Professores pedem o impeachment do governador Camilo

O Sindicato dos Professores do Amapá protocolou ontem,quarta-feira,   na Assembleia Legislativa  representação por crime de responsabilidade contra o governador Camilo Capiberibe (PSB). A ação, acompanhada por um abaixo-assinado com aproximadamente duas mil assinaturas, foi encaminhada a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) pelo presidente da Casa, em exercício, deputado Júnior Favacho (PMDB). Se for acatada e aprovada pelo plenário, o governador será afastado do cargo por 180 dias até a conclusão das investigações, que pode ou não resultar no impeachment.

Um dos advogados que assina a petição, Waldeci Alves, defendeu uma apuração ‘rigorosa’ das denúncias contra Camilo Capiberibe. “O governador cometeu crime de responsabilidade ao violar a lei do piso”, sustenta o jurista. “O chefe do Executivo além de quebrar o pacto federativo se coloca acima da Constituição Federal, justamente por não reconhecer a lei federal, que é competência da União, criar um piso nacional mínimo”, disse.

A ação é respaldada pela Constituição Estadual, conforme prevê os artigos 120 e 121. O texto diz que ‘nesta situação de violação da lei federal, a decisão judicial, no caso do Supremo Tribunal Federal, cabe à abertura de um processo por crime de responsabilidade’.

O presidente em exercício deputado Júnior Favacho, recebeu das mãos do advogado a representação com o abaixo-assinado. “Vamos encaminhar a Comissão de Constituição e Justiça para que seja feito todo tramite que o caso requer, a CCJ irá analisar a representação e encaminhar um parecer ao plenário. Caso seja pela culpabilidade , o governador será afastado automaticamente do cargo e será aberto o processo de impeachment”, explica.

(Texto: Departamento de Comunicação da Assembléia Legislativa)

  • Senhora Glória, o meu salário não será cortado simplesmente porque eu faço jus ao que eu recebo do Estado. Ao contrário da senhora e de uma mionoria de professores aloprados que querem receber sem trabalhar. Usa a net para fazer discurso em favor da educação, porém a prática é totalmente diferente. Em respeito aos demias servidores o executivo deveria cortar o salário de forma integral dos “educadores” que não querem retornar as escolas. Além disso deveria abrir processo administrativo, quando completar um mês não trabalhado, por abandono de cargo e contratar de forma emergencial pessoas realmente comprometidas com a educação.

  • Eu tenho um filho que está cursando a sétima série em escola estadual e estou preocupada com a reposição das aulas, pois mesmo que as aulas se prolonguem até março do próximo ano, não há como repor todas as aulas perdidas. Na escola em que o meu filho estuda, alguns professores nem sequer apareceram para dar aula, mesmo antes da greve. Segundo a supervisão da escola, estavam faltando professores de algumas disciplinas.O pior é que as escolas particulares não aceitam, para que o meu filho possa concluir o ano, pois não tem nota de nenhum bimestre, nem do primeiro. No ano passado, eu acompanhei o último bimestre, e não houve sequer uma aula de inglês depois que houve a greve. Somente passaram atividades nos últimos dias de aula, valendo nota do bimestre. Concordo que os professores merecem um salário melhor, mas acho que eles devem ter um comprometimento maior com a educação. Do jeito que está, a situação está crítica.

    • PARA O BOM ENTENDEDOR MEIAS PALAVRAS BASTAM.
      ‘’ Nas sociedades capitalista a alta burguesia contrata babás, tutores altamente preparados inclusive em universidades (Filme Diário de Uma Babá) para cuidar dos seus filhos. Já quando nasce o filho do proletariado ou do trabalhador, a ”família” entrega o mesmo a escola, tanto para ser alimentado, quanto cuidado e educado’’.
      ‘’Nas escolas se falta diretor, mas tem professor, na mesma tem aula, tem atendimento. Se falta reforma, limpeza, material didático, mas tem professor, na mesma tem aula, tem atendimento.
      Se falta merenda, dinheiro pra comprar, mas se tem professor tem aula, tem atendimento.
      Mas se faltar professor não tem aula, não tem atendimento e toda a sociedade, o estado, o país sofrerá por esta falta’’.
      ‘’Ser Professor..
      Ser professor é ser artista, malabarista,
      pintor, escultor, doutor, musicólogo, psicólogo…
      É ser mãe,pai, irmã, avó.
      É ser palhaço, bagaço…
      É ser ciência e paciência…
      É ser informação.
      É ser ação,é ser bússola, é ser farol.
      É ser luz, é ser sol.
      Incompreendido? …Muito.
      Defendido? Nunca.
      O seu filho passou?…Claro, é um gênio.
      Não passou? O professor não ensinou.’’
      PISO DO MAGISTÉRIO JÁ! É O MÍNIMO QUE SE PEDE.

    • VER QUEM VER
      Art. 205 – A educação, direito de todos e dever do Estado e da família, será promovida e incentivada com a colaboração da sociedade, visando ao pleno desenvolvimento da pessoa, seu preparo para o exercício da cidadania e sua qualificação para o trabalho.

  • Ser Professor..
    Ser professor é ser artista, malabarista,
    pintor, escultor, doutor, musicólogo, psicólogo…
    É ser mãe,pai, irmã, avó.
    É ser palhaço, bagaço…
    É ser ciência e paciência…
    É ser informação.
    É ser ação,é ser bússola, é ser farol.
    É ser luz, é ser sol.
    Incompreendido? …Muito.
    Defendido? Nunca.
    O seu filho passou?…Claro, é um gênio.
    Não passou? O professor não ensinou.
    Ser professor é um vício ou vocação?É outra coisa…
    É ter nas mãos o mundo de amanhã.
    Amanhã. Os alunos vão-se…
    E ele, o mestre, de mãos vazias, fica com o coração partido.
    Recebe nova turmas, novos olhinhos ávidos de cultura.
    E ele, o professor, vai despejando
    Com toda a ternura, o saber, a orientação.
    Nas cabecinhas novas que amanhã
    reluzirão no firmamento da pátria.
    Fica a saudade…
    A amizade.
    O pagamento real?
    Só na eternidade.

  • Nas escolas se falta diretor, mas tem professor, na mesma tem aula, tem atendimento. Se falta reforma, limpeza, material didático, mas tem professor, na mesma tem aula, tem atendimento.
    Se falta merenda, dinheiro pra comprar, mas se tem professor tem aula, tem atendimento.
    Mas se faltar professor não tem aula, não tem atendimento e toda a sociedade, o estado, o país sofrerá por esta falta.
    TUDO ISSO DEMONSTRA A IMPORTÂNCIA DO PROFESSOR. Pena que os governantes e aqueles que lhe bajulam para ganhar seus centavos, não reconhecem.
    Governantes se não dão conta de fazer o que é preciso, faça o mínimo necessário. CUMPRA A LEI DO PISO DO MAGISTÉRIO.

  • A velha máxima do direito diz que “ordem judicial se cumpri, depois, se recorre”. No Amapá, surgiu uma “nova”.

  • As pessoas que falam de salário não conhecem ou são cegas pelos chefes, cara Alcinea, compare o edital da educação e o da saúde, um professor com nivel superior de receberá R$ 1340,00 ( + 100% de regencia, que não é salário, é gratificação por estar na sala de aula, contrato de 40 horas) um profissional da saúde receberá R$ 2.900,00 ( + GAS, insalubridade, Plantão com contrato de 30 horas) então veja, salário não é vencimento, observe que nenhum profissional de nivel superior no Governo do Estado recebe menos do que um professor, então, vamos valorizar o professor que te educou, educou seu filhos, vai educar seus netos, o professor trabalha com até 50 alunos, em salas quentes, sem material de apoio, tem que se qualificar com seus recursos, então, respeitem e valorizem que já fez muitos por você e por seus filhos e fará por seus netos, sobrinhos, irmãos, professor deveria ser a classe mais valorizada do mundo.

    • Tem uma propaganda do Governo que fala sobre as pessoas escalpeladas e em determinada passagem diz: AGORA É LEI!, do que flui de que deve ser por todos respeitada. Por quê, então, para o piso nacional de salário do Professor a Lei é Lei, mas não é aplicável?
      NÃO PRECISA EXPLICAR, EU QUERIA ERA ENTENDER (Sócrates – Paneta dos Homens)

  • ESsa diretoria do SISEPEAP e ess rábula, me parecem estar com saudades do tempo da Harmonia.Querem a volta do Adauto e de outros mais. Credo em cruz…..
    Muleke, que já voltou pra sala de aula faz tempo…

    • Ei Muleke, o certo é SINSEPEAP, pelo menos o Adauto teve a coragem de enfrentar os grevistas cara a cara ,pegou o microfone e falou diretamente com a categoria.Ao contrário do atual secretário

  • .O Estado democrático de direito é aquele em que prevalece a vontade da lei, não dos governantes. SE A LEI FOR DESPREZADA E PREVALECER A VONTADE DE QUEM GOVERNA, TEM-SE UMA DITADURA.
    PISO DO MAGISTÉRIO JÁ!

  • Parece a coisa mais natural do mundo pedir impeachment de um governador. Vamos lembrar que os professores do Amapá ganham 100% de Regência de classe, ou seja, estão ACIMA e muito do Piso nacional, em outros estados, a Regência não passa de 23%, 25% do salário.
    Estamos nos acostumando com os desmandos, que achamos natural que um grupo como os professores, que não ensinam como deveriam, querer ganhar pelo que não fazem. Eu já tô de saco cheio disso. Governador, continue com o belo trabalho tentando limpar o Lixo do Governador passado…

    • Ei PUXA SACO e alienado,tu deve fazer parte da PANELINHA…Cruz Credo….tenho certeza que tu nao foi meu aluno!O PISO É LEI FEDERAL seu alienado…vai LER e para de falar besteira…………

    • Meu caro, muito cuidado com suas palavras sem medidas, lembrando que o professor tem que superar todas as dificuldades Relacionadas a estrutura das nossas escolas, que nao proporcionam o mínimo de conforto para nossos alunos e professores, o que gera falta de interesse do aluno, que tem por consequência o baixo rendimento, então muito cuidado com o que diz sobre os professores, que tem que estar todos osdias dispostos para dar o melhor de si.

  • Sobre as pessoas que fazem comentários em apoio às decisões do GEA. Sinceramente, hein?!
    O piso é LEI federal! E uma decisão judicial (estadual) que fere o princípio do direito de greve e vai de encontro ao rompimento do pacto federativo, não é IMPERATIVA sob análise jurídica.
    Vamos nos informar melhor e deixemos de comentar/analisar sem o juízo cabível às LEIS e sua hierarquia como Estado-membro da União.

  • Querer afastar um governador eleito pelo povo pelo fato de ele não atender os interesses meramente financeiros de uma classe que usa o radicalismo e não respeita a decisão judicial é um atentado contra o Estado democrático de direito. Pior mesmo é a Asssembléia legislativa, que não tem credibilidade e moral alguma, querer dar seguimento a essa aberração juridica. Quem está na ilegalidade é o Sindicato do professores não o poder executivo. O governo tem que cortar todo o salário desse grevista e não apenas a regência.

    • Seu maldito se há justiça divina UM DIA TEU SALARIO VAI SER CORTADO e os professores vão dizer o que tu dizes agora: NEM PRA CORTAREM TODO O SALARIO DELE!!! Seu MALDITO

      • Meu Deus, estou muito preocupada com a educação do nosso Estado. Como uma pessoa que se diz esclarecida, não faz um comentario a altura de sua formação. Afinal a senhora é ou não é educadora?
        Estamos aqui para expor nossas opiniões e não para amaldiçoar a quem quer que seja.
        #ficaadica
        Mas, lhe entendo deve ser saudade da harmonia mesmo…

  • Dizem alguns que em Macapá insalouse uma crise, pode ate ser verdade, mais é nas dificuldades qeu se encontra soluções para os grandes problemas, esperamos realmente que sejam resolvidos, pois a harmonia anterior deixou lembraças inesquesiveis.

  • Palávras sábias, inteligente e independente. Parabéns Antonio Carlos. Sua análise foi fantástica. Voce falou tudo o que sinto. Sou amapaense, e tenho a esperança de um Amapá melhor. Esperança que Deus vai nos abençoar com grandes gestores, num futuro bem próximo.

  • Acho que essa brigas que estão ocorrendo no Brasil todo entre governadores, prefeitos e professores só ira acabar se tudo que for relacionado a EDUCAÇÃO for administrado pelo MEC ( Brasília ) e quando falo tudo, me refiro aos recursos da educação que não são devidamente aplicados para essa finalidade.

  • É lamentável as expressões de apoio para certas autoridades, pessoas que olham apenas o seu umbigo, então estão se dando bem apoiam tudo o que o ” patrão ” faz, pensa, manda, ficam sem poder escolher até seus representantes, passei 6 anos estudando fora, já estou a 8 trabalho, saí governo estadual, municipal, deputados, vereadores, etc, dignidade, honra, respeito, humanidade, tudo está sendo deixado de lado por interesses pessoais, pensem nos hospitais, escolas, ruas, que se vocês não usam mas algum parente seu irá precisar aí verás o que foi ganho individual não serviu para seus parentes. Obrigado, desejo que o povo do Amapá saía dessa dependência para que o estado cresça e desenvolva para o coletivo e não para grupos que vão e voltam ao poder. Sobre a greve dos professores, em qualquer país desenvolvido o profissional mais valorizado é o professor, por isso tem tanta miséria e dependencia no Amapá

    • Desculpe, mas devo discordar em uma coisa: o Estado está do jeito que está devido a, entre outros fatores, justamente pelos professores que aí estão. Que só pensam no próprio umbigo, que ao invés de ensinar cidadania aos alunos, só demonstram desprezo pelos mesmos, deixando-os todo este tempo sem aula… Realmente, o professor deve ser o profissional mais valorizado na sociedade, mas não os daqui (salvo exceções), pois estão se revelando verdadeiros bardeneiros.

  • Esse SINSEPEAP é uma piada, o próprio TJAP declarou a greve ilegal, pois o governo em sua proposta atende o piso para todos os professores do estado. Agora importam um advogado do Ceará, pago não sei por quem, para vir até ao Amapá afrontar as instituições públicas (GEA E TJAP), dá um tempo SINSEPEAP.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *