PF deflagra operação Duas Caras

Da Agência Brasil

Equipes da Polícia Federal (PF) cumprem desde a manhã mandados judiciais contra integrantes de um grupo criminoso com ações fraudulentas na Caixa Econômica Federal. São 56 mandados judiciais, sendo 23 de busca e apreensão, seis de prisão preventiva, sete de prisão temporária, seis de sequestro de bens e um mandado de suspensão do exercício da função pública.

A operação, chamada de Duas Caras, ocorre nos estados de Santa Catarina, do Paraná e da Paraíba. Continue lendo

PF nas ruas

A Polícia Federal amanheceu nas ruas do Rio de Janeiro e São Paulo cumprindo cinco mandados de busca e apreensão  expedidos pelo Ministro Edson Fachin.
Batizada de “Bocca”  esta operação é relacionada à delação dos executivos da J&F.
Os mandados de busca e apreensão estão sendo cumpridos nas residências  do ex-procurador Marcelo Miller, do empresário Joesley Batista, da J&F, e do diretor de Relações Institucionais do grupo, Ricardo Saud.

O “Quadrilhão do PMDB”

Tua casa caiu, Sarney.

No Estadão
Janot denuncia Lobão, Jader, Renan, Jucá, Raupp e Sarney por ‘quadrilhão do PMDB’

Procurador-geral da República acusa senadores, ex-presidente e também Sérgio Machado por organização criminosa que atuava nas diretorias Internacional e de Abastecimento da Petrobrás; os acusados teriam causado prejuízos de R$ 5,5 bilhões à estatal e recebido R$ 864 milhões. (Leia aqui)

Na revista Exame

Janot denuncia cúpula do PMDB no Senado e Sarney (Leia aqui)

No UOL

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, ofereceu denúncia ao STF (Supremo Tribunal Federal), nesta sexta-feira (8), contra cinco senadores e dois ex-senadores do PMDB, acusados de integrar organização criminosa.

Os senadores Edison Lobão (MA), Renan Calheiros (AL), Romero Jucá (RR), Valdir Raupp (RO) e Jader Barbalho (PA), além do ex-presidente da República José Sarney (AP) e do ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado (CE) – Leia aqui

Funaro diz que Temer recebeu R$ 20 milhões em propina de dono da Gol

Em novo trecho de sua delação premiada, o operador financeiro Lúcio Bolonha Funaro acusou o presidente Michel Temer de receber propina de R$ 20 milhões de Henrique Constantino, um dos fundadores da Gol Linhas Aéreas (Gol), em troca de apoio ao projeto de abertura do setor aéreo ao capital estrangeiro. As informações são do jornal O Globo. Segundo o delator, a propina foi paga em horas de voo na campanha eleitoral de 2014. (Leia a matéria completa no Congresso em Foco)

R$ 51 milhões no bunker de Geddel

A Polícia Federal concluiu agora há pouco a contagem do dinheiro apreendido na manhã desta terça-feira num apartamento supostamente pertencente ao ex-ministro Geddel Vieira Lima.
Nada menos que R$ 51.030.866,40 (cinquenta e um milhões, trinta mil, oitocentos e sessenta e seis reais e quarenta centavos), sendo 42.643.500,00 em real e 2.688.000,00 em dólar (R$ 8.387.366,40)

 

Fachin retira sigilo das gravações de delatores da JBS

André Richter – Repórter da Agência Brasil

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Edson Fachin decidiu há pouco retirar o sigilo da gravação da JBS, que motivou a abertura do processo de revisão do acordo de colaboração de Joesley Batista, Ricardo Saud e Francisco e Assis e Silva, delatores ligados à JBS. A gravação tem cerca de quatro horas e deve ser divulgada ainda esta noite.

Nas gravações, é possível ouvir como Joesley e os diretores da JBS atuaram para obter o acordo de delação premiada com a Procuradoria-Geral da República (PGR). Nos diálogos, os delatores relatam suposta influência sobre o ex-procurador da República Marcelo Miller, que fez parte da equipe do procurador-geral da República, Rodrigo Janot.

A suspeita da PGR é que Miller atuou como “agente duplo” durante o processo de delação. Ele estava na procuradoria durante o período das negociações e deixou o cargo para atuar em um escritório de advocacia em favor da JBS.

Na segunda-feira (4), ao comunicar a abertura do processo de revisão das delações, Janot disse que mesmo se os benefícios dos delatores forem cancelados, as provas contra as pessoas citadas devem ser mantidas. No entanto, a decisão final cabe ao Supremo.

Nas malas e caixas – PF já contou R$ 22,5 milhões

Da Agência Brasil

PF já contou R$ 22,5 milhões achados em imóvel supostamente usado por Geddel

A Polícia Federal já contabilizou mais de R$ 22,5 milhões no montante encontrado em um apartamento em Salvador supostamente ligado ao ex-ministro Geddel Vieira Lima. A contagem do dinheiro continua.

O dinheiro foi encontrado na manhã de hoje (5), durante a Operação Tesouro Perdido – 3ª fase da Operação Cui Bono – em um apartamento no bairro da Graça, área nobre da capital baiana. Continue lendo