Professores perdem o “Plano Collor”

Um acórdão do Tribunal de Contas da União, publicado no início do mês passado, mandar retirar do salário dos professores amapaenses a gratificação de 84,32% conhecida como “Plano Collor”, que eles vem recebendo há cerca de 18 anos.
Em função desse acórdão, o Ministério do Planejamento já tomou as medidas necessárias para que a partir deste mês (outubro) os salários já venham sem esse percentual. É um grande baque no bolso e no orçamento dos professores.
Hoje pela manhã, os deputados federais Bala Rocha (PDT), Dalva Figueiredo (PT) Evandro Milhomem (PCdoB), Janete Capiberibe (PSB) e Davi Alcolumbre (DEM) conversaram o o Secretário de Recursos Humanos do Ministério do Planejamento, Duvanier Ferreira, sobre o assunto.
Duvanier  prometeu aos deputados que até a próxima terça-feira, 11, vai analisar a petição impetrada pelos sindicatos. Os sindicatos pedem a suspensão da decisão.

De acordo com Bala Rocha a bancada  federal está articulando uma reunião com a Advocacia Geral da União (AGU) para tentar prorrogar a decisão judicial que retira o “Plano Collor” dos professores.

É bom correr. Pois a folha de pagamento fecha dia 15.

  • ABSURDO!EXDRUXULO!ABAIXO DA CRÍTICA!
    ONDE ESTÃO OS PRINCÍPIOS CONSTITUCIONAIS DA DIGNIDADE DA PESSOA HUMANA, DA SEGURANÇA JURÍDICA, DA COISA JULGADA, DA RAZOABILIDADE!
    QUEM SERÁ O RESPONSÁVEL PELA MORTE DOS APONSETADOS SE MANTIDA UMA DECISÃO TERATOLÓGICA DESTAS! AINDA ACREDITO QUE O JUDICIÁRIO POSSUA A GRANDE MAIORIA DOS MAGISTRADOS HONESTOS, QUE NÃO SE CURVAM A VONTADES POLÍTICAS E HÃO DE REFORMAR TAL DECISÃO!

  • Alcinea, não sei se vc prestou atenção, mas, toda vez que se aproxima eleição é essa palhaçada, parece um joguete bem articulado pelos políticos daqui visando alferir vantagens eleitoreiras as custas da desgraça alheia. Nos poupem! Essa manobra já está manjada.

  • De um jeito ou de outro, precisa-se de um decisão definitiva, não pode é brincar com a vida de pessoas em grande maioria idosas, que serviram a nação, meus pais recebem o tal plano collo, 18 anos, agora na velhice, ações, liminares, tribunais, tcu’s, vem e tiram, mostrando um total desrepeito como os cidadãos, ora, alguem tem que bater o martelo, dizer é assim e pronto, só acho que depois de tanto tempo, erros ou acertos, quem não pode pagar a conta são os professores!! com a palavra a mesma justiça que deu ganho de causa!!
    Para finalizar, o executivo federal é tão bagunçado, que eu com somente 4 anos de servidor publico, o governo já me deve dinheir, e já temos, eu e meus pares, ações contra o governo!

  • eles tbe deveriam ve o q o governo esta fazendo com os professores dos contratos, os coitados estao trabalhando e o q o govero fez pagou um misero mes, e as contas q os coitados fizeram pois trabaharam ja a cinco meses e recem um so, nossa q governo e esse q disse em campanha q iria valorizar a educação q valores sao esses q os professores traballham e n recebem bem q o s”POLITICOS”, DE VERIAM DA MAS ATNÇÃO OLHA O PLEITO ELEITORAL TA VINDO CUIDADO MTOSS AGORAM JA SABEM VALOR DE SEU VOTO.

  • Realmente, é muito revoltante esse terrorismo que todos os anos os professores passam. Sem falar que a maioria esta aposentado, e a idade onde mais as pessoas estão precisando de recursos financeiros, pois é qdo veem as doenças e remedios caríssimos…..
    Senhores Deputados deem um basta nesse tormento, aos “nobres professores” que em sua maioria foram seus “Mestres”

  • É sempre assim,maioria dos servidores do executivo são sempre penalizados pelos gestores maior,ou seja,o presidente da república.Na verdade a união deve milhões aos servidores publicos de direitos adquiridos mas não os paga sem que se recorra à justiça,quando se ganha estes direitos junto à justiça,o executivo persegue estes até retirá-los por completo,é o caso dos professores daqui.Sou servidora pública da união e nunca recebi este plano e tantos outros, requeridos por nosso sindicato (SINDSARF),que há meu ver é fraquinho.Não público oque ganho,pq dá até vergonha,mixaria.Pois é,ISONOMIA era um sonho,agora é pesadêlo,jamais o executivo irá iguala o salário de seus servidores, aos do legislativo e judiciário,não tem vontade p/isto.O executivo esta cheio de pessoas com graduação elevada até em doutorado,mas com cargo de agente administrativo(é o meu caso) executando tarefas compativeis com estas graduações,fato é que o governo federal não faz mais concursos internos,os quais daria oportunidade aos servidores(sem muitos concorrentes)p/elevar sua categoria e melhorar os salários.Executivo tá cheio de bons profissionais,mas sem ânimo p/elevar este poder,pois o reconhecimento é este ai,o de penalizar cada vez mais o servidor deste combalido executivo.Para os ladrões travestidos de politicos TUDO,para o lascado servidor,NADA.

  • E outro plano collor (do montande de valor maior?)? Meu pai já fez 15 anos de falecido e não pode usufruir do q ele tinha direito por lei! Triste!!!

  • Isso é REVOLTANTE, num pais onde os salarios dos politicos são reajustados a mero prazer, sem falar nos inumeros roubos do dinheiro publico que nunca retorna aos cofres publicos, continua com quem roubou, proporcionando a estes bandidos uma vida de luxo, nós meros servidores federais, temos que passar por mais essa prova de desrespeito, um beneficio que recebemos há 18 anos, ser retirado assim dessa forma, conheço pessoas que ja morreram, ou então adoecem quando escutam falar no fim do plano color. ISSO É BRASIL.

  • Uma pergunta: Por que estao sempre cutucando os servidores federais que estao a disposiçao do Estado do Amapá.

  • Muitos professores que estão aposentados também nunca receberam esses 84 %, ou seja, trabalharam tanto quanto os que recebiam, foram injustiçados, pois também deveriam receber tal acréscimo em seu provento. Agora com a decapitação desse acréscimo, acabou a esperança de um dia se igualar (isonomia)aos que recebiam.

  • E continua a tentativa do governo de usurpar os direitos dos trabalhadores conquistados pela justica. Que democracia e essa em que os direitos fundamentais nao sao garantidos???Que pais e esse???Alcineia li no blog do Correa Neto que no que diz respeito ao acordao do TCU “nosso entendimento, fora da alçada do TCU”. Ta na hora de acabar de vez com essa novela, pq tantas vidas ja se perderam neste tempo. Perdi amigas com AVC depois que receberam essas noticias. Nao aguentamos mais tanto terrorismo.

  • A insegurança jurídica cada vez assola mais este país. Isso tudo é resultado de ato legislativo praticado pelo Executivo e as sentenças trabalhistas que, primeiramente, entenderam que o Plano Collor era inconstitucional. Depois resolveram inverter o entendimento. Conclusão, depois de incorporados aos salários dos empregados, os valores deferidos pelo Judiciário, vem agora o TCU e desfaz o que o Judiciário já tinha feito. Mais uma enxurrada de ações vão surgir, se mantida a exdrúla decisão do TCU depois de quase 20 anos.

    • Espero, com muita fé em Deus e na justiça que este impasse tenha um final feliz aos professores. Acredito que advogados, essencialmente operadores do dirieto, irão nos trazer essa boa notícia, ratificando a confiança depositada por todos os sindicalizados. Por último, peço que nos matenham informados, pois o desencontro de informações pode trazer consequencias trágicas aos professores que já estão tão frágeis diante dessa situação.

  • PÉSSIMA NOTÍCIA PARA OS NOSSOS COLEGAS DO MAGISTÉRIO. NESSE MOMENTO, A BANCADA TODA DOS EX-TERRITÓRIOS TEM QUE SE UNIR PARA LUTAR, A FIM DE QUE SEJA MANTIDA A GRATIFICAÇÃO. CASO CONTRÁRIO, MANTIDA A DECISÃO, ESSE MESMO TRIBUNAL PUGNARÁ PARA QUE OS FUNCIONÁRIOS DEVOLVAM O QUE VINHAM RECEBENDO INDEVIDAMENTE.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *