Prestem atenção, twitteiros!

 

Economista, professora universitária e comentarista política, Adriana Vandoni edita o “Prosa e Política” o blog mais badalado e mais acessado do Mato Grosso e que recebe diariamente milhares de visitantes de todos os cantos do país.
Mulher guerreira e valente que não se curva diante dos poderosos. Ao contrário, olha para eles de cima pra baixo, foi alvo de ofensas, calúnias e injúrias no Twitter. Provando que a Internet não é lixo (embora muitos patetas, principalmente no Amapá,  pensem que é) e que não aceita ser medida pela régua dos medíocres, Adriana entrou na Justiça contra a pessoa que disparou as ofensas e ganhou a causa. Fato inédito no Mato Grosso e segundo no Brasil.

No Amapá, um grupo de jornalistas já anunciou que vai interpelar judicialmente militantes do PSB  (partido do governador) e um diretor do Departamento de Trânsito  (Detran) pelas ofensas que disparam contra eles no twitter. Um advogado já está movendo uma ação contra um assessor do Detran que o ofendeu moralmente no Twitter além de ter divulgado dados sigilosos do cidadão na rede; e o prefeito de Santana, segundo maior município do Amapá, anunciou no próprio Twitter que seu advogado entrará nos próximos dias com uma ação contra uns twitteiros por calúnia, injúria e difamação.

Mas, voltando ao caso de Adriana, leia o que ela escreveu sobre o assunto ontem à noite no Prosa e Política:

Um caso exemplar. Mais um
Adriana Vandoni

Pensei muito antes de decidir publicar aqui a decisão tomada pelo juiz Yale Mendes na semana passada. O fato de ter sido uma decisão inédita – primeira em MT e a segunda no Brasil de condenação por atos praticados no twitter, me dizia que sim, eu deveria publicar e comentar. Por outro lado a parte que saiu vitoriosa sou eu, e isso me dizia que não, eu não deveria publicar, pois trata-se de assunto pessoal. Duas coisas me fizeram tomar a decisão de publicar: o compromisso com vocês de trazer um tema tão novo para o debate; e a continuada perseguição da já condenada. 

Dito isso, vamos ao assunto. Vou dividir em alguns posts para melhor explanar todo o caso. Neste primeiro, a decisão do juiz Yale Mendes.

Como disse acima, este é o primeiro caso de Mato Grosso e o segundo do Brasil de atos ilícitos cometidos via twitter. Em julho deste ano o jornalista Geneton Moraes Neto venceu uma ação movida contra um internauta que o acusou, pelo twitter, de ter “roubado” de um trabalho de conclusão de curso de Jornalismo. Pelo que escreveu, Geneton tinha a intenção de provar que internet não é lixo, e provou. No meu caso além de provar que a internet não é lixo, entrei na justiça para provar de uma vez por todas, que não aceito ser medida pela régua dos medíocres e para ser reparada dos prejuízos que enfrentei diante das alegações difamatórias e injuriosas propaladas contra mim pelo twitter.

O post completo você lê clicando aqui

  • Tem pessoas que tem sobrenome de politico e pensa que pode falar tudo, lembre a esses camaradas que eles não foram eleitos, eles apenas estao pegando o bond em andamento.

  • É importante, também, que blogueiros e afins aos postarem suas informações se certifiquem sobre os fatos, circunstâncias e envolvimento das fontes, pois em muitas das vezes repercutem casos fortuítos como se estes representassem a vontade política e a determinação da gestão pública. Sabe-se que na condução d’uma máquina pública deixada em frangalhos, dificuldades estruturais e eventualidades irão surgir independente da competência de quem a conduz, assim ecoar somente os efeitos (aparelhos que não funcionam/falta disso e daquilo etc) não me parece o caminho da liberdade de expressão, vez que embora a verdade seja una há que se considerar as percepções dos envolvidos nos fatos.

  • O twitter aqui em Macapá é uma arena para esculhambar os outros. Blogueiros, jornalistas, assessores e afins estão sempre trocando farpas. Depois querem processar os outros, paciência. Se esse processo vier do advogado que escreve “saldade” com l, “inalguração” com l e “imprecionante “com c é para se assustar mesmo. Poucos são os que fazem seus trabalhos de forma quieta e sem entrar em atrito no twitter.

    • São esses atritos que geram emoção e liberam adrenalina. Já pensou na estória dos 3 porquinhos sem a perseguição do lobo mau? e no ceu com os anjinhos voando, tocando suas harpas nas nuvens, sem o Capeta no inferno pra atentar? Deveria ser um saco!

  • Segundo o Google Insights, o Amapá é o estado que mais usa o Twitter. Esta mídia digital não é tão querida em alguns estados da federação. Tenho twitter e quase não uso por achar ele chatinho demais. Prefiro o Facebook, que uso uma vez ao dia para publicar novidades sobre os meus projetos.
    Quanto a baderna que alguns servidores públicos fazem no Twitter e outras mídias digitais, já tinha percebido há algum tempo.
    Infelizmente o governador nomeou para cargos de confiança e contratos administrativos algumas pessoas incapazes de exercer a função a que foram destinadas. O resultado de nomeações erradas é baderna e desordem.
    Dia desses um funcionário do Detran me chamou de “Jabazeiro e Simpatizante da Harmonia” pelo Facebook só porque eu critiquei o governo por não estar dando a devida atenção para a saúde pública.
    A pessoa que me criticou esqueceu de lembrar que meu jabá não está em Macapá, pois moro em outro estado há dois anos.

  • Bom dia Alcinea.

    Muitas pessoas em macapa e no resto do Brasil, fazem da internet, um verdadeiro Container de lixo virtual, embora pra outros 80% ela seja objeto de trabalho, mas vivemos num pais “livre”.

    Espero que essa pessoa que foi ofendida, siga em frente e processe os que lhe causaram danos.

    Respeito também faz muito bem a saúde.

  • E agora trupe socialista?
    Pelo jeito vão enfentar interpelação judicial, parabéns!
    Com a palavra os diretores do DETRAN que por sua incompostura enquanto servidores públicos, acabam alimentando a baderna virtual.
    Como diz um velho ditado: cautela e caldo de galinha não fazem mal a ninguém.
    Quanto aos agredidos resta correr atrás dos seus direitos e solicitar a justiça a reparação pelos danos morais sofridos.

    • Twitter, ninguém é obrigado a seguir, segue quem achar que deve seguir…..É suposto que cada acto nosso, que seja no pensar, no sentir, no sonhar, no falar, no criar, tem o poder da atração do mistério que rege o universo da vida. Cada vez mais busca-se a fuga agoniada de um recanto quieto e seguro onde possa a alma por alguns segundos descansar sem sobressaltos e refazer-se do suspenso nó de forca… Mas tristemente constacta-se do quanto isso está beirando a raias do impossível… Para a maioria dos lados em que vigiam os olhos por trás dos véus de lágrimas estarre.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *