UEAP oferece vagas para professor bolsista

O edital nº 025/2012 da Coordenação do Plano Nacional de Formação de Professores da Educação Básica (Parfor), na Universidade do Estado do Amapá (Ueap), oferece nove vagas para o cargo de professor formador no curso de Licenciatura em Pedagogia. O docente selecionado receberá uma bolsa da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) válida por seis meses, podendo ser renovada, nos valores de R$1.300 e R$ 1.100, para professor formador I e II, respectivamente.

Para o cargo de professor formador I, é necessário comprovar formação acadêmica na área de conhecimento da disciplina em que irá atuar, ter experiência mínima de três anos no magistério superior e ter título de mestre ou doutor. Os requisitos para professor formador II incluem, além da comprovação de formação acadêmica na área do conhecimento da disciplina em que irá atuar, experiência mínima de um ano no magistério superior ou ter título de mestre ou doutor ou vinculação a programas de pós-graduação stricto sensu.

O período de inscrições, iniciado no último dia 15, encerrará na próxima segunda-feira, 25. O candidato deverá certificar-se de que preenche todos os requisitos exigidos no edital. Para se inscrever, é necessário o preenchimento da Ficha de Inscrição, acompanhada das originais e cópias dos documentos exigidos no edital e comprovante de pagamento da taxa de inscrição, no valor de R$100.

As inscrições estão sendo realizadas no Campus I da Ueap, junto à Comissão Organizadora do PSS, na Divisão de Apoio ao Ensino (DAE), situada na avenida Presidente Vargas, 650, Centro, no horário das 8h30 às 11h30 e das 14h30 às 17h30, excetuando-se sábados, domingos e feriados. Mais informações no site www.ueap.edu.br

(Keila Gibson Rebelo/Ueap)

  • ZEMA O QUE VÃO RECEBER SÓ EM CANDIDATO DÁ PARA PAGAR A BOLSA. AINDA DÁ PARA AUMENTAR MAS VAGA.

  • Não sou funcionário, nem público muito menos privado,mas acho um absurdo essas bolsas. Espero estar enganado, quanto ao que li. Mas receber R$ 1.300,00 com experiencia de tres anos e um doutorado nas costas deve ser brincadeira. Um doutor de dois salários mínimos! Essa é a educação do Amapá e acho que do Brasil. Que sacanagem com os caras que se matam estudando!
    Melhorar o nível de conhecimento é ótimo, mas deve ser acompanhado de reconhecimento financeiro. Será que um doutor não precisa de um carrinho para se locomover, comprar umas roupinhas para ir às aulas, ou mesmo comer bem para poder dar boas aulas, sem citar outras coisas? Tem neguinho que recebe as bolsas misérias do governo que fatura mais. Pelo amor de Deus!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *