Songbook de Nonato Leal será lançado nesta terça

O songbook com partituras instrumentais de autoria do músico Nonato Leal será lançado nesta quarta-feira, 30, às 16h, na praça Floriano Peixoto. A obra é uma iniciativa da Prefeitura de Macapá, proposta na gestão do prefeito João Henrique, e que na atual gestão foi resgatado e atualizado. São dez partituras de músicas autorais, que eternizam o talento de Nonato Leal, que completou recentemente 92 anos. O songbook é traduzido para a língua inglesa e conta  a história musical e de vida do mestre.

Raimundo Nonato Barros Leal nasceu no município paraense de Vigia, onde aos 8 anos iniciou com o pai sua trajetória musical. Ao completar 18 anos sabia tocar nada menos que violino, banjo, violão tenor, viola e bandolim, e antes dos 20 anos fez sua primeira composição, Tauaparanassu, quando seguiu para Belém onde fez parte do elenco da Rádio Clube do Pará e conquistou espaço em cadeia nacional no Rio de Janeiro, imitando o violonista Dilermano Reis. Passou pela Rádio Marajoara por onde percorreu o Pará com músicos e cantores da emissora.

Sua chegada em Macapá foi no ano de 1952, atendendo convite de seu irmão Oleno Leal, e logo entrou para a Rádio Difusora de Macapá. No ano seguinte se encantou com Paracy Leal, com quem casou e gerou seis filhos, sendo dois herdeiros do talento musical do pai, Venilton e Vanildon Leal.
Ângela Maria, Nelson Gonçalves, Waldick Soriano, João do Valle, Luiz Gonzaga, Agnaldo Rayol, foram alguns dos artistas que o mestre acompanhou. Participou de programas de Rádio no Ceará, e caiu no samba, compondo enredos para agremiações carnavalescas de Macapá.

Nonato Leal foi o primeiro professor de violão do antigo Conservatório de Música, e introduziu dezenas de alunos na arte musical. Deixou registradas suas composições em três CDs, dois produzidos pelo maestro Manoel Cordeiro (Lamento Beduíno e Coração Popular) e um por Venilton Leal, com quem atuou na TV Tucuju no programa De Pai pra Filho. Sebastião Mont’Alverne, Amilar Brenha, Hernani Guedes, Aimorezinho, Manoel Cordeiro foram alguns músicos que dividiram palco com Nonato Leal.

Na gestão do prefeito  Clécio Luiz o projeto Mestres da Música foi resgatado, e a intenção é executá-lo inteiro, com a produção dos songbooks de mais três músicos regionais:  Amilar Brenha, Oscar Santos e Professor Tiago.
Uma equipe de renome e experiente assumiu a condução do trabalho, formada pelos músicos Fernando Canto, Alan Gomes, Miguel Maus e Nelson Santos, e os colaboradores da PMM, Clícia Di Miceli e Sérgio Lemos. As  fotos que ilustram a obra são de Henrique Silveira, Jelbes Lima, Max Renê e Nay Magalhães.

(Texto: Mariléia Maciel – Foto:Max Renê)

Planeta Amapari

Planeta Amapari
(Zé Miguel, Val Milhomem, Osmar Jr e Joãozinho Gomes)

Somos filhos dessa terra
E também dessas estrelas
Do infinito e da floresta
Da nação que se constela
Somos o que está em Deus
Somos o que esteve aqui
Antes de chegarem os teus, anhangá,
Antes de ti

Somos seres de um cometa
Há mil anos luz daqui
Mas no meio do planeta
Somos índios waiãpi
Nossa nave é uma canoa
Feita de cedro e ananim
Navegando o Rio Onça
Por galáxias sem fim

Procurando vida nova
No planeta Amapari
Através da via-láctea
Desse canto curumim

Somos cidadãos do mundo
Meio ET, meio tupi
Marcianos de arco e flexa
Astronautas waiãpi

(Voz, Guitarra, violão e Bandolim: Cléverson Baía
Bateria: Valério Di Luca
Baixo: Rogerinho
Teclado: Pisca Martins
Percussão: Trio Rumpilê)