Randolfe denuncia caos e descaso no sistema aéreo do Amapá

A escassez de voos e o preço altíssimo das passagens aéreas para o Estado do Amapá, foram  o tema de protesto do pronunciamento do senador Randolfe Rodrigues  (PSOL-AP) ontem, quinta-feira (28) no plenário do Senado.

“Absurdo. Este é o termo correto a ser utilizado para a situação de completo abandono e de caos do sistema aéreo da minha cidade de Macapá. No Amapá já temos um conjunto de problemas de infraestrutura básica, como saneamento e distribuição de energia elétrica. Agora sofremos com o problema de “duopóplio” existente no país, das companhias TAM e Gol, que em Estados mais distantes, como Amapá e outros Estados da Amazônia, torna praticamente impossível o deslocamento”, diz Randolfe.

Segundo ele, as passagens estão mais caras que para viagens internacionais e as vagas são escassas, isso quando há vagas.  “É muito mais barato chegar em Paris ou Lisboa do que ir para o Amapá, isso é um absurdo”, protestou.

O senador lembrou ainda do agravante que é a paralisação das obras do aeroporto internacional de Macapá, há mais de dois anos.  Esse descaso foi tema de uma representação apresentada por ele em maio de 2012, no Ministério Público Federal. Randolfe já está preparando uma nova representação ao órgão denunciando agora o preço das passagens e a ausência de voos.

Em reunião com a secretaria da aviação civil, há duas semanas, a bancada do Amapá recebeu a informação de que até o final de dezembro as obras serão recomeçadas, porém para Randolfe essa reposta não condiz com a necessidade do povo do Amapá. Ele considera descaso e irresponsabilidade da Infraero essa situação.

(Assessoria de comunicação do senador Randolfe Rodrigues)

  • Até que enfim Senador. Por que cargas d’agua isso acontece? Vou sempre que posso a minha querida Macapá, mas, para isso, pago o dôbro de uma viagem a São Paulo e até ao Rio Grande. Estive em maio na França, Espanha e Portugal e junto a minha esposa, durante um mês, gastamos menos que a ida a nossa terra(passagens aéreas com escala em Belém.) Os políticos nunca se sensibilizaram com essa calamidade pois não pagam de seu bolso esse custo. Parabéns Senaador, é um grande serviço prestado aos que vivemn aí no AMAPÁ e aos que vivem fora e gostam de rever sua terra.

  • Somos roubados de todos os lados: são as verbas imorais da AL, os impostos que não retornam em serviços à população, os “cachoeiras” da vida esta festa das empresas de transporte áereo. Ninguém merece!

  • Tô tentando ir a Macapá rever meus familiares mas ainda não consegui.A passagem para qualquer outro lugar é mais barata que para Macapá.Alguém precisa fazer alguma coisa para resolver este problema.Estamos impossibilitados de sair ou voltar de nosso estado.

  • Senador, parabéns pela seu questionamento, pela sua luta. Acho que pela primeira vez no Amapá, vejo a luta de um parlamentar no tocante ao duopólio das duas empresas que operam vôos regulares no Estado. Quanto as obras do aeroporto, creio que a culpa não seja da INFRAERO. É sim dos políticos que usurparam 100 milhões, pois, se não fosse por isso, já teríamos um AEROPORTO de fato desde 2011, se não estou enganado. Mesmo assim, parabéns pela luta. O povo do Amapá merece muito mais.

Deixe uma resposta para amiraldo pereira bezerra Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *