Surto de hepatite

Mais de 80 casos de hepatite tipo A foram diagnosticados em crianças do Pantanal, bairro da zona norte de Macapá.
De acordo com os médicos, o que está desencadeando este surto é a falta de saneamento básico.

O número de casos de hepatite em Macapá nos últimos dias  chega a 250.

  • Moro no Jardim I na rua Geribá Almeida Castro, onde há mais de ANO não vem água da CAESA, temos que nos arranjar com água de poço amazonas, vários vizinhos já pegaram hepatite, estamos largados à própia sorte… dá uma sensação de impotência, não há nada para fazer a não ser esperar… esperar… enquanto isso a hepatite nos ronda…

  • E olha que no governo passado tinha um convênio com a companhia de agua e esgoto de Brasília, q estava a disposição p ajudar a elaborar um baita projeto p Macapá…cadÊ?
    Masa a herança não é só dos 8 anos…são 16 anos, já que nos anos anteriores criaram os bairros da Zona Norte sem a infraestrutura mínima e nem fizeram concursos p os cargos técnicos q hj nos fazem tanta falta.

  • Na maioria dos casos, a falta de saneamento básico está ligada à falta de planejamento urbano, próprio das invasões. Não sei se é o caso deste bairro (que não conheço), mas o que ocorre em todos os locais que enfrentam este problema é o carro ser colocado na frente dos bois. Primeiro ocorre a construção improvisada das moradias para depois os moradores exigirem urbanização da área.
    Neste ponto, o governo estadual também coloca o carro na frente dos bois, cobrando o IPTU. Se cobra, tem obrigação de oferecer o serviço correspondente, o que só ocorre muito depois. Com isso, a invasão torna-se legalizada e a área natural, que nada tem a ver com a história, sai prejudicada.
    Em Belém, na Augusto Montenegro, tem uma reserva da Marinha onde macacos-de-cheiro vêm comer à mão as frutas que os moradores adjacentes oferecem. Certa vez vi um cidadão reclamando que era uma injustiça o governo não dar aquela área para constuir casas. Retruquei que o melhor seria aplicar recursos em projetos de controle da natalidade.
    Se eu estiver errado, por favor, corrijam-me.

  • Tinha dinheiro do PAC I para fazer todo o saneamento da capital e de diversos municípios do estado, mas o nobre Waldez e sua trupe, nem projetos tinham para tocar a obra. É importante esclarecer isso pra a população, e fazer justiça com o novo governo, que ta quebrando ruas adoidadas por aí, fazendo o que deveria ser feito a pelo menos 3 anos atrás, só que ninguém faz milagres. Nada ficará prontinho e bonitinho em seis meses.

  • Olá Néa, td bem?
    Os nossos governantes não tem jeito. De nada adianta a sociedade clamar por melhorias, que esse quadro não vai mudar nunca. Já perdi todas as esperanças. Só querem se dar bem. Todas as pessoas que vivem nas áreas de ressaca tem problemas sérios de saúde. E sabe quais serviços os governantes prestam a essas pessoas? Eu respondo: Todo período eleitoral eles vão lá, trocam algumas tábuas das pontes e PINTAM DE AZUL AS BEIRADAS. Fala sério.
    Abração.

  • Da até medo, gente. Estamos no séc. XXI (e passando rapido!) com toda tecnologia avançada a nossa disposição, assim como avanços na Medicina, Saneamento, etc, etc. Parece que o progresso bateu à porta de nosso Estado e a encontrou fechada. é impossivel continuar convivendo com uma situação dessas inertes! Dificil recuperar nosso Estado do caos herdado desses 8 ultimos anos? Digam-me: como gente que se diz civilizada pode continuar convivendo com tal situação? Eu sei que tem pessoas que limpam o entorno de suas residências e que coletam o lixo, mas, tem gente que so faz jogar na rua ou no terreno do vizinho. Campanhas educativas são v’alidas juntamente com multas e cobranças severas para quem suja! E a imigração desordenada, não se tem remédio para controlar isso? Esse também é um dos fatores que contribuiram para a desorganização gerada no Estado dos anos 90 para ca.

  • Prezada,
    Se ficar só na hepatite já está de bom tamanho. A falta de saneamento pode acarretar outras doenças tão graves quanto a hepatite, como filariose e leishmaniose (se alguém não sabe, pergunte aos médicos).
    O que ocorre, é que todos sabem que saneamento é saude e que cada Real investido em saneamento representa economia de quatro em saúde. O problema é que quem decide nem sempre é do metier e as decisões são na sua maioria políticas e obras que embora sejam de primordial importância, mas por serem enterradas, não trazem dividendos (votos). Como profissional, já tive a oportunidade de trabalhar em projetos de saneamento e sei muito bem o que melhorou a vida dos contemplados e a felicidade de poder viver com dignidade.
    Sds,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *