Poesia na boca da noite

Essas meninas encantaram declamando poesias suas e de outros autores

Mais de cem pessoas (117 assinaram o livro) participaram ontem do Movimento Poesia na Boca da Noite no bairro do Laguinho.
Inicialmente o encontro estava marcado para a calçada da UNA, defronte da Escola Azevedo Costa. Mas, quando lá chegamos a diretora da Escola, Rosana Nascimento, a professora de Literatura Liane Lobo e outros professores nos ofereceram cadeiras e mesas e o que mais o grupo precisasse. Foi então que resolvemos atravessar a rua e fazer na calçada da escola.

Professora de Literatura Liane Lobo declamou poetas amapaenses e nacionais
e incentivou seus alunos a fazerem o mesmo

Tão logo começamos a montar a varal, os alunos foram se aproximando. Conversamos com eles sobre poesia, pedimos que escolhessem no varal algum poema para declamar, incentivamos esses jovens a compartilhar seus poemas conosco e dissemos que eles seriam capazes de construir poesias ali, naquele momento, naquela calçada.

O poeta Cléo Farias de Araújo declama “O Mestre”, poesia de sua autoria em homenagem ao professor Antônio Munhoz, o mestre de várias gerações
e um dos homens mais cultos do Amapá

E começamos a roda de poesia. Não demorou muito os jovens foram perdendo a timidez e abrindo cadernos e netbooks escreveram poesias falando de amor, de solidariedade e do bairro do Laguinho; declamaram suas poesias e de seus autores preferidos. Quem passava na rua – a pé, de bicicleta ou de moto – parava pra ver o que estava acontecendo ali e já se integrava ao movimento.

Mr. Manfred leu uma poesia em alemão e o estudante recitou um poema laguinense

A garotada que sai da aula às 17h30 e tem que chegar em casa até às 18h começou a telefonar para os pais contando que estava havendo uma roda de poesias na frente da escola e por isso pediam permissão para chegar um pouco mais tarde. Os pais pediam para falar com a diretora ou professores para confirmar e então davam a autorização para seus rebentos continuarem na roda.

Os poetas Michele e Rubênio emocionaram. Ela com uma poesia sobre a tragédia de Realengo; ele homenageando a bicentenária Fortaleza de São José

E como tanta gente foi chegando, a calçada ficou pequena e a poesia tomou conta da rua. Uma viatura da polícia vendo aquele amontoado de gente na frente da escola parou e os policiais também se encantaram com a poesia e por lá ficaram por mais de meia hora aprovando, com sorrisos, a iniciativa.

Meninos e meninas cheios de talento poético

Para nós do Movimento Poesia na Boca da Noite foi gratificante descobrir que há muitos jovens produzindo literatura no Amapá, esperando apenas um incentivo e a oportunidade de mostrar suas produções.
Então, gente, vamos incentivar, apoiar, estimular essa juventude que tem muita coisa linda pra mostrar e tornar a sociedade bem melhor.

Jhenni Quaresma estreou no Boca da Noite semana passada. Gostou e ontem voltou. E nós gostamos mais ainda.
Ela tem um blog, onde publica suas cartas presas. Para acessar clique aqui

O Movimento Poesia na Boca da Noite agradece o carinho e a acolhida da diretora e professores da Escola Azevedo Costa, agradece  as merendeiras que também apoiaram o movimento e ainda conseguiram fazer em tempo recorde um delicioso e imenso bolo e sucos geladinhos para servir a todos, tornando ainda mais doce a boca da noite de sexta-feira.

Voltei de lá com a alma leve e feliz de ouvir tanta beleza, sentir a ternura que vem da poesia dos jovens e também de poetas como Osvaldo Simões, Cléo, Rubênio, Dayse Pelaes, Fernanda, Ricardo Pontes, Carla Nobre, Rui do Carmo (poeta paraense), Neca Machado (que nos brindou com um poema em homenagem ao Alcy Araújo), Wanderley Trindade e tantos outros que participaram deste momento mágico.

O Movimento Poesia na Boca da Noite está todas as sextas, das 17h às 19h, em alguma calçada ou praça de Macapá. Participe também. Vamos todos juntos espalhar ternura e lirismo na cidade.

Veja mais algumas fotos. No decorrer da semana postaremos outras fotos e poemas dos conhecidos e dos  novíssimos poetas amapaenses.

 

  • Que bom, eu estava la cheguei a mencionar 2 poesias ei amei este dia que sai encantado, anestesiado achei ótimo

  • Parabéns a todos do movimento, acompanho pelo blog e vejo um crescente muito grande. De pequenos atos é que se fazem grandes teatros.
    A literatura levada por coincidência ao interior da escola pode ser o inicio de um grande movimento pedagógico em que o aluno será o maior beneficiado e por conseguinte a educação e a cultura do Amapá que verá surgir novos escritores e poetas no Estado.
    “Um dia vivido com sabedoria é melhor do que um século de ignorância sem contemplação”-Pensamento budista, Augusto Cury, trilogia de O vendedor de sonhos, parte III, O Semeador de Ideias.
    Parabéns a todos, Sds,

  • Minha cara Alcinéa,
    Fiquei verdadeiramente encantada com o crescente interesse do público pela poesia. Pena que ainda estou fora do Amapá e não posso participar como gostaria. Espero um dia poder me regozijar com a poesia e com a atmosfera que é criada em torno dela.
    Parabéns pela iniciativa, pelo teu carisma e beleza de espírito.
    Abraços

  • Anterior à escrita, a poesia como forma de arte, sempe encontra receptividade quando se aproxima do povo. É como a música erudita, que basta ser executada numa praça, e o povo vai lá apreciar. E a poesia, assim cono a música, basta sentir.
    Muito boa a iniciativa, louvável, mesmo. Começou devagarinho, e está aí. Parabéns, amiga, pela iniciativa.
    Um abraço.

    • KD VC? Nos deu o bolo outra vez, né? Vamos lá! Sei que dentro desse coração existe um livro pronto a revelar as coisas mais lindas da tua produção.

  • Nossa como esta crescendo o movimento!!! to achando que vai virar tradição.. parabéns pela iniciativa!!! poesia faz bem a todos!!!

  • Eu, como aluno da escola agradeço em nome de todos os outros.
    Foi muito lindo, marcante e incentivador ter a presença de vocês, poetas amapaenes, na calçada da nossa escola.
    Na expectativa de um bis, eu digo que já vou preparando os meus para uma participação mais ativa da próxima.
    Minha amiga e eu queríamos declamar a primeira estrofe da música “Ne Me Quitte Pas”, mas me altou coragem.
    Na proxima quem sabe. SALUD!

  • Eventos como estes que vale a pena divulgar, pois demonstra que nosso povo sabe valorizar o que é nosso:cultura, folclore, tradições…Parabéns aos poetas, que enriqueceram ainda mais o bairro do Laguinho com suas poesias contagiantes, com certeza ficamos agraciados com tão ilustres presenças e, parabéns também, aos alunos, professores,diretora e funcionários da E.E. Azevedo Costa pela brilhante participação…bjs

  • Nestes momentos de tanta incerteza, tanta violência, este é um movimento que vem trazer paz no coração. Fica aqui a minha sugestão. Levem esse movimento para os bairros mais distantes, pois, nesses lugares não há diversão para a comunidade e por isso, os jovens tendem a banalizar a violência, a criminalidade, além do excessivo consumo de alcool e drogas.

  • Alcinéa,Como falei pra vc no Twitter, seria esse que eu iria declamar…

    Só de Sacanagem – Elisa Lucinda.

    Meu coração está aos pulos!

    Quantas vezes minha esperança será posta à prova?

    Por quantas provas terá ela que passar? Tudo isso que está aí no ar, malas, cuecas que voam entupidas de dinheiro, do meu, do nosso dinheiro que reservamos duramente para educar os meninos mais pobres que nós, para cuidar gratuitamente da saúde deles e dos seus pais, esse dinheiro viaja na bagagem da impunidade e eu não posso mais.

    Quantas vezes, meu amigo, meu rapaz, minha confiança vai ser posta à prova?

    Quantas vezes minha esperança vai esperar no cais?

    É certo que tempos difíceis existem para aperfeiçoar o aprendiz, mas não é certo que a mentira dos maus brasileiros venha quebrar no nosso nariz.

    Meu coração está no escuro, a luz é simples, regada ao conselho simples de meu pai, minha mãe, minha avó e os justos que os precederam: “Não roubarás”, “Devolva o lápis do coleguinha”, “Esse apontador não é seu, minha filha”. Ao invés disso, tanta coisa nojenta e torpe tenho tido que escutar.

    Até habeas corpus preventivo, coisa da qual nunca tinha visto falar e sobre a qual minha pobre lógica ainda insiste: esse é o tipo de benefício que só ao culpado interessará. Pois bem, se mexeram comigo, com a velha e fiel fé do meu povo sofrido, então agora eu vou sacanear: mais honesta ainda vou ficar.

    Só de sacanagem! Dirão: “Deixa de ser boba, desde Cabral que aqui todo mundo rouba” e vou dizer: “Não importa, será esse o meu carnaval, vou confiar mais e outra vez. Eu, meu irmão, meu filho e meus amigos, vamos pagar limpo a quem a gente deve e receber limpo do nosso freguês. Com o tempo a gente consegue ser livre, ético e o escambau.”

    Dirão: “É inútil, todo o mundo aqui é corrupto, desde o primeiro homem que veio de Portugal”. Eu direi: Não admito, minha esperança é imortal. Eu repito, ouviram? Imortal! Sei que não dá para mudar o começo mas, se a gente quiser, vai dar para mudar o final!

    Bjão! Fica para a próxima! E por falar nisso, já tem lugar definido?

  • Novamente parabéns aos idealizadores do Poesia na boca da noite, é um exemplo a ser seguido!
    P.S: Alcinéa, preciso fazer uma entrevista contigo pra colocar no meu blog Kingdom of Noise(kingdomnoise.blogspot.com).

  • Néa, estou em êxtase! O mundo tem salvação, sim. E se dará através da Poesia, com seus holofotes energizados com a criatividade dos jovens poetas, que você mostra e pela sensibilidade do mais experientes. Parabéns, aos organizadores da iniciativa e à diretora Rosana e à professora Liane, da Escola Azevedo Costa. Aliás, escola, onde recebi os meus primeiros ensinamentos, quando ela ainda era chamada de Grupo Escolar. Você não imagina a saudade que bateu do velho “Grupo Escolar General Azevedo Costa”. Um delicioso e poético fim de semana a todos!

  • Como foi lindo, parabéns! Desta vez não deu para ir. Eu estava na Via-sacra da Vida, realizada pelo Ijoma. Lá também vivemos momentos muito emocionantes, principalmente quando chegamos no Hospital da Criança. Foi forte.
    Graça

  • Lindo! Como arfar e dar de encontro aos versos. Versos que alinhavam-se em rascunhos ocultos num canto do ser.
    Na gaveta da alma que vívidos desejam ecoar, poesia na boca da noite. A poesia está na boca do povo, onde o sol apaga lento no horizonte as estrelas em forma de gente brilham no solo. Poesia abrindo cortina na boca da noite, esperando luz.
    A lua risonha e o povo retumbante declama ao encontro das estrelas celestes.

    Alcinéa, parabéns pelo projeto. Despertar os sonhos adormecidos é poético. Aplausos.

  • E a comunidade está crescendo. Estes eventos ainda vão se constituir em marco para a história da cultura amapaense. É muito importante a participação dos jovens. Suas energias alavancam o movimento. Parabéns pela iniciativa.

  • Obrigado, Professores da Escola Azevedo Costa, em especial, Liane e Rosana, pelo irrestrito apoio. Que bom encontrar apoio incondicional. É assim que construiremos um mundo melhor.

  • Esse contato com a arte das palavras e com os poetas amapaenses é sem dúvida um grande incentivo à leitura e com certeza será uma experiência inesquecível para todos nós alunos e professores da escola Azevedo Costa. Parabéns aos artistas do movimento ” Poesia na Boca da Noite” pela sensibilidade que cada um tem de expressar emoções, valores e sentimentos e por contribuir e enriquecer nossa cultura.

    • Estou emocionada!Muito feliz por ver vc, Liane…QUE EXEMPLO DE PROFESSORA! MEUS PARABEEEEEEENS!

      Sabemos que um professor comprometido transforma VIDAS!

      Ao ver as fotos, imediatamente as lembranças da época que eu estudei no Azevedo Costa afloraram… meus professores, a minha mãe que ainda trabalha no Azevedo!

      Você està cada dia mais linda!
      Minha mãe me falou que vc me mandou lembranças! Muito obrigada!
      Sou apaixonada pela nossa profissão!
      Um enorme abraço p vc, p sua irmã e sua mãe!

      FELIZ PASCOA!!!!
      Fiquem com DEUS!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *