Ao Vivo Lá Em Casa – Apresentações começam sexta-feira

Nesta quarta-feira (8), a Secretaria de Cultura do Amapá (Secult/AP) divulgou a grade de programação do primeiro final de semana do edital “Ao Vivo Lá Em Casa”, iniciativa que contempla diversas apresentações virtuais de artistas amapaenses. Nos próximos dias, serão 91 atrações transmitidas pelo (Facebook e Instagram) e plataformas streaming da Secult e dos profissionais da cultura do Estado. As primeiras apresentações ocorrem de sexta (10) a domingo (12), das 18h às 22h, com show do cantor Naldo Maranhão, Berço do Marabaixo da Favela e muito mais.

A programação definida pela Secult para esse primeiro final de semana, conta com 19 atrações, sendo de Lives e reproduções musicais, teatro de fantoches, capoeira, artes visuais, espetáculos teatrais, dança e festejos juninos, além de demonstrações técnicas sobre iluminação e captação de som, coreografias de hip-hop, discussão sobre a Lei de Emergência Cultural e história da dança capoeira.

Seguindo os critérios de isolamento social – recomendação dos órgãos de saúde para evitar a propagação do novo coronavírus – o projeto levará virtualmente para dentro das residências uma variedade de atrações culturais de artistas amapaenses. A seleção dos profissionais foi feita por meio de chamada pública, onde os proponentes comprovaram atuação continuada na área, o que atendeu técnicos e profissionais da cultura de diversos segmentos.

Por meio dessa iniciativa, a Secult oportuniza a geração de renda aos artistas locais nesse período de crise sanitária, profissionais que foram afetados pela impossibilidade de executarem suas atividades habituais. Ao mesmo tempo, a medida abre uma possibilidade de divulgação global das produções amapaenses, que podem quebrar as barreiras territoriais a partir da internet, chegando a outros estados e países.

“É natural dos artistas reunir pessoas com a sua arte, que vem agregar e fortalecer vínculos. Infelizmente as circunstâncias impossibilitaram esses profissionais de estarem próximos de seus públicos, ganhando sua renda; então, como Secretaria de Cultura, precisamos atuar para que essas pessoas tenham a oportunidade de trabalho garantido. O Ao Vivo Lá em Casa vem para quebrar as distâncias e promover em esfera global nossos artistas, trazendo alegria para a população que está isolada cuidando de sua saúde”, declarou o secretário da pasta, Evandro Milhomen.

Confira aqui a programação

(Ascom)

Sua história de amor pode virar peça teatral da CIA Supernova

A CIA Supernova está realizando uma pesquisa para o seu banco de dados que irá contribuir para futuras produções teatrais.
Esse levantamento foi denominado de “ Amor Vive! “ com o objetivo de fazer com que as pessoas contem suas experiências amorosas. Essas memórias não se limitam apenas as afetivas, elas podem ser  físicas, sonoras, visuais, fatos inusitados  e outros.
Este projeto nasceu em 2012, durante uma viagem ao arquipélago do Bailique, onde integrantes da companhia puderam ouvir as mais diversas histórias, mas a da dona Maria lhes chamou a atenção. Ela contou sua trajetória com o marido, conhecido com Pinduca. Naquele dia nasceu a primeira semente do projeto que hoje pretende ouvir as mais diferentes histórias.
Quem quiser participar do projeto basta preencher um questionário no link
A companhia supernova pretende com essas informações realizar futuras produções. “ Essas histórias irão servir de inspiração para a criação de um novo espetáculo que será realizado pela Cia com data prevista para o início do ano 2021. E para que isso aconteça, estamos realizando uma extensa pesquisa de campo para então começar a escrita do roteiro”, explicou a diretora da companhia, Marina Beckman.

O Itaú Cultural abre as inscrições para o edital de audiovisual

Na sequência dos chamamentos para artes cênicas, música, artes visuais, literatura e poesia surda, o Itaú Cultural abre convocatória para um recorte de profissionais no setor audiovisual. As inscrições para este sexto edital do Arte como respiro: múltiplos editais de emergência devem ser realizadas a partir das 9h da segunda-feira, 15 de junho, exclusivamente em https://itaucultural.formstack.com/forms/artecomorespiro_audiovisual e até às 23h59 do dia 17 do mesmo mês.

“A paralisação e o cancelamento das atividades presenciais afetaram o setor cultural como um todo e a área de audiovisual não fica de fora. Sets de filmagem estão parados e gravações e produções foram canceladas”, observa o gerente do Núcleo de Audiovisual e Literatura, Claudiney Ferreira. “Acreditamos que o edital emergencial possa contribuir um pouco para estimular esses profissionais e para ajudar na circulação de recursos na economia criativa, que a cultura e a arte ajudam a alimentar”, conclui ele.

O tema proposto para os concorrentes a este edital é descobertas e/ou redescobertas, uma vez que está na essência da existência humana e, naturalmente, faz parte do enredo de tantos filmes entre prazeres, dores, afetos, desafetos, medos, ousadias, saberes, histórias, objetos, espaços, percepções da vida e demais possibilidades. “Da infância à velhice, todos os dias é possível aprender algo novo ou enxergar algo com um novo olhar, com novos parâmetros”, reflete Ferreira. “A proposta é fazer as pessoas apresentarem um pouco dessas suas experiências em materiais criados, a partir dessa provocação ou que já existiam, que abordam essa vivência”, completa.

Critérios e seleção
Devem se inscrever profissionais atuantes na área de audiovisual, em funções criativas ou técnicas, há no mínimo um ano. Apenas será aceito um vídeo por inscrição e CPF, embora possam ser inscritos trabalhos em coautoria, desde que quem o inscreve seja um deles e detentor de todos os direitos de imagem, autorais e de exibição do vídeo. Além da aderência ao tema Descobertas e/ou Redescobertas, é necessário que o vídeo seja finalizado com até três minutos de duração, seja ele de ficção, documentário ou experimental.

Os trabalhos serão selecionados por colaboradores das áreas artísticas do Itaú Cultural, considerando-se, além dos critérios subjetivos e poéticos, a aderência ao tema, o cumprimento dos requisitos de participação e a análise da atuação profissional do proponente na área de audiovisual, de acordo com as informações fornecidas no formulário de inscrição.

Neste edital, serão contemplados até 200 trabalhos e cada um receberá o valor bruto de R$3 mil. Os nomes dos selecionados serão divulgados no site do Itaú Cultural no dia 14/7; com possível prorrogação a depender do volume de inscrições. A instituição não se responsabiliza por inscrições que não sejam concluídas nas últimas horas do dia 17 de junho de 2020 em razão de congestionamento do sistema, bem como por outros fatores que impossibilitem a transferência de dados ou o upload de arquivos.

SERVIÇO:
Arte como respiro: múltiplos editais de emergência – Audiovisual
Abertura das inscrições:
Das 9h de 15 de junho até as 23h59 de 17 de junho
Em: https://itaucultural.formstack.com/forms/artecomorespiro_audiovisual.
Anúncio dos selecionados: até 14 de julho no site do Itaú Cultural, podendo haver prorrogação, a depender do volume de inscrições.

(Ascom)

Projeto “Ao Vivo Lá em Casa” vai selecionar 250 artistas

O Governo do Amapá iniciou nesta sexta-feira, 5, as inscrições para o projeto “Ao Vivo Lá em Casa”, iniciativa que vai o trabalho cultural de artistas amapaenses, através de plataformas digitais ou páginas de redes sociais. As inscrições seguem até 12 de junho.

Coordenado pela Secretaria de Estado de Cultura (Secult), o projeto vai atender 250 agentes culturais nas mais diversas áreas.

Conforme edital, após as inscrições, haverá a seleção das propostas; a divulgação do resultado  está prevista para 19 de junho. A execução do projeto deve acontecer de 26 de junho a 26 de agosto – cada artista selecionado terá duas apresentações nesse período, além de receber um cachê de R$2 mil.

(Para mais informações, acesse o edital aqui.)

Como participar?

Os interessados podem fazer sua inscriçãono no portal da Secult. Em caso de duvidas, é possível enviar email para [email protected] ou ligar para o 96 98808-0736. Para mais detalhes sobre a inscrição, acesse o edital.

Quem pode se inscrever?

Atores, atrizes, cantores (as), poetas, poetisas, Djs, contadores de histórias; além de qualquer artista e técnico que integrem a cadeia produtiva da cultura e das artes, sem distinção de segmentos. Pessoas físicas e jurídicas.

Quais atividades podem ser propostas?
Shows musicais, recitais poéticos, espetáculos de teatro, dança e circo, performances, exposições virtuais, exibições, contação de histórias, vídeo-aulas e demonstrações técnicas.

(Fonte: Secom/GEA)

Poesia da amapaense Jaqueline Miranda é selecionada no edital Poesia Surda do Itaú Cultural

O site do Itaú Cultural (www.itaucultural.org.br) anunciou nesta sexta-feira, dia 29, os selecionados para o edital Poesia Surda, quarto da série Arte como respiro: múltiplos editais de emergência, voltado exclusivamente para poetas surdos ou com deficiência auditiva.Foram contemplados 100 trabalhos de todos as regiões do Brasil– 77 deles na Língua Brasileira de Sinais (Libras) e 23 em Visual Vernacular (VV), recurso artístico e poético próprio das línguas de sinais, também conhecido no Brasil como Libras 3D.
Dentre os contemplados está a amapaense Jaqueline Freitas de Miranda.

“Acredito que este seja o primeiro edital neste modelo, voltado para a produção poética de pessoas surdas ou com deficiência auditiva e ficamos muito satisfeitos com o resultado”, observa Eduardo Saron, diretor do Itaú Cultural. “Este chamamento é mais um passo em nossa política de acessibilidade, que iniciamos há oito anos tendo como foco o protagonismo das pessoas com algum tipo de deficiência”, completa.

O processo foi iniciado em 2012 com a contratação de um educador surdo e a oferta de videoguias nas exposições. Até antes da pandemia, além dos espetáculos, palestras e debates – presenciais e transmitidos pela internet – contarem com interpretação em Libras, todas as exposições apresentavam mecanismos de inclusão, como audiodescrição, audiovisuais em Libras, piso e objetos táteis. Neste período de suspensão social, os instrumentos acessíveis acompanham a organização em sua programação e conteúdos 100% digitais. Do mesmo modo, já estão sendo repensados os protocolos e meios para retomar as medidas adotadas nas atividades presenciais.

Seleção
Sobre o processo de seleção dos trabalhos recebidos no edital Poesia Surda, Valéria Toloi, gerente do Núcleo de Educação e Relacionamento do Itaú Cultural, destaca a diversidade de temas dos poemas recebidos e sua origem. “Recebemos poesias potentes de todo o Brasil, e pudemos contemplar nessa seleção todas as regiões do país”,comemora ela. Tais resultados também possibilitam ao Itaú Cultural efetuar um mapeamento desta produção cultural e de quem e o que está sendo produzindo no universo desta linguagem literária.

De norte a sul e leste a oeste do país, as 100 poesias selecionadas vem de 16 estados: Amapá,  Bahia, Ceará, Distrito Federal, Goiás,Minas Gerais, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Piauí,  Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rondônia, Santa Catarina e São Paulo. Os temas são variados abordando a atualidade vivida pela ação do Coronavírus, o empoderamento feminino, empoderamento surdo, identidade, liberdade de expressão, diversidade de corpos, entre outros.

Os autores contemplados receberão, cada um,o valor bruto de R$ 2,5 mil. Fica a cargo do Itaú Cultural a sua forma de exibição, podendo chegar ao público por meio da grade de programação virtual da organização,por suas redes sociais ou, ainda, pelos canais e mídias dos próprios artistas.

(Ascom/Itaú Cultural)

120 fotógrafos unidos no combate ao coronavírus

Sensibilizados ao difícil momento enfrentado no país com a pandemia da Covid-19, em especial no Pará, os integrantes do Foto Cine Clube Grão Pará organizam a iniciativa “120 fotos para Belém”, que tem o propósito de arrecadar e doar recursos a populações em situação de vulnerabilidade no Estado.

O coletivo de fotógrafos iniciou nesta sexta-feira a campanha virtual de arrecadação de recursos financeiros por meio da reunião de 120 fotógrafos paraenses que doaram imagens para serem comercializadas através do site oficial do projeto www.120fotosparabelem.com.br, no valor unitário R$150. O projeto “120 fotos para Belém” traz, entre os fotógrafos participantes, Paula Sampaio, Adan Costa, Guy Veloso, Wagner Almeida, Ana Mokarzel, Bob Menezes,  Iza Girard e a amapaense Márcia do Carmo,  que mostram a diversidade de olhares sobre a nossa realidade urbana, ribeirinha e natural.

Segundo o Foto Cine Clube Grão Pará, os valores arrecadados serão destinados a instituições que atendem pessoas em situação de vulnerabilidade e que passam por dificuldades de manutenção das atividades principalmente nesse período de pandemia.

Cada fotógrafo doou uma obra que estará disponível para compra, sem limite de reprodução. As vendas serão feitas exclusivamente pelo site do projeto até 15 de junho. A organização explica que para fins de doação serão descontados apenas custos de impressão de cada obra e as taxas bancárias, sendo a administração de vendas, prestação de contas e repasse do recurso às instituições de responsabilidade do Foto Cine Clube Grão Pará. “Divulgaremos com frequência as informações de arrecadação e toda a transparência necessária ao projeto por meio do site e redes sociais oficiais da iniciativa”, explicou Marcelo Vieira, presidente do Foto Clube.

Marcelo Vieira comentou ainda que os compradores definirão a forma que receberão a fotografia impressa, arcando com os gastos de frete, o que facilita tanto para os interessados, como aumenta o valor líquido a ser doado às instituições.

Foto: Márcia do Carmo

Esse projeto foi inspirado na iniciativa “150 fotos para São Paulo” e surge em um momento importante, considerando o alto crescimento do número de casos de Covid19 no Pará. “Como fotógrafos baseados no Pará, temos o privilégio de registrar cenas da natureza amazônica, do cotidiano da nossa população culturalmente diversa e da alegria marcante do povo paraense. Agora é um momento para retribuir, firmar parcerias e apoiar aqueles que estão sofrendo com as consequências da pandemia”, afirma Marcelo Vieira, presidente do Foto Cine Clube Grão Pará.

Os recursos arrecadados com a venda das fotografias serão direcionados a iniciativas na região metropolitana de Belém e no oeste do estado, por meio da movimento voluntário da sociedade intitulado União BR, recentemente criado para fortalecer ações de combate à pandemia no país. No projeto “120 fotos para Belém”, a gestão financeira terá a participação da seção do movimento nacional aqui no estado – União Pará.

SERVIÇO:

“120 Fotos Para Belém”
Abertura: Dia 15 de Maio de 2020 (sexta-feira)
Encerramento: 15 de Junho de 2020 (Segunda-feira)
Site: www.120fotosparabelem.com.br
Instagram: @_120fotosparabelem_
Contato: Agência Três Comunicação assessoria de imprensa

(Fonte: www.blogderocha.com.br)

Ikebana

Belíssima ikebana feita por minha amiga Nadir Gama

(Ikebana é um termo em japonês que significa flores vivas. Um arranjo composto por galhos, ramos, folhas e flores)