Tragédia do Novo Amapá motiva visita de Randolfe Rodrigues à Capitania dos Portos

O senador Randolfe Rodrigues (PSOL) fará, nesta quinta-feira,6,  uma visita à Capitania dos Portos do Amapá, localizada no município de Santana. No dia em que o naufrágio do barco Novo Amapá completa 30 anos, o senador quer homenagear as vítimas da tragédia comprometendo seu mandato com a segurança da navegação nos rios da Amazônia. “O 6 de janeiro é uma data triste para o Amapá, mas que nos alerta. Vou conhecer o aparato utilizado pela Capitania dos Portos, levantar suas necessidades e disponibilidade orçamentária. Levarei esse debate para o Senado”, explicou Randolfe.

Nos primeiros meses em Brasíla, como senador, Randolfe vai agendar audiência com o Comando da Marinha, no Ministério da Defesa, para se colocar à disposição e juntar esforços em prol da fiscalização, destinação de recursos e estruturação da navegação na região. “A tragédia do Novo Amapá não é uma página virada, é uma ameaça latente. A navegação na Amazônia nos faz lembrar da recomendação bíblica ‘orai e vigiai’ sempre”, justificou ele. A visita à Capitania dos Portos está marcada para às 15 horas.

Novo Amapá

Na noite de 6 de janeiro de 1981, o barco Novo Amapá naufragou na foz do rio Cajari, próximo a Monte Dourado no Pará, com 696 pessoas a bordo. Perderam a vida 378 pessoas em um acidente que se tornou símbolo da completa insegurança da navegação na Amazônia. A embarcação tinha registrados oficialmente 150 passageiros, mas o número verdadeiro era o prenúncio do desastre.
A morte do proprietário da embarcação, Alexandre Góes da Silva, naquela noite, denunciava ainda uma cultura de descuido com a vida e com as condições exigidas para navegação segura, por parte das tripulações e da própria população ribeirinha. De lá para cá a realidade mostra que essa situação persiste.
(Texto: Márcia Corrêa)

  • Fica aqui como também caboco da amazônia meu reconhecimento ao Senador Randolfe, Sem sua fala no Senado o povo ficaria sem voz, seu mandato honra este povo tão sofrido e abandonado pela União. Torcemos por vc Senador. a minha voz é a sua voz que reverbera também nesta sua angústia desta lamentavél tragédia, na patria amada chamda AMAZÔNIA.

  • Meus parabéns ao Senador Randolfe Rodrigues pela sensibilidade e comprometimento. Prova q ñ precisa estar formalmente no Mandato pra começar a trabalhar. Sucesso Senador, o povo Amapaense torce por vc!

  • A solução para acabar com os naufrágios nos rios da Bacia Amazônica, foi dado pela Bancada Federal do Amapá, em 1999. A Bancada Federal do Amapá aprovou no PPA – Plano Pluri Anual 2000/2003 a emenda Nº 01659 que é a implantação de novas tecnologias para a navegação em portos, e vias navegáveis interiores, Cartas Náuticas Digitais. O objetivo do projeto é a criação de um sistema de utilização irrestrita, para navegação segura, econômica e eficiente na Barra Norte, 24 horas por dia, 365 dias por ano, mesmo em condições climáticas adversas, por meio de cartas eletrônicas.

    Vantagens das cartas eletrônicas para a comunidade:

    * Transformação das vias navegáveis em hidrovias seguras, com a redução dos riscos de desastres ecológicos, perdas de vidas humanas e patrimônio;

    * Criação de vias de transporte de carga, sem impacto ambiental;

    * Ampliação das fronteiras econômicas, com geração de mais empregos e renda, abrindo caminho para o desenvolvimento sustentável;

    * Maior integração regional;

    * Redução de Fretes;

    * Combate a pirataria (ratos d’água);

    * Redução do “Custo Brasil”.

    Por fim, se o Excelentíssimo Senador da República Randolfe Rodrigues pretende dar uma solução para esse problema tão grave, aconselho para que seu gabinete peça o apoio de toda a bancada na luta para descontigenciar o recurso no Ministério do Planejamento para a implantação do “Projeto na Barra Norte do Rio Amazonas”.

  • a maior culpa do Novo amapá, foi do Sr Osvaldo Colares, era responsável pela fiscalização dos barcos que saiam do porto. foi ele quem autorizou a saída do Barco Novo amapá, mesmo sabendo que a embaração saia com o dobro de passageiros que sua capacidade suportava. Ele morreu e não foi responsabilizado. Minha familia, meus pais e irmãos (inclusive eu) era para estarmos nesta embarcação, viajamos uma semana antes para o Jarí …

  • poderia vir a trapiche de santana, de onde passam os barcos… ver a falta de segurança, o pouco espaço para os passageiros se moveremm entre as cargas, a falta de portaria séria. o trafico de meninas para lá e pra cá… o taxi caro até a rodoviária de macapá… é daqui que os franceses vão subir de barco para manaus, na copa de 2014…. cade o investimento federal

  • Estou fazendo aqui na rádio onda livre, 105.9 em Santana uma edição especial sobe o assunto Novo Amapá.

  • Olá Alcinéa,
    Olá Senador Randolfe.
    É difícil encontrar famílias daquela época que não perderam entes queridos naquela trajédia do Cajarí, amigos ou conhecidos… Então porque não fazermos desta data um momento realmente de memória às pessoas vítimas daquele horror. Não podemos esquecer isso…realmente ainda hj prevalece a busca, a todo custo, pelo lucro…Não podemos fiscalizar as embarcações somentes em períodos de festas, férias e etc….tenho certeza que nossa marinha, capitania dos portos faz de tudo para organizar o fluxo de embarcações em nossos rios, mas com certeza falta mais apoio também das autoridades, que muitas das vezes não conhecem nossa realidade. Ai entra o nosso senador. Vamos cobrar as responsabilidades e tornar esse dia um dia de reflexão, memória (quem sabe até com um obelisco ou totem no porto de santana) para despertar nas pessoas seus direitos de cobrar para que consigam viajar com dignidades e segurança. E para os mais jovens, ou quem chegou a pouco tempo em Macapá e também para aqueles que acompanham seu blog, essa tragédia foi relatada em um livro intitulado Morte nas Águas – A tragédia do Cajari, de João Alberto Rodrigues Capiberibe, ex-governador do Amapá. Que Deus abençoe a todos que fazem dos rios da amazônia seu trajeto e serviços do dia-a-dia. Amém!

  • Pra quem não sabe o Alexandre Góes da Silva dono do Novo Amapá era irmão do Ex-Governador Waldez Góes da Silva, era um bom rapaz, trabalhador e empreendedor. Perdi um irmão e um sobrinho no acidente.

Deixe uma resposta para Antonio do Carmo Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *