Show “A Rua dos Cataventos”

Depois de um longo período de gravação do CD “A Rua dos Cataventos” o grupo Pássaros Cantam Na Chuva prepara seu mais novo show que também ganhou o mesmo nome do CD, o show acontecerá no sábado dia 26 de novembro às 20h no Centro Cultural Franco Amapaense, com entrada franca.

Diferente da antiga turnê (Pandora), o grupo poético-musical homenageia a ilustre obra do poeta Mário Quintana que constantemente será lembrada durante a apresentação do espetáculo.
A direção geral do show é de Pedro Stkls e revela: “A turnê A Rua dos Cataventos será a mostra de um resultado musical que nos arrancou muita criatividade e ousadia, será um show de novas e antigas canções. Teremos a participação do Grupo Poesia na Boca da Noite que lindamente aceitou abrilhantar nossa estréia. Teremos também a cantora Jéssica Six e o cantor Julio Sherring que cantarão conosco. Esperem por um show sem exageros, apenas regado com poesia e jardins floridos. A poesia de Mario Quintana será nossa maior alegria.”
A produtora de arte Thatá Braga diz: “Este show é o início de uma nova fase dos Pássaros. Fui a produtora de arte responsável pelo cenário e figurino da primeira turnê e viajei pela imensidão de cores possíveis e impossíveis. Esta nova turnê frisa a poesia de Mário Quintana, o cenário não ganhará muitas cores e os figurinos são simples e sem muitos assessórios. Recortes antigos e livros darão o brilho deste novo cenário.”

A ansiedade já toma conta de todos os corpos e corações do grupo de jovens poetas-músicos de Macapá. Quem já foi a um show dos Pássaros sabe o que é ser invadido por sensações numa mesma apresentação e sair do teatro com gostinho de bis. E que venha o dia 26 de novembro.

(Texto: Pedro Stkls e Laiane Coelho)

  • Eu vou , fui no primeiro Show deles, e irei novamente prestigiar, Parabens ao Passaros cantam na chuva………

  • É uma pena eu não estar aí para prestigiar o show. Vi pela televisão que o governo estuda forma de estabelecer ingressos mais baratos para que os torcedores pobres possam assistir aos jogos da copa. Deste jeito eu me sinto discriminado. Um dia desses eu quis muito assistir a uma apresentação do Balé Bolshoi e a um show da Bibi Ferreira, em Brasília, mas não tive condições de pagar R$ 150,00 pelo ingresso. Quanto aos jogos da copa, moro perto do Estádio de Brasília mas não pretendo ver jogo nenhum. O futebol se transformou numa máfia internacional, com semianalfabetos de comportamento social duvidoso ganhando milhões, enquanto profissionais com doutorado ganham minissalários. Eu me recuso a contribuir para isso.
    Eu gostaria de entender por que o povão não dá tanta importância a um evento deste quilate.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *