Teatro/Itaú Cultural – Tem amapaense no Palco Virtual

O ator, diretor e professor Emerson de Paula, do Amapá, participa no dia 28 de setembro (segunda-feira), da programação do Palco Virtual, que o Itaú Cultural realiza até o dia 29, sempre virtual e ao vivo, e que conta ainda com espetáculos. Com a leitura de Coração-tambor, Emerson de Paula integra o ciclo de leituras que acontece nos dias 21 e 28 (segundas-feiras) às 20h, com textos de jovens dramaturgos, focados na Dramaturgia Negra, vindos de oito estados (AP, ES, MA, MG, RJ, RS, SC e SP).

O Itaú Cultural segue ao vivo e digital com o Palco Virtual em nova programação nas duas últimas semanas de setembro. Os ciclos de leituras dos dias 21 e 28 (segundas-feiras) são dedicados a textos de jovens dramaturgos e contam com debates conduzidos pela dramaturga anfitriã Dione Carlos e as convidadas Cristiane Sobral e Fernanda Júlia Onisajé. As sessões à noite, nos dias 22 e 29 (terças-feiras), trazem a versão online de Villa, cuja estreia foi em 2018, a partir de texto do chileno Guillermo Calderón sobre a ditadura no Chile. No sábado e domingo, dias 26 e 27, tem entretenimento em tempo real para as crianças, com o espetáculo Cavaco e Sua Pulga, que também adapta para as telas a produção antes realizada entre cenários nos teatros e ao ar livre.

Toda a programação do Palco Virtual Itaú Cultural é gratuita. As apresentações acontecem via Zoom e as reservas de ingressos online têm início 15 dias antes das atividades, pela plataforma Sympla

Os ciclos de leituras das duas últimas segundas-feiras de setembro dão voz a uma produção teatral fruto das turmas do curso EAD Dramaturgia Negra: A Palavra Viva, realizadas em 2019 e 2020 pela instituição. A cada semana, são apresentadas cinco cenas curtas, criadas durante o curso, conduzido pela dramaturga Dione Carlos, em formatos que vão desde leituras dramáticas clássicas a vídeos conceituais. Ao final de cada noite, Dione media uma conversa ao lado de uma convidada.

No dia 21, tendo como convidada a baiana Fernanda Júlia Onisajé, diretora-fundadora do Núcleo Afro brasileiro de Teatro de Alagoinhas – NATA, o ciclo começa às 20h, com PROMETEU BR, do carioca Júnio Nascimento. Nela, um homem negro clama pelo fim da política de genocídio que assola o corpo preto. A paulista radicada no Rio Grande do Sul, Grazielle Bessa, apresenta Porque os Tons de Vestidos Sempre Mudam, inspirado no poema Da Menina, a Pipa, de Conceição Evaristo, no qual a personagem tem os tons de sua vida mudados a partir de suas escolhas. Valongo, do gaúcho Marcio Silveira dos Santos, por sua vez, traz a força de uma protagonista que, ao evocar memórias, elementos e energias do passado e do presente, roga pela permanente resistência afro-diaspórica de luta por justiça e direitos.

o Maranhão vem Tradição, texto de Brenna Maria, que parte de Catirina e Chico, personagens negros estereotipados no auto do bumba-meu-boi. Em cena, eles representam o homem e a mulher do campo, cantando a toada dos explorados. A noite fecha com A Greve das Amas, de Jefferson Fernandes, de Minas Gerais. Incorporando personagens do maracatu à comédia A Greve do Sexo – Lisístrata, de Aristófanes, o texto se passa na Bahia de 1883, onde uma mulher escravizada decide não mais amamentar os filhos da realeza e convoca todas para esta tarefa.

No dia 28, no mesmo horário, o ciclo apresenta mais um bloco de leituras dedicado à dramaturgia negra. A cena ficcional Ticumbi de Conceição da Barra, do capixaba Adriano Domingos Monteiro, tem como base a manifestação cultural quilombola ticumbi, ou baile dos congos, na qual dois reinos batalham simbolicamente pelo direito de cultuar São Benedito. Já o amapaense Emerson de Paula apresenta Coração-tambor. Baseado no mito Medéia e em diálogo com a manifestação cultural do marabaixo, este lamento trata do conflito de sentimentos em relação com o solo brasileiro, uma vez que se foi arrancado de terras africanas.

Obra de arte

Esculturas recobertas com manganês da inesquecível, saudosa e reconhecida internacionalmente artista plástica e professora amapaense Nina Nakanishi

Aulas online de teatro para crianças

A partir do dia 1 de agosto o Itaú Cultural passa a oferecer, sempre aos sábados, dentro da programação IC para Crianças, aulas online de teatro, com a professora Thaís Póvoa. A iniciativa se junta as aulas de dança, às quartas-feiras e domingos, ilustração, ás terças-feiras e quintas-feiras. Todos os vídeos são postados sempre às 11h nos dias estipulados para cada atividade no site  e no YouTube da organização (www.itaucultural.org.br e https://www.youtube.com/user/itaucultural).

Ao Vivo Lá Em Casa – Apresentações começam sexta-feira

Nesta quarta-feira (8), a Secretaria de Cultura do Amapá (Secult/AP) divulgou a grade de programação do primeiro final de semana do edital “Ao Vivo Lá Em Casa”, iniciativa que contempla diversas apresentações virtuais de artistas amapaenses. Nos próximos dias, serão 91 atrações transmitidas pelo (Facebook e Instagram) e plataformas streaming da Secult e dos profissionais da cultura do Estado. As primeiras apresentações ocorrem de sexta (10) a domingo (12), das 18h às 22h, com show do cantor Naldo Maranhão, Berço do Marabaixo da Favela e muito mais.

A programação definida pela Secult para esse primeiro final de semana, conta com 19 atrações, sendo de Lives e reproduções musicais, teatro de fantoches, capoeira, artes visuais, espetáculos teatrais, dança e festejos juninos, além de demonstrações técnicas sobre iluminação e captação de som, coreografias de hip-hop, discussão sobre a Lei de Emergência Cultural e história da dança capoeira.

Seguindo os critérios de isolamento social – recomendação dos órgãos de saúde para evitar a propagação do novo coronavírus – o projeto levará virtualmente para dentro das residências uma variedade de atrações culturais de artistas amapaenses. A seleção dos profissionais foi feita por meio de chamada pública, onde os proponentes comprovaram atuação continuada na área, o que atendeu técnicos e profissionais da cultura de diversos segmentos.

Por meio dessa iniciativa, a Secult oportuniza a geração de renda aos artistas locais nesse período de crise sanitária, profissionais que foram afetados pela impossibilidade de executarem suas atividades habituais. Ao mesmo tempo, a medida abre uma possibilidade de divulgação global das produções amapaenses, que podem quebrar as barreiras territoriais a partir da internet, chegando a outros estados e países.

“É natural dos artistas reunir pessoas com a sua arte, que vem agregar e fortalecer vínculos. Infelizmente as circunstâncias impossibilitaram esses profissionais de estarem próximos de seus públicos, ganhando sua renda; então, como Secretaria de Cultura, precisamos atuar para que essas pessoas tenham a oportunidade de trabalho garantido. O Ao Vivo Lá em Casa vem para quebrar as distâncias e promover em esfera global nossos artistas, trazendo alegria para a população que está isolada cuidando de sua saúde”, declarou o secretário da pasta, Evandro Milhomen.

Confira aqui a programação

(Ascom)

Sua história de amor pode virar peça teatral da CIA Supernova

A CIA Supernova está realizando uma pesquisa para o seu banco de dados que irá contribuir para futuras produções teatrais.
Esse levantamento foi denominado de “ Amor Vive! “ com o objetivo de fazer com que as pessoas contem suas experiências amorosas. Essas memórias não se limitam apenas as afetivas, elas podem ser  físicas, sonoras, visuais, fatos inusitados  e outros.
Este projeto nasceu em 2012, durante uma viagem ao arquipélago do Bailique, onde integrantes da companhia puderam ouvir as mais diversas histórias, mas a da dona Maria lhes chamou a atenção. Ela contou sua trajetória com o marido, conhecido com Pinduca. Naquele dia nasceu a primeira semente do projeto que hoje pretende ouvir as mais diferentes histórias.
Quem quiser participar do projeto basta preencher um questionário no link
A companhia supernova pretende com essas informações realizar futuras produções. “ Essas histórias irão servir de inspiração para a criação de um novo espetáculo que será realizado pela Cia com data prevista para o início do ano 2021. E para que isso aconteça, estamos realizando uma extensa pesquisa de campo para então começar a escrita do roteiro”, explicou a diretora da companhia, Marina Beckman.

O Itaú Cultural abre as inscrições para o edital de audiovisual

Na sequência dos chamamentos para artes cênicas, música, artes visuais, literatura e poesia surda, o Itaú Cultural abre convocatória para um recorte de profissionais no setor audiovisual. As inscrições para este sexto edital do Arte como respiro: múltiplos editais de emergência devem ser realizadas a partir das 9h da segunda-feira, 15 de junho, exclusivamente em https://itaucultural.formstack.com/forms/artecomorespiro_audiovisual e até às 23h59 do dia 17 do mesmo mês.

“A paralisação e o cancelamento das atividades presenciais afetaram o setor cultural como um todo e a área de audiovisual não fica de fora. Sets de filmagem estão parados e gravações e produções foram canceladas”, observa o gerente do Núcleo de Audiovisual e Literatura, Claudiney Ferreira. “Acreditamos que o edital emergencial possa contribuir um pouco para estimular esses profissionais e para ajudar na circulação de recursos na economia criativa, que a cultura e a arte ajudam a alimentar”, conclui ele.

O tema proposto para os concorrentes a este edital é descobertas e/ou redescobertas, uma vez que está na essência da existência humana e, naturalmente, faz parte do enredo de tantos filmes entre prazeres, dores, afetos, desafetos, medos, ousadias, saberes, histórias, objetos, espaços, percepções da vida e demais possibilidades. “Da infância à velhice, todos os dias é possível aprender algo novo ou enxergar algo com um novo olhar, com novos parâmetros”, reflete Ferreira. “A proposta é fazer as pessoas apresentarem um pouco dessas suas experiências em materiais criados, a partir dessa provocação ou que já existiam, que abordam essa vivência”, completa.

Critérios e seleção
Devem se inscrever profissionais atuantes na área de audiovisual, em funções criativas ou técnicas, há no mínimo um ano. Apenas será aceito um vídeo por inscrição e CPF, embora possam ser inscritos trabalhos em coautoria, desde que quem o inscreve seja um deles e detentor de todos os direitos de imagem, autorais e de exibição do vídeo. Além da aderência ao tema Descobertas e/ou Redescobertas, é necessário que o vídeo seja finalizado com até três minutos de duração, seja ele de ficção, documentário ou experimental.

Os trabalhos serão selecionados por colaboradores das áreas artísticas do Itaú Cultural, considerando-se, além dos critérios subjetivos e poéticos, a aderência ao tema, o cumprimento dos requisitos de participação e a análise da atuação profissional do proponente na área de audiovisual, de acordo com as informações fornecidas no formulário de inscrição.

Neste edital, serão contemplados até 200 trabalhos e cada um receberá o valor bruto de R$3 mil. Os nomes dos selecionados serão divulgados no site do Itaú Cultural no dia 14/7; com possível prorrogação a depender do volume de inscrições. A instituição não se responsabiliza por inscrições que não sejam concluídas nas últimas horas do dia 17 de junho de 2020 em razão de congestionamento do sistema, bem como por outros fatores que impossibilitem a transferência de dados ou o upload de arquivos.

SERVIÇO:
Arte como respiro: múltiplos editais de emergência – Audiovisual
Abertura das inscrições:
Das 9h de 15 de junho até as 23h59 de 17 de junho
Em: https://itaucultural.formstack.com/forms/artecomorespiro_audiovisual.
Anúncio dos selecionados: até 14 de julho no site do Itaú Cultural, podendo haver prorrogação, a depender do volume de inscrições.

(Ascom)

Projeto “Ao Vivo Lá em Casa” vai selecionar 250 artistas

O Governo do Amapá iniciou nesta sexta-feira, 5, as inscrições para o projeto “Ao Vivo Lá em Casa”, iniciativa que vai o trabalho cultural de artistas amapaenses, através de plataformas digitais ou páginas de redes sociais. As inscrições seguem até 12 de junho.

Coordenado pela Secretaria de Estado de Cultura (Secult), o projeto vai atender 250 agentes culturais nas mais diversas áreas.

Conforme edital, após as inscrições, haverá a seleção das propostas; a divulgação do resultado  está prevista para 19 de junho. A execução do projeto deve acontecer de 26 de junho a 26 de agosto – cada artista selecionado terá duas apresentações nesse período, além de receber um cachê de R$2 mil.

(Para mais informações, acesse o edital aqui.)

Como participar?

Os interessados podem fazer sua inscriçãono no portal da Secult. Em caso de duvidas, é possível enviar email para [email protected] ou ligar para o 96 98808-0736. Para mais detalhes sobre a inscrição, acesse o edital.

Quem pode se inscrever?

Atores, atrizes, cantores (as), poetas, poetisas, Djs, contadores de histórias; além de qualquer artista e técnico que integrem a cadeia produtiva da cultura e das artes, sem distinção de segmentos. Pessoas físicas e jurídicas.

Quais atividades podem ser propostas?
Shows musicais, recitais poéticos, espetáculos de teatro, dança e circo, performances, exposições virtuais, exibições, contação de histórias, vídeo-aulas e demonstrações técnicas.

(Fonte: Secom/GEA)