Alcinéa Cavalcante

Liberdade de expressão!
Macapá - Amapá

Mano Zoth

Postado por: Alcinéa Cavalcante em 24/11/10 as 10:23 pm

Afinem os violões. Mano Zoth está chegando, trazendo música, alegria, estrelas e raios de sol. Vem comemorar com a família seus 50 anos de idade.
Alcy Araújo Filho, o Zoth, é músico e funcionário da Petrobrás. Mora em Manaus.

Reproduzo hoje aqui o texto que fiz em 2005 quando ele completou 45 anos.

Oi, “piqueno”

Tô com uma saudade de ti desse tamanhão. Desde ontem cada avião que passa eu digo “é ele”. Pego a chave do carro e corro para o pátio, onde fico esperando o celular tocar e ouvir a tua voz dizendo “oi, piquena, cheguei, vem me buscar aqui no aeroporto”.

E vai começar a festa. Logo chega Zé Miguel com seu violão enfeitado de pérolas azuladas e suas músicas mais gostosas que pirão de açaí com tamuatá, Nivito vem chegando na batida da bossa-nova, Luís Banha entra contando histórias e querendo comer camarão miudinho e o Antonei sai da toca e chega cantando “Amigo” e contando como vocês dois, em parceria com a brisa do mar, fizeram esta canção num boteco de Fortaleza.

Rápido a boa notícia se espalha. “O Zoth ta na área”. E toda a turma vem cantar, rir, te abraçar. Violões enluarados  se revezam com violões ensolarados para celebrar a vida, o amor e a amizade. É sempre assim quando estás aqui. Todos os momentos são de festa.

Peraí … vou tomar um cafezinho, fumar um cigarro e já volto (nem adianta você dizer “tu ainda estás fumando, piquena?” Você também não pára).

………………………………………………

Pronto. Voltei. Piqueno, enquanto eu estava fumando eu ria sozinha lá na cozinha. Sabes do que eu tava lembrando? Daquela vez que resolveste iniciar um pequeno negócio: venda de bombons no cinema. Tu entravas com o capital e o Haroldo (nunca mais vi o Haroldo) com o trabalho. Acho que tu tinhas um 12 anos. Mamãe te deu o dinheiro e foste comprar quilos e quilos de bombons. À tardinha tu e o Haroldo arrumavam na caixa de bombonzeiro e o Haroldo rumava pra porta do cinema enquanto tu ficavas brincando. No terceiro dia o negócio faliu porque resolveste comer todos os bombons. Lembro-me bem quando mamãe foi te acordar de manhã para ires à escola e deu de cara com centenas de papel de bombons espalhados pelo quarto. Não aparecia uma lajota, o piso estava todo coberto de papel de menta, papel de bombons de leite e de frutas. A coisa foi tão engraçada que ela não conseguiu te ralhar. A vida, mano, pra nós continua doce como teus bombons. Verdade que algumas vezes a gente pega um chocolate amargo, mas isso faz parte.

No colinho da mamãe quando completou um aninho

Falar em doçura, lembras quando fiz aquele curso de confeito? Adorávamos bolo confeitado. Então depois que todo mundo dormia, íamos pra cozinha, tu fazias o pão-de-ló (ainda sabes fazer?) e eu confeitava. Colocávamos na frente do ventilador pra esfriar logo para que a gente pudesse comer antes de dormir. A mana Alcilene, sabidinha como ela só, fazia que estava dormindo. Quando íamos começar a comer o bolo ela aparecia de pijaminha, enrolada no lençol, abraçada com sua inseparável  boneca “dorminhoca” e anunciava: “Eu quero um pedaço”. Quando terminava de comer corria pro quarto, sempre abraçada com a “dorminhoca”, e nós dois íamos lavar toda a louça. Ah, moleca!


Ah, mano, esses dias eu tava conversando com o Paulo José e ele me disse que ainda tem as fotos do festival de música amapaense que ele promoveu quando era presidente da Associação dos Universitários do Amapá. Tu tinhas uns 16 anos, né? E deste um show.
Participando com duas músicas ganhaste todos os prêmios. A Comissão Julgadora era

Com 9 meses ele já corria

formada por gente da Funarte. Foi muito legal quando o resultado foi anunciado. Primeiro lugar: Zoth; segundo lugar: Zoth; melhor letra: Zoth; melhor melodia: Zoth; melhor arranjo: Zoth; melhor intérprete: Izequias, interpretando as músicas do Zoth; melhor torcida: a do Zoth. Não sobrou pra ninguém. Que festa, hein! E todo mundo se orgulhando de ti, papai, mamãe, eu, o Alcione, a Alcilene, os amigos, os vizinhos, os teus professores…  Inesquecível aquele festival. Falar nisso, me lembra aquela vez que o papai ficou super orgulhoso quando o mestre Nonato Leal ao te ver tocar violão disse: “Esse moleque tem uma mão direita muito boa. Tem muito talento”. Tu eras garotinho ainda.

Mas, mudando de assunto: quero meu presente hoje. Tudo bem,  eu sei que o aniversário é teu. Mas, e daí que queira ganhar presente? Quero sim! Quero tua presença. Tô com saudade de brincar com teus cabelos e coçar tua costa. To com saudade de ti, piqueno. Uma saudade desse tamanhão, grandona, imensa, como o amor e a ternura que existem em nós.

Daqui a pouco passa mais um avião, vou pro pátio te esperar. Quando chegares vou te encher de beijos e aconchegadinha no teu abraço dizer-te: Feliz aniversário, piqueno.

Te amo, viu?

Zoth com os filhos Lucas, Carol e Netinho

Dia do Taxista

Postado por: Alcinéa Cavalcante em 24/11/10 as 11:35 am

Hoje é dia de parabenizar esses profissionais que trabalham dia e noite, correm riscos, nos levam para qualquer lugar a qualquer hora, enfrentam o dia inteiro o trânsito estressante, mas não perdem o sorriso.
Eles estão nas portas dos supermercados,  restaurantes, hospitais,  aeroportos, rodoviárias, lojas, em todos os lugares prontos para servir. Educados, nunca deixam de cumprimentar o cliente. Cavalheiros, abrem a porta do carro pra você entrar e sair e ainda ajudam a carregar as compras.
Precisa de um carro de madrugada? Basta ligar que logo um taxista chega e sem reclamar da vida, do horário, do sono, te  leva pra onde você quiser. Pra te distrair, às vezes ele ainda puxa papo. Fala de futebol, de política, de carnaval ou seja lá do que for.
Hoje é Dia do Taxista, mas eles estão por aí rodando pela cidade. Diferente de outras categorias profissionais, eles não tem feriado, eles não podem parar para comemorar a data.
Neste dia, o blog presta esta singela homenagem aos chamados profissionais do volante, parabeniza a todos eles e em especial o presidente do Sindicato do Taxista, Rizonilson Barros.

Rizonilson Barros, presidente do Sindicato dos Taxistas, dispõe de três números de telefone para atender seus clientes e atende também pelo Twitter. Antenado, enquanto espera um cliente fica navegando na Internet, se inteirando do que acontece não só no Amapá mas também no Brasil.
No twitter conta como está cidade, onde está faltando energia elétrica, onde está chovendo, como o trânsito está fluindo. Além disso dá notícias sobre assaltos, acidentes, greves, manifestações e tudo o mais que ele vê pelas ruas da cidade.
Rizonilson é o meu taxista preferido e é também meu amigo e sinto orgulho de privar da amizade dele.
Parabéns, Rizonilson, pelo teu dia.

Hoje tem audiência pública na Câmara de Vereadores para debater educação especial

Postado por: Alcinéa Cavalcante em 24/11/10 as 1:18 am

Hoje,  a partir das 9h, tem audiência pública na Câmara de Vereadores de Macapá para tratar de Educação Especial. No orçamento do município para 2011 não existe recurso alocado para esta modalidade de ensino.
A audiência é promovida pela  Comissão de Educação da Câmara de Vereadores a pedido do vereador Clécio Luis  (PSOL).
Esta audiência foi motivada a partir de compromissos feitos durante as discussões com a sociedade civil e com os profissionais que trabalham na educação especial, tanto no estado como no município, da necessidade de debater um orçamento específico para essa área no município de Macapá. Para a nossa surpresa nas primeiras investigações que nós estávamos fazendo a respeito do orçamento 2011, nós descobrimos que no município não existe alocados recursos para a educação especial. No orçamento geral da educação que compreende 25% do orçamento geral, a prefeitura não destinou nenhum centavo do tesouro para a Educação Especial”, disse o vereador.

Nesta audiência será debatida com a secretaria de educação, técnicos do planejamento da secretaria, técnicos e profissionais da educação especial no município, escolas, professores, instituições como APAE, sociedade civil e pais de alunos, uma maneira de utilizar projetos que existem dentro do município, dotando-os de orçamento compatível para a sua execução, fazendo com que o município assuma a sua responsabilidade no financiamento da educação especial, a Educação Especial e o Atendimento Educacional especializado a partir da perspectiva da educação inclusiva.

(Texto: Sônia Sandim, do gabinete do vereador Clécio Luís)

Marcha das Marias

Postado por: Alcinéa Cavalcante em 24/11/10 as 1:03 am

É amanhã, quinta-feira,  a “Marcha das Marias” – uma caminhada  que visa  chamar a atenção para o enfrentamento à violência contra a mulher na capital amapaense.
É realizada com  a participação de toda a Rede de Atendimento à Mulher e o Município de Macapá  e homenageia  Maria Zelinda Mira, assassinada em 1958.
Até o ano passado a Marcha das Marias era realizada na orla de Macapá. Este ano será no  Congós, bairro que apresenta o maior número de casos de violência contra a mulher.  A saída será às 16h da arena do bairro dos Congós. A caminhada encerra na frente do Superfácil da Zona Sul.

Zelinda dos Santos Mira foi assassinada pelo marido no dia 27 de outubro de 1958, na Praça Nossa Senhora da Conceição, aos 15 anos de idade e grávida do primeiro filho. Sua morte foi premeditada por seu esposo Valdir Mira, que após tê-la agredido fisicamente e ter ficado preso por alguns dias, sob pretexto de uma possível reconciliação marcou um encontro com a vítima na Praça, ocasião em que lhe tirou a vida com 16 facadas.