Ministério da Saúde vai retomar 59 obras paradas no Amapá

O Ministério da Saúde vai retomar mais de 5,5 mil obras de equipamentos de saúde que estavam paralisadas em todas as regiões do país nos últimos anos.

No Amapá, poderão ser retomadas 59 obras. Essa estratégia é tratada de forma prioritária pelo Governo Federal desde o começo da gestão e é fundamental para ampliação da estrutura SUS e garantia de acesso à saúde de todos os brasileiros. Entre as obras que serão retomadas no estado, estão: Unidades Básicas de Saúde (UBS), Centro Especializado em Reabilitação (CER), Unidades Neonatais e academias de saúde.

Estados e municípios já podem solicitar a retomada e a reativação de obras paralisadas ou inacabadas na área da saúde. Os gestores deverão manifestar interesse na retomada das obras por meio do site do Sistema de Investimentos do SUS, o InvestSUS. O prazo para solicitação é de até 60 dias, contados a partir de 15 de janeiro, quando o Ministério da Saúde publicou a portaria que viabilizou a repactuação com os entes federativos e estabeleceu os mecanismos para que essa solicitação seja feita. A ação é parte da lei que estabelece o Pacto Nacional pela Retomada de Obras Inacabadas, sancionada pelo presidente Lula em novembro de 2023.

A nova legislação prevê aporte de novos recursos financeiros e vantagens para municípios e estados que participarem. Esse investimento está sujeito à manifestação de interesse de estados, municípios, da atualização de dados cadastrais das obras e da apresentação de documentos. A estimativa é que sejam liberados cerca de R$ 9,4 milhões para repactuação de obras no Amapá.

Leia a matéria completa

Cuidados e prevenção de síndromes respiratórias em crianças

Com a chegada das chuvas é comum o aumento do número de casos de síndromes respiratórias em crianças.Para evitar, veja e siga as recomendações da pneumologista pediátrica do Hospital da Criança e Adolescente, Regiane Barreto:
“A recomendação maior é manter o calendário vacinal atualizado, principalmente de vacinas contra covid e influenza, sendo que os pequenos com comorbidades precisam realizar a vacina da influenza anualmente. Além do calendário atualizado, uma boa alimentação, e a redução da exposição de bebês a locais de aglomeração diminuem o risco de contaminação. Também não podemos esquecer das recomendações habituais de higienização e lavagem de mãos”.

(Foto: Gabriel Maciel/Sesa)

Autônomo precisa fazer uma cirurgia para recuperar a visão. Ajudem!

Kleuson Costa precisa fazer uma cirurgia para recuperar a visão. Ajudem!
Elton Tavares

O autônomo Kleuson Costa, casado e pai de duas filhas pequenas, precisa fazer uma cirurgia para recuperar a visão. Ele, que sempre foi trabalhador, está com os dois olhos sem visibilidade alguma em razão da Diabetes tipo 2. O procedimento cirúrgico custará R$ 12 mil e a família pede ajuda para que ele seja submetido à operação médica, que consiste na raspagem da catarata agravada pela enfermidade.

Conheço o Kleuson há sete anos. O cara sempre foi virado para trabalhar, honesto, gente boa, prestativo e parceiro. As doações podem ser feitas via Pix: 96-981227307, em nome de Kleuson Miranda da Costa.

A atual condição de Kleuson o impede de trabalhar e o cara sempre foi arrimo de família. Portanto, pedimos a ajuda de todos que puderem reforçar essa corrente solidária para a recuperar da visão do amigo.

Até o momento, muitos amigos, colegas e conhecidos contribuíram, porém o valor arrecadado não chega a 20% do custo do procedimento cirúrgico. E, ainda, os exames pré-operatórios também são caros.

Qualquer doação é sempre manifestação de solidariedade ao próximo. Lembre-se que boas ações trazem paz ao coração e produzem sonhos felizes.

A família desde já agradece todos apoio em prol de Kleuson. Os amigos, como eu, também.

Elton Tavares

Amapá registra aumento de cobertura vacinal

O Amapá registrou aumento superior a 10 pontos percentuais na cobertura vacinal de seis dos oito imunizantes recomendados no calendário infantil para crianças com um ano de idade.
O destaque é para a vacina contra a hepatite A, que saltou de 47,1% no ano passado para 64% neste ano, seguida da DTP (difteria, tétano e coqueluche) que passou de 42,8% para 57,3%. O mesmo para poliomielite que foi de 44,2 para 58,3%.
A pneumocócica subiu 12,9 pontos percentuais, passando de 55,3 para 68,2%. Já a meningocócica foi de 55,3% para 67,2%. A primeira dose da tríplice viral alcançou 75,7% de cobertura, ante os 61,3% do ano passado.

Os dados divulgados pelo Ministério da Saúde são preliminares e correspondem ao período de janeiro a outubro de 2023, comparados com todo o ano de 2022.

Amapá registra 3.831 casos de malária

Este ano, até o início deste mês de novembro, já foram registrados 3.831 casos de malária em todo o estado. Um crescimento absurdo, pois no mesmo período do ano passado foram  2.018 casos.
Os municípios com maior número de casos são Calçoene (2.103em) e Oiapoque (708). Ano passado foram 522 foram em Calçoene e 346 em Oiapoque. Uma força-tarefa com vários órgãos do estado, coordenada pela Superintendência de Vigilância em Saúde (SVS), está atuando desde terça-feira, 14 nos dois municípios.

Para conter o avanço da malária, o governo do Estado adotou as seguintes medicas:

  • Distribuição de 1,1 mil mosquiteiros impregnados com inseticida;
  • Disponibilidade de kits para testagem rápida, principalmente nas áreas de garimpos;
  • Exame da gota espessa, que permite diferenciação das espécies de plasmodium (protozoário causador da malária) e do seu estágio de evolução;
  • Borrifação intradomiciliar para a eliminação de criadouros do mosquito transmissor;
  • Entrega de antimaláricos (medicamentos para o tratamento da malária);
  • Apoio de logística com reforço de material como microscópio, veículo e equipes técnicas;
  • Ação educativa junto à população.

Com articulação de Randolfe, prefeitos do Amapá se reúnem com ministra da saúde Nísia Trindade

Nesta terça-feira (10), o senador Randolfe Rodrigues liderou a comitiva com os prefeitos Antonio Furlan, Márcio Serrão, deputado federal Vinícius Gurgel (PL) e mais os secretários de saúde dos municípios de Macapá, Santana, Porto Grande, Serra do Navio, Laranjal do Jari e Oiapoque. A reunião com a ministra Nísia Trindade tratou sobre a necessidade do aumento de repasse dos recursos federais para os municípios.

Segundo Randolfe Rodrigues, com a aprovação do aumento de repasses, toda a Bancada Federal do Amapá poderá destinar mais emendas parlamentares para a saúde. “Nossas prefeituras precisam deste apoio para finalizar obras importantes e melhorar a assistência à população dos nossos municípios do Amapá”, enfatizou.

O senador ainda afirmou estar confiante que o pedido feito à ministra Nísia Trindade será atendido e o povo do Amapá assistido com saúde de qualidade. “Estamos felizes pelos avanços que conquistamos”, disse.

(Carla Ferreira)

Uma família inteira é diagnosticada com doença de Chagas na zona sul de Macapá

Cinco pessoas de uma mesma família (uma criança, um adolescente e três adultos) foram diagnosticados com a Doença de Chagas, infecção causada pelo protozoário Trypanosoma cruzi, cujo principal vetor é o inseto “barbeiro” contaminado.
A família mora na zona sul de Macapá, chegou recentemente do município de Breves (PA), onde, segundo a Superintendência de Vigilância em Saúde do Amapá (SVS) deve ter contraído a doença, geralmente provocada pelo consumo de açaí contaminado.
A superintendente em exercício da SVS, Claudia Monteiro, explicou que a família havia acabado de chegar do interior do Pará, onde consumiu açaí supostamente contaminado, o que tornou inviável a inspeção do alimento.

Esse ano, o Amapá registrou 173 casos suspeitos da doença de Chagas. Desse total, 22 foram confirmados. Macapá notificou 19, e Santana foram três diagnósticos. Os casos são autóctones (infectados no próprio estado) e importados, oriundos de outros estados.

(Com informações da Secom/GEA)

Até que enfim um tomógrafo para Santana

Pela primeira vez em 40 anos, o Governo do Amapá entrega um tomógrafo computadorizado ao Hospital Estadual de Santana para que os pacientes realizem exames de imagem no próprio prédio, sem precisar se deslocar para a capital Macapá. O investimento é de R$ 1,4 milhão na aquisição do aparelho e mais R$ 250 mil na construção das salas de exame e comando.

O equipamento já está sendo montado. Após essa etapa, estão programados os testes prévios do equipamento, instalação e treinamento da equipe para manusear o aparelho, que tem previsão de funcionamento até o final de setembro.

(Com informações da Secom/GEA e foto de Gabriel Maciel)

Farmácia cheia: Governo do Amapá investiu mais de R$ 32 milhões na compra de medicamentos, insumos e correlatos

O Governo do Amapá investiu mais de R$ 32 milhões no reforço da assistência farmacêutica, nos primeiros 180 dias de 2023. O investimento faz parte da política de intervenção imediata e prioritária na saúde do estado.

Os R$ 32.238.609,23 para a compra de medicamentos, insumos e correlatos adquiridos para abastecer toda a rede hospitalar do estado, regularizou o fornecimento padronizado pelo Sistema Único de Saúde (SUS), com mais de 30 mil itens, para os diversos tipos de tratamentos médicos, do emergencial ao especializado.