Renivaldo Costa lança “Papo de Boteco” amanhã no Bar do Abreu

Histórias do Bar do Abreu são contadas em livro

Escritor Renivaldo Costa

O bar mais conhecido  e bem freqüentado do Amapá recebe uma homenagem em forma de livro de autoria do jornalista Renivaldo Costa, freguês que usou suas habilidades para contar alguns dos muitos casos que acontecem nas mesas e no famoso balcão. É o Bar do Abreu, que ao completar 28 anos não perdeu a essência e continua a reunir pessoas que transformam-se  em personagens das histórias que saem do interior do bar e são contadas em outros balcões, nas ruas, jornais e outras publicações, viraram lendas e agora são narradas pelo jornalista no livro “Papo de Boteco-Crônicas e Contos Escritos no Bar do Abreu”.

O bar
Cenário de matérias jornalísticas; pauta constante quando se fala em tradição, festa e jogos; lugar democrático onde se discute política, religião ou futebol sem medo de retaliações; palco

Alcy Araújo

de apresentações culturais, lançamento de livros e discos;

Isnard Lima

balcão de encontro; parada obrigatória pra quem quer encontrar parceiro para um bom papo, o Bar do Abreu está na história do Amapá. Conhecido pela característica de ser nômade, já teve vários endereços, mas sempre sob o gerenciamento dos mesmos proprietários. José Ronaldo, Eliete, Marquinho e Bruno continuam com a tradição deixada pelo patriarca Orlando

Hélio Penafort

de comandar o bar que só não abre segunda-feira mas nos outros seis dias recebe uma freguesia que diversifica entre funcionários públicos, empresários, escritores, esportistas, médicos, políticos, artistas, estudantes e outros tantos anônimos e famosos.

A obra
Com fotos dos personagens, a obra é uma coletânea de textos publicados na imprensa amapaense que contam histórias e estórias de “abreulistas”, desde os que já se foram, como os jornalistas Hélio Penafort, Alcy Araújo e Jorge Ernani, o escritor Carlos Cordeiro, o poeta Isnard Lima; e de quem ainda freqüenta o bar, bebedores ou não, como Bira, Fernando Canto, Emanoel Reis, Paulinho, os proprietários e até o autor. Em 104 páginas, Renivaldo conta os “causos” divididos em 42 textos que deixam o leitor com impressão de que estão realmente no balcão do bar, escutando os ruídos típicos de copos e garrafas, ao som de música variada, convivendo com os personagens em diferentes níveis de embriaguês ou sobriedade, e participando das histórias reais porém com os exageros próprios dos que freqüentam balcões de bar.

O autor
O amapaense Renivaldo Costa é sociólogo, professor, jornalista profissional com 16 anos de imprensa, passou por diversos jornais, emissoras de televisão e rádio, fez  assessoria de comunicação para  instituições e órgãos públicos, como compositor já recebeu premiações, e produtor, ousou ao conduzir peça teatral. Atualmente é articulista de jornal diário e apresentador de programa de rádio.

Papo de Boteco será lançado nesta sexta-feira, 13 de agosto, no Bar do Abreu, a partir das 20h. O evento será aberto e Renivaldo estará autografando o livro saboreando petiscos do coquetel ao som de músicas regionais com os presentes. O bar fica na av: Fab, na Galeria Comercial, no Centro. O livro já está a venda no Bar do Abreu, bancas do Dorimar e Ceará e Confraria Tucuju ao preço de R$ 10,00.

(Texto: Mariléia Maciel, da assessoria de comunicação)

  • Gostaria de deixar aqui registrado aos leitores do blog e da notícia do lançamento do livro que, infelizmente, não há como confiar que a autoria do mesmo seja de Renivaldo, já que este senhor é um plagiário de primeira linha. Meu nome é Tiago Dantas Germano, sou jornalista da Paraíba. Tenho provas de que Renivaldo, em sua profissão como colunista do Diário do Amapá, se apropriava de minhas crônicas publicadas no jornal A União, aqui de João Pessoa, e publicava no blog dele e no dito jornal. Tenho as crônicas originais, datadas de meses e anos antes das que chegavam aos leitores do criminoso. Gostaria de contar com o auxílio da autora do blog e dos leitores para dar repercussão ao caso. Posso enviar as provas (os meus textos, os plágios dele e uma mensagem do próprio, reconhecendo o crime) através do e-mail: [email protected]. Obrigado.

  • Legal o lançamento do livro. Não estou mais em Macapá, mas tenho saudades do abreu. Tenho guardado um exemplar de um jornal do bar, feito por um jovem e talentoso jornalista, o Gabriel penha, que conheci no prório bar do Abreu. inclusive renivaldo e outros grandes jornalistas, como Edi Prado, Fernando canto, Joel Elias escrevem no jornal. pena que não tenha sido feita uma segunda edição.

  • Que maravilha, gostaria tanto de ter uma copia do livro…. e tao bom ver foto do meu saudoso tio Isnard.

  • Gostaria de estar ai no balcão, mas deixo meu abraço ao evento com um fiuzinho de inveja. Abraços aos amigos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *