Só por curiosidade…

Qual o escritor da sua preferência?

Com qual escritor você gostaria de sentar num banco de praça e conversar demoradamente?

Que presente você gostaria de ganhar hoje de um escritor?

  • Bateria um papo prolongado com vários. Um da minha infância, José Mauro de Vasconcelos; outro da juventude, Ignácio de Loyola Brandão; e um terceiro da vida adulta, Milan Kundera. Ah! Mas, tem muitos outros… Nossa!

  • Sou fã de Graciliano Ramos! Foi ele que me fez apaixonar de vez pela leitura quando li seu livro Alexandre e outros Heróis! Se fosse depender de machado de assis nunca mais teria lido na vida! Mas Graciliano é tudo de bom !

  • gostaria muito de sentar com o melhor de todos, grande MACHADO DE ASSIS, e perguntá-lo: ” Machado, a capitu traiu ou não o bentinho?” só isso.

  • Oi Alcinea , tenho uma denúncia a fazer. A edição de domingo do Diário do Amapá trouxe uma matéria sobre o resultado do concurso da SESA, segundo o mesmo o resultado seria divulgado essa semana, porém, ainda hoje saiu no site do governo que só sairá no prazo de 60 a 120 dias, ou seja, de 2 a 4 meses. Um prazo arbitrario, que, coincidentemente, é o mesmo prazo dos contratos por debaixo dos panos que tão rolando no Hospital de Santana, com clara finalidade eleitoreira. Só pro meu cargo são 5 contratos. Tais contratos devem estar rolando em Macapa também, fiquem de olho!

  • Ariano Suassuna, Tiago de Melo, Mario Quitana, Paulo Leminsky, Pablo Neruda, Tolstói. É ser muito sonhador, não é? Prefiro mesmo os daqui, Fernando Canto, Paulo Tarso e você Alcinéia Cavalcante. Sei que você pediu um apenas, mas é difícil deixar de citar tanta gente boa.

  • Apesar já ter uma certa idade, meu lado de criança vai ser eterno enquanto durar. Por isso, é que amo Monteiro Lobato.

  • Gostaria de tomar um uísque com o nosso poeta Vinícius de Moraes e “Bem devagar ir sentindo A terra toda rodar”…

  • Khaled Hosseini – A cidade do sol (amei a leitura desse livro) e O caçador de pipas.
    Asne Seierstad – O livreiro de Cabul.
    A essencia da obra dos referidos autores mostra histórias reais da cultura e sofrimento do povo afegão. Me sinto fascinada pela história da cultura desse país antes da guerra.

  • Gosto muito do Jorge Amado. Sinceramente, gostaria de sentar num banco de praça e conversar demoradamente com os escritores amigos aí da nossa terra querida: uniríamos o útil ao agradável. O Jorge Amado e outros famosos não teriam como preencher o vazio de uma amizade distante.
    Gostaria de ganhar os livros de autoria de uma mulher genial chamada Alcinéa Cavalcante: Tal pai…tal filha. Abs.
    Nazir

    • Vou lançar o livro na Bienal, dia 17 de agosto. E logo no dia seguinte te mando um, carinhosamente autografado e embrulhadinho em papel de presente.
      Beijos, amigo.

      • Então vai coincindir: no dia 28 de agosto estarei na city. Pessoalmente irei buscar o livro e regaremos com tucunaré e pirarucu (se não tiver no defeso)no leite da castanha do pará preparado pelo mon ami Alcione.

  • Gosto muito de Gabriel García Marquez e de Carlos Drummond de Andrade. Tenho muita vergonha de nunca ter lido José Lins do Rego. Daqui do Amapá, leio vez por outra poesias de Alcy Araújo e gosto. Ah, uma escritora que seria bom papo é Raquel de Queiroz, lembro dela numa palestra na UFPB bem humorada, contando seus causos cotidiano e falando do sofrimento que é escrever.

  • Gostaria de passar ao lado de amigos (as) escritores (as) que aí deixei. Você é uma delas minha querida amiga. Abração no Tondo e no Márcio. Saudades.

  • Dos brasileiuros, gosto muito do Guimarães Rosa, do Machado de Assim e do Quintana. Dos estrangeiros, Vitor Hugo, Florbela e Eça e Queiroz (Correspondência de Fradique Mendes) é imperdível.

  • Como gostaria de conversar com Nelson Rodrigues.Saber dele como ele conseguiu tanta acidez,tanta loucura bem pensada.
    Tens como fazer isso??
    Um abraço.

  • Mana,
    Das bandas de cá Alcy Araujo.
    No palno masi universal, sem dúvida Fidor Dostoievski.A seguir algumas frases do genial escritor russo.

    Não é o cérebro que mais importa, mas sim o que o orienta: o caráter, o coração, a generosidade, as ideias progressivas.

    A tirania é um hábito com a propriedade de se desenvolver e dilatar a ponto de tornar-se doença.

    A juventude, ainda que só uma gotinha e ainda que pelo caminho torto, sempre é generosa.

    Bjs Mano

  • Certamente meu dileto escritor é Edward Palmer Thompson (1924-1993), historiador polêmico, dissidente e extraordinário, pois em vida não se separou das obras, falta ler “Os Românticos”; uma prosa literária seria com Charles-Pierre Baudelaire (1821-1867), poeta “maldito” e imoral” que se imortalizou com “As Flores do Mal”; um presente… que um escritor, seja quem for, publicasse mais um livro

  • Putz, eu ia dar um presente, ia levar Gogol na zona e esperar ele voltar com o cabelo engomadinho pra contar a experiência, rsrs. Enquanto tomava (excepcionalmente) umas brejas tchecas com Franz Kafka e Ernest Hemingway.

  • Jorge Amado. De leitura fácil, com personagens envolventes. Quando começamos a ler seus livros não dá vontade de parar ao mesmo tempo em que devemos “degustar” lentamente sua leitura para não acabar o livro tão rapidamente.

  • Milton Barbosa, vc, Néa, Deusa das Letras, receber, autografadas, todas as publicações de: Jhenni Suelen e Andreza Gil, Guilherme Côrte, Aloisio Cantuária e Cabo Osvaldo.

  • Temos muitos nomes brilhantes na Literatura, mas gostaria muito de sentar numa praça com o RUBEM ALVES, e com ele fazer balanços e plantar jardins…

  • Tenho varios escritores….Clarice,Caio F. Abreu e principalmente…Carlos D. de Andrade,aquele que eu adoraria passar horas conversando.

  • Alcinéa,
    Gosto muito do regionalismo, principalmente o nordestino por sua saga. Minha preferência é por Guimarães Rosas-Grande Sertão:veredas, sentar num banco com João Cabral de melo Neto e saber tudo sobre Morte e Vida Severina e de José lins do Rego, receber autografado Fogo morto, obra prima deste genial escritor.
    Sds,

  • Quanto ao presente, a Nívia, neto do Sr. Binga Uchoa, estará em Macapá e já pedi a ela que me traga um exemplar de “Paisagem Antiga”, de autoria de uma certa Alcinéa Cavalcante. Fiz isso por segurança, caso eu não possa ir a São Paulo prestigiar o lançamento do livro e aproveitar para rever a exposição de Michelangelo Caravaggio, meu pintor predileto.

  • Sempre fui fã de Jorge Amado. Há alguns anos eu me envolvi tanto com o enredo de “Tocaia Grande” que, quando concluí a leitura do livro, parece que um vazio inexplicável tomou conta de mim. Era saudade dos personagens. Cheguei a encomendar um livro autografado a parentes que moram em Ilhéus, mas o escritor morreu e não recebi o presente.
    Já com Carlos Drummond eu gostaria de passar uma tarde jogando conversa fora. Gosto desse jeito calmo, contemplativo e discreto do mineiro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *