Deve trabalhar para viver – Dom José Conti

Deve trabalhar para viver
Dom Pedro José Conti – Bispo de Macapá

Contam os monges anciãos que, certo dia, João, o pequeno, disse a um irmão mais velho:

– Quero ser livre das preocupações e não trabalhar. Quero adorar o Senhor sem parar”. Tirou a veste de monge e foi para o deserto. Depois de uma semana, voltou com aquele irmão. Quando bateu na porta, o monge, de dentro, sem abrir, perguntou:

– Quem é? – Respondeu:

– Sou João, teu irmão.

Mas o velho monge rebateu:

– João se tornou um espírito e não vive mais entre as pessoas!

João suplicou:

– Sou eu! Mas o irmão não abriu a porta e o deixou no desespero até a manhã seguinte.

Quando saiu lhe disse:

– Se és um ser humano deves trabalhar para viver.
João, o pequeno, se arrependeu e disse:

– Me perdoe, irmão, porque errei.

A parábola dos talentos, que encontramos no evangelho deste domingo, é muito conhecida e, como outras parábolas, presta-se a diversas leituras. A primeira mensagem está em continuidade com que refletimos nas últimas semanas: o Senhor nos quer “vigilantes”, ou seja, a espera da volta dele – que é a nossa própria vida nos dias que passamos neste mundo – e deve ser um aguardá-lo ativo, alegre e comprometido. Nada de preguiça, sonolência e acomodação. O exemplo mais prático para entender isso é o da entrega dos “talentos”, qualquer coisa eles representem. O certo é que somente quem soube multiplicá-los será premiado e chamado de servo “bom e fiel”. Quem, ficou com medo ou achou o “dono” severo e exigente demais e acabou enterrando o único talento recebido, será chamado de servo “mau, preguiçoso” e, enfim, “inútil”.

A essa altura devemos nos perguntar se o Senhor Jesus queria falar mesmo de bens materiais ou, sobretudo, de outros tesouros preciosíssimos que a todo custo devem ser traficados. Uma coisa não exclui a outra. Hoje entendemos, por exemplo, que a própria natureza é o primeiro “dom” que o Pai criador entregou à humanidade e que, com seu respeito e sustentabilidade pode, ou não, ser fonte de vida ou de morte para os habitantes do planeta. A “cura” da criação nos aparece cada vez mais urgente e de responsabilidade de todos. Uma humanidade digna de ser “humana” mesmo e não mera consumidora e exploradora de riquezas não pode mais pensar só no lucro da geração atual, deve saber enxergar mais longe se quiser preparar um futuro melhor para todos. De outra forma, nunca acabarão as guerras para o controle das riquezas e nunca haverá fraternidade e partilha.

Talvez precisemos redescobrir e reavaliar outros tipos de “talentos”, menos materiais, mas igualmente – ou mais – valiosos. Simples. Se achamos que o ser humano se satisfaz somente com o famoso “pão”, deixamos de lado outros bens. Jesus nos ensinou que precisamos também da Palavra de Deus, ou seja, de escutar sempre e de novo a proposta daquele que colocou em nossos corações muitos outros desejos e sonhos que nunca ficarão satisfeito com o que encontrarmos e construirmos neste mundo. Hoje, a grande questão do chamado “progresso” é que não pode mais ser somente material.

O “crescimento” pede novos equilíbrios com a natureza, novos relacionamentos mundiais, novo respeito pela existência de todos os seres vivos. Papa Francisco fala de “sobriedade feliz”. Lembra-nos que “tudo está interligado”. É simplesmente imoral querer construir “ilhas” de felicidade isoladas para poucos privilegiados. Seriam somente lugares de egoísmo e desprezo para os demais, numa vida triste cheia de barulho e superficialidade.

Penso que, afinal, seja esse o grande “trabalho” dos cristãos, daqueles que querem contribuir com a construção do Reino de Deus e não dos ilusórios reinos humanos. Temos um “tesouro” imenso, incalculável, de amor, de criatividade para organizar novas economias, novas fraternidades, novos relacionamentos. Sempre os cristãos sonharam com novas “cidades” mais semelhantes com a “cidade do céu”. Nunca faltaram profetas e mártires para isso. O pior é desistir de ser cristão ativos, cada um com as suas capacidades, numa comunhão de compromisso e bondade. Orar não é fugir, se esconder, mas saber para que se reza e, sobretudo, para que se vive.

Corpo do padre Aldenor está sendo velado em Santana

Padre Aldenor em encontro com o Papa João Paulo, no Vaticano

Aos 53 anos de idade faleceu ontem à noite, às 23h50, o padre Aldenor Benjamim dos Santos. Seu corpo sendo velado em Santana, na Igreja de Fátima, onde ele foi ordenado Sacerdote em 1993, aos 26 anos.
A missa de corpo presente será celebrada às 15h na mesma Igreja e o sepultamento às 17h, no cemitério Nossa Senhora da Conceição, no centro de Macapá.

Um religioso exemplar, sempre alegre e solidário, exemplo de amor ao próximo e uma das pessoas mais cultas que conheci, Aldenor era meu amigo e dele eu tinha muito orgulho e aprendia tanta coisa com ele nas nossas conversas. Conheci-o quando ele ainda tão jovem, com pouco mais de 20 anos, era ministro da Eucaristia na Igreja (hoje Santuário) Nossa Senhora de Fátima na ocasião que meu filho fazia o catecismo para a Primeira Comunhão. Há dois anos ele batizou minha neta na mesma igreja.

No dia de sua ordenação, em 1993, na igreja de N.S.de Fátima, em Santana

Nosso último encontro se deu no dia 4 de fevereiro deste ano no aniversário de dona Diva Façanha. Depois veio a pandemia e nunca mais nos vimos. Há cerca de 10 dias fui surpreendida com a notícia de que ele, depois de um acidente doméstico (uma queda) estava internado em estado grave no hospital da Unimed, mas em nenhum momento pensei que ele fosse partir, logo ele que era tão cheio de vida, tão alegre, tão conversador e tinha tantos planos. Mas eis que no início dessa madrugada, logo depois da meia noite me chega a notícia da sua morte. Eu não queria acreditar, torcia para que fosse “fake news”. Só acreditei quando sua sobrinha Rachel Lima me confirmou por volta de uma hora da madrugada.
Não deu pra conter as lágrimas.
Aldenor dizia que “morrer não dói”, mas sua morte, meu amigo, está doendo muito na gente.

Graduado em pedagogia, teologia, filosofia e direito, doutor em Comunicação Social , Mestre em Filosofia e Mestre em Sociologia e lia, escrevia e falava fluentemente italiano, francês e espanhol, ensinava que o conhecimento hoje envelhece com muita facilidade. “Não podemos parar no tempo. Você não pode reter um conhecimento e achar que ele é verdade absoluta”, dizia.Professor universitário (curso de jornalismo da Unifap) deixava claro que o magistério também era uma das suas paixões, depois do sacerdócio.

“Eu sempre tive uma paixão toda especial pelo magistério… Seja na questão como padre, como jornalista, como comunicador, ou na Universidade como professor. Então sempre me empolgou esse sentido de compartilhar pensamentos. Pra mim, ser professor é muito mais do que uma profissão, é uma vocação, é um chamado, uma dedicação. Então eu vivo nessa realidade”, disse ele em entrevista que concedeu para a acadêmica de jornalismo Márcia Bezerra  como parte de um trabalho da disciplina Mídia Impressa.

Tão logo soube da morte do amigo, o Padre Paulo Roberto Matias postou nas suas redes sociais um resumo (sim, um resumo, pois a biografia é muito grande) da sua biografia.
Leia:
“Padre Aldenor Benjamim dos Santos nasceu em Santana, no dia 17 de janeiro de 1967. Filho de Alfredo Pantoja dos Santos e Francisca Benjamim dos Santos. O casal teve cinco filhos. Entrou no seminário menor São Pio X em 1984 aos 17 anos. Em 1987 viaja para Belém , onde cursa no Seminário São Pio X, o curso de Filosofia e teologia. Foi ordenado Sacerdote em 1993. Padre Paulo solicita a Dom João que Padre Aldenor fosse designado para ser seu auxiliar na Paróquia Sagrado Coração de Jesus. Trabalhou na Paróquia São Pedro, São Benedito, Nossa Senhora da Conceição e Igreja São Brás, no bairro do Zerão. Um desejo de Dom João de capacitar os Padres Diocesanos, fez com que ele fosse estudar em Roma.

Fez Doutorado em Comunicação Social pela Pontifícia Università San Tommaso (2005), Mestre em Filosofia pela Pontifícia Università Urbaniana (2001), Mestre em Sociologia pela Pontifícia Università Gregoriana (2001), graduado em Pedagogia pela Faculdade Atual (2009), graduado em Teologia pela Faculdade de Teologia e Ciências Humanas (2011), graduado em Filosofia pela Faculdade Pan Americana (2012) e graduado em Direito pelo Centro de Ensino Superior do Amapá (2017). Atualmente era Professor Adjunto da Universidade Federal do Amapá e era Diretor da Rádio Universitária. Tinha experiência na área de Educação, com ênfase em Fundamentos da Educação. Faleceu no dia 17 de outubro de 2020 as 23h40 em Macapá. Padre Aldenor deixa um legado para a religiosidade do Amapá, bem como para a educação. Foi um grande incentivador da cultura e da comunicação social no Amapá. Seu legado jamais será esquecido. Um filho que deu sua contribuição para o progresso do Estado do Amapá.”

Fotos – Era assim o Círio antes da pandemia

Neste domingo dedicado à Virgem de Nazaré, padroeira da Amazônia, não teremos a tradicional procissão do Círio, que acontece em Macapá desde 1934. Mas haverá missa e carreata nas paróquias (Veja aqui), almoço em família e muita oração.
Ao longo dos últimos anos fiz muitas fotos da procissão e hoje selecionei algumas para a gente relembrar como era a devoção antes da pandemia.

(Fotos: Alcinéa Cavalcante)

Círio 2020: com Maria, mãe da Vida, uma explosão de fé e alegria

Círio 2020: com Maria, mãe da Vida, uma explosão de fé e alegria
Dom Pedro José Conti, Bispo de Macapá

O Círio de Nossa Senhora de Nazaré, neste ano de pandemia, será diferente. Todos se perguntam: ficando em casa, na janela ou no portão, vendo as imagens passar, será um Círio mais triste? Depende de nós. Todos temos muitas maneiras para manifestar os nossos sentimentos, sobretudo quando nos sentimos bem e, dentro das nossas possibilidades, felizes. Alguns precisam pular, outros abraçar alguém, outros baterem palmas. Alguns podem exagerar na exterioridade, outros ficarão mais contidos. Eu quero falar aqui daquela “alegria” que não pode faltar para ninguém, também se passamos por momentos difíceis e choramos a ausência de pessoas queridas no meio de nós. É a alegria de quem aprendeu a confiar no Senhor, a lembrar sempre do seu amor e a olhar além das circunstâncias imediatas.

Maria nos ensina isso com simplicidade e coragem. Conhecia “as promessas”, sabia que Deus não podia falhar com seu povo escolhido. Todos e todas aguardavam o “Cristo”, o escolhido, o enviado. No entanto, ela não podia saber como tudo isso iria acontecer. Só podemos imaginar, nas palavras da Anunciação, a surpresa daquela jovem mulher, prometida em casamento a José, e chamada, naquele momento, a ser a mãe do Salvador, por ação, humanamente inexplicável, do Divino Espírito Santo. Na sua humildade, ela se sente indigna. Nem sabe nada, ainda, das alegrias e das provações que virão, mas não desiste, não volta atrás, enfrenta o desconhecido porque confia naquele que a chamou. Para que seu Filho fosse verdadeiramente humano – e não só divino – o Pai precisou de uma mãe escolhida, a “bendita entre as mulh mulheres;. Maria aceitou o desafio e, nunca mais haverá algo semelhante. Por isso, Nossa Senhora canta a sua alegria, dela e de todo pobre e excluído que, apesar de tudo, acredita que é amado por Aquele que está acima de tudo e de todos, Aquele que poderá não só reverter a seu favor situações injustas, mas, muito mais, com a sua presença fiel, o fará colaborador de um mundo novo, sem opressores e oprimidos, sem tronos a serem derrubados porque tudo será comunhão de paz e fraternidade. Quando? Como?

O caminho é longo, passa pela cruz do próprio Jesus, por todas as vidas doadas pela causa do Reino, mas os sinais da vitória já são visíveis e possíveis a serem realizados. A alegria do cristão nasce da certeza de que a “esperança” não pode ser um aguardar paciente, mas é sempre participação na construção de algo novo e melhor, mais humano e solidário. Por isso podemos chamar Maria, também mãe da Esperança, mãe da Vida Nova que o Cristo iniciou com a sua ressurreição. É esta a Vida prometida, a Vida que não morre mais para aqueles que acreditarem e seguirem a Jesus.

Com Papa Francisco, chamamos Maria “mãe de todas as criaturas” (Querida Amazônia 111) porque estamos vendo a Vida do nosso planeta, a nossa Casa Comum, sendo ameaçada. Junto com a floresta queimada, desaparecem plantas e animais, biomas inteiros destruídos pelo fogo, pela poluição, pela ganância de poucos. Os gritos de desespero e de alerta dos nossos irmãos, dos povos nativos da Amazônia, não são ouvidos. Se acreditamos na Vida, se acreditamos que toda a Criação é uma dádiva de Deus a toda a humanidade, não podemos ficar indiferentes, pensar só em interesses e resultados imediatos. Não somos os donos da Vida, somo administradores e disso teremos que prestar conta, um dia. Ou, talvez, esta conta já chegou e logo pagaremos as consequências. Tudo isso nos deixa tristes, mas Maria é também a Mãe da Alegria, que brota do coração sincero de quem confia mais em Deus do que nas suas próprias forças. Nele está a fonte inesgotável da nossa fé, da esperança, do amor e de toda a alegria.

Confira os locais e horários das missas no dia do Círio

Devido o cancelamento da procissão, o Santuário Nossa Senhora de Fátima, no bairro Santa Rita, de onde a cada ano sai o Círio de Nazaré, terá como estratégia, além da missa das 7h30, a realização outras duas celebrações, às 10h e às 19h.

Catedral São José

A Catedral São José sediará os atos centrais do Círio de Nazaré. A Imagem principal permanecerá na Catedral no dia 11 de Outubro. Às 7h30 acontece a missa do Círio, com público limitado e que terá acesso ao local através de convite já distribuído pela organização para voluntários, religiosos (as), autoridades e paroquianos. Não será permitido o acesso à Igreja sem identificação.

A comissão organizadora do Círio incentiva que os fieis interessados em participar das celebrações do dia do Círio procurem a Paróquia mais próxima seguindo as orientações das coordenações locais da missa.

Confira os locais e horários de celebração da missa do Círio:

Vicariato I

  • Paróquia São Benedito: Missa às 7h – Igreja Matriz – Saída da Santa|Carreata (Banco da Amizade – Laguinho);
  • Paróquia Nossa Senhora do Rosário: Missa às 7h30 – Igreja Matriz – Chegada  Carreata;
  • Paróquia Nossa Senhora de Nazaré: Horário e local ainda não confirmados

Vicariato II

  • Paróquia São João B. Piamarta: Missa às 7h – Igreja Santa Maria e São João – Saída da Santa|Carreata;
  • Paróquia Santuário de Fátima: Missa às 7h30 – Igreja Matriz (Santuário) – Chegada da Santa | Carreata; ;
  • Paróquia Jesus de Nazaré: Missa às 7h30 – Igreja Matriz

Vicariato III

  • Paróquia Jesus Bom Samaritano: Missa às 7h30 – Igreja Matriz – Saída da Santa|Carreata;
  • Paróquia Sagrado Coração de Jesus: Missa às 7h30 – Igreja Matriz
  • Paróquia Cristo Bom Pastor: Missa às 7h30 – Igreja Matriz – Chegada da Santa | Carreata;

Vicariato IV

  • Paróquia São José: Missa às 7h30 | 10h | 19h – Catedral (Participação por convite)
  • Paróquia São Pedro: Missa às 7h30 – Igreja Matriz – Saída da Santa|Carreata;
  • Paróquia Nossa Senhora da Conceição: Missa às 7h30 – Igreja Matriz
  • Paróquia Nossa Senhora do Perpetuo Socorro: Missa às 7h30 – Igreja Matriz – Chegada da Santa | Carreata;

Percurso das carreatas do Círio de Nazaré

Logo após as missas sairão as carreatas

PERCURSO DA CARREATA: VICARIATO 1 (Paróquias Nossa Senhora de Nazaré, Nossa Senhora do Rosário e São Benedito)

Concentração: Bairro Laguinho – Banco da Amizade (Rua General Rondon). Rua Guanabara, Rodovia Perimetral Norte, Rua Brasil Novo, Av. Caneleiras, Rua Mamoeiro, Av. Coqueiro, Rua Brasil Novo, Perimetral Norte, retorno, Rua Bacabas, Rua Petrolina, Av. Carlos Lins Cortes, Perimetral Norte, Retorno na frente da POLITEC, Rua Ver. Adilson José Pinto Pereira, Av. Ana Maria Gomes da Costa – Paróquia Nossa Senhora do Rosário.

PERCURSO CARREATA: VICARIATO 2 (Paróquias São João Piamarta, Santuário de Fátima e Jesus de Nazaré)

Concentração: avenida bosque 683. Percorrendo a Av.18 até Av.7, Igreja São João Piamarta, Rua 5, Av.4 no Marabaixo2 . Percorrendo a Duca Serra, Bairro Cabralzinho. Av. Padre Julio Lombaert, Rua H. Maia, Av. Cora de Carvalho, Santuário de Fátima, Rua Prof. Tostes, Av. Mendonça Furtado, Rua Hildemar Maia, Av. Raimundo Alvares da Costa, Rua Jovino Dinoá, Av. Padre Manoel da Nóbrega, Rua E. Pereira, Av. Carlos Gomes, , Rua H. Silva, Av. Mãe Luzia, Rua J. Dinoá, Av. Nações Unidas, Rua H. Silva, Av. Marcílio Dias, Rua Leopoldo Machado, Igreja Jesus de Nazaré.

PERCURSO DA CARREATA: VICARIATO 3 (Paróquias Jesus Bom Samaritano, Cristo Bom Pastor e Sagrado Coração de Jesus)

Concentração: na entrada do Conjunto da Embrapa, rua Inspetor Marcelino –  na Av. Amadeu Gama  até a Paróquia Jesus Bom Samaritano –   Av Dom José Maritano  –  rua Djalma Nascimento –Igreja São Joao Batista av. Maria Geovanete Pinheiro Borges –  av. inspetor Aimoré  até o Posto de saúde Leozildo Barreto Fontoura –  av. Ivaldo Alves vera até a av. da Estrela no Capela Imaculado Coração de Maria –  av. Saturno –  av. Jupiter/ StephanHouat – rua Remo Amoras de Oliveira/avTembesIgreja Pai Nosso – rua Santos Dumont igreja Nossa Senhora das Dores – av. Tereza Maciel Tavares – Rua Hildemar Maia – av. Timbiras – rua Manoel Eudóxio Pereira, Igreja Divino Espírito Santo – AV. Tamoios -rua Professor Tostes – av 1º de Maio Paroquia Sagrado Coração De Jesus -rua Claudomiro de Moraes – Av . Domingos Amorim,  Posto de Saúde Lelio Silva- trav. Municipalista – av. HeraclitoJuares Filho, Igreja Cristo Redentor – av Tiago Flexa – av João Batista Coutinho -Av. Carlos Drumond de Andrade – Claudiomiro de Moraes, igreja Maria Mãe da Igreja – Paróquia Cristo Bom Pastor.

PERCURSO DA CARREATA: VICARIATO 4 (Paróquias São Pedro, Nossa Senhora da Conceição, São José e Nossa Senhora do Perpétuo Socorro)

Concentração: Igreja São Pedro – Rua Jovino Dinoá, Rua Beira Rio, Av. Cônego Domingos Maltês, Rua Odilardo Silva, Av. Presidente Vargas, Rua São José, Av. Pedro Américo, Rua Turíbio O. Guimarães, Av. Canal do Jandiá,  Rua Antônio Palaes de Souza, Rua Beira Rio, Av. Vereador José Tupinambá, Rua Acésio Guedes, Santuário Nossa Senhora do Perpétuo Socorro.

Em cada carreata será possível doar alimentos para as famílias carentes da cidade e donativos em dinheiro.

Programação do Círio de Nazaré

 

Confira a programação

CÍRIO FLUVIAL
Data:10/10/2020 (Sábado)
Local: Saída do Porto da Souzamar até o porto Nortelog / Ponte do Rio Matapi Horário: 8h

CÍRIO DOS MOTOCICLISTAS
Data: 10/10/2020 (Sábado)
Local: Concentração no Porto da NorteLog / Ponte do Rio Matapi
Horário: Na chegada do Círio Fluvial

MISSA DE APRESENTAÇÃO DO MANTO
Data: 10/10/2020 (Sábado)
Local: Catedral São José
Horário: 19h
Entrega das Imagens Peregrinas aos representantes dos Vicariatos. Devido ao limite de pessoas, a participação a esta Celebração é por convite. Em todas as Paróquias de  Macapá será celebrada uma MISSA MARIANA, no horário de costume. Transmissão pela página do Facebook Círio de Nazaré – Diocese de Macapá (@ciriodenazaremacapa)

VIGÍLIA DE ORAÇÃO DOS MOVIMENTOS E NOVAS COMUNIDADES
Data: 10/10/2020 (Sábado)
Local: Catedral São José
Horário: 21h
Após a Missa de Apresentação na Catedral, os Movimentos Eclesiais e Novas Comunidades da Diocese de Macapá realizam uma Vigília de Oração em homenagem à Virgem de Nazaré.

DIA DO CIRIO: SANTA MISSA EM HONRA DE NOSSA SENHORA DE NAZARÉ
Data: 11/10/2020 (Domingo)
Local: Catedral São José
Horário: 7h30
Devido ao limite de público, a participação de fiéis nesta celebração é por convite. Também em cada Paróquia de Macapá será celebrada a Santa Missa do Círio em horário de costume pela manhã.
Na catedral São José também será celebrada a missa às 10h e às 19h. Transmissão pela página do Facebook Círio de Nazaré – Diocese de Macapá (@ciriodenazaremacapa)

HOMENAGEM AOS FALECIDOS PELA COVID-19, BÊNÇÃO COM A IMAGEM DE N.S. DE NAZARÉ E QUEIMA DE FOGOS

Data: 11/10/2020
Local: Em frente à Catedral São José
Horário: 11h30 Homenagem
12h (queima de fogos)

Transmissão pela página do Facebook Círio de Nazaré – Diocese de Macapá (@ciriodenazaremacapa)

CÍRIO DAS CRIANÇAS
Será oferecido como presente para as crianças o Jogo Caminhando com Maria, composto por um momento de reflexão e cantos e um Jogo de trilha. O encontro deverá ser dirigido pelos pais ou responsáveis. Os kits serão entregues de 05 a 09/10/2020 nas secretarias paroquiais.

LIVE PARA AS CRIANÇAS EM HOMENAGEM A NOSSA SENHORA
Data: 12/10/2020
Horário: 16h
Atrações: Música, brincadeiras e teatro
Transmissão: Facebook Círio de Nazaré – Diocese de Macapá (@ciriodenazaremacapa)

CÍRIO DOS JOVENS
Data: 17/10/2020
Horário: 16h
Transmissão: Círio de Nazaré – Diocese de Macapá (@ciriodenazaremacapa).
Programação organizada pelo Setor Juventude da Diocese de Macapá.

RECÍRIO E MISSA DE ENCERRAMENTO
Data: 18/10/2020 (Domingo)
Local: Catedral São José
Horário: 10h
Antes da Missa, acontece o retorno das Imagens Peregrinas dos Vicariatos acompanhadas pelos ciclistas até a Catedral São José. Transmissão pela página do Facebook Círio de Nazaré

PROGRAMAÇÃO SOCIAL
DRIVE-THRU E DELIVERY DE NAZARÉ
Venda de cesta e porções de comidas típicas para retirada no local.
Data: 11 e 12/10/2020
Horário: 18h
Local: Em frente da Catedral São José

CÍRIO MUSICAL (LIVE SOLIDÁRIA)
Data: 11/10/2020
Horário: 20h
Atrações: Banda Amém, Anjos das Ruas, Banda Eterna Aliança e Nelsinho Corrêa (Canção Nova)
Data: 12/10/2020
Horário: 18h
Atrações: Ministério Misericordia e Dei, Anjos das Ruas, Ministério Beraká, Banda Raio De Luz.

O Círio Musical – Live Solidária será transmito nas páginas do Facebook Círio de Nazaré e Artistas Católicos do Amapá (@ArtistasCatolicos). Durante toda a programação será realizada a arrecadação de alimentos não perecíveis para doação a famílias carentes.

Círio 2020 – Programação começa sábado

A Programação oficial do Círio de Nazaré 2020 inicia neste final de semana e duas missas que serão celebradas na Catedral São José para o envio das imagens que ornamentarão os altares das famílias e instituições públicas ou privadas durante o período de peregrinação.

No sábado (19), às 19h, a primeira missa será presidida pelo bispo de Macapá, dom Pedro José Conti, para a bênção das imagens. Os convidados para esta celebração são os responsáveis ou representantes das instituições públicas e privadas que todos os anos recebem a visita da Imagem Peregrina de Nossa Senhora de Nazaré.

No domingo (20), às 10h, a segunda missa recebe os representantes de famílias, grupos e comunidades para a bênção das imagens. A celebração será presidida pelo pároco da Catedral e coordenador do Círio de Nazaré 2020, padre Rafael Donneschi. A partir desta celebração as famílias devem organizar os ambientes das residências, pontos comerciais, ou outros espaços para momentos de oração e homenagem em preparação para o dia 11 de outubro, dia do Círio.

Peregrinação

Por conta da pandemia da Covid-19, a programação da peregrinação com a Imagem Peregrina foi restrita aos ambientes preparados pelas instituições visando evitar aglomerações. No período de 21 de setembro a 8 de outubro as imagens abençoadas estarão expostas nas instituições para os momentos de devoção, oração e homenagens organizados para este ano.

Este ano, 47 instituições, entre órgãos públicos e organizações privadas, se inscreveram antecipadamente para participar da programação oficial em homenagem à Virgem de Nazaré. Além destas, outras podem ainda organizar os ambientes para realizar suas homenagens.

A comissão do Círio de Nazaré, sob a motivação do bispo de Macapá dom Pedro Conti, incentiva aos fiéis católicos devotos de Nossa Senhora de Nazaré a enfeitarem e preparem durante todo este período as residências e ambientes oportunos em homenagem à Virgem.  

(Pastoral da Comunicação)

Definido novo formato para a celebração Círio de Nazaré 2020

A celebração do 2º domingo de outubro acontece na Catedral São José e nas Paróquias. Em carro aberto, imagens peregrinas percorrem os bairros de Macapá

Nesta sexta-feira (11), o bispo de Macapá dom Pedro José Conti anunciou nas redes sociais e nos meios de comunicação da Diocese o novo formato para as celebrações deste ano do Círio de Nazaré.  Os eventos centrais preparados para os dias 10 e 11 de outubro acontecerão na Catedral São José e, simultaneamente, na Igreja Matriz de cada Paróquia de Macapá.

De acordo com o bispo, este será “o Círio nas Paróquias”. A descentralização das celebrações é a medida para evitar a aglomeração de público, bem como, possibilitar que os fiéis vivam dentro de cada realidade paroquial a tradição do Círio.

Segundo a programação, no sábado (10), às 19h, uma missa será celebrada na Catedral São José para a apresentação do manto da imagem principal. Após a celebração, serão entregues aos quatro Vicariatos as imagens peregrinas.  Após a missa, às 21h, uma Vigília de Oração será realizada com a presença dos Movimentos Eclesiais, Novas Comunidades e Grupos da Diocese de Macapá.

Simultaneamente a missa da Catedral, as comunidades estarão reunidas na Igreja Matriz de cada Paróquia para celebrar também a missa pré-festiva votiva à Virgem de Nazaré, como expressão de comunhão eclesial e devoção. Também nas Paróquias deverá acontecer após a celebração uma vigília de oração, desta vez, com a participação da juventude.

No domingo, às 7h, na Catedral e também em cada Igreja Matriz Paroquial, acontece a tradicional Missa do Círio. Após as celebrações, as quatro imagens peregrinas percorrem em carro aberto os bairros da capital, de acordo com o percurso organizado por cada Vicariato. A imagem principal permanecerá exposta na Catedral São José para as celebrações das 10h e 19h do dia do Círio, para as celebrações da semana e eventos da programação social.

A Comissão Organizadora convida os fiéis no dia do Círio a ornamentarem com enfeites e altares a frente das residências ou outros ambientes possíveis para fazerem sua homenagem à Virgem de Nazaré durante o percurso, sempre respeitando as medidas de distanciamento e uso de máscara.

Homenagens

Dom Pedro Conti também anunciou que outra novidade nesta programação acontece após a missa das 10h no domingo (11). Em frente à Catedral São José vai acontecer uma homenagem às vítimas da Covid-19 no Amapá. Após a homenagem, será realizada uma queima de fogos em honra a Nossa Senhora de Nazaré.

A queima de fogos será está programada também para o final de cada carreata dos Vicariatos, podendo também ser realizada pelas comunidades ou pelas famílias reunidas.

O Círio nas Paróquias continua de 11 a 17 de Outubro com as imagens peregrinas percorrendo as igrejas, capelas, comunidades, instituições e famílias, segundo a programação e percurso organizado por cada Vicariato.

Por Jefferson Souza – Pastoral da Comunicação