• Meu pai nunca nos deixou acreditar em Papai Noel,mas eu e minha esposa proporcionamos essa fantasia aos nossos filhos. As criancas merecem ter fantasias.

  • claro que escrevi, e ele sempre me atendeu…afinal qual é a verdadeira razão da familia existir? cultivar o amor, preservar as tradições, o respeito, a solidariedade, honrar os compromissos, etc. e escrever ao papai noel também fazia parte do nosso crescimento!

  • A minha priminha escreveu uma cartinha que dizia o seguinte:

    Querido Papai Noel,

    Peço ao senhor cem reais de Natal que é pra comprar uma boneca pra mim, e uma bola pro meu irmãozinho. Obrigada, Papai Noel. Feliz Natal.

    Ass.: Aninha.

    Na hora que os funcionários dos Correios faziam a triagem das correspondências, encontram a carta endereçada ao Papai Noel cujo endereço era o Céu. Acharam lindo aquilo, e resolveram abrir a carta, cujo conteúdo é o texto franco e sincero, que vai acima, de uma menina de 10 anos. Os funcionários fizeram uma coleta, e que resultou no total de R$50,00 (cinqüenta reais), a metade, mais era de coração, afinal era o espírito de Natal que os enterneciam. Passou o Natal, o Ano Novo, e um belo dia encontraram a carta endereçada ao Papai Noel, remetida pela a Aninha. Os funcionários, orgulhosos, se reuniram pra ouvir a leitura da carta que certamente era de agradecimento ao Papai Noel. A carta dizia o seguinte:

    Querido Papai Noel,

    Sei que o senhor é um velhinho muito bonzinho. O dinheiro que o senhor me mandou, os cem reais, eu comprei minha boneca, mas não deu pra comprar a bola do meu irmãozinho, porque os ladrões dos Correios ficaram com cinqüenta…

    Ass.: Aninha.

  • Oi, Alcinéa.
    NãO lembro de ter escrito, até porque “ele sempre vinha” e sempre trazia alguma coisa. É claro que eu não via, como todo mundo. Mas o bom era a expectativa.
    O local onde “ele” deixava era sempre debaixo da rede. Aqui eu comungo com a Veneide e a Zema: cama, só mesmo a do casal, até porque a vida era dureza e eram muitos filhos (em casa eram 8).
    Mas meus filhos escreviam (mas não pediam Calói). E mesmo sabendo depois quem era “ele”, ainda faziam questão de procurar debaixo da cama (eles tiveram cama, mas aí jã são outros tempos).
    Quanto à magia do Natal, até hoje permanece.
    Se Papai Noel existe ou não, recomendo aos amigos do blog assistirem ao filme “Milagre na Rua 34”. Assistí as duas versões. A primeira, de 1947, em P & B, e a segunda, de 1994, a cores.
    Um abraço.

    • A segunda, com Mickey Rooney e elizabeth Perkins. Também assisti às duas, mas uma delas tinha outro nome. Mas, como sempre, vc tá certo: PAPAI NOEL E O NATAL EXISTEM!

      • Cléo,
        O filme mais bonito que eu já vi sobre o Natal é A Felicidade Não Se Compra (década de 40, se eu não me engano), de Frank Capra. Não sei se foi este filme (ou foi o Ladrão de Bicicleta), mas Frank Capra brigou na justiça pra não permitir que colorizasse seu filme original preto e branco, que ele considerava uma obra de arte. Depois fizeram uma versão em cores, e me parece que é o que passa de vez em quando na tevê, no período de Natal. É a história de um cara que junta um dinheiro pra passar o Natal com a família, e é assaltado. Sem grana e desesperado ele tenta o suicídio, mas um anjo vai lhe demover da idéia, porque o anjo tenta há 200 anos ganhar asas pela prática de uma boa ação. O filme é lindo, e eu recomendo. Este ano eu vou pedir pro Papai Noel pra ganhar pelo menos uma ação na justiça (08-02-2011), porque o ano passado eu pedi pro meu Botafogo ganhar o campeonato brasileiro, e não deu. Tá foda, preciso ganhar um presente de Natal, nem que seja o de provar na justiça de minha sanidade mental. Tem visto o Prof. Munhoz, Cléo? Abraços.

      • Ol, Suely.
        Ainda dá pra encontrar esses filmes em locadora, dependendo da disponibilidade.
        Aqui em Belém, poucas restaram depois da pirataria. Foi o caso da Fox Video, até porque ela diversificou as vendas; está, também, com livraria. Nela, encontrei para locar as duas edições que eu citei. Mas, não seu se ainda tem locadora na sua cidade.
        Só por curiosidade, informo que assisti aos filmes na TV Globo.
        Um abraço.

  • Parece que essa tradição acabou. Não há mais necessidade de escrever, uma vez que o pedido pode ser feito pessoalmente aos milhões de Papais Noeis que se acotovelam pelas cidades, resultantes do apelo consumista da mídia. Com isso, duas situações saem prejudicadas: o exercício da escrita e a fantasia infantil. Certíssimo está o professor Munhoz ao afirmar: “A infância morreu.O mundo moderno matou a infância.”

  • Quem não escrevia? E ainda tinha que colocar os sapatos embaixo da cama, senão ele não deixava o presente. No meu caso isso foi uma tremenda sacanagem. Eu não tinha cama, dormia numa rede velha. E não tinha sapato, apenas um par de tamancos. Mesmo assim arrisquei. Mas o sacana do Papai Noel era discriminador. Tinha que ter cama e sapato. Dancei.

    • Zema, eu tb dormia em rede. Nem se usava cama pra moleque nos anos 60, ahahah. Ainda mais quando a familia tinha 6 filhos, no caso de meus pais. So fui ter cama no meu quarto quando comecei a trabalhar. Eu filava de vez em quando a cama dos meus pais pra dormir, rsrs. Sapato em baixo da rede era o sapato da escola e, às vezes, olho aberto pra pegar o Papai Noel chegando de mansinho, rsrsrs. Usei tamanco também que foi substituido bem depois pela sandalia de borracha. Bacana aquele tempo de inocência!

  • Eu escrevia. E ainda botava o sapatinho na janela do quintal (Como na musiquinha…). Hoje tudo o que espero é que o Natal seja omomento em que os coracoes endurecidos voltem a fluir amor e que todos busquem a felicidade, sem prejudicar os outros. Feliz Natal a todos. Muita Paz, Luz, Bençãos e Realizacoes para todos Nós.

  • Não só escrevia como até hoje escrevo, Alcinéa tenho um filho de 6 anos e todo ano somos nós quem prepara a meia do papai Noel para colocarmos a cartinha para o papai noel, ai deixo as cartinhas por uns dias e depois as tiro para ele achar que o papai noel foi lá em casa, agora maratona boa é no dia de natal eu me fantasio de papai noel para entregar os presentes para mim não tem preço em ver a alegria dele em falar para os amiguinhos que o papai noel é muito amigo dele ainda hoje ele queria saber como é que fasso para falar com o papai noel .. ai disse a ele que quando ele tiver o filho dele ele vai saber como se faz… Beijos e um Feliz Natal !!!! para todos .

  • Dos 6 aos 12 anos(até onde eu acreditei em Papai Noel)escrevia mais ou menos assim: ” Querido Papai Noel, obrigada pelos pais que me deste ( achava q papai noel era o papai do céu vestinho com roupa de natal), que me dão carinho e proteção e muitos brinquedinhos. Esse ano, eu ja ganhei no meu aniversario e nos dias das crianças, agora, quero que o senhor seja bem rapidinho p conseguir entregar os presentinhos de todas as crianças carentes, que esperam o ano todo por este dia. Obrigada e feliz natal.

    P.S : Até hoje (30 anos), tenho o prazer de dar presentes. Minha felicidade é igual ou maior do q a de receber.

    P.S 2: Já passei pelos Correios p ajudar o Papai Noel rsrsrrs

    Bom Natal a TODOS

  • Não Néia, mas me entregaram uma que meu filho fez esse mês. É a coisa mais linda. Choro toda vez que leio. Entre os brinquedos que ele pede (como toda criança) ele pediu muita saude pra toda a família. Espero que Papai Noel o atenda. Feliz Natal pra todos.

  • Eu escrevi uma cartinha ao Papai Noel sim quando criança, eu pedi: “Querido Papai Noel, quando eu crescer quero viver uma vida regada a cerveja, dinheiro e mulheres”

    Hoje não posso nem dizer que ele não me atendeu.

    Vivo cercado de cerveja(Trabalho na SKOL).

    Passo o dia conferindo dinheiro (Tesouraria da Skol).

    Estou cercado de mulheres (Minha mulher e filha).

    Então……. Obrigado Papai Noel….. dá proxima vez eu especifico detalhadamente kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    PS: Os presentes que a vida me deu….. ESTOU SATISFEITO E MUITO FELIZ!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *