Camilo: “Se penalizar os mais pobres, a reforma da previdência não terá o meu apoio”

O deputado federal Camilo Capiberibe (PSB-AP) disse hoje que se a reforma da previdência penalizar os mais  pobres, não terá seu apoio.

“Estabelecer que o trabalhador rural, o pescador artesanal, categorias que trabalham praticamente na informalidade, tenham que contribuir durante vinte anos para poder ter direito a aposentadoria é algo que nos preocupa”, afirmou o deputado sobre a minuta da proposta de reforma previdenciária do governo Bolsonaro noticiada pela imprensa.

Entre as medidas, os idosos na faixa de vulnerabilidade social passariam a receber menos do que um salário mínimo.

Camilo concorda que o Estado brasileiro precisa realizar a reforma da previdência. No entanto, insiste que seja equilibrada, para cortar privilégios, combater a sonegação e garantia de caixa para honrar os benefícios.

“Eu não tenho a menor condição de votar numa proposta que alegam resolver o problema do Brasil, mas nada nos garante que vai e, pior, tira os direitos dos mais vulneráveis. Se é pra acabar com os privilégios, vamos começar a discutir por quem recebe acima do teto constitucional”, enfatizou.

Lucas Barreto de volta ao PSD

Eleito senador pelo PTB, Lucas Barreto trocou de partido esta semana.
Ele filiou-se ao PSD, partido pelo qual disputou o governo do Amapá em 2014.
Com dez senadores, o PSD terá a segunda maior bancada no Senado Federal, só perdendo para o MDB, que tem  13.
O PTB ficou sem ninguém.

Presidência do Senado – Davi já avisou: Não desiste

Senador Davi Alcolumbre (DEM-AP) já avisou: não desiste, nem que caia neve em Macapá, de disputar a presidência do Senado nesta sexta-feira, 1º.
De acordo com o Congresso em Foco, Davi “diz nos bastidores já ter conversado com mais de 70 senadores (ou seja, quase todos) e recebido apoio da maioria.”

No PSD, o senador tucuju tem o apoio de quase toda a bancada. Segundo Lucas Barreto – que está desde a semana passada em Brasília articulando apoio para o conterrâneo Davi – oito dos dez senadores já anunciaram apoio ao amapaense.

Davi Alcolumbre vai presidir a eleição no Senado

Senador Davi Alcolumbre (Foto: Marcos Oliveira / Agência Senado)

Mesmo sendo candidato a presidente do Senado,  Davi Alcolumbre (DEM-AP) vai presidir a sessão que escolherá o novo presidente da Casa, no dia 1º de fevereiro.
Pelo regimento interno, preside a sessão o remanescente da Mesa Diretora anterior que esteja no meio do mandato. E o único nessas condições, coincidentemente, é o senador amapaense.
Aliados dele, otimistas com sua eleição para a presidência, dizem que isso  é apenas um treino para ocupar tão importante, poderosa e cobiçada cadeira no biênio 2019/2020.

Randolfe (de novo) o melhor senador do Brasil

Hoje (13), em Brasília, aconteceu a 11a edição do Prêmio Congresso em Foco, que elege os melhores parlamentares do ano em votações da internet, dos jornalistas e júri especializado. O senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) foi eleito pela 5a vez o melhor senador na opinião dos jornalistas que cobrem o Congresso Nacional.

Ainda foi o único senador a receber certificado de combate à corrupção e ao crime organizado. Além de ter ficado entre os sete melhores avaliados pelo voto popular, na internet.

Essa é a sexta vez que o senador Randolfe Rodrigues é indicado ao premio de melhor senador do Brasil, nos oito anos de mandato (o prêmio não ocorreu em 2014 e 2016), Randolfe foi indicado em todas elas levando prêmio de ‘Melhor Senador’ cinco vezes.

“Dedico todas as indicações ao meu Amapá que me deu um voto de confiança para representá-lo. Não faço mais do que minha obrigação em manter meu mandato limpo, ético e transparente”, disse.

(Ascom)

É hoje – Senador Randolfe mais uma vez é indicado para receber o Prêmio Congresso em Foco

Acontece hoje (13), em Brasília, mais uma edição do Prêmio Congresso em Foco, que elege os melhores parlamentares do ano em votações da internet, dos jornalistas e júri especializado. No Amapá, o senador Randolfe Rodrigues já ganhou o prêmio como melhor senador do Brasil quatro vezes e mais uma vez o nome foi apontado entre os indicados.

Continue lendo

Candidatos a presidente da República já definidos nas convenções

Começou sexta-feira, 20, o prazo para os  partidos políticos realizarem convenções para escolher os candidatos e definir coligações. O prazo vai até 5 de agosto.
No primeiro fim de semana de convenções nacionais, foram definidos cinco candidatos a presidente da República.
São eles:
Ciro Gomes (PDT)
Guilherme Boulos (PSOL)
Jair Bolsonaro (PSL)
Paulo Rabello de Castro (PSC)
Vera Lúcia (PSTU).

Agora me deu medo – Pesquisa do Ibope aponta Bolsonaro na liderança

O IBOPE Inteligência realizou, entre os dias 21 e 24 de junho, a pedido da Confederação Nacional da Indústria (CNI), uma pesquisa junto aos eleitores brasileiros sobre as eleições presidenciais que ocorrerão em outubro deste ano.

Na pergunta estimulada, ou seja, com apresentação dos nomes dos prováveis candidatos, sem a presença de Lula, Jair Bolsonaro e Marina Silva aparecem tecnicamente empatados no limite da margem de erro da pesquisa, com 17% e 13% das intenções de voto, respectivamente. Em seguida, também tecnicamente empatados, surgem Ciro Gomes (8%), Geraldo Alckmin (6%). Alvaro Dias é apontado por 3% do eleitorado, enquanto Fernando Haddad e Fernando Collor de Mello têm 2% das intenções de voto, cada um. Com 1% de menções cada, estão: Manuela D´Ávila, João Amôedo, Rodrigo Maia, Henrique Meirelles, João Goulart Filho, Flávio Rocha, Guilherme Boulos, Levy Fidelix.  (Veja os detalhes no site do Ibope clicando aqui)

PT, PSOL e PSB querem de volta os showsmícios

Alegando que a  proibição de showmícios não remunerados e de eventos artísticos de arrecadação eleitoral são incompatíveis com a liberdade de expressão dos artistas, o PT, Psol e PSB pediram que o Supremo Tribunal Federal declare inconstitucionais dispositivos que impedem esse tipo de apresentação durante campanhas. O ministro Luiz Fux, que também é presidente do Tribunal Superior Eleitoral, será o relator da ação. (Leia os detalhes aqui)