Rodoviários desistem da greve

O prefeito de Macapá conseguiu evitar a greve dos rodoviários, marcada para esta sexta-feira, 21, e que causaria grande prejuízo na abertura da  Expofeira. Roberto Góes intermediou acordo entre os sindicatos dos trabalhadores e das empresas de transporte, garantindo reajuste a partir de novembro.

O Sincottrap pedia reajuste de 1% sobre o salário base além de aumento de 30 reais na cesta básica. O Setap não queria dar o benefício, alegando prejuízo na arrecadação. Durante a reunião entre Setap e Sincotrap, intermediada por Roberto Góes e que teve também a presença dos vereadores Gean do Nae e Acácio Favacho além do promotor Paulo da Veiga e representantes do DCE e da Uecsa, a prefeitura demonstrou que era possível dar o reajuste.

Para garantir o reajuste a partir de novembro, cujo pagamento dos vencimentos ocorre até o quinto dia útil de dezembro, a Prefeitura vai abrir mão de R$ 30 mil referente a 20% da arrecadação da taxa de gerenciamento arrecadada pela EMTU. “Mesmo se tratando de um embate entre patrões e empregados, onde a Prefeitura era intermediadora, com a atitude, o prefeito dá uma demonstração de compromisso com a municipalidade e de responsabilidade na resolução dessa possibilidade de paralisação”, declarou o promotor Paulo da Veiga.

Durante a reunião, os rodoviários agradeceram ao prefeito e pediram que o acordo celebrado entre as partes, fosse homologado no Ministério Público do Trabalho no dia 18 de novembro, já que o Setap não possui carta sindical. Eles também denunciaram que algumas empresas, como a Cidade de Macapá e Garra, estão com salários atrasados há mais de dois meses. O promotor Paulo da Veiga prometeu apurar as denúncias.

Roberto Góes destacou que era necessário um entendimento visto que a Expofeira, evento que ganhou notabilidade e quadruplicou o volume de negócios nos últimos oito anos, não poderia ser prejudicado.

(Texto: Coordenadoria de Comunicação da Prefeitura de Macapá)

  • Ora,ora!O prefeito arrogante massaraduba,acostumado a esmurrar as mesas de negociações com as categorias que na sua gestão fizeram manifestação ou greve agora dá uma de mocinho ao abrir das portas de 2012.Por que será?

  • Sei não, greve por 1% mais trintinha pro feijão com arroz, acho que isso é migué. Aqui em Manaus, o prefeito ficou bravo, muito invocado com a justiça que barrou o aumento de R$- 2,25 para R$- 2,75, quase 20%. Será que êle toparia dar um aummento assim para os servidores municipais?
    Prova inconteste de que o político só está ao lado do povo até o resultado das eleições.

  • Como eu sempre penso no POVO, que bom vai ter bus circulando normalmente. Menos um problema pro Camilo na Expofeira, ironicamente graças ao Roberto. Um jogo político sem “sacanear” o POVO, isso é política de quem sabe, Roberto tá no caminho! O fim sempre deve ser o benefício do povo, quem pensa com grandeza política sabe alinhar interesses pessoais com fins sociais.

  • Primeira vez que eu vejo uma categoria pedir 1% de aumento salarial. Ou os rodoviários são resignados ou o prefeito viu que essa greve seria um tiro pela culatra.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *