Alcinéa Cavalcante

Liberdade de expressão!
Macapá - Amapá

De Alcy Araújo

Ex-candidato é multado por propaganda irregular no Facebook

Postado por: Alcinéa Cavalcante em 05/03/15 as 7:36 pm

Marcos Roberto (PT), candidato a deputado federal nas eleições de 2014, foi condenado pela Justiça Eleitoral ao pagamento de multa de R$ 5 mil por propaganda irregular na internet. Durante o pleito, ele contratou serviço pago do Facebook para impulsionar publicação com seu nome e número. A condenação é resultado de representação do Ministério Público Federal, por meio da Procuradoria Regional Eleitoral no Amapá (PRE/AP).

Ler o restante do post »

Vales deixa presidência do TRE e assume vice-presidência do Tribunal de Justiça

Postado por: Alcinéa Cavalcante em 05/03/15 as 7:28 pm

O presidente do Tribunal Regional Eleitoral do Amapá (TRE-AP), desembargador Raimundo Vales, despediu-se em Sessão realizada nesta quinta-feira (5), da Corte e servidores do TRE-AP.
Depois disso, Vales tomou posse no cargo de  vice-presidente do Tribunal de Justiça do Amapá (TJAP) para o biênio 2015/2017.

Ler o restante do post »

Bom dia!

Postado por: Alcinéa Cavalcante em 04/03/15 as 5:35 am

pedreira

Chuvas

Postado por: Alcinéa Cavalcante em 04/03/15 as 1:55 am

Aprendi com um velho sábio (o meu sogro) que quando aparecem os cupins de asas é sinal de que haverá chuvas fortes sem cessar durante três dias.

Semana do calouro

Postado por: Alcinéa Cavalcante em 04/03/15 as 1:53 am

Hoje, quarta-feira, na Unifap tem a mesa redonda “Formação e atuação do jornalista”, com Alcinéa Cavalcante, Denyse Quintas, Ramilton Farias e Kelly Tork. Será no anfiteatro e começa pontualmente às 19h30.
Amanhã, às 18h30, tem programação cultural com o Movimento Poesia na Boca da Noite e logo depois, às 19h30, a mesa redonda “Democratização dos Meios de Comunicação” com o senador Randolfe Rodrigues, prof. dr Aldenor Benjamim e Pablo Capilé.

Despejo

Postado por: Alcinéa Cavalcante em 04/03/15 as 1:52 am

Está atrasado há quatro meses o pagamento do aluguel das salas onde funciona a representação do governo do Amapá em Brasília.
Dizem que já tem uma ordem de despejo a caminho.

Chikungunya

Postado por: Alcinéa Cavalcante em 04/03/15 as 1:51 am

O número de casos confirmados de febre chikungunya não para de crescer no município de Oiapoque, fronteira com a Guiana Francesa.
De setembro a fevereiro foram confirmados mais de dois mil casos.
Um número bastante elevado para uma cidade que tem pouco mais de 20 mil habitantes.

De olho em 2016

Postado por: Alcinéa Cavalcante em 04/03/15 as 1:50 am

Deputado Michel JK aplainando caminho para ser o candidato de Waldez Góes à Prefeitura de Macapá ano que vem. Mas tem pelo mais cinco coleguinhas dele querendo a mesma coisa.

Santana

Postado por: Alcinéa Cavalcante em 04/03/15 as 1:49 am

O vereador Richard Madureira (PT)  ingressou ontem terça-feira, com ação  na 1ª Vara Cível e de Fazenda Pública da Comarca de Santana contra o prefeito  Robson Rocha para obrigar o gestor a disponibilizar, por meio eletrônico, as informações acerca das receitas e despesas da Prefeitura de Santana, conforme exige a Lei da Transparência.

Creches

Postado por: Alcinéa Cavalcante em 04/03/15 as 1:49 am

Mais tardar semana que vem  o prefeito de Macapá Clécio Luís fará o lançamento da obra da primeira das 10 creches que prometeu em campanha.
Até meados de abril, mais duas serão lançadas.

Recebi a agradeço

Postado por: Alcinéa Cavalcante em 04/03/15 as 1:48 am

Do vereador Allan Ramalho bonito cartão de felicitações pela passagem do Dia Internacional da Mulher, que é comemorado em 8 de março.

Nomes de logradouros públicos

Postado por: Alcinéa Cavalcante em 04/03/15 as 1:47 am

Senador Randolfe Rodrigues (PSOL-AP) apresenta nos próximos dias projeto de lei que proíbe a mudança de nomes de prédios, ruas, praças e outros logradouros públicos.
Só mesmo uma lei para barrar a ação de políticos que não estão nem aí para a história e cultura de um povo.

Mudos

Postado por: Alcinéa Cavalcante em 04/03/15 as 1:46 am

No Amapá, os telefones das secretarias de Estado estão mudos. Foram cortados por falta de pagamento. Segundo a assessoria do atual governo, a dívida foi deixada pelo governo passado.

Fato Online

Postado por: Alcinéa Cavalcante em 04/03/15 as 12:50 am

Empresário e jornalista Silvio Assis, lança hoje em alto estilo em Brasília, seu mais novo empreendimento: o portal de notícias Fato Online (fatoonline.com.br), especializado em política e economia.
O novo portal, segundo Assis, tem como foco explicar as coisas do poder, as causas e consequências dos fatos políticos e econômicos, suas implicações e interesses, explícitos ou difusos. Para tanto o Fato Online contará com uma equipe de grandes jornalistas com passagens no mais importantes veículos de comunicação do país como O Globo, Veja, IstoÉ, Estadão, dentre outros. A redação será comandada pela jornalista Cecília Maia, 34 anos de profissão, ex-repórter da Veja e da TV Globo e ex-chefe da sucursal da IstoÉ em Brasília; o editor-chefe é Rudolfo Lago, ex-editor de política do Correio Braziliense e ex-editor executivo do Congresso Em Foco  e vencedor do prêmio Esso em 2000 por uma série de reportagens que levaram à cassação do mandato do senador Luiz Estevão.

O lançamento será nesta quarta-feira, às 20h30, no Unique Palace.

Fenômeno “terras caídas” derruba casas no arquipélago do Bailique no Amapá

Postado por: Alcinéa Cavalcante em 03/03/15 as 11:54 pm

Prefeitura fará avaliação da situação dos danos causados pela erosão no Bailique

A Defesa Civil Municipal e a Coordenadoria de Distritos de Macapá estarão embarcando na madrugada desta quarta-feira, 4, ao distrito do Bailique para atender as comunidades das vilas Macedônia e Progresso, que estão sofrendo com as causas do fenômeno natural de erosão do leito do rio, conhecido como “terras caídas”.

A equipe fará o levantamento de informações possíveis para o atendimento dos critérios de situação de emergência. Fará parte do grupo a Defesa Civil do Estado, que foi solicitada pela Prefeitura de Macapá para fazer o assessoramento técnico com mapeamento das áreas em risco.

“Temos preliminarmente as informações de que 15 casas caíram e 40 estão em risco, a escola, a Unidade Básica de Saúde e os sistemas de abastecimento de água e energia estão comprometidos, e já isolados”, relata o coordenador da Defesa Civil, Maycon Vaz.

Buscando a prevenção, a equipe também fará a visita às comunidades do distrito de Carapanatuba (Ipixuna Miranda, Igarapé Amazonas e Bacaba), que também se encontram em situação de risco.

(Aline Brito/Asscom PMM)

PGR envia ao Supremo lista dos envolvidos na Lava Jato

Postado por: Alcinéa Cavalcante em 03/03/15 as 11:19 pm

Marcelo Brandão – Repórter da Agência Brasil

O Procuradoria-Geral da República protocoulou na noite de hoje (3), às 20h11, no Supremo Tribunal Federal (STF), a lista com pedidos de abertura de inquérito a fim de investigar pessoas suspeitas de envolvimento no caso de corrupção da Petrobras. Eles foram citados nos depoimentos da Operação Lava Jato.

Constam, no total, 54 nomes de investigados e feitos 28 pedidos de abertura de inquérito. Nem todos têm foro privilegiado. Além disso, foram feitos sete pedidos de arquivamento. Os nomes dos envolvidos não foram divulgados.

Em depoimentos de delação premiada, prestados no Ministério Público Federal e na Polícia Federal, o doleiro Alberto Youssef citou nomes de autoridades com foro privilegiado, como deputados federais e senadores, que, segundo o doleiro, receberam doações em dinheiro oriundo do esquema de corrupção.

Para ter validade, a delação premiada aguarda homologação do ministro Teori Zavascki, responsável pelos processos da Operação Lava Jato no Supremo.

As informações prestadas pelo ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa, por meio de delação premiada, também serão analisadas na formulação de denúncia dos envolvidos.

TRE-AP: 1º lugar no ranking de metas do CNJ

Postado por: Alcinéa Cavalcante em 03/03/15 as 3:56 pm

TRE-AP está em 1º lugar no ranking de metas do Conselho Nacional de Justiça

O Tribunal Regional Eleitoral do Amapá (TRE-AP) é o 1º colocado no segmento Justiça Eleitoral no cumprimento da meta 01 do Conselho Nacional de Justiça (CNJ). A ação consiste em julgar a maior quantidade de processos de conhecimento do que os distribuídos no ano corrente.

O TRE-AP também é o 2º colocado no cumprimento da meta 02, que é identificar e julgar, até 31 de dezembro de

Ler o restante do post »

Pra você

Postado por: Alcinéa Cavalcante em 03/03/15 as 1:08 am

rosa1Te ofereço esta rosa do meu jardim, cultivada com todo carinho, para enfeitar, perfumar e alegrar tua terça-feira

Poeta em destaque – Arthur Nery Marinho

Postado por: Alcinéa Cavalcante em 03/03/15 as 12:20 am

“Meu coração é público, senhores!
É como o botequim dali da esquina.
À turba não ilude.
Sempre há de ter lugar aos sofredores,
pois, sendo núcleo da mais triste sina,
tem calma e tem virtude.”

Poeta, músico, jornalista e desportista, Arthur Nery Marinho nasceu em Chaves (PA), em 1923,  mas aos 23 anos de idade veio para o Amapá e nunca mais saiu daqui. Cantou, tocou e escreveu as coisas desta terra como se fosse a sua terra natal.

Arthur1

“Que saibam pois, meus filhos, sem sigilo,
que fui isto, fui isso e fui aquilo,
porque não tive o dom de ser lacaio”

Compadre de meus pais, Arthur Nery Marinho frequentava muito nossa casa. Lembro-me que quando eu era criança eu ficava boaquiaberta ouvido-o declamar suas poesias para minha vó Elvira Araújo.
Nossa casa tinha uma grande varanda, onde minha vó, paralítica, passava a maior parte do dia em sua cadeira de rodas rezando, cerzindo, lendo, fazendo crochê… o poeta chegava, cumprimentava-a e começava a declamar (outro que costumava fazer isso era o Cordeiro Gomes, mas em outro post eu conto). Eu corria para ouvi-lo e a poesia que eu mais gostava era Auto-Retrato, que está publicada no livro Sermão de Mágoas. Ele dava tanta vida ao poema que eu, na inocência da infância, jurava que ele tinha o corpo todo marcado de cicatrizes.
Uma das imagens que ficou gravada é o poeta levantando a barra da calça ao dizer o verso “E por toda parte a perna cortada.” Eu arregalava os olhos na tentaviva de ver os golpes em sua perna e morria de pena dele. “Isso deve doer muito”,  pensava.
Só na adolescência fui entender o Auto-Retrato do poeta.

Cresci, fiquei adulta,  meus pais se separaram, morreram e meu contato com o poeta foi rareando. Mas nas poucas vezes que nos encontramos após a morte de meu pai sentia o enorme carinho que ele tinha por mim e isso me fazia muito feliz.

“Se alguém me pergunta onde é que moro,
prego mentira e de vergonha coro,
pois não moro nem dentro de mim mesmo”

Poucas vezes estive na casa dele. Era uma casinha tão aconchegante, na rua mais tranquila do bairro Jacaré-acanga, bem na frente de uma pracinha. Pensava com meus botões: todo poeta deveria morar num lugar assim, onde há paz, verde, crianças jogando bola, gente enamorada e canto de passarinhos. Uma das vezes que estive lá foi para convidá-lo a sair na escola de samba Unidos do Buritizal, em 1992, cujo enredo era “Alcy Araújo – o poeta do cais”. Fazia pouco tempo que Arthur tinha passado por uma delicada cirurgia na cabeça. Mas mesmo assim ele topou. Enfrentou o desafio de ir para a avenida, sambar em homenagem ao compadre, na comissão de frente da escola que estreava no carnaval. E estreou em alto estilo: foi a vice-campeã.

Outras vezes encontrei-o à sombra da “mangueira da Sead”. Ele costumava dar uma paradinha ali quando ia falar com os secretários de Estado em busca de apoio para a publicação do livro “Sermão de Mágoa”. E foi ali, embaixo daquela mangueira, numa manhã de sol bochechudo e céu azulzinho de 1993, que ele me deu a boa notícia: finalmente Sermão de Mágoa ia ser publicado. Já estava no prelo. Vibrei. E foi também embaixo da mangueira que ele me deu um exemplar do livro tão logo saiu da gráfica, antes do lançamento.

“Quero sonhar que vou pelos caminhos
jogando rosas, destruindo espinhos,
deixando luz em cada escuridão”

O poeta Arthur Nery Marinho faz parte da primeira geração dos modernos poetas do Amapá.
Nascido em Chaves (PA), em 27 de setembro de 1923, veio para o Amapá em 1946. Ao lado de Alcy Araújo Cavalcante, Álvaro da Cunha, Aluízio Cunha e Ivo Torres, Arthur desenvolveu importantes projetos culturais.
Está na Antologia Modernos Poetas do Amapá, na enciclopédia Brasil e Brasileiros de Hoje, na Grande Enciclopédia da Amazônia e na Coletânea Amapaense de Poesia e Crônica.
Foi vice-presidente da Sociedade Artística de Macapá, diretor do Jornal Amapá, presidente da Federação Amapaense de Desportos (hoje FAF) e sócio-fundador da Sociedade Esportiva e Recreativa São José e do Grêmio Literário e Cívico Ruy Barbosa.

Arthur Marinho tocou no coreto da antiga Praça da Matriz. Num de seus poemas relembra assim:
“Da igreja o velho coreto
eu avisto, neste ensejo.
Do mestre Oscar vejo a banda
e lá na banda eu me vejo.”

arthur3Em 1993 publicou o livro de poesias “Sermão de Mágoa”. Morreu em 24 de março de 2003 e alguns meses após sua morte a Associação Amapaense de Escritores fez o lançamento do livro de poemas e trovas “Cantigas do Meu Retiro”.

arthur2Arthur e o presidente da Associação Amapaense de Escritores, Paulo Tarso

Sobre celulares, boas maneiras e outras – Por Gabriel Birkhann

Postado por: Alcinéa Cavalcante em 02/03/15 as 11:30 pm

gabrielSobre celulares, boas maneiras e outras observações a mais
Por Gabriel dos Santos Birkhann

Esse texto é para “os chatos”. Os “otários” (sic) para alguns. Os “certinhos” (sic) para outros.
É. Sou meio chato. Na verdade, chato em totalidade.
Sou chato porque aprecio o mínimo (o mínimo, apenas isso!) possível de educação nos ambientes sociais.
Sou chato porque acho falta de respeito fumar num hospital!
Sou chato porque também acho falta de respeito buzinar, falar alto ao telefone em lugares proibidos (e convenhamos se houvesse bom senso e SIMANCOL, nós nem de lei precisaríamos!), e também porque vejo horrorizado quem acha normal parar e/ou estacionar em lugar proibido, ou fazer manobras radicais em áreas urbanas sem a menor preocupação ética (se a tivessem, não fariam isso!).

Ler o restante do post »

Rombo na Assembleia Legislativa do Amapá pode chegar a R$ 53 milhões

Postado por: Alcinéa Cavalcante em 02/03/15 as 10:51 pm

Do G1 Amapá

Balanço indica supostos desvios de R$ 53 mi na Assembleia do AP, diz MP
Por Abinoan Santiago 

Um balanço concluído pelo Ministério Público (MP) do Amapá aponta desvios de R$ 53 milhões na Assembleia Legislativa. O número foi divulgado nesta segunda-feira (2) durante apresentação do relatório de gestão 2011/2015 do MP e abrange 65 ações penais e de improbidades administrativas contras deputados, ex-parlamentares, servidores públicos e empresários.

Leia a matéria completa no portal G1 AP clicando aqui

Comunidade do Carnot bloqueia a BR-156 no Amapá

Postado por: Alcinéa Cavalcante em 02/03/15 as 10:37 pm

Sem energia elétrica há vários dias, a comunidade de Carnot, no município de Calçoene, resolveu protestar bloqueando a BR-156  com troncos de árvores e pedaços de pau na ponte do km 640.
O protesto começou ontem, domingo. Hoje uma equipe da Polícia Rodoviária Federal foi deslocada para aquela comunidade a fim de negociar com os manifestantes a liberação da estrada.
A interrupção no fornecimento de energia, que já dura pelo menos quatro dias,  é causada por problemas nos velhos geradores e falta de combustível.
Os manifestantes reivindicam novos geradores e o compromisso do governo de não atrasar o envio de combustível para fazê-los funcionar.
O combustível é de responsabilidade do governo do Estado. Os geradores são responsabilidade da Companhia de Eletricidade do Amapá.

Processo seletivo para o magistério: 13.069 inscritos

Postado por: Alcinéa Cavalcante em 02/03/15 as 9:59 pm

Mais de 13 mil candidatos estão inscritos no processo seletivo do governo do Amapá para contratação temporária de professores e pedagogos. Foram feitas exatamente 13.069 inscrições em todo o estado. A maioria, claro, na capital Macapá: 7.192.
As inscrições terminaram ontem. Agora, a comissão responsável pela seleção começa a fazer a análise curricular. Os selecionados assinarão contrato  temporário de 40h/semana. O salário foi fixado em  R$ 3.416,27.

Professores aprovados no último concurso público querem saber por que o governo em vez de chamar os concursados optou por fazer este processo seletivo para contratação temporária.

Taí. Uma boa pergunta.

Agora sim. Amapá terá energia elétrica de qualidade

Postado por: Alcinéa Cavalcante em 02/03/15 as 9:38 pm

Desde ontem, domingo, já estão recebendo energia proveniente do sistema nacional os bairros  Santa Rita, Trem, Centro, Nova Esperança, Cuba de Asfalto, Novo Buritizal, Congós, Alvorada, Cabralzinho, Goiabal, Ilha Mirim, Marabaixo I, II e III, Jesus de Nazaré e Laguinho.

Até o final do mês todo o sistema da Companhia de Eletricidade estará operando totalmente conectado ao Sistema Interligado Nacional. Isso, de acordo com a CEA, representa melhorias na qualidade da energia elétrica. “O Amapá  passará a dispor de energia firme, continua e de qualidade, eliminando sua dependência de usinas térmicas movidas a óleo diesel”, diz a diretoria da Companhia.

A falta de energia de qualidade é um dos fatores que impede o crescimento econômico. Sem energia boa,  grandes empresas, fábricas, usinas, indústrias, não se arriscavam a se instalar no Amapá.
A partir de agora o quadro pode mudar.

Mas é bom também trocar a fiação, pois basta um vento um pouco mais forte para quebrar cabos da rede elétrica em vários bairros de Macapá.

Bom dia!

Postado por: Alcinéa Cavalcante em 02/03/15 as 4:50 am

praçafp (2)

Poeta em destaque – Maria Ester

Postado por: Alcinéa Cavalcante em 01/03/15 as 9:22 pm

ester1Ela estreou na literatura com o romance “As aventuras do professor Pierre na terra Tucuju”, lançado em 2013 na Feira de Livros do Amapá. Mas além de romances e contos, escreve poesia. E das melhores. Está na coletânea “Poesia na Boca do Rio”, que reúne 16 grandes poetas amapaenses e será lançada neste mês de março.
“O ato de escrever pode ser um dom, mas para mim é um desafio, sinto responsabilidade por isso, mas é também uma tarefa imensamente prazerosa, sou dedicada”, diz.

Quero ser atemporal!
Quero contar minha estadia no mundo
Em momentos de felicidades e desatinos.

Maria Ester Pena Carvalho diz que  escreve por necessidade, mania, vício… Gosta de escrever à noite, rodeada de livros e tendo ao lado uma garrafa de café. “Sou movida a cafeína”, conta. E escreve de fôlego, quanto mais inspirada mais os versos fluem… naturalmente. E não sente fome, sede (a não ser de café) nem vê o tempo passar. Fica horas e horas tecendo versos nas noites estreladas ou nubladas.
Escreve, reescreve, lê, relê. Tem a mania de conversar com os escritos, gesticular, fazer caretas pra eles. Isso quem conta é uma amiga dela.

Atendendo um convite meu filiou-se ano passado à Rede de Escritoras Brasileiras (Rebra) e um de seus contos foi publicado na coletânea da Rebra do ano passado. Agora em março, no Salon du Livre, em Paris, será lançada a antologia “Ainsi écrivent les bresiliennes” … e… adivinha! Está lá um conto da Ester. A menina que conta as aventuras do professor Pierre e faz poesia quando o sol se poe já pode se considerar internacional. Né não?
Ela participa ativamente dos movimentos culturais. Debate sobre literatura produzida no Amapá, declama poesias suas e de outros autores (é apaixonada pela poesia de Aracy Mont’Alverne) e faz parte do Movimento Poesia na Boca da Noite e do grupo poético Pena & Pergaminho.
Até o final do ano lançará seu primeiro livro de poemas – o que vem sendo cobrado há muito tempo já por amigos que conhecem algumas de suas poesias. Belas e doces como esta:

Olhos doces

Quando os teus olhinhos de jabuticaba
Encontraram os meus grãos de café,
Ah! Eu soube, num instante,
Que nunca mais estaria só.

Posso apertar os olhos de emoção,
Posso fechá-los para dormir,
Ou de vez, quando meu tempo acabar,
Sei que os teus olhos estarão lá, a olhar por mim.

Posso não vê-los por um momento,
Mas ainda assim estarão em mim.
A dizer, como naquele primeiro encontro,
Docemente e num relâmpago:

Cuida de mim,
Que seremos dois, juntos,
Viajantes neste mundo enorme
De agruras e venturas.

Debate sobre alteração de nome de logradouros públicos

Postado por: Alcinéa Cavalcante em 01/03/15 as 9:20 pm

Câmara de Vereadores e Assembleia Legislativa abrem microfone para manifestações sobre alteração de nome de logradouros públicos

Por Mariléia Maciel

Esta semana a Câmara de Vereadores de Macapá (CVM) e a Assembleia Legislativa do Amapá (ALEAP) abrem o microfone da tribuna para que a Confraria Tucuju e representantes da sociedade levem para o plenário o debate sobre a alteração de nomes de logradouros, instituições e prédios públicos, sem que a população seja consultada. A presidente da Confraria, Telma Duarte, usará a tribuna da ALEAP nesta segunda-feira, 2, a convite do deputado Paulo Lemos, e no dia seguinte, 3, na Câmara Municipal, por iniciativa do vereador Washington Picanço.

Ler o restante do post »

Março – mês da poesia

Postado por: Alcinéa Cavalcante em 01/03/15 as 8:07 pm

Eu sou como a andorinha… Ergui meu voo
sobre as asas gentis da fantasia.
(Castro Alves)

Março é o mês da poesia. Dia 14 é o Dia Nacional da Poesia. A data foi escolhida para homenagear Castro Alves. Considerado um dos mais brilhantes poetas românticos, Antônio Frederico de Castro Alves, nasceu na cidade de Curralinho (hoje Castro Alves), em 14 de março de 1847.

Durante todo o mês de março, este blog vai homenagear os melhores poetas amapaenses desde a criação do Território Federal do Amapá aos dias de hoje.

ampa3aNão dá para falar em poesia amapaense sem citar a primeira antologia poética publicada nesta terra, da qual constam obras de Alcy Araújo, Álvaro da Cunha, Ivo Torres, Aluízio Cunha e Arthur Nery Marinho – os  primeiros poetas do Amapá, enquanto unidade socialmente e geograficamente definida. Eles vieram de uma fase revolucionária da arte literária do país – a escola Modernista.

ampa2xxVale lembrar que o pós Segunda Guerra Mundial gerou um contexto cultural efervescente em quase todas as partes do mundo. Os ares de liberdade e os sentimentos de paz embalados por um período de serenidade política, estimulavam a produção artística e intelectual. É nesse contexto que arregimentados pelo governo do Território para
compor o primeiro escalão Álvaro da Cunha, Aluizio da Cunha, Alcy Araújo, Arthur Nery Marinho e Ivo Torres se estabelecem em Macapá.

“Não se pode negar os esforços que fizeram os primeiros poetas, escritores e jornalistas
que aqui tentaram dinamizar a cultura e com isso chegando a influenciar muitos
dos que hoje estão numa posição de destaque dentro do Amapá”,
(Fernando Canto)

ampayAcostumados às atividades “cultas” da vida intelectual como o cinema, o teatro, a música, as letras e as artes plásticas, encontraram uma sociedade emergente ainda adormecida para estes aspectos,  tomaram então diversas iniciativas utilizando a própria burocracia do Estado para fomentar espetáculos e entretenimentos de massa disseminando a cultura na vida cotidiana dos novos amapaenses. A partir de então surgiram os ateliês de escultura e pintura, apresentações das mais diversas companhias teatrais, concertos, círculos folclóricos e as noites lítero-musicais, ao mesmo tempo em que começavam a surgir os primeiros recitais de poesias onde eram apresentadas a produção local.
No decorrer do mês, falaremos sobre cada um desses primeiros poetas do Amapá e a grande contribuição que deram não apenas à literatura, mas a todos os segmentos da arte no Amapá.
E, como dito lá em cima, jovens poetas também estarão em destaque neste blog neste mês da poesia. Afinal, o blog vai homenagear os melhores. São poetas de todas as idades e várias gerações.

Enquanto isso, fique com este recorte de jornal do lançamento da Antologia Modernos Poetas do Amapá em Belém

Moderno Poetas em Belémxx

Do senador Randolfe sobre Mujica:

Postado por: Alcinéa Cavalcante em 01/03/15 as 6:03 pm

“Mujica sai da Presidência e entra para a História. Que outros líderes sigam seu exemplo.”

rand2

Chá da tarde – Um poema de Alcy Araújo

Postado por: Alcinéa Cavalcante em 01/03/15 as 5:37 pm

LIRISMO
Alcy Araújo Cavalcante
(1924-1989)

Não,
eu não te darei um mal-me-quer.
Eu te darei
uma rosa de todo ano
e uma estrela
e uma lua branca
muito branca
um lírio
– porque os polichinelos ficaram inanimados
no bazar.

Depois
farei o poema do nosso primeiro beijo
recostarás tua cabeça no meu peito
e meus dedos compridos
acariciação os teus cabelos
e Deus saberá que nós estamos nos amando
porque haverá luz
e um grande silêncio
no pensamento das coisas.
(Do livro Autogeografia)