Alcinéa Cavalcante

Liberdade de expressão!
Macapá - Amapá

Rascunho automático

Um anel de arco-íris em torno do sol agora em Macapá

Postado por: Alcinéa Cavalcante em 07/02/16 as 12:41 pm

sol1

Olhe para o céu agora e veja este belo fenômeno: um anel com as cores do arco-íris ao redor do Sol .
O anel é formado pelo reflexo do Sol em cristais de gelo.

Este fenômeno meteorológico é conhecido como “halo”. Ele é  provocado por finíssimas luzes de cristais de gelo que ficam dentro das nuvens e são rebatidas pelo Sol.

Não é um fenômeno tão raro. Já vi algumas vezes. Mas sempre me encanta.

Do ano passado. Este ano não tem

Postado por: Alcinéa Cavalcante em 05/02/16 as 10:58 pm

carna1

carna3

Clique aqui  para ver fotos dos dois dias de desfile do carnaval-2015

Banda DR.Sin faz show em Macapá dia 12

Postado por: Alcinéa Cavalcante em 05/02/16 as 10:32 pm

Festival Paralelo Universo traz show da banda DR. SIN em Macapa
Jessica Alves

No dia 12 de fevereiro, a banda paulistana de hard rock Dr. Sin será a principal atração do festival “Paralelo Universo”, evento de cultura que reunirá bandas locais de vários gêneros do rock, na sede do Trem Desportivo Clube, na Zona Sul de Macapá.

Esta será a segunda vez que o Dr. Sin se apresentará em Macapá. Em 15 de julho de 2012, a banda fez um show no entorno da Fortaleza de São José, encerrando o festival em homenagem ao Dia Mundial do Rock, em um show marcado na história do rock no Amapá.

Além do DR. SIN, cinco bandas locais se apresentarão para o publico: Keona Spirit, de heavy metal, Motel 69, de hard rock, Kairos, tocando clássicos do heavy metal, Terror Room, de thrash metal e Ultimato, de rock alternativo.

Os ingressos estão sendo vendidos antecipadamente ao preço de R$ 40, e, quem comprar, de acordo com a coordenação do festival, concorrerá a duas guitarras autografadas pela banda. O resultado do sorteio sairá no dia do show, e os prêmios serão entregues ao vencedores pelo guitarrista Edu Ardanuy.

DR. SIN
Formado pelo guitarrista Eduardo Ardanuy e os irmãos Andria (baixista) e Ivan Busic (baterista), o grupo tem onze discos lançados e participações em inúmeros festivais de rock no currículo, como o Rock In Rio. Em 2016 eles realizam a turnê de despedida dos palcos, após 24 anos de atividades da banda, fundada em 1991, na cidade de São Paulo.

Das Batalha de Confetes ao carnaval de 2016

Postado por: Alcinéa Cavalcante em 05/02/16 as 10:29 pm

Das Batalha de Confetes, desfiles na Fab, bailes de salão, sambódromo, ao carnaval de 2016
Mariléia Maciel

Acho que o primeiro som de surdo, escutei entre 7/8 anos, tocados por brincantes de Piratas Estilizados e Boêmios do Laguinho. Lembro dos ensaios na sede dos Escoteiros, e cheguei a pular carnaval nas batalhas de confetes, descendo a Cândido Mendes, no meio da garotada da minha rua, encharcados de suor e com confetes grudados no rosto. O desfile na Fab, eu assistia da arquibancada, até começar a sair na minha primeira escola, Piratinhas, onde meus amigos da vizinhança se juntavam pra desfilar, primeiro crianças animadas, depois, jovens assanhados.

Dos carnavais de salão também tenho ótimas recordações. Papai sempre gostou de folia, mas preferia bailes de salão, na antiga APA, associação de professores, onde comprava a temporada. Nessa época, me restava o baile infantil, que eu frequentava também do Círculo Militar e outras sedes que promoviam os maravilhosos bailes de salão. Alguns anos depois, ainda menor de idade, eu entrava nos bailes de adulto com minhas irmãs e primas, mentido que esqueci a carteira, aproveitando a distração ou a piedade dos porteiros, comovidos com minha mentira. Uma vez me escondi fantasiada no porta-malas do chevette da minha irmã, e esperei muito tempo a fila interminável de carros,  toda enrolada, até que chegamos no escuro do estacionamento e desci fedendo a gasolina. O problema era pra entrar, o problema era me esconder quando a polícia passava olhando os documentos, mas estes problemas eram esquecidos, quando eu entrava no salão.

Fiz parte da primeira ala coreografada destas bandas, acho que em 1989, ensaiada no meio da rua, pelo Heraldo Almeida,  com cabos de vassoura imitando as lanças indígenas. Passávamos a tarde catando “tento” verde na frente da igreja São Benedito, para fazermos colares, que tinham ainda penas tiradas das galinhas criadas nos quintais. No Estilizados, os ateliês de fantasias eram montados nas casas. A ala dos meus amigos era costurada no pátio da dona Dometila, e todo mundo ajudava, pregando lantejoula, colando adereços. Na casa dos “Thunders Cats” também funcionava uma central de costura, e foi lá que inventamos de enfeitar com pedaços de espelho, a fantasia (de novo) de índio, e colocar na costa um mato que pegamos nos campos do Curiaú. No final desse desfile, quem não saiu cortado dos espelhos colados na saia indígena, terminou com coceira do mato, que se desfez com a chuva.  Era muito improviso, na hora a gente tinha uma ideia e colocava em prática da maneira mais simples possível.

Depois os bailes de carnaval sumiram, e veio o Sambódromo, obrigando à profissionalização da festa, que custava caro, e recebia investimentos públicos, por todos os atributos que agregava, do turístico ao comercial e diversão popular. Vieram os blocos de bairro, e eu aderi sem fazer força, ao kubalança, Filhos da Mãe Luzia, Tia Fé, e quantos mais tivessem ao meu alcance. Fui cortejada pela Nação Negra, e cedi aos seus encantos, mas mantive o respeito pelo Piratinhas, agora Piratas Estilizados. O carnaval também se aproveitou de mim,  e eu dele, para o trabalho, e assessorei a Liesa, e também a Nação Negra. Delícia de trabalho, diversão e dinheiro. Sempre gostei da rixa divertida e colorida entre as escolas, alimento meu estoque de histórias. Aproveito o carnaval o quanto posso, e minha família me acompanha, assim como meus amigos, os mesmos de todo ano, e outros novos que sempre chegam.

Mas neste ano, esta alegria se apagou um pouco, com o anúncio da não realização do carnaval de escolas de samba. É um sentimento de traição e covardia. Porque deixamos chegar neste ponto? Porque isso com a única festa em que todo mundo participa sem medo de preconceito? É a festa onde negros e mulatas, gente das baixadas e favelas, do funk, do rock e quadra junina, os que bebem sujos nas esquinas de botecos, os que só trabalham neste período, não recebem olhares de preconceito; é a festa onde os homens que se vestem de mulher não são espancados, nem as mulheres que se vestem de homens; onde sair na rua vestido de Tarzan traz risos de alegria, e um adulto com chupeta na boca não parece ridículo.

Mas não tem volta, não tem jeito, não foi a primeira vez, e provavelmente, se não fizermos nada, não será o último ano que não terá o carnaval completo. Vamos pra Banda, bailes, batalhas de confetes, atrás dos trios, vamos botar os blocos nas ruas, colorir a cidade. Não podemos deixar que nossa principal diversão popular, fique somente nas lembranças, vamos brincar, mas vamos trazer de volta nosso carnaval de escolas de samba.

Macapá 258 anos – Jeito Tucuju

Postado por: Alcinéa Cavalcante em 04/02/16 as 3:18 pm

Feliz aniversário, Diva Façanha! Feliz aniversário, Macapá!

Postado por: Alcinéa Cavalcante em 04/02/16 as 1:05 pm

diva1

Diva Façanha ladeada pelos filhos

Ela é tão tão tão Macapá que nasceu no dia do aniversário da cidade que ela adotou para viver, ter e criar filhos.
E hoje quando Macapá faz 258 anos de fundação, Diva Façanha 96 anos de idade, cercada de afeto dos filhos, netos, tantos parentes  e um montão de amigos.

Dona Diva chegou ao Amapá em 1939, acompanhando o marido Lourenço Borges Façanha, que era cabo do Exército e veio servir em Clevelândia, no Oiapoque.
Em 1941 transferiu-se para Macapá, aonde o marido veio trabalhar no comércio. Aqui ajudou a criar os filhos trabalhando como cozinheira, doceira e, a partir do ano de 1954, funcionária pública. Exerceu os cargos de Assessora e Chefe do Gabinete do Governador e Tesoureira da Senava.

Dona Diva é linda, carinhosa, sábia e tem um sorriso que transmite ternura, segurança e amor. Tenho enorme carinho e admiração por ela que foi grande amiga de meu pai, a quem chamava de “Nenem” (como minha avó) e, inclusive “ralhava” com ele quando ele merecia.

Em setembro do ano passado, Diva foi homenageada pelo Instituto Memorial tomando posse na Academia de Notáveis Edificadores do Amapá e recebendo a medalha de “Notável pelo legado construído”.

Como Macapá, hoje ela merece todas as homenagens.
Feliz aniversário, Diva!
Feliz aniversário, Macapá!

O Forte vigia o rio-mar

Postado por: Alcinéa Cavalcante em 04/02/16 as 12:00 pm

a4

“O Forte vigia o rio-mar
O rio margeia a cidade
Range o trapiche a tramar
Pré amares de saudades”
(Manoel Bispo)

Macapá 258 anos – Mãe Luzia

Postado por: Alcinéa Cavalcante em 04/02/16 as 11:05 am

maeluzia3

Mãe Luzia! Mãe Preta! Um coração
Que através dos milagres de ternura
Da mais rudimentar puericultura
Foi o primeiro doutor da região.
(Álvaro da Cunha)

Na minha cidade mora um rio

Postado por: Alcinéa Cavalcante em 04/02/16 as 10:00 am

fimdetarde

“Na minha cidade mora um rio
Que é tão extenso quanto o mar
E nele moram muitas lendas
E toda tarde navego com o olhar”
(Enrico di Miceli)

Macapá 258 anos – Velha praça

Postado por: Alcinéa Cavalcante em 04/02/16 as 9:00 am

1935-Macapá-Igreja-S.-Jose-com-Coreto

Praça da Matriz em 1935  (hoje Veiga Cabral)

No coreto se apresentavam as bandas de música da Guarda Territorial e do Mestre Oscar. Foi ouvindo estas bandas que interpretavam de forma magistral clássicos da música que muitos casais começaram a namorar e casaram, aí pertinho do coreto mesmo, na bicentenária igreja de São José.

O poeta Arthur Nery Marinho – que veio para o Amapá em 1946 – chegou a tocar  no coreto. 

Praça Antiga
Arthur Nery Marinho

Velha praça, velha praça,
tenho saudade de ti.
Não da bonita que estás
mas da que eu conheci.

A praça do tio Joãozinho
e do seu Naftali:
o primeiro era Picanço
e o segundo Bemerguy.

A praça do João Arthur
também a praça do Abraão,
a praça que outrora foi
da cidade o coração.
A praça em que se jogava
todo dia o futebol,
esporte que só parava
quando já dormia o Sol.

Parece que isto foi ontem,
mas tanto tempo passou,
o que deixou de existir
minha saudade gravou.
Vejo a barraca da Santa,
vejo ali o ABC.
Há muito tempo não existem
mas a minha saudade os vê.

Da igreja o velho coreto
eu avisto, neste ensejo.
Do mestre Oscar vejo a banda
e lá na banda eu me vejo.

Eu considero um castigo
não apagar da lembrança
o que me foi alegria
e agora é desesperança.

Velha praça, velha praça,
renovaste e linda estás.
Não tens, porém, a poesia
do que ficou para trás.

(Extraído do livro “Sermão de Mágoa” publicado em 1993)

Macapá tem

Postado por: Alcinéa Cavalcante em 04/02/16 as 8:00 am

camarao1

Paneiros do melhor  camarão  do mundo em qualquer feira ou esquina da cidade. Camarão novinho, pescado na frente da cidade no rio Amazonas. Uma delícia para comer com açaí, com tacacá, fazer farofa, salada, refogadinho com legumes, guizadinho com batatas, recheio de peixe e o que mais a imaginação mandar.

Bom dia, Macapá!

Postado por: Alcinéa Cavalcante em 04/02/16 as 6:05 am

013aa

Em Macapá árvore morta vira obra de arte

Postado por: Alcinéa Cavalcante em 03/02/16 as 11:41 pm

arte

Na Praça da Bandeira, uma palheteira estava morta, não tinha mais salvação… Não tinha? Para a arte sempre tem. A convite da Prefeitura os artistas J.Márcio, Grimualdo e Baltazar deram vida, de outra forma, à arvore que estava morta fazendo esta belíssima escultura em seu tronco. A obra de arte  será inaugurada nesta quinta-feira quando Macapá completa 258 anos de fundação.
Espero que  em outras praças, bairros, ruas não se derrube mais as árvores “doentes”, mas que elas sejam transformadas em obras de arte como esta.

Programação de aniversário de Macapá

Postado por: Alcinéa Cavalcante em 03/02/16 as 10:28 pm

58f767cc7d78ad0c47cc26def9c42f0f

Macapá tem…

Postado por: Alcinéa Cavalcante em 03/02/16 as 9:15 pm

entardecer

O rio Amazonas passando na frente da cidade.
Completando a beleza um pássaro canta para o majestoso rio

Macapá… Macapá… Macapá

Postado por: Alcinéa Cavalcante em 03/02/16 as 8:53 pm

barquinho

Os barcos me lembram dores
Quando deixam este lugar
Vão cantando em seus motores
-Macapá… Macapá… Macapá…
(Joseli Dias)

Cães e gatos na folia

Postado por: Alcinéa Cavalcante em 03/02/16 as 8:45 pm

desfilecachorroUma boa pedida para quem procura diversão para o seu cãozinho de estimação, neste feriadão prolongado de Carnaval, é o Desfile a Fantasia promovido pela ONG Anjos Protetores. O evento ocorrerá no dia 7 de fevereiro, a partir das 17h, na quadra da Igreja de Nossa Senhora da Conceição, no bairro do Trem. O objetivo é proporcionar um momento de lazer e entretenimento aos animais e seus donos.

As inscrições serão realizadas no local do concurso ao preço de R$ 5. Haverá premiação para os três primeiros colocados. Entre os prêmios: vale brinde de banho e tosa, consulta e exame de sangue etc. Quatro jurados vão avaliar as fantasias dos animais nos critérios criatividade e originalidade.

Paralelo ao desfile, a ONG fará uma Feira de Adoção de cães e gatos filhotes e adultos. No local também vão funcionar pontos de coleta de ração, material de limpeza (desinfetante, água sanitária, sabão em pó) e ainda toalhas, lençóis, fronhas e panos de chão.

“Com o inverno, os animais mantidos pela ONG sentem frio, principalmente à noite. Então decidimos pedir a ajuda da população para que doe estes materiais durante nosso evento de domingo”, pontuou Laudenice Monteiro, presidente da Organização Não-Governamental Anjos Protetores.

A tradicional venda de alimentos não poderia faltar. O público poderá provar deliciosos pratos como vatapá, risoto, pudim, bolos, macarronada e água mineral, refrigerante e suco. “Tudo que for arrecadado será investido, exclusivamente, aos animais mantidos pela ONG”, disse a presidente.

(Texto: João Clésio)

Minha linda Macapá

Postado por: Alcinéa Cavalcante em 03/02/16 as 8:33 pm

macapa4

“Minha linda Macapá
Cidade morna e morena
Que tem o cheiro da açucena
e o sabor do tacacá”
(Bento Góes de Almeida)

Escreva uma carta a si próprio

Postado por: Alcinéa Cavalcante em 03/02/16 as 8:20 pm

Correios abre inscrições para Concurso Internacional de Redação de Cartas

Estão abertas as inscrições para o 45° Concurso Internacional de Redação de Cartas, realizado no Brasil pelos Correios. O concurso é promovido em todo o mundo pela União Postal Universal (UPU) — entidade que congrega os operadores postais de 191 países — com o objetivo de melhorar a alfabetização através da arte epistolar e incentivar crianças e adolescentes a expressarem a criatividade e aprimorarem seus conhecimentos linguísticos.

O tema para este ano é “Escreva uma carta a si próprio aos 45 anos”. Poderão participar estudantes de até 15 anos de idade da rede pública e privada de ensino. As inscrições vão até o dia 17 de março.

As redações devem ser redigidas de próprio punho, com caneta esferográfica preta ou azul e escritas em língua portuguesa, contendo no máximo 900 palavras em formato de carta. Para participar, o estudante deverá passar por uma seleção em sua escola, na qual será escolhida a carta que irá representá-la. Cada escola pode inscrever no máximo duas redações.

Serão realizadas duas fases: estadual e nacional. Na estadual, o autor da melhor redação ganhará R$ 1.000. Já na fase nacional, o vencedor ganhará R$ 5.000 e um troféu, e sua redação representará o Brasil na etapa internacional, a ser realizada pela União Postal Universal. As escolas também recebem prêmios: R$ 2.000 na fase estadual e R$ 10.000 na nacional.

Em 2015, o concurso teve a participação de cerca de 3.700 estudantes de 2.131 escolas públicas e particulares de todo o Brasil. Leonardo Silva Brito, de Rondônia, foi o vencedor nacional e ficou com a medalha de bronze na fase internacional do concurso, em que o Brasil é o 2° melhor país em número de vitórias, com três medalhas de ouro, atrás apenas da China, com cinco.

O regulamento completo do concurso está disponível no site dos Correios, no link: http://www.correios.com.br/sobre-correios/sustentabilidade/vertente-social/concurso-internacional-de-redacao-de-cartas

(Ascom/Correios)

Macapá 258 anos

Postado por: Alcinéa Cavalcante em 03/02/16 as 8:13 pm

escolas

Eu vou

Postado por: Alcinéa Cavalcante em 03/02/16 as 8:09 pm

bienal

Batalha de confetes no Largo dos Inocentes – Domingo tem mais

Postado por: Alcinéa Cavalcante em 03/02/16 as 7:45 pm

domingo

A agremiação carnavalesca Embaixada de Samba Cidade de Macapá e a Confraria Tucuju realizam neste domingo de carnaval, 7, mais uma Batalha de Confetes no Largo dos Inocentes, animada por bandas e escolas de samba. A partir das 14h, confetes, serpentinas, máscaras e muita gente fantasiada estarão colorindo o centro histórico de Macapá, atrás da antiga Igreja São José de Macapá, com entrada franca.

Na programação, banda Saka-Rolha, baterias das escolas de samba Embaixada e Piratas Estilizados, bloco Afoxé Alabê Axé, e Charlinho e Banda. “Na abertura, teremos a participação do cantor Val Milhomem, marabaixo e capoeira, e até meia-noite, muito carnaval e samba, pra animar o domingo de carnaval em Macapá, e não deixar a população e comunidades do carnaval sem opção de folia, já que não teremos o desfile no Sambódromo”, disse Egídio Gonçalves, diretor de carnaval da Embaixada de Samba.

A parceria da escola de samba com a Confraria Tucuju é em função da tradição que a instituição tem na realização de batalha de confetes, que desde 2009, promove a festa, resgatando as antigas folias em Macapá, quando iniciaram as festas de carnaval nas ruas da cidade. No último domingo (31) a Confraria lotou o Largo, com centenas de  jovens, adultos e crianças  dançando, fantasiados ou não, as marchinhas de carnaval.

A coordenação desta Batalha garante o padrão da Confraria Tucuju, na realização de festas. Tendas, confetes, serpentinas, comidas típicas, mesas e segurança estão confirmados para dar comodidade e tranquilidade para as famílias e amigos que estarão presentes.

(Texto: Mariléia Maciel -Assessoria de Comunicação da Confraria Tucuju)  

“Quem é você? Diga logo que eu quero saber”

Postado por: Alcinéa Cavalcante em 01/02/16 as 10:51 am

quem5a

Foi assim a Batalha de Confetes no Largo dos Inocentes

Postado por: Alcinéa Cavalcante em 01/02/16 as 2:40 am

a1

Mais uma vez a Batalha de Confetes da Confraria Tucuju, no Largo dos Inocentes,  foi  sucesso.
Um espetáculo de alegria, luzes, cor, marchinhas de carnaval, confetes e serpentinas.
A organização, como sempre, foi nota 10.
De parabéns a presidente da Confraria, advogada Telma Duarte, e sua equipe.

a6

Te vi na Batalha de Confetes

Postado por: Alcinéa Cavalcante em 01/02/16 as 2:39 am

a1

a2

a3

a4

Jornalistas na Batalha de Confetes – “Me imprensa que eu te jogo na Rede”

Postado por: Alcinéa Cavalcante em 01/02/16 as 2:35 am

c2

Os jornalistas aproveitaram a Batalha de Confetes e caíram na folia. Formaram o bloco “Me imprensa que eu te jogo na rede” e se divertiram a valer. Cantaram, pularam, jogaram confetes e ainda desfilaram com a bateria de Piratas Estilizados, levando como adereço de mão plaquinhas com frases bem humoradas, como estas:

 

b6

b5

confraria-batalha

O bloco teve até Princesa (Bernadeth Farias) e Rei Momo (Elton Tavares)
(Foto: Márcia do Carmo)

c1

Senador Randolfe Rodrigues – que não perde uma batalha de confetes da Confraria Tucuju – foi prestigiar o bloco dos jornalistas.

Um poema de Patrícia Cattani

Postado por: Alcinéa Cavalcante em 30/01/16 as 3:30 pm

patriciacattaniLabirinto de esconde esconde
Patrícia Cattani

Labirinto de esconde esconde
tudo perto e tão distante
Desconstruindo a cerca
na eloquência dos pensamentos
na espera da hora que não chega
e a lenha  e a lenha….que venha
no silêncio da madrugada
na letra, na palavra
na inquietação calada
que transformou o dia em tímidos sorrisos
das lembranças dos instantes sem juízo.

Os 90 anos de Dona Elza Flexa da Costa

Postado por: Alcinéa Cavalcante em 30/01/16 as 2:11 pm

anibal2Quando ela fez 50 anos, as felicitações enviadas a ela via emissoras de rádio eram assim: “Hoje os passarinhos amanheceram cantando. Dona Elza Flexa da Costa completa meio século de vida. Funcionária pública exemplar, Elza recebe neste dia as felicitações de seu vasto círculo de amigos”.

Hoje ela completa 90 anos. As inúmeras felicitações chegam a ela pela internet e pelo celular. E muita gente vai abraçá-la.
Cercada do carinho dos filhos, netos, bisnetos e amigos de todas as idades que fez ao longo do tempo, Elza comemora com sorrisos, histórias e alegria seu aniversário.

Mãe do jornalista Aníbal Sérgio, dona Elza foi amiga da minha mãe. Daí que a nossa amizade – minha com Aníbal – vem dos tempos de criança. E ele foi aluno da minha mãe, professora Delzuite Cavalcante, na escola Coaracy Nunes. O próprio Aníbal conta que no primeiro dia de aula, dona Elza ao deixá-lo na porta da sala, chamou minha mãe e disse: “Delzuite, te entrego meu filho. Dessa porta pra dentro ele é seu. Se ele fizer alguma coisa errada pode botá-lo de castigo e me conta porque além do castigo ele ainda vai apanhar quando chegar em casa.”

Aos 90 anos, dona Elza está “inteiraça”, lúcida, conta histórias de Macapá e sua gente. Já não dança marabaixo, mas onde ouve o batuque das caixas vai lá assistir. Adora almoçar um peixe assado de brasa com açaí. As mãos estão sempre estendidas para acarinhar os netos e bisnetos. Com sabedoria dá conselhos a eles, mas quando é preciso ralha com a mesma firmeza como ralhava com meu amigo Aníbal Sérgio (que, cá pra nós, era um moleque danado).
Cuidadosos, os filhos não gostam que ela fique sozinha em casa. Por isso passa a maior parte do dia na casa da filha Sulica (ali do bar Tio Duca). Mantem o hábito de dormir cedo e acordar cedo, rezar por todos antes de dormir e ao amanhecer.
Dona Elza faz parte da história e da paisagem de Macapá. A ela nossas felicitações pelo dia de hoje e o desejo de que possamos daqui a dez anos comemorar seu centenário com muito marabaixo, gengibirra e alegria.

Feliz aniversário,  Elza Flexa da Costa!

Feliz aniversário, mana!

Postado por: Alcinéa Cavalcante em 30/01/16 as 1:09 pm

lene1

Família feliz

Minha adorável e mui amada  irmã Alcilene Cavalcante (na foto com o marido e filhos) está de aniversário hoje e eu estou imensamente feliz. Sim. Fico tão feliz quando alguém que tanto amo celebra mais um ano de vida, de uma vida plena de amor, sorrisos, solidariedade, competência profissional e sucesso na vida profissional e pessoal.
Alcilene é autêntica, culta,linda,  inteligente, mas, acima de tudo, é gente de alma iluminada, coração alegre e solidário.
Feliz aniversário, minha irmã. Desejo que tua vida continue assim: uma sucessão de dias felizes e  abençoados por Deus.
Tenho orgulho de você, de meu cunhado Dias (que mais que um cunhado é um irmão) e dos meus sobrinhos Ricardo e Gabriel.

Domingo tem Batalha de Confetes

Postado por: Alcinéa Cavalcante em 29/01/16 as 12:39 am

batalha1

Quanto riso. Oh, quanta alegria!

Confraria Tucuju confirma para domingo,  dia 31 de janeiro, a Batalha de Confetes, no Largo dos Inocentes, continuando a tradição de promover o carnaval para toda a família, que participa sem pagar ingresso. A festa é realizada desde 2004, com apresentação de bandas, escolha das fantasias mais originais e muitos confetes, serpentinas, marchinhas. A Prefeitura de Macapá (PMM) e o Instituto Municipal de Turismo (MacapaTur) são os parceiros da Confraria neste  evento.

batalha2

A folia começa às 18h e termina  meia-noite. As bandas Moara e Saka-Rolha prepararam um repertório com as melhores e mais animadas marchinhas pra não deixar ninguém ficar parado. No intervalo entre as bandas está programada apresentação de escolas de samba.

batalha4