fim do dia.
    Apagam-se nos seus rostos os risos loucos,
    Parecem vencidos, cansados, débeis.
    São folhas flácidas morrendo aos poucos.

    Já são rostos bonitos… de sombras,
    Corpos já quase despidos de vida.
    Almas ternas, intermináveis ondas,
    Lembrando pêndulos mancos: só de ida.

    Estão como mendigos em busca de paz, de uma chance de viver.
    Mas, não tem genética: são esculturas e não crianças.
    Juntas são fotografias do mais puro sofrer.

    Foram as ruas que os ultrajaram.
    Plantaram neles o vazio, a indiferença.
    E ainda não a penitencia aos que tão cedo os mataram.

    César Bernardo de Souza
    Macapá, 16/02/1985.

  • Nea, querida! Queria poder estar em três lugares ao mesmo tempo! Tenho uma prova hoje, mas vc sabe que gostaria de ir com vcs, pois recitar e cantar para as crianças do hospital é uma felicidade que eu sempre quis ter! Grande abraço pra toda a turma do Boca da Noite e deixem um pedaço de poesia e do bolo da Glória pra mim, rsrs!

  • Amiga estamos anciosos aguardando pelo dia de amahã que será cheio de alegria,ternura,carinho e amor pelas crianças.Bjs

  • Ainda estou em quimioterapia, na sei como estarei amanhã. Mas, se esiver bem não perderei a oportunidade de me reconfortar com poesias e crianças.
    Porém, de uma coisa estou certo: será mais um registro de maior sucesso desse projeto sensacional.
    Se lá eu não estiver amanhã Acinéa, abrace por mim as pessoas que lhe cercarão.

    • Você está sempre no nosso coração e em todas as edições do “Poesia na Boca da Noite” sentimos sua presença.
      Beijos, querido amigo.

    • Parabéns para todos que fazem o Poesia na Boca da Noite, principalmente Deusa, Mara, Fernanda, Cléo, Simone, Glória, Rostan, Pedro Henrique, Thiago e César Bernardo, entre outros.

  • O Raule é o “adulto” com o maior coração de criança que conheço, grande amigo, irmão e companheiro… estar ao lado dessa figura linda é uma alegria infinita!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *