Renato Piau e a guitarra que faz milagres e nomeia relâmpagos

Considerado um dos melhores e mais respeitados instrumentistas brasileiros, Renato Piau – que semana passada esteve em Macapá tocando com Luiz Melodia – desenvolve, através do selo Guitarra Brasileira,  um trabalho voltado para a produção musical independente de qualidade.
Antenado,explora o potencial da Internet como veiculador de cultura e produtos musicais.
Quando criada, a Guitarra Brasileira visava apenas o segmento instrumental, mas o grande sucesso a levou a investir também na música vocal e  hoje o selo de Renato Piau é conhecido de norte a sul do país e já lançou dezenas de CDs de grande qualidade que você pode conferir e comprar no site da Guitarra e ouvir na web rádio (para acessar a rádio clique aqui).

Além de atender artistas consagrados, a Guitarra Brasileira também abre as portas do mercado para os novatos, desde, claro, que sejam talentosos. Além de produzir, o selo tem um esquema de distribuição para todo o Brasil e também para o exterior. Não é à toa que é cada vez maior o número de artistas que mandam suas músicas para Piau. “Escuto tudo que recebo. Não deixo de ouvir nada absolutamente”, diz ele. E faz isso com prazer. A Guitarra já ultrapassou fronteiras, tanto que artistas de diversas partes do mundo tem feito contato com Renato Piau. Semana passada quando ele estava em Macapá, ao abrir sua caixa de e-mail, lá estava um enviado por um músico da Ucrânia.
Piau ressalta que  a Cultura é essencial para o crescimento de um país e de seu povo. E foi para contribuir com esse crescimento que ele criou a Guitarra Brasileira.
Especializada também na  formatação de projetos culturais, com leis de incentivo fiscal, a empresa articula conjuntamente com o artista a viabilização de seu projeto junto ao mercado, buscando novas possibilidades de apreciação da arte e oferece todo o suporte necessário para empresas e entidades realizarem seus eventos, através de um serviço de qualidade e eficiente, nas atividades de coordenação, organização e execução a um custo acessível.

Quem é Renato Piau
A primeira vez que o vi tocando foi lá pelos anos 70 no Rio de Janeiro. Me encantei com os sons que ele tirava da guitarra ou do violão. Era uma coisa fantástica. E por ser assim na época em que eu estudava no Rio ou quando lá ia a passeio não perdia a oportunidade de ouvi-lo tocar, principalmente com Luiz Melodia que Piau acompanha há décadas.

Em Macapá tive a oportunidade de ouvi-lo tocar e cantar duas vezes: uma no Teatro da Bacabeiras e outra sábado passado na Choperia da Lagoa com Luiz Melodia (claro) no show Livre, Leve e Solto da amapaense Juliele. E cada vez que escuto Piau mais me convenço do que disse o grande poeta Manoel de Barros sobre ele: “A guitarra de Renato Piau faz milagre, pode até nomear relâmpagos”.

Compositor, instrumentista e cantor, Renato Piau nasceu em Teresina (PI) e aos 13 anos já mostrava no violão que era uma maravilhosa promessa da música popular brasileira. Promessa que se concretiza no Rio de Janeiro.

Ainda garoto na banda Os Brazinhas, em Teresina

Aos 17 anos o menino Renatinho parte de Teresina para a Cidade maravilhosa a fim de dar continuidade aos seus estudos a nível de segundo grau e depois entrar numa faculdade. Mas, apaixonado pela música, como não gazetar umas aulas para se enturmar com os artistas da época? Ah, bem mais gostoso e divertido que estar numa sala de aula era dar umas “macuricadas” pela CBS, era assistir shows de Renato e seus Blue Caps. “Eu era fã de Renato e seus Blue Caps”, diz ele. Claro, a maioria dos garotos brasileiros também era fã daquela banda que foi um dos grandes expoentes da Jovem Guarda. Os cadernos e livros foram ficando de lado, a música tinha o imã e ele o imã para a música. A música atraía Renatinho e Renatinho atraía a música. Conclusão: no segundo semestre não pisou mais na escola. Já estava pisando nos palcos e iniciou uma parceria com Torquato Neto.

Tocou e compôs com Raul Seixas, Sérgio Sampaio, Luiz Gonzaga, Fagner, Nana Vasconcelos, Chuck Berry, Sandra de Sá, Ron Carter, Tânia Maria, Baiano e os Novos Caetanos, Zé Ramalho, e muitos outros . Compôs com Chico Anísio e Arnaud Rodrigues várias músicas gravadas pela dupla Baiano e Os Novos Caetanos, com a qual viajou em turnê por todo o país.


Na década de 1980 passou a acompanhar o amigo  Luiz Melodia, com quem tem várias parcerias, entre as quais “Cara a cara”, “Morena da novela”,  “Cuidando de você” e “Este filme eu já vi”. Esta, inclusive, gravada também por Cássia Eller.
Trabalhou também com Tim Maia, tocando na  banda “Vitória Régia” que acompanhava o cantor. E Tim gravou algumas músicas de Piau, como o grande sucesso “Pais e Filhos”.
É de Renato Piau a trilha a trilha sonora do antológico disco no qual o Cardeal Dom Hélder Câmara leu textos da Bíblia.

Piau com Nana Vasconcellos e Tania Maria

Piau tem vários discos gravados e  parcerias com grandes nomes,  e é sempre encantador ouvi-lo num CD, na rádio web, num show ao vivo ou numa pequena roda de amigos. Em qualquer situação seu violão e sua guitarra nomeiam relâmpagos, estrelas e sóis.

  • Comodidade se não bastasse ser um artista de primeira grandeza, é uma pessoa rara digna dos melhores elogios
    Abraços amigos.

  • Quando escuto ou vejo Renato Piau na mídia, sou levado a um passado em que seu potencial despontava , sempre admirado por todos nós,colegas de turma no Colégio Helvídio Nunes em THE. orgulho-me disso.

  • musica é a arte dos sons combinados de acordo com as variações da altura proporcionados segundo a sua duração e ordenados sob as leis da estatica

  • Lindo o texto e merecida a homenagem! fico feliz por ter tido a honra de vê-lo se apresentar ao vivo. Foi Show!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *