Vale a pena ler de novo

Como hoje é a abertura da 48a Expofeira, lembrei das edições anteriores e bisbilhotando o arquivo do blog encontrei esse post que fiz há dois anos. Foi publicado aqui no dia 29 de outubro de 2009.
Reproduzo para vocês.
Eis:

Me mata de vergonha

Postado por: Alcinéa Cavalcante  – 29.10.09 2:18 am

Nem boi, nem outros animais, nem Bruno e Trio e outras celebridades, nem rodeios.

Li no sítio do Governo, aqui, que o helicóptero Gavião Uno é uma das grandes atrações da Expofeira, com tanta gente querendo chegar perto, passar a mão e fotografar.

Gente que fica boaquiaberta, como se estivesse diante de um disco voador ou de coisa do outro mundo. A foto, feita com celular ou com maquininhas digitais, é a prova de que o sujeito não apenas viu o Gavião, mas ficou pertinho, bem pertinho, dele.

E eu, que ainda não fui visitar ou passear na Expofeira, fico aqui imaginando o alvoroço da multidão pra chegar perto do “coisa que avoa” e pára no ar feito um beija-flor gigante.

Deve ser o maior tumulto, cotoveladas, braçadas, gritos histéricos, “sai da frente”, “não fura a fila”. Vale tudo, vale toda a falta de educação e de cavalheirismo para fazer a foto que vai emoldurar o perfil da pessoa no orkut, no twitter, no msn. Vai virar papel de parede na tela do computador e no celular e será mandada via e-mail para os parentes e amigos distantes.

Um rapaz  liga para o pai e cheio de orgulho diz:
– Pai, adivinha perto de quem eu estou aqui na Expofeira.
– Hummmm, deixa eu pensar. É muito importante?
– Importante demais.
– Ah, já sei. Estás perto do governador Waldez Góes. Aproveita e parabeniza ele que é aniversário dele.
– Que governador que nada, pai!
– Perto de quem então, menino?
– O senhor nem vai acreditar. Tô aqui do lado do Gavião Uno.
– Jura???????????? Se eu contar pra tua mãe ela não vai acreditar.
– Pois pode contar. Eu já bati várias fotos com o meu celular pra provar.
– Menino esperto. Esse puxou ao pai.

Tem também a patricinha que trocou o namorado pelo Gavião.
Só saio daqui depois que bater uma foto com o Gavião Uno, disse ela ao namoradinho.
Duas horas depois, já sem paciência, o namorado mandou que ela escolhesse: “Ou eu ou gavião!“.
Azar o dele. Ela terminou o namoro dizendo que gatinhos tem muitos por aí, Gavião Uno só esse. Tá, meu bem?

Uma criança cai e quase é pisoteada por uns marmanjos. A Polícia entra em ação e tenta acabar com a balbúrdia. “Mulheres e crianças deste lado, homens e jovens do outro e idosos no meio”, grita um coronel da PM. E é vaiado pela multidão.

Pelos alto-falantes vem o aviso que o show vai começar na mega-hiper-maravilhosa-gigantesca-arena de shows.

Ora, ora, quem quer saber de Bruno e Trio? A quem interessa que o fenômeno do melody vai fazer um show-tudo-de-bom porque está de aniversário? Dane-se o melody. Dane-se Bruno e Trio. Tudo de bom mesmo é o Gavião Uno e tudo-de-melhor-ponto-com-ponto-br  é ser fotografado ao lado ou na frente dele.

E enquanto a multidão continua enlouquecida pelo Gavião Uno na Expofeira, eu lembro de um caso que aconteceu num interiorzinho daqui do Amapá mesmo. Numa localidade muito distante e isolada, onde só se chegava de barco.
Não se sabe porque cargas d’água um dia um helicóptero passou por lá. Dizem que perdeu a rota.
Pois bem, ao ver o helicóptero o povo do lugar entrou em pânico. Gritando “é um gafanhotão! é um gafanhotão!” Metade da população correu pra igrejinha pensando que o mundo ia se acabar e a outra metade se escondeu embaixo dos assoalhos das casas com medo do bicho.

————–
Qual será a grande atração da Expofeira de 2011, hein?

  • Palhaçada quem concorda com o tal do Rafinha Bastos. Vocês não são Amapaenses, são idiotas com todas as letras, eu amo meu Estado, e não aceito que o critiquem. Tem coisas erradas? Lógico, mas não esqueçam que São Paulo elege Maluf e o RJ elege o Garotinho. Não tenho vergonha do meu Estado, tenho vergonha de pessoas como vocês que tentam derruba-lo. Idiotas!

    • Tá certo vc Eduardo,eu tb não tenho vergonha do meu estado,tenho sim,vergonha de conviver com pessoas de pensamentos e atitudes medíocres.Se fizerem um raioX do nosso Brasil verão que poucos são os politicos que realmente merecem o lugar que ocupam,estes não são dignos do voto depositado neles.O brasileiro ainda não aprendeu a fazer valer seus direitos,só faz criticas e reclama,mas cruza os braços na hora de brigar pelos mesmos. O povo(maioria jovens) ficam inertes diante de tanta corrupção e lesão ao erário público.Falo nos jovens pq eles são futuro e a inércia do presente e suas escolhas, lhes reserva dias nefastos em seu futuro.O povo brasileiro escolhe seus representantes (alguns) como forma de protesto,brincadeirinhas de mau gosto que lhes rende dias de incerteza e angustia.Romário,Tiririca e tantos outros,são alguns destes exemplos de má escolha.Escuto sempre que não se deve olhar pelo retrovisor,engano,devemos sim, pq o passado nos mostra onde erramos e nos dá oportunidade de correção.Os jovens libaneses é que deram um basta nas atrocidades cometidas há várias décadas na Líbia,não fosse a decisão inteligentes destes,Kadaf estaria ainda massacrando o povo libanes.Coragem e determinação é oque falta aos brasileiros.

  • Infelizmente o nosso povo ainda é um pouco provinciano, tudo de diferente que por aquí chega é novidade. Eu mesmo (apesar do sonho), nunca vi um navio de cruzeiro, apesar de já ter passado por vários Estados do sudeste brasileiro. Mas deixa estar que muitos paulistas nunca pisaram numa praia, e quando pisam ficam deslumbrados. Isso para mim não é novidade. Bjs.

  • Talvez um político expoa anônimamente um cavalo árabe,que segundo informações custou R$ 1 milhão,isso mesmo,um milhão que pode ter sido desviado dos cofres públicos.

  • Oligarquias que usam o pão e o circo para ludibriar as pessoas ignorantes. Em parte Rafinha Bastos tem razão. É difícil conviver com esses políticos malfeitores daqui. Povo politicamente ignorante e políticos corruptos, isso é um estado tipicamente ao nível de Haiti. Claro, há exceções e são pouquíssimos.

  • O povo é sábio…Já previa que esse helicoptero iria ficar famoso pelo seu preço de aluguel e pelo seu uso indevido. Dizem que o aparelho serviu até para farras de um filho de um governador em sua fazenda.

    • Um dia o amapaense vai descobrir que passar 2 horas declamando palavras de baixo calão numa peça de teatro (bar cabloco) não é humor…. humor é outra coisa…

      Valew Rafinha!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *