Alcinéa Cavalcante

Liberdade de expressão!
Macapá - Amapá

Amapaense selecionado para o Stevens Institute of Technology

Postado por: Alcinéa Cavalcante em 29/07/14 as 11:07 am

Universitário amapaense selecionado para o  Stevens Institute of Technology

estagioO estudante de engenharia elétrica, Hugo Bruno Santos Araújo, estagiário  na Divisão de Engenharia e Fiscalização do Tribunal de Justiça do Amapá, ganhou uma bolsa para estudar no Stevens Institute of Technology na cidade de Hoboken, no Estado de New Jersey, onde irá cursar Engenharia durante um ano.

Ele se inscreveu no programa “Ciências sem Fronteiras”, projeto do Governo Federal, para concorrer à bolsa de estudos. O programa tem por objetivo promover a ciência e tecnologia por meio do intercâmbio e da mobilidade internacional.

O acadêmico irá para os Estados Unidos em agosto. “É algo muito novo na minha vida, uma oportunidade que não posso desperdiçar, pois irá acrescentar em muito ao meu currículo”, destacou.

Hugo Bruno Santos Araújo iniciou seu estágio na Divisão de Engenharia do TJAP em maio de 2013. Ele disse que a experiência de trabalhar no Poder Judiciário só veio acrescentar em seu currículo profissional e agregar mais conhecimento e sabedoria para a nova experiência de vida que o aguarda.

(Texto: Hugo Reis – Foto: Adson Rodrigues)

Thiago de Mello

Postado por: Alcinéa Cavalcante em 29/07/14 as 1:38 am

Bruno Mineiro diz que o Amapá andou de lado nos últimos 20 anos

Postado por: Alcinéa Cavalcante em 29/07/14 as 12:00 am

Da  assessoria do candidato Bruno Mineiro

O candidato da Coligação “Unidos pelo Amapá que Queremos”, criticou o modelo de gestão adotado pelos últimos governantes, que colocou o Estado em último no ranking de competitividade.

O candidato a governador pelo Amapá, Bruno Mineiro (PTdoB), afirmou nesta segunda-feira(28), que “o Amapá precisa de uma política diferente”, ao comentar o artigo da revista “Época” dessa semana, que aponta o Estado em último no ranking de competitividade entre os 27 Estados brasileiros.

Bruno criticou o modelo de gestão adotado pelos últimos governantes que, segundo ele, transformou o Amapá no Estado menos competitivo do Brasil para se investir, conforme dados da pesquisa da publicação inglesa “The Economist”.

“A falta de regulação, de infraestrutura e a instabilidade política, são fatores que contribuíram decisivamente para este atraso. A baixa atividade econômica e a dependência dos repasses federais penalizou o Estado e o povo do Amapá”, lamenta Bruno Mineiro.

 Para o candidato, “nos últimos 20 anos, nas gestões Waldez e Capiberibes, o Amapá andou de lado. Não se desenvolveu. Ficou para trás”. Ele defendeu que é preciso promover uma revolução na economia do Estado, adotar um modelo voltado para as demandas do século XXI, para que o Estado do Amapá encontre e desenvolva suas vocações.

Josiel Alcolumbre coordena a campanha de Aécio no Amapá

Postado por: Alcinéa Cavalcante em 28/07/14 as 11:51 pm

josielO empresário Josiel Alcolumbre (DEM) será o coordenador da campanha de Aécio Neves no Amapá.
A decisão foi tomada hoje em São Paulo em encontro com o presidenciável.

No Amapá o PSDB está coligado com o DEM, PSD e Solidariedade , tendo como candidato ao governo o ex-deputado Lucas Barreto (PSD) e ao Senado o deputado federal Davi Alcolumbre (DEM).

De acordo os democratas, a escolha de um nome do DEM para dirigir a campanha de Aécio no Estado é vista pelos aliados como uma demonstração de união do grupo.  “Foi com muita honra que assumimos oficialmente, em São Paulo, a coordenação estadual da campanha do presidente Aécio. E tenho certeza que, junto com os companheiros do PSDB, PSD e Solidariedade no Amapá, nosso Estado terá voz no cenário nacional”, disse Josiel Alcolumbre.

Registro de candidatura: dos 504 pedidos TRE já deferiu 117

Postado por: Alcinéa Cavalcante em 28/07/14 as 11:00 pm

TRE-AP defere 117 registros de candidaturas

O Tribunal Regional Eleitoral do Amapá (TRE-AP) já deferiu 117 pedidos de Registros de Candidaturas para as Eleições Gerais de 2014, até a tarde desta segunda-feira (28). Todos os processos foram julgados de forma monocrática (individualmente) pelos juízes relatores da Corte, com suas respectivas decisões publicadas no Diário de Justiça do TRE. Com isso, estão aptos para o pleito, até agora: um concorrente para governador, um para vice-governador, dois candidatos ao Senado, quatro suplentes de senador; 24 postulantes à Câmara Federal e 85 pretendentes ao Legislativo Estadual.

Ao todo, o TRE recebeu 504 pedidos de 30 agremiações. Sete registros deles ao Governo do Estado, 10 ao Senado, 107 a deputado Federal e 353 para o cargo de deputado estadual, além dos cargos de vice-governador (sete) e suplentes a senadores (20). A Corte Eleitoral julgará todos os processos até o dia 5 de agosto de 2014.

Estes números são passiveis de alteração à média que os processos sejam julgados. As informações estão  disponíveis no sistema DivulgaCand do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), cujas as atualizações ocorrem três vezes ao dia, às 8h, 15h e 20h, por meio do endereço: http://www.tse.jus.br/eleicoes/eleicoes-2014/sistema-de-divulgacao-de-candidaturas

Registros de Candidaturas: O deferimento do Registro de Candidatura é a oficialização dos candidatos escolhidos pelos partidos. Desde que suas respectivas documentações preencham os requisitos da Justiça Eleitoral, terá deferido o seu pedido. São deferidos os pedidos daqueles concorrentes que são “ficha limpa”.

Candidaturas oficializadas para Governador, vice-governador, senador e suplentes(nome de urna, número e partido, respectivamente): Genival Cruz 161 PSTU, Professor Wilamo 16 PSTU (Vice-Governador), Coronel Palmira 369 PTC (senado); Professor Paulo Ricardo 161 PSTU (senador); Jucimar Cunha 161 PSTU e  Ricardo Alexandre 369 PTC (ambos candidatos ao cargo de 1º Suplente); Jaira do Socorro 369 (PTC) e Sergio Fernando 161 PSTU (2º Suplente).

(Elton Tavares – Assessoria de Comunicação do TRE-AP)

Recorte de jornal

Postado por: Alcinéa Cavalcante em 28/07/14 as 2:37 pm

 

recorte1973 – Estácio Vidal Picanço entrevista Guilherme da Luz, testemunha ocular da prisão de Trajano em 1895 no Cunani

Bom dia!

Postado por: Alcinéa Cavalcante em 28/07/14 as 5:13 am

Quando o homem enobrece, identifica-se com Deus.
(Meishu-Sama)

Bom dia!

Postado por: Alcinéa Cavalcante em 27/07/14 as 5:56 am

SIgreja de São José – Macapá

Artigo dominical

Postado por: Alcinéa Cavalcante em 27/07/14 as 2:06 am

A cama do monge
Dom Pedro José Conti, Bispo de Macapá

Um terrível bandido assaltava as caravanas que viajavam da Pérsia para a Palestina. Em poucos anos, havia juntado uma enorme fortuna, mas nunca ficava satisfeito. Certo dia, em suas andanças, encontrou um vilarejo de míseras choupanas que não conhecia. O lugar era habitado por monges que, ao perceber sua chegada, tinham fugido. O bandido entrou naquelas pobres moradas e roubou o que podia: um livro, uma ânfora, um crucifixo, uma veste. Numa das cabanas, porém, não encontrou absolutamente nada, tinha somente uma tábua que devia servir de cama para o morador. Ficou tão comovido com tamanha pobreza que decidiu premiar, de alguma forma, o desconhecido morador. Mandou colocar suntuosas cortinas, deixou um vasilhame precioso e enfeitou o lugar com adornos de ouro e prata. Depois, prometeu a si mesmo que voltaria para ver o que o sortudo morador faria com aqueles tesouros. Voltou depois de alguns meses disfarçado de viandante. Ao entrar, o homem falou:

- Ouvi dizer que um generoso bandido te encheu de riquezas, mas não estou vendo nada em tua casa?

- É verdade, estrangeiro, metade dos bens os doei aos pobres e metade à igreja. Contudo ficarei agradecido para sempre àquele bandido, porque me deixou um presente muito mais valioso: ajudou-me a entender que podia renunciar também à cama. Naquele momento, o bandido reparou que o monge estava mesmo deitado no chão. O seu coração de pedra estremeceu, caiu de joelhos e começou a chorar no colo do pobre velho. Este compreendeu tudo e ouvindo dele que estava disposto a renunciar a todos os seus bens, disse-lhe:

- Não a todos, mas à metade. Estás demais acostumado a eles, assim como eu estava agarrado à minha cama. Chegará o dia no qual te libertarás da coisa à qual mais estás ligado: a ti mesmo. Naquele dia, se quiseres, poderás vir aqui comigo. Vou te acolher como a um filho.

As primeiras duas parábolas do evangelho deste domingo são semelhantes. Em ambos os casos, o homem que encontra o tesouro no campo e o mercador de pérolas vendem tudo o que têm para comprar aquele campo e aquela pérola. Como sempre, Jesus não faz a teoria do Reino e, também, não afirma simplesmente que este Reino vale mais de que tudo o resto. O compara com a história dos dois homens que não têm receio de trocar tudo o que possuem com aquele bem que eles acreditam valer muito mais do que deixaram. Este bem tão precioso – o tesouro e a pérola – é o próprio Reino de Deus. Afinal, é Deus mesmo.

Mas, por que Jesus fala em vender e comprar? Será que o Reino é uma das tantas mercadorias que circulam pelo mundo e a elas pode ser assemelhado? Com certeza, não, mas a parábola ajuda a entender a dinâmica do Reino que acompanha a nossa própria vida. Vivemos de trocas e sempre esperamos ganhar alguma coisa. Ao menos, um pouco de satisfação, de prazer, de gratidão. Os pais criam os filhos e esperam que um dia serão recompensados pelos sacrifícios e a generosidade. Os jovens estudam, buscam um trabalho, porque sonham uma vida melhor, almejam a felicidade. Ninguém inicia um empreendimento já sabendo que irá à falência; se investe, é para ganhar, nunca para perder. Nada de mais comum: somos todos, mais ou menos, interesseiros. No entanto, para ganhar o Reino, que sempre será um dom de Deus, como a sorte de ter encontrado o tesouro ou a pérola na parábola, precisa deixar muito, talvez, tudo. Somente quem consegue se libertar de tantas outras “coisas”, menos preciosas, consegue desfrutar do Reino.

Jesus nos ensina a procurar o que vale mais. Em qualquer negócio, precisa escolher e arriscar. Não é coisa para fracos e indecisos, para medrosos e acomodados. Participar do Reino significa reencontrar o sentido da vida. O que hoje parece uma perda, acreditemos, amanhã será um ganho. Poderemos usar dos bens matérias sem nos tornar escravos deles. Poderemos gastar os nossos dons para fazer o bem, para amar e defender os valores que dignificam a nossa humanidade, senhores dos nossos sentimentos e decisões. A busca do Reino liberta, nunca aprisiona. Torna-nos grandes porque amigos de Deus, nunca homens mesquinhos.

O bandido da história entendeu que o paupérrimo monge era mais rico do que ele. Claro, não pelo dinheiro, mas pela liberdade. Podemos desconfiar disso, mas a busca deve continuar. O verdadeiro tesouro está escondido, mas sempre podemos encontrá-lo. Coragem!

Campanha eleitoral

Postado por: Alcinéa Cavalcante em 26/07/14 as 3:44 pm

No Amapá a  campanha eleitoral ainda está devagar nas ruas.
Mas nas redes sociais a baixaria impera. Agressões, calúnias, palavreado chulo, tudo tudo no mais baixo nível que se pode imaginar.

Fazendinha ontem

Postado por: Alcinéa Cavalcante em 26/07/14 as 3:19 pm

SSMuita gente aproveitou o feriado de sexta-feira para se refrescar e brincar nas águas do rio Amazonas, tomar uma cerveja gelada, chupar cana, comer camarão no bafo e  empinar papagaio ou pegar um bronze na Fazendinha

Operação Eclésia: acusados começam a ser julgados segunda-feira

Postado por: Alcinéa Cavalcante em 26/07/14 as 3:03 pm

Está marcada para a próxima segunda-feira, 28, a audiência de instrução e julgamento de seis pessoas  acusadas pelo Ministério Público Estadual de formação de quadrilha, peculato, lavagem de dinheiro e ausência de procedimento licitatório.  Os acusados são o ex-presidente da Assembleia Legislativa, Jorge Amanajás, os deputados estaduais Eider Pena e Moisés Souza, assessores e empresários.

A denúncia enviada ao Tribunal de Justiça pelo Ministério Público em setembro de 2012 é baseada em documentos apreendidos durante a Operação Eclésia, deflagrada pelo MPE em maio de 2012 com o objetivo de desmontar um possível esquema de corrupção envolvendo a Assembléia Legislativa e empresas que prestam serviço ao Poder Legislativo.
Na denúncia consta que entre os dias 21 e 25 de janeiro de 2011, últimos dias do mandato de Jorge Amanajás como presidente da ALEAP, e do deputado estadual Eider Pena, como primeiro secretário da mesa diretora, foi efetuado um pagamento no valor de R$ 820 mil para a MFX Ltda, empresa de construção civil.
Segundo o o promotor de Justiça Afonso Guimarães o pagamento foi feito com cinco cheques  depositados na conta pessoal da denunciada Ana Margarida Marques que não possuiu nenhuma relação aparente ou formal com a empresa, conforme consta nas peças extraídas do Inquérito Civil Público. “A movimentação de sua conta bancária informa que, logo após os depósitos, Ana Margarida realizou vários saques e transferências de elevadas quantias. Isso deixa claro que os depósitos realizados na sua conta não passaram de tentativa de tornar lícito o ativo financeiro desviado da Assembleia Legislativa”, afirma o promotor Afonso Guimarães.
Os denunciados
1 – Jorge Amanajás , ex-presidente da Assembleia Legislativa, responsável direto pelo pagamento de R$ 820 mil, em favor da empresa MFX.
Acusação: Formação de quadrilha, peculato, lavagem de dinheiro e ausência de procedimento licitatório (Art. 89 da Lei. 8.666/93).
2 – Eider Pena, deputado estadual, primeiro secretário da mesa diretora na gestão de Jorge Amanajás, um dos responsáveis diretos pelo pagamento efetuado à empresa MFX, à época.
Acusação: Peculato, formação de quadrilha e lavagem de dinheiro e ausência de procedimento licitatório (Art. 89 da Lei. 8.666/93).
3 – Moisés Souza, deputado estadual, presidente afastado da Assembleia Legislativa.  Mantém estreita relação com os operadores da empresa MFX e teria sido diretamente beneficiado com o pagamento efetuado poucos dias antes de assumir a presidência da Casa.
Acusação: Formação de quadrilha e lavagem de dinheiro.
4 – Ana Margarida Marques, advogada, antiga assessora no gabinete do deputado Moisés Souza, figurou até fevereiro de 2011 na folha de pagamento da ALAP.
Acusação: Peculato, formação de quadrilha e lavagem de dinheiro.
5 – Edielson Pereira Nogueira, esposo de Ana Margarida, endossou os cheques como procurador da empresa MFX.
Acusação: Peculato, formação de quadrilha e lavagem de dinheiro.
6 – Ary Guedes da Silva, vigilante, emprestou o nome para o registro da empresa MFX e é acusado de formação de quadrilha e lavagem de dinheiro.

Inesquecível

Postado por: Alcinéa Cavalcante em 25/07/14 as 11:14 pm

Homenagem da Prefeitura de Macapá aos escritores

Postado por: Alcinéa Cavalcante em 25/07/14 as 10:06 pm

prefeitura

Hoje é Dia do Escritor

Postado por: Alcinéa Cavalcante em 25/07/14 as 12:28 pm

bloco6Homenagem do blog aos escritores amapaenses

O tempo dos candidatos a governador no rádio e TV

Postado por: Alcinéa Cavalcante em 25/07/14 as 1:07 am

Confira o tempo que os candidatos a governador do Amapá terão no horário eleitoral:

Lucas Barreto (PSD): 4 minutos e 32 segundos

Camilo Capiberibe (PSB):  4 minutos e 21 segundos

Waldez Góes (PDT):  4 minutos e 19 segundos

Bruno Mineiro (PT do B): 2 minutos e 52 segundos

Jorge Amanajás (PPS): 1 minuto e 59 segundos

Genival Cruz (PSTU): 57 segundos

Décio Gomes (PCB): 57 segundos

A propaganda eleitoral no rádio e na televisão começa dia 19 de agosto.

Chá da tarde

Postado por: Alcinéa Cavalcante em 24/07/14 as 4:25 pm

ANÚNCIO
Álvaro da Cunha

Eu estou sonhando com um regaço de virgem,
onde eu ponha a cabeça
e adormeça
quando este mundo se despedaçar.
Será que este quebranto no meu corpo
não é cansaço,
mas um pretexto para repousar?

- A vida é triste, o mundo é triste,
o amor é triste.
Quem me censura o ato de sonhar?

(Ainda posso encontrar o meu desejo
sem arredar um pé deste lugar)

E vou escrever anúncios no jornal:

“Poeta, em Macapá,
está precisando de um regaço de virgem
onde ponha a cabeça
e adormeça
quando este mundo se despedaçar”.

(Extraído da Antologia Modernos Poetas do Amapá – Macapá-AP, 1960)

Nosso jeito de falar

Postado por: Alcinéa Cavalcante em 24/07/14 as 2:08 pm

O amapaense tem um jeitinho especial de falar, algumas palavras e expressões podem não ser entendidas por quem nunca andou por essas bandas.
Em abril de 2008 postei no meu antigo blog  um mini-dicionário de palavras, expressões e gírias amapaenses, que republico hoje aqui.

Afudega – afoba, apressa.
Ex:Nem te afudega que o show vai começar com atraso.
Amassa – aperta, tecla
Ex: Amassa nesse botão pra ligar o som.
Arreda aí – Afasta; dá licença
Ex: Arreda aí que que quero passar; Arreda esse sofá .
Bazuca – goma de mascar, chiclete

Ex: Me dá o troco em bazuca
Bora lá – Vamos ali.

Ex: Bora ali no shopping
Carapanã – mosquito

Ex: É nos meses de maio e junho que os carapanãs da dengue fazem a festa em Macapá.
Cabuçu - caipira, matuto

Ex: Aquele candidato é muito cabuçu. Vai levar peia na eleição.
Bombom – bala

Ex: Agora até nos ônibus nos passam o troco com bombons
Cruzeta - cabide

Ex: Maria, coloca essa camisa na cruzeta
Embrulhar – cobrir com lençol.

Ex: Embrulha essa criança que está fazendo frio.
Engilhado – enrugado

Ex: Credo! Esse papel tá todo engilhado
Eras! – Eu, hein!
Escangalhar – quebrar, estragar.

Ex: O meu carro escangalhou.
Filho de pipira – pessoa que vive pedindo.

Ex: Esse menino pede mais que filho de pipira.
Gala seca – idiota, imbecil, otário
Gito, gitinho – pequeno

Ex: Esse sanduíche tá muito gitinho
Lá embaixo – no centro comercial
Ex: Sábado eu vou lá embaixo fazer compras.
Mato – interior.

Ex: Vamos passar o feriadão no mato.
Menta - qualquer balinha que provoca ardor ou frescor, tipo halls
Merendar – lanchar

Ex: Eu merendei um pastel com refrigerante
Osga – lagartixa
Pão careca – pão francês
Papagaio – pipa. Empinar papagaio: soltar pipa.

Ex: Agora só dá pra empinar papagaio na praça. Na rua tá perigoso
Rapidola – rápido, sem demora.

Ex: Eu leio esse livro rapidola.
Torar - cortar ou quebrar.

Ex: Tora esse pão no meio pra nós

Égua, já leu e aprendeu tudo? Calma, eu não estou te xingando. “Égua” é uma das palavras mais usadas no Pará e no Amapá. É tão famosa que no Orkut foi criada a comunidade “Eu falo égua”.
Serve para exprimir uma variedade de sentimentos, como explica o professor e jornalista Ivan Carlo: “Égua – essa é, depois de deveras, a única palavra brasileira que pode ser usada em qualquer situação. Você pode usar égua para expressar dor, tristeza, alegria, admiração, espanto e até mesmo enfado. Se, por exemplo, passar pela sua frente uma morena jeitosa, você pode exclamar deliciado: “Égua!”. E não se preocupe que ela não vai achar que você está chamando-a de eqüina. Se, por outro lado, descer um disco voador no seu quintal, não pense duas vezes. Grite: “Égua!”.
Achou tudo isso pai d’égua (legal, bacana)? Então qualquer dia tem mais.

Propaganda era assim

Postado por: Alcinéa Cavalcante em 24/07/14 as 1:42 pm

OLYMPUS DIGITAL CAMERAPropaganda veiculada em novembro de 1957 na revista Rumo

Frequentado pelos intelectuais, poetas e jornalistas, o Elite era o bar mais badalado de Macapá na época.

Exame de Proficiência em Língua Portuguesa para estrangeiros

Postado por: Alcinéa Cavalcante em 24/07/14 as 1:36 pm

As inscrições para o exame que possibilita a Certificação de Proficiência em Língua Portuguesa para Estrangeiros (Celpe-Bras) estão abertas desde o último dia 18 de julho e prosseguem até 14 de agosto próximo. A Universidade Federal do Amapá (Unifap) é a instituição responsável por aplicar o exame no estado. Para participar, o candidato deverá inscrever-se no endereço eletrônico: http://celpebras.inep.gov.br/inscricao e efetuar o pagamento de R$ 130 na coordenação do curso de Letras. As provas irão ocorrer de 21 a 23 de outubro.